Infarto fulminante

DIÁRIO DA MANHÃ|MARCELO MENDES

Cardiologista explica, em detalhes, a doença que ataca silenciosamente e sem dar chances à vítima

ImagemBaseado em dados fornecidos pela Campanha “Coração Alerta”, cerca de 80 mil pessoas morrem no Brasil vítimas de infarto fulminante a cada ano, sendo uma vítima fatal a cada cinco minutos. No mundo, esse número sobe para assustadores 17 milhões de mortes provenientes de infarto fulminante. Fumantes, obesos, hipertensos, estressados, sedentários, negros, brancos, pardos, homens, mulheres, pobres e ricos, todos estão sujeitos a esse mal. 

Conhecido como infarto agudo do miocárdio, também conhecido no meio popular como parada cardíaca e também por ataque cardíaco. O infarto é a segunda maior causadora de mortes em nosso País.

O que acontece em grande parte dos casos que são resultados de morte súbita, é que são julgados e classificados popularmente como infarto fulminante. Com o propósito de esclarecer este tema, que entrou em discussão devido às recentes mortes de José Wilker, de 69 anos, Luciano do Valle, 66, e Gustavo Castanheira, 17 anos (irmão do cantor MC Gui), a reportagem do Diário da Manhã entrou em contato com o médico cardiologista, Anis Rassi Júnior, que é diretor clínico do Centro de Diagnóstico Cardiovascular do Anis Rassi Hospital. 

Diário da Manhã – José Wilker, Luciano do Valle e Gustavo Castanheira (irmão do MC Gui) foram vítimas de infarto fulminante?

Anis Rassi Júnior – Fazem muita confusão ao classificar morte súbita como infarto fulminante. O infarto fulminante é apenas uma das causas que podem provocar uma morte súbita. Certamente esse garoto de 17 anos foi vítima de morte súbita, e com certeza não foi de infarto fulminante. Um jovem de 17 anos sofrer de entupimento da artéria do coração é muito raro. Já o caso do José Wilker, ele era fumante e morreu dormindo, foi vítima de morte súbita, para caracterizar é necessária à análise, pois não dá para decretar que foi infarto fulminante. Já o Luciano do Valle teve dor antes do voo, ele tinha sobrepeso também, então foi vítima de morte súbita, outro caso que é necessário estudo da autópsia pra definir a causa real da morte. 

DM – O que é infarto?

Anis Rassi Júnior – Infarto é caracterizado quando se tem uma artéria do coração que entope, onde não passa mais sangue. Quando tem a interrupção de fluxo sanguíneo pela artéria do coração. Geralmente ela fecha por conta de uma placa de gordura, que rompe formando um coágulo de sangue, o que entope a artéria. Normalmente, o coração está funcionando normalmente, aí de repende fecha-se a artéria, a partir daí o coração treme, que é chamado de fibrilação ventricular. Alguns pacientes podem sofrer arritmia neste momento. Em que o coração bate a cerca de 800 vezes por minuto, porém não consegue bombear sangue para o corpo, e principalmente para a cabeça, este estado pode levar o paciente a óbito em até quatro minutos. 

DM – Qual a principal diferença entre infarto e infarto fulminante?

Anis Rassi Júnior – O infarto fulminante é quando não há tempo hábil para atender o paciente e ele vem a óbito. Pode caracterizar por infarto fulminante, a vítima que faleceu até no máximo de uma hora após o início dos sintomas. Cerca de 20% dos casos de infarto são do tipo fulminante. Vale lembrar, que nem toda morte súbita é proveniente de infarto fulminante, e sim apenas uma das causas que podem acometer o paciente. Casos de morte quando dorme, em casa, ou durante alguma atividade são classificadas como morte súbita. Porém tem de se examinar o corpo para saber se a morte súbita foi ocasionada por infarto ou outra enfermidade. 

DM – Quais as principais causas de morte súbita?

Anis Rassi Júnior – A embolia pulmonar, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e a dissecção da aorta também são causadores de morte súbita. E não apenas o infarto fulminante como muitos pensam. Já a doença de Chagas é a que mais gera morte súbita no Brasil. 

DM – Quais os sintomas no organismo?

