Pressão internacional evita execução de sudanesa por ser católica

Meriam Yahia Ibrahim Ishag com o filho no colo, antes de ser presa por ter optado pela religião católica.

Meriam Yahia Ibrahim Ishag com o filho no colo, antes de ser presa por ter optado pela religião católica.

O caso da sudanesa de 27 anos, acusada de ter se convertido do islamismo à religião católica, provocou forte indignação internacional. A atrocidade tornou-se um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Ela deveria ser enforcada depois de levar 100 chicotadas, mas o governo do Sudão cedeu à pressão e anunciou neste sábado (31) a sua libertação nos próximos dias.

A interpretação sudanesa da Charia (ou lei islâmica), introduzida no país em 1983, estabelece que qualquer pessoa que nascer no Sudão é muçulmana e que uma muçulmana não pode se casar com um não-muçulmano; uma união do gênero é considerada um “adultério”. Este é o caso de Meriam Yahia Ibrahim Ishag, uma médica de 27 anos que se casou com um católico do Sudão do Sul e teve dois filhos: um menino de 20 meses e uma menina de quatro dias, que pariu na prisão.

A ONG Anistia Internacional esclareceu que Meriam foi criada pela mãe como cristã ortodoxa pois seu pai esteve ausente durante toda a sua infância. Uma explicação que não convenceu o Tribunal de Cartum, que condenou a mulher por violar a lei islâmica em vigor, que proíbe as conversões.

A acusada teve três dias para abdicar de sua religião, mas se recusou, preferindo a morte. Denunciada por um membro de sua própria família, ela foi presa em 7 de fevereiro passado com o filho, sem nenhum julgamento. A justiça estava aguardando que ela tivesse o segundo filho para executá-la.

Pressão internacional

O primeiro-ministro David Cameron foi um dos políticos ocidentais que mais fez pressão sobre o Sudão. Neste sábado (31), ele voltou a pedir clemência para a jovem, falando em “uma pena bárbara”. No dia 19 de maio passado, o governo britânico já havia convocado o encarregado de Relações Exteriores do Sudão em Londres para abordar a questão. Deu certo.

“A mulher será libertada nos próximos dias segundo os procedimentos legais decididos pelo poder judiciário e pelo ministério da Justiça”, declarou Abdallah Al-Azraq, membro do ministério sudanês. Ele não deu maiores explicações nem esclareceu se as acusações contra Meriam serão retiradas.

Preso em Marselha o francês suspeito da matança no Museu Judaico de Bruxelas

O procurador-geral da República, François Molins, em coletiva de imprensa no tribunal neste domingo, 1° de junho de 2014.

O procurador-geral da República, François Molins, em coletiva de imprensa no tribunal neste domingo, 1° de junho de 2014.

Reuters/Benoît Tessier

As autoridades francesas divulgaram neste domingo (1°) que um homem foi detido na tarde de sexta-feira ((30) em Marselha, no sul do país, suspeito de ter atirado contra quatro pessoas, no dia 24 de maio, no Museu Judaico da capital belga. Um casal israelense, uma francesa e um belga morreram. O francês teria passado uma temporada com um grupo jihadista na Síria, em 2013.

 

 

Ele se chama Mehdi Nemmouche, nasceu em Roubaix, no norte da França, tem 29 anos e foi preso sete vezes por assaltos entre prisão por assalto entre 2005 e 2012.

Nemmouche foi detido por acaso, em um controle de rotina na estação Saint-Charles, em Marselha. Ele estava em um ônibus vindo de Amsterdam e Bruxelas. Na bagagem, trazia uma metralhadora Kalachnikov, um revólver e uma câmara, objetos que foram imediatamente relacionados aos crimes no Museu Judaico de Bruxelas.

Desde a sua detenção para interrogatório, em Marselha, Nemmouche não disse uma só palavra, porém, a perícia científica das armas, do computador e das imagens da câmera portátil que estavam em seu poder, parecem confirmar o seu envolvimento no ataque de 24 de maio, em Bruxelas. Os resultados oficiais serão divulgados somente no começo da semana, mas o procurador-geral da República, François Molins, confirmou a descoberta de um curto vídeo de 40 segundos na máquina fotográfica Nikon que mostrava as duas armas e as roupas usadas pelo atirador, assim como a câmara GoPro.

