Entre otimismo e apreensão, começa Copa do Mundo no Brasil

A Arena do Corinthians recebe os retoques finais, antes do ínicio da Copa do Mundo de 2014 neste 12 de junho de 2014.

A Arena do Corinthians recebe os retoques finais, antes do ínicio da Copa do Mundo de 2014 neste 12 de junho de 2014.

REUTERS/Ivan Alvarado

Chegou a hora! A expressão utilizada ontem (11) pelo treinador Felipão e o atacante Neymar durante coletiva na Arena Corinthians, traduz a expectativa do mundo inteiro que, a partir desta quinta-feira (12) estará de olho no país-sede da Copa do Mundo de futebol. As seleções de Brasil e Croácia farão a abertura dentro de campo. Fora do estádio, é grande a expectativa quanto à realização de manifestações.

Elcio Ramalho, enviado especial da RFI Brasil

As cores verde e amarela, e bandeiras do Brasil, podem ser vistas nas ruas, nas fachadas de prédios, casas, no comércio, muita gente também exibindo a camiseta da seleção brasileira; mas talvez não de maneira tão ostensiva como em outros Mundiais. Pelo menos por enquanto. A movimentação em torno do estádio de abertura da Copa, o Itaquerão, ficou mais intensa nos últimos dias com a presença dos brasileiros e também com a chegada de muitos torcedores de outros países.

Torcedores e operários

O ambiente é festivo e tranquilo fora do estádio, mas nos arredores e também dentro da Arena Corinthians ainda vemos muitos operários trabalhando para acertar os últimos detalhes. Todos sabem que a Arena não ficará 100% pronta devido ao atraso de muitas obras.

A expectativa é saber se durante a transmissão do evento os profissionais da imprensa não terão problemas devido ao atraso nas instalações de equipamentos de telecomunicação. Ontem (11), houve muita reclamação dos jornalistas, que precisaram ter paciência porque a conexão de internet sem fio caía com frequência no Centro de Imprensa, irritando muitos profissionais. No restaurantes, longas filas para poder comprar uma refeição. O estádio é moderno e impressiona, mas os detalhes da falta de acabamento não passam despercebidos. Vale lembrar que este estádio deveria ser entregue em dezembro passado, so ficou pronto na última hora e não houve tempo para testar todas as instalações antes do jogo de abertura. O grande teste para o funcionamento do Itaquerão sera realizado hoje mesmo quando o estádio irá receber mais de 60 mil torcedores.

Manifestações

Muitos grupos anunciaram que farão protestos contra a realização do evento que dividiu muitos brasileiros. Um forte esquema de segurança está sendo montado, inclusive com a participação do exército. Militares estiveram na quarta-feira fazendo uma varredura no local. As principais vias de acesso serão interditadas num raio de 5 quilômetros antes da chegada ao estádio e diversos check points, postos de controles sob comando do exército, irão realizar vistorias em carros e passageiros num perímetro de 5 quilômetros ao redor do Iraquerão, uma clara disposição de inibir a aproximação de manifestantes ao redor do estádio.

A recomendação é para que os que vêem assistir ao jogo utilizem ônibus e trens. Aliás, ontem à noite, uma boa notícia após uma assembleia dos metroviários: eles decidiram não fazer nova paralisação no dia da abertura do Mundial e, ao invés de greve, optaram por um protesto na frente do sindicado da categoria.

Cerimônia de abertura

Antes da bola rolar, às 17 horas em São Paulo, uma cerimônia de abertura foi programada às 15h15, hora local. O espetáculo terá o trio que interpreta a canção-tema da Copa. A atriz e cantora Jennifer Lopez confirmou sua presença e estará no palco armado no gramado, ao lado do rapper americano Pitbull, autor da música “We are One”, “Somos um só”, cujo vídeo foi muito criticado pelos brasileiros e causou grande polêmica nas redes sociais por explorar todos os clichês ligados ao país.

O grupo afro Olodum e a cantora Claudia Leitte encerrarão a programação musical, que já está sendo criticada por ter deixado de lado um dos símbolos da cultura nacional : o samba carioca.

O show da abertura deverá ser visto ao vivo por bilhões de pessoas em todo o mundo, devendo se concentrar nas três imagens fortes do Brasil: a natureza, o povo e, é claro, a paixão pelo futebol. Em entrevistas, Claudia Leite faz mistérios sobre sua participação, mas disse que deverá agradar sobretudo às gerações mais jovens.

Um paraplégico deve dar o pontapé inaugural, utilizando uma roupa chamada exoesqueleto, concebida pelo cientista brasileiro Miguel Nicolelis.

Autoridades

Doze chefes de Estado e de Governo estarão presentes e não estão previstos discursos da presidente Dilma Rousseff ou do presidente da Fifa, Joseph Blatter. A imprensa afirma que nem imagens no telão da presidente serão projetadas para se evitar o risco de vaias.

A Copa tem início sem ninguém saber quem acompanhará o presidente da Fifa, Joseph Blatter, na entrega do troféu de campeão no dia 13 de julho. A presidente Dilma Rousseff não vai participar da festa, com receio de ser hostilizada pela multidão. O convite já foi feito à modelo Gisele Bündchen, segundo informações da imprensa, ainda não confirmadas pela Fifa. A entidade diz apenas que ainda não foi concluída essa questão protocolar. Mais um probleminha para a Fifa resolver.

Linha Direta – 12/06/2014

 
12/06/2014
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s