Ribeirinhos do Amazonas preparam torneio de futebol paralelo à Copa

Torneio entre comunidades do rio Negro promete atrair turistas e amantes do futebol durante o Mundial

MANAUS – A Copa do Mundo de Futebol é um evento que mobiliza milhões de pessoas, inclusive na Amazônia. A região sedia o torneio pela primeira vez na história e aproveita para divulgar suas características. No Amazonas, as comunidades ribeirinhas estão integradas nesse processo à medida em que fazem parte dos roteiros turísticos do Estado. E os locais às margens do Rio Negro apresentam um atrativo especialmente para o Mundial: o tradicional Campeonato de Futebol da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro será realizado justamente no período do Mundial.

Torneio de futebol do Rio Negro. Foto: Acervo/FAS

A paixão pelo futebol nas comunidades ribeirinhas do Amazonas é perceptível. Torneios são organizados entre as comunidades em quase todos os fins de semana. Durante a Copa do Mundo, os locais pretendem atrair um número considerável de turistas. E além da natureza e da interação com animais, o futebol também desponta como um grande atrativo para os visitantes.

Clube da terra (e do coração)

Pedro Vidal tem 58 anos. Apaixonado por futebol desde os 13, o morador da comunidade Santa Helena do Inglês fala com orgulho do seu clube do coração. Flamengo? Vasco? Nada disso. É o Santa Helena, time amador que leva o nome da comunidade. “Minha paixão pelo futebol começou quando eu vesti a camisa do meu clube do coração, aqui da região, que é o Santa Helena. Comecei a jogar com 13 anos e até hoje, aos 58, eu ainda bato uma bola”, afirmou.

Futebol possui um importante papel social nas comunidades ribeirinhas do Amazonas. Foto: Acervo/FAS

Vidal define o Santa Helena como “o maior time da comunidade”. “É um time veterano aqui na área, muito conhecido no interior, até mesmo em Iranduba, Novo Airão e etc”, exibiu-se. O experiente ‘atleta’ explica que o torneio de futebol do Rio Negro envolve 19 comunidades ribeirinhas e é ‘democrático’, pois inscreve times masculinos, femininos e veteranos, como no seu caso.

Futebol = renda

Líder da comunidade Santa Helena do Inglês, Nelson Mendonça destaca um fator benéfico da realização de torneios de futebol nas comunidades: a geração de renda. “Esse esporte, além de proporcionar o lazer no sábado, no domingo, também ainda deixa um pouco de renda na comunidade que recebe o evento. Até porque o cara que vem jogar aqui come alguma coisa, compra uma cerveja, sempre deixa um dinheirinho”.

Estádio de futebol da comunidade Santa Helena do Inglês para os torneios do Rio Negro. Foto: Gabriel Seixas/Portal Amazônia

Outro ponto positivo destacado por Nelson é a integração das comunidades através do futebol. “É uma forma das outras comunidades virem pra cá. Até porque pra pessoa ir pra outro ‘campo’ tem que ser por algo que ela goste. E aqui a gente atrai muita gente nos torneios, tanto homem quanto mulher”.

Pra turista ver

Tanto a comunidade do Tumbira quanto a de Santa Helena do Inglês ainda não parecem ‘respirar’ Copa do Mundo. Nenhuma casa ou estabelecimento encontra-se decorado com bandeiras, cores ou qualquer enfeite relacionado à seleção brasileira. Entretanto, este panorama vai mudar até o início do Mundial, segundo os próprios moradores. O que não muda mesmo é a paixão dos comunitários pelo futebol – isto sim, perceptível em cada esquina.

Os turistas podem ficar despreocupados: se os destinos escolhidos durante a Copa forem as comunidades do Baixo Rio Negro, o que não vai faltar é bola na rede.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s