“O autor dos tiros não aparece na imagem, mas sua voz parece ser a de Mehdi Nemmouche. Esta voz comenta as imagens, explicando que o vídeo foi feito porque a filmagem da fusilada do Museu Judaico de Bruxelas pela câmara não havia funcionado”, comunicou o procurador.

Radicalismo religioso

Informações sobre o percurso do suspeito também foram divulgadas: “Durante sua última pena, ele chamou a atenção por seu proselitismo extremista, frequentando um grupo de detentos que são islamitas radicais e convocando os outros presos para uma prece coletiva”, disse François Molins.

Em 31 de dezembro de 2012, três semanas depois de ser libertado, Nemmouche foi para a Síria começando a viagem por Bruxelas, passou por Londres, Beirute e Istambul, até chegar ao destino final. Ele se juntou aos combatentes do grupo jihadista “Estado Islâmico do Iraque e Levante”.

De volta à Europa, ele foi visto pela última vez em Frankfurt, na Alemanha, em março de 2014, data em que teve o passaporte controlado na alfândega alemã.

Etapas jurídicas

A partir de agora, as investigações devem continuam em estreita cooperação entre as autoridades judiciárais francesas e belgas. Além das perícias técnicas em matéria genética, capilar, balística e informática, os investigadores vão tentar estabelecer o percurso do suspeito e identificar suas relações mais próximas.

Os dois juízes de instrução de Bruxelas emitiram no sábado um mandato de prisão europeu, que será notificado a Mehdi Nemmouche no final de sua detenção para interrogatório. O mandato será analisado e a justiça decidirá se o suspeito será entregue às autoridades da Bélgica.

Família em estado de choque

A família de Nemmouche declarou estar “muito chocada”, depois de ter ouvido pela televisão a notícia de sua prisão por suspeita de assassinato. “Estamos chocados, não poderíamos imaginar isso”, disse à imprensa uma tia do homem, definido por ela como alguém de “educado, inteligente e que cursou até o primeiro ano da faculdade”. Ela também lembrou que ele sempre foi muito discreto e fechado.

Os parentes de Mehdi Nemmouche não tinham contato com ele desde meados do ano 2000, quando ele foi preso no sul da França por assalto. No fim de 2012 ele apareceu para dar notícias, mas depois não falou mais com os parentes.

Quanto ao extremismo religioso que pode tê-lo motivado a atacar os judeus, um parente disse que ele nunca frequentou a mesquita nem falava de religião. “Certamente ele se converteu ao radicalismo na cadeia para cometer um ato assim terrível”, constatou.

Reações políticas

A prisão de Mehdi Nemmouche traz novamente à tona a questão dos jovens franceses que viajam para a Síria e são treinados por extremistas religiosos para praticar o Jihad Islâmico, usualmente definido como Guerra Santa, mas que, na verdade, significa em árabe “fazer o máximo esforço”.

O presidente da França, François Hollande, declarou que seu governo está determinado a fazer tudo para impedir os jovens radicais de realizar ataques. “Vamos monitorar esses jihadistas e certificar-se de que, quando eles voltarem de uma luta que não é a deles, e definitivamente não é a nossa, eles não façam mal algum”, disse o presidente.

Os serviços secretos franceses estimam que entre 700 e 800 jovens franceses, estiveram ou ainda estão na Síria em contato com jihadistas radicais. Cerca de 200 belgas também teriam tomado o mesmo caminho.

Os fatos

No dia 24 de maio último, um homem armado, de óculos escuros e boné, invadiu o Museu Judaico de Bruxelas, matando um casal de turistas israelenses, uma voluntária francesa e o recepcionista belga do local.

O Congresso Judaico Europeu apontou um novo exemplo de ódio e antissemitismo, lembrando que a matança ocorreu dois anos depois do famoso caso Merah, o jovem franco-argelino que assassinou quatro judeus, dos quais três crianças, e três militares, em Toulouse, no sudoeste da França, em 2012.

O Catar teria comprado o Mundial de 2022?

Torcedores da seleção do Catar torcem durante um amistoso no emirado.

Torcedores da seleção do Catar torcem durante um amistoso no emirado|AFP PHOTO/KARIM JAAFAR

Esta é a pergunta que o mundo esportivo está fazendo depois das revelações neste domingo (1°) do jornal britânico Sunday Times. Segundo o artigo, um alto dirigente do Catar teria pago US$5 milhões, no total, a diversas personalidades do futebol para o emirado vencer a candidatura para organizar o evento.
 

