Governo deve anunciar cessar-fogo unilateral no leste da Ucrânia

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, durante uma cerimônia de formatura na Universidade Nacional de Defesa da Ucrânia, em Kiev, nesta quarta-feira, 18 de junho de 2014.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, durante uma cerimônia de formatura na Universidade Nacional de Defesa da Ucrânia, em Kiev, nesta quarta-feira, 18 de junho de 2014|REUTERS/Gleb Garanich|RFI

O presidente ucraniano, Petro Porochenko, deve anunciar em breve um cessar-fogo unilateral no leste da Ucrânia. Esse é o primeiro passo de seu plano para colocar um fim na insurreição separatista pró-russa na região. O conflito entre rebeldes e militares ucranianos já deixou 320 mortos desde o dia 13 de abril.

Após o cessar-fogo unilateral, o presidente Petro Porochenko espera que seu plano para colocar um fim na rebelião pró-russa receba o apoio de todos os envolvidos.

Na terça-feira (17) à noite, o Kremlin já tinha informado que Porochenko e o presidente russo, Vladimir Putin, tinham discutido sobre um eventual cessar-fogo, depois que dois jornalistas russos foram mortos no leste da Ucrânia.

O plano de paz ucraniano pede ainda que Putin reconheça oficialmente os novos dirigentes do país.

Petro Porochenko também prometeu nesta quarta-feira (18) uma anistia a todos aqueles que entregarem as armas e que não tiverem cometido crimes graves.

Paralelamente, o comitê de investigação russo anunciou que vai processar o ministro ucraniano do Interior, Arsen Avakov, e outros responsáveis pela operação armada organizada no leste do país que, segundo os russos, “visa intencionalmente o assassinato de civis”.

O conflito entre separatistas pró-russos e o exército ucraniano já deixou ao menos 320 mortos desde 13 de abril, quando o governo lançou sua ofensiva no leste do país.

Incidente diplomático

Porochenko nomeou nesta quarta-feira (18) para o cargo de ministro das Relações Exteriores o atual representante ucraniano nas negociações em andamento com a Rússia para instaurar um plano de paz no leste separatista, Pavlo Kimkin.

Ele substitui Andrii Dechtchitsa, que havia lançado gritos de insulto a Putin para acalmar uma multidão que protestava diante da embaixada russa em Kiev, depois da destruição de um avião ucraniano pelos separatistas no último final de semana. O incidente escandalizou as autoridades russas, que pediram a cabeça de Dechtchitsa. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s