Anis Rassi Júnior – Primeiro uma dor muito forte no peito, na região reto external, às vezes irradia para o braço esquerdo. Essa dor não cede com analgésico, vem acompanhada de náusea, sudorese, além de um desconforto muito grande na vítima. Esses sintomas não irão cessar com comprimidos sublinguais (Sustrate, Isordil). O recomendado é que ao início desses sintomas o paciente seja imediatamente encaminhado para o hospital. E muitas vezes ele terá uma arritmia que não dará tempo para ser atendido no hospital, o que ocorre em média de 20% dos casos de infarto, que são do caracterizado como do tipo fulminante.

DM – Qual a orientação para o paciente que vier a ter esse tipo de sintoma?

Anis Rassi Júnior – O que a gente recomenda, se o indivíduo tiver esses sintomas de infarto é o seguinte. Deve-se tomar três comprimidos de AAS infantil acompanhado de um comprimido de nitrato, que é um vasodilatador coronariano. A aspirina e o nitrato podem ajudar no momento inicial dos primeiros sintomas. Mas tem que ir imediatamente ao hospital, essa medicação serve apenas para auxílio no ganho de tempo. Pois o paciente deverá ser submetido a um procedimento de abertura da artéria entupida, o que esses medicamentos não fazem. 

DM – Como evitar e prevenir o infarto?

Anis Rassi Júnior – Existem os fatores de risco de infarto. Os quatro mais importantes são: diabetes (se o indivíduo for diabético, o risco dele é três vezes maior do que de um não diabético) tabagismo (o risco é duas vezes maior do que o de um não fumante); hipertensão e colesterol alto. O paciente que possui as quatro principais características tem uma probabilidade de quase 100% de ter um infarto nos próximos dez anos. Então o indivíduo a partir dos 20 anos de idade tem que dosar a glicose, aferir a pressão com regularidade, acompanhar as taxas de colesterol e não pode fumar de forma alguma. Existem outros fatores que predispõem ao infarto que é a obesidade, sedentarismo e dieta inadequada, que também são fatores de risco.

DM – A genética pode influenciar a predisposição ao infarto?

Anis Rassi Júnior – Sim, a carga genética influencia. Se alguém na sua família faleceu de infarto aos 40 ou 50 anos de idade, provavelmente seu risco é bem maior em relação a uma pessoa que não tenha antecedentes hereditários. 

DM – Quais os principais exercícios que podem ser utilizados como mecanismo de prevenção?

Anis Rassi Júnior – Exercícios aeróbicos. Caminhada é o melhor exercício que existe. Se o indivíduo fizer caminhada pelo menos cinco vezes por semana com duração de no mínimo de 40 minutos por dia, isso é o ideal. Natação, hidroginástica e bicicleta, são exercícios que auxiliam muito também. Agora para as pessoas acima de 40 anos é de fundamental importância o exame médico para a avaliação física para ver como está o organismo antes de iniciar qualquer atividade física. 

DM – A prática exagerada de exercícios físicos e a hipertrofia muscular pode ocasionar o infarto?

Anis Rassi Júnior – Não, mas pode dar arritmia no indivíduo. O entupimento da coronária, que é o infarto, não acontece nesse caso. Mas pode dar outros problemas como a arritmia. Porém, se usar anabolizante ou alguma substância proibida, nesses casos podem ocasionar a morte súbita por arritmia e não por infarto fulminante.

DM – O uso de drogas pode causar o infarto?

Anis Rassi Júnior – O uso de cocaína, pois ela faz espasmos na artéria, o que pode acarretar em um infarto.

DM – Bebidas energéticas combinadas com o álcool podem causar o infarto?

Anis Rassi Júnior – O infarto não. Mas pode dar problema no fígado, como a cirrose, mas relação direta com o infarto não. É muito mais o cigarro do que o álcool. O álcool em excesso dá hipertensão e problema hepático. A bebida energética pode dar arritmia, pois elas aceleram o metabolismo. Efedrina e Cafeína são substâncias que aceleram o metabolismo e podem acarretar na arritmia, mas nada em relação direta ao infarto.

DM – Quais os principais alimentos que podem ajudar na saúde do coração?

Anis Rassi Júnior – O principal é evitar gorduras, frituras, carnes gordas, tudo que aumenta o colesterol é ruim. Gorduras de origem animal são os principais problemas. Os alimentos que são bons para o coração são frutas e verduras. Principalmente frutas, se você comer frutas pelo menos duas vezes ao dia, todos os dias da semana, seria o ideal. A redução de ingestão de sal na alimentação também é fundamental. Pois o sal em excesso ocasiona o aumento de pressão, que é um fator de risco ao infarto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s