O principal nome que aparece no escândalo é o de Mohamed Bin Hammam. Até 2012 ele era membro executivo da Fifa – Federação Internacional de Futebol – da qual foi expulso por corrupção e suspenso para sempre. Conhecido como um “durão” no mundo dos negócios, ele teria desembolsado US$5 milhões para conseguir os apoios necessários à candidatura do emirado e abocanhar a organização do Mundial no Catar.

Segundo o Sunday Times, diversos presidentes de associações de futebol africanas teriam recebido cheques de US$200 mil cada um. Jack Warner, o presidente da Concacaf – Federação de Futebol da América do Norte, América Central e Caraíbas – teria colocado no bolso mais de US$1,5 milhão.

As somas exorbitantes teriam sido oferecidas antes do voto que designou o Catar como organizador da Copa de 2022.

Provas

Sunday Times afirma estar em posse de emails e documentos que comprovam as transações ilícitas. Os documentos confirmariam que Bin Hamman utilizava caixas-pretas para dar dinheiro líquido para altas personalidades do futebol internacional, obtendo assim o apoio em massa para a candidatura do Catar.

Trabalho escravo

O Catar já vem sendo criticado mundialmente pelas condições de trabalho de imigrantes nepaleses que constróem as infraestruturas para o Mundial de 2022: eles não ganham quase nada, vivem em condições deploráveis de higiene e alojamento e as altas temperaturas, que podem chegar aos 50°C, já causaram a morte de mais de 40  trabalhadores que, apesar de jovens, não resistem aos ataques cardíacos.

Semana decisiva para a Ucrânia, ameaçada por corte do gás russo

O presidente eleito da Ucrânia, Petro Porochenko, declarou estar disposto a dialogar com a Rússia.

O presidente eleito da Ucrânia, Petro Porochenko, declarou estar disposto a dialogar com a Rússia|Reuters/David Mdzinarishvili

Em pleno caos no leste do país, em prol à revolta separatista, a Ucrânia se prepara para uma semana difícil do ponto de vista econômico, com a possibilidade da Rússia cortar o fornecimento de gás ao país. O presidente eleito, Petro Porochenko, deve se reunir com Barack Obama na Polônia, durante um evento internacional. Um encontro com o presidente russo Vladimir Putin não estaria descartado.
 

Nesta segunda-feira (2), em Bruxelas, estão previstas negociações de última hora para evitar o corte de fornecimento do gás russo à Ucrânia a partir de terça-feira (3). Se isto acontecer, diversos países europeus podem ser afetados.

As discussões devem girar em torno do preço do gás, fixado a um índice sem precedentes na Europa desde a chegada ao poder dos pró-ocidentais, o que as autoridades ucranianas rejeitam com firmeza.

O primeiro-ministro ucraniano, Arseni Iatseniouk, prometeu neste domingo (1°) que pagaria à Rússia em dez dias a dívida relativa ao gás, caso os dois países cheguem a um acordo. “Se a Rússia não aceitar esse novo contrato, vamos resolver o caso em um tribunal em Estocolmo”, disse o premiê Iatseniouk, em entrevisa à TV alemã ZDF.

O total da dívida ucraniana com a Rússia se eleva a US$3,5 bilhões. Durante as negociações em Berlim, na sexta-feira (30), Kiev fez um gesto de boa vontade, anunciando o pagamento de uma parte, o equivalente a US$768 milhões do total devido.

Porochenko e a comunidade internacional

Eleito em 25 de maio passado com mais de 54% de votos, o bilionário pró-ocidental Petro Porochenko será apresentado nesta semana a vários líderes internacionais, antes mesmo de sua posse em 7 de junho.

Na quarta-feira (4), na Polônia, ele se reúne com o presidente americano Barack Obama, cujo apoio é fundamental para a Ucrânia. Em seguida, convidado pelo presidente François Hollande, ele vem à França assistir as cerimônias do desembarque das tropas aliadas na Normandia, que decidiram o fim da Segunda Guerra Mundial. Vladimir Putin também estará presente e analistas políticos indagam se um encontro entre os dois homens não seria um passo interessante para o avanço das discussões que envolvem a crise bilateral. Fontes diplomáticas não descartaram essa possibilidade.

