Nova ofensiva no Iêmen mata cinco integrantes da Al Qeda

Militares iemenitas em Chabwa, durante a ofensiva contra a Al Qaeda.

Militares iemenitas em Chabwa, durante a ofensiva contra a Al Qaeda.

REUTERS/Yemen’s Defence Ministry/Handout via Reuters
RFI

Cinco membros da Al Qaeda morreram nesta sexta-feira (2) em um ataque das forças armadas iemenitas no sul do Iêmen, segundo a agência oficial Saba. O ataque também teria deixado dezenas de feridos e acontece três dias depois da operação que teria matado supostos extremistas de nacionalidade brasileira que integrariam a rede.
 

 

Apesar das suspeitas, o Itamaraty negou ter enviado um diplomata ao país para confirmar a existência de brasileiros na Al Qaeda no Iemên. A embaixada brasileira em Riade, na Árabia Saudita, ainda está em contato com as autoridades iemenitas para verificar a informação. Segundo o governo brasileiro, existe a possibilidade dos combatentes terem usado passaportes falsos.

O ataque desta sexta-feira na região de Maifaa aconteceu por terra e teve o apoio de aviões de combate. Três veículos da rede terrorista, um deles equipado com lança-foguetes, foram destruídos. O bombardeio integra a ofensiva organizada pelo governo para expulsar os combatentes da Al Qaeda em Chabwa e na província vizinha de Abyane.

Até agora, 51 pessoas já morreram na operação militar lançada nesta terça-feira, entre eles 24 soldados e 27 integrantes da rede. Diversos bombardeios aéreos também destruíram bases de treinamento dos extremistas.

Chefe da Al Qaeda no Iêmen ameaça autoridades iemenitas

O chefe militar da Al Qaeda na Península Arábica, Qassem al-Rimi, ameaçou nesta sexta-feira as autoridades do país de represálias depois dos ataques dos drones americanos contra os islamitas. Em um vídeo publicado no site da rede, o comandante da Aqpa declarou que o grupo atacaria todos os “estabelecimentos, ministérios, bases, quartéis e veículos que tivessem ajudado os americanos”.

O chefe da rede extremista também diz ter uma lista de “todos aqueles que participaram das operações’’, que ‘’deverão pagar o preço’’ pelo envolvimento na ofensiva do governo iemenita.

Os Estados Unidos são o único país que possui drones na região. Os aparelhos foram usados de maneira intensa no ano passado para dar apoio à luta das autoridades iemenitas contra a Aqpa e mataram dezenas de pessoas suspeitas de pertencer à rede terrorista.

A Aqpa é considerada a filial mais perigosa da Al Qaeda, que aproveitou o enfraquecimento do governo iemenita em 2011 para reforçar sua presença no sul e no leste do país. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s