Porochenko, por seu lado, já afirmou a sua vontade de dialogar com Moscou e prometeu não deixar os separatistas, que ele define como “terroristas”, transformarem o leste da Ucrânia em uma “Somália”, que está em guerra civil há vinte anos.

Dilma cai cinco pontos no Rio

Presidenta passa de 33% para 28%, Aécio sobe de 10% para 13% e Campos mantém 9%

O DIA|AURÉLIO GIMENEZ

Rio – A presidenta Dilma Rousseff lidera a disputa pelo Palácio do Planalto, com 28% das intenções de voto no Estado do Rio, e seria reeleita no primeiro turno, caso as eleições fossem hoje. Na segunda rodada da pesquisa do Instituto Gerp, o senador tucano Aécio está em segundo lugar, com 13%, seguido pelo ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do PSB, com 9% dos votos. O levantamento ouviu 870 pessoas em todo estado, entre os dias 23 e 29 de maio, e a margem de erro é de 3,39 pontos percentuais.

Única a cair nesta enquete, Dilma perdeu cinco pontos, indo de 33% para 28%. Aécio cresceu três, subindo de 10% para 13%. O candidato do PSB manteve-se no mesmo patamar com 9%. Pela primeira vez aparece o nome do pastor Everaldo (PSC), com 1% dos votos.

Foto:  Arte: O Dia

Pela pesquisa, 24% dos entrevistados afirmaram que não votariam em nenhum dos presidenciáveis, enquanto outros 23% ainda estão indecisos. A diferença entre Dilma e a soma dos demais candidatos, que antes era de 14 pontos, caiu para cinco. Esse movimento aponta, no Estado do Rio, para uma possibilidade crescente de segundo turno na disputa pelo Planalto.

Em 2009, a então candidata do PT superou, no segundo turno, a marca dos 60% dos votos no Rio e abriu mais de 20 pontos de folga sobre o presidenciável tucano José Serra.

VOLTA LULA

Ao contrário de Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganharia sem dificuldades a corrida presidencial em primeiro turno, caso fosse candidato. Lula aparece disparado em primeiro lugar, com 37%. Aécio e Campos perderiam um ponto, caindo para 12% e 8%, respectivamente.

O presidente do Gerp, Gabriel Pazos, não acredita, no entanto, na concretização do ‘Volta Lula’. “O desempenho do ex-presidente na pesquisa o torna, sem dúvida, um excelente cabo eleitoral para Dilma”, avalia o analista.

A presidenta também apresenta um índice de rejeição considerável, alerta o cientista político Ricardo Ismael, do Departamento de Sociologia e Política da PUC-Rio. Entre abril e maio, a rejeição subiu de 20% para 22%. Já seus rivais se saíram melhor. A rejeição a Aécio caiu de 14% para 12%, no último mês. Eduardo Campos também perdeu 2 pontos, reduzindo de 8% para 6%.

“O sinal amarelo foi ligado para Dilma. Ela deve ficar mais atenta aos movimentos dos principais adversários pois, apesar de estar à frente, esta será uma campanha mais difícil do que foi a de 2010”, aponta Ismael.

Para Pazos, Dilma carrega a carga negativa dos erros da administração passada, como o Mensalão, e os problemas atuais, como o que vem ocorrendo na Petrobras. “Se as denúncias contra a estatal continuarem, poderão respingar e fazer a Dilma cair um pouco mais”, especula.

Crivella festeja pesquisa que o coloca na frente

Candidato ao governo do Estado do Rio, o senador Marcelo Crivella (PRB) comemorou a pesquisa Gerp, publicada ontem pelo DIA. Os números o colocam como vencedor das eleições para o Palácio Guanabara num eventual segundo turno contra o deputado federal Anthony Garotinho (PR). 

“Só posso agradecer a generosidade da minha gente fluminense, que após minhas lutas na vida pública me considera preparado”, afirmou o senador, que obteve 23% das intenções de voto. Já Garotinho, que subiu sete pontos e aparece com 20%, disse que o resultado reflete a insatisfação da população com o atual governo do Rio.

“A pesquisa mostra o desejo da população de tirar do poder o grupo de Sérgio Cabral, que tem uma visão de governo voltada ao enriquecimento e não ao fazer pelo povo”, comentou. Segundo o deputado, pesquisas feitas por ele indicariam vantagem maior em relação a Crivella. Coordenador da campanha do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), Jorge Picciani não quis comentar os resultados. Candidato do PT, o senador Lindberh Farias (PT) também não se manifestou. 

Wagner lidera disputa pelo Senado

Não é à toa que o ex-governador Sérgio Cabral, do PMDB, pensou seriamente em desistir de disputar uma vaga no Senado e se candidatar à Câmara. Na pesquisa do Instituto Gerp, Cabral aparece na quarta posição na preferência do eleitorado fluminense, com meros 7% de intenções de voto para a vaga de senador pelo Rio. 

Pela pesquisa, o líder na corrida é o deputado estadual Wagner Montes (PSD), com 23% das intenções de voto. Logo atrás vem o ex-jogador e deputado federal Romário (PSB), que detém 17% das preferências. O ‘Baixinho’, como é conhecido, foi o candidato que mais cresceu: subiu seis pontos percentuais em relação à pesquisa de abril. Em terceiro lugar está a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB), com 9%. Empatados em quinto lugar, o vereador e ex-prefeito Cesar Maia (DEM) e o senador Francisco Dornelles (PP), com 3%.

Dilma inaugura Transcarioca com samba da Portela e em clima de festa

Durante o evento, presidenta anunciou a liberação de R$ 3 bilhões para obras dos BRTs Transolímpica e Transbrasil

O DIA|FELIPE FREIRE

Rio – Ao som das baterias da Portela e do Império Serrano, a presidenta Dilma Rousseff inaugurou o BRT Transcarioca, no terminal Silas de Oliveira, em Madureira, ao lado do prefeito Eduardo Paes, do governador Luiz Fernando Pezão e do ex-governador Sérgio Cabral. Durante o evento – que teve manifestação de professores -, Dilma anunciou a liberação de mais de R$ 3 bilhões a serem investidos em obras de infraestrutura para as Olimpíadas de 2016.

No seu discurso, Dilma enfatizou que as obras são para a população: “Nenhum legado é da Copa do Mundo, todos os legados são do povo brasileiro. Não estamos fazendo aeroportos para a Copa. São para todos os brasileiros. Não estamos fazendo uma obra desse porte para Copa do Mundo, nós temos o compromisso de fazê-la para todos os cariocas”, declarou a presidenta, que esteve mais cedo na inauguração da ampliação do Terminal 2 do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Galeão.

A presidenta Dilma Rousseff ‘caiu’ no samba com o prefeito Eduardo Paes e o governador Luiz Fernando Pezão durante a inauguração do BRT Transcarioca

Foto:  João Laet / Agência O Dia

Paes garantiu que o corredor Transcarioca vai facilitar a vida dos moradores das zonas Norte e Oeste e ainda brincou com a presença das escolas de Madureira: “Se o Rio fosse um corpo humano, Madureira seria o coração”, disse Paes.

“O BRT Transcarioca dá samba. Porque só as coisas grandes deste país deram samba”, afirmou Dilma, que completou: “O coração do Rio está aqui, no subúrbio, e isso nós queremos que esse coração se pinte, se colora e se mostre na sua grande força. Durante muitos anos, toda essa região não foi visível, agora ela será visível e agora ela será também transformada”, declarou Dilma. 

Durante a apresentação, houve manifestação de cerca de 60 profissionais da Educação do Rio e representantes do Sepe, sindicato que representa a categoria.

Verbas para mobilidade nas Olimpíadas

O contrato de liberação de mais de R$ 3 bilhões – por meio do BNDES – foi assinado no local pela presidenta, garantindo a conclusão das obras de infraestrutura para a cidade, especialmente na área de mobilidade.

Os recursos serão investidos nos BRTs Transolímpica e Transbrasil; na duplicação do elevado do Joá – incluindo a construção da ciclovia -, ciclovia da Avenida Niemeyer, entre outras obras.

Ao lado do ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, e do governador Luiz Fernando Pezão, a presidenta Dilma Rousseff inaugurou as reformas do Terminal 2 do Galeão

Foto:  Divulgação

Presidenta inaugura reformas no Aeroporto do Galeão

Mais cedo, Dilma havia participado da inauguração das reformas do Terminal 2 do Aeroporto Internacional do Rio. Segundo a presidenta, as obras praticamente dobram a capacidade de passageiros do aeroporto.

“Aeroporto era um transporte de elite, porque nós passamos de 33 milhões de passageiros ao ano para 113 milhões no Brasil. Hoje, todos aqueles que querem viajar, podem. Muitas vezes são pessoas que jamais tiveram acesso a um aeroporto. Acusam a gente de ter transformado o aeroporto em uma grande rodoviária. Nós transformamos o aeroporto em uma grande rodoviária porque não tem mal nenhum em rodoviária. Agora, o aeroporto que estamos transformando é de qualidade, porque o povo brasileiro merece”, disse.

Fofura: Garoto e cão dormem juntos desde bebês

DIÁRIO DA MANHÃ|ANA CLÉA DE SOUZA

A mãe do garotinho resolveu postar as fotos de ambos no Instagram, isso fez com que a dupla arranjasse fãs por todo o mundo.

O cochilo dos dois é fotografado pela americana Jessica Shyba e divulgado na rede social. Atualmente ela tem mais de 450 mil seguidores.

Nas fotos dá pra perceber a evolução e crescimento dos dois, o cãozinho bem mais crescido do que o garoto quase não deixa espaço pra ele na cama.

O bichinho foi adotado em setembro de 2013, na época as imagens se tornaram virais na internet e a dupla se tornou celebridades nas redes sociais.

Veja as fotos e acompanhe a evolução de ambos:

Foto: Extra

Foto: Extra
Foto: Extra

Foto: Extra

Foto: Extra

Foto: Extra

 Foto: Extra

Foto: Extra

 

 

 

Foto: Extra

Foto: Extra

 Foto: Extra

Foto: Extra

Foto: Extra

Foto: Extra

Com informações do jornal Extra.

 

Inglês sem Fronteiras oferece curso de inglês online e gratuito para alunos de graduação

DIÁRIO DA MANHÃ|ANDRÉIA PEREIRA

O Programa Inglês sem Fronteiras oferece curso online gratuito de inglês. O My English Online é ofertado para alunos de faculdades públicas de todo o país, para alunos de faculdades particulares que obtiveram nota no Enem superior a 600 pontos e para alunos de Pós-Graduação.

Durante do curso, o aluno tem acesso a livros, exercícios de gramática, atividades e testes de acompanhamento. Recursos como vídeos são utilizados para maximizar o aprendizado.

No início,  o candidato faz um teste para saber em qual nível ele deve começar. No total, o curso disponibiliza cinco módulos, desde o iniciante até o avançado. Todos os níveis oferecem certificado. 

De acordo com uma publicação do  Ciência sem Fronteiras, o curso já tem mais de 500 mil alunos. 

O My English Online é desenvolvido pelo MEC e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal (CAPES).

Para acessar o site do curso basta clicar no link

Com informações do MEO e do Ciência sem Fronteiras

Foto: Ilustração

Foto: Ilustração

 

Ex-jogador da seleção, Marinho Chagas, morre aos 62 anos

De A Tribuna On-line

Marinho Chagas, ex-jogador da seleção Brasileira, morreu na madrugada deste domingo devido a uma hemorragia digestiva.
Marinho Chagas Brasil Argentina Copa 1974 (© Getty Images)
 
O ex-atleta de 62 anos participava de um evento para colecionadores do álbum de figurunhas da Copa na tarde deste sábado quando, segundo testemunhas, passou mal e começou a vomitar sangue. Ele foi levado ao posto médico e depois foi transferido ao Hospital de Emergência e Trauma da Paraíba, onde morreu horas depois, na madrugada deste domingo.
 
Chagas (também conhecido pelo apelido ‘Bruxa’) jogou como lateral-esquerdo na seleção brasileira que disputou a Copa do Mundo de 1974 e ainda teve passagens por Boatafogo, Fluminense e São Paulo.
 
Luto antes dos jogos
 
Em respeito ao falecimento, será feito um minuto de silêncio antes das partidas da rodada deste domingo do Campeonato Brasileiro. 
 
O luto também homenageará o narrador esportivo Maurício Torres (conhecido por sua passagem pela TV Globo e que estava atualmente na Rede Record), que morreu neste sábado devido a uma infecção. O jornalista tinha 43 anos e estava internado desde o dia 1º de maio.

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio