Gaza: Unicef aponta 121 crianças mortas em ataques

De acordo com balanço, as crianças mortas no conflito têm idade entre cinco meses de vida e 17 anos

Unicef estima ainda que mais de 900 crianças teriam ficado feridas nos bombardeios / Said Khatib/AFPUnicef estima ainda que mais de 900 crianças teriam ficado feridas nos bombardeiosSaid Khatib/AFP

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) lançou um apelo nesta terça-feira pelo fim da violência na Faixa de Gaza, que teria provocado a morte de ao menos 121 crianças desde o dia 8 de julho, quando Israel colocou em prática uma ofensiva militar. 

De acordo com o balanço do fundo, que contabiliza as vítimas entre os dias 8 e 21 de julho, as 121 crianças mortas são: 84 meninos e 37 meninas com idades entre cinco meses de vida e 17 anos. A instituição afirma que uma a cada três crianças mortas nos ataques tem menos de 12 anos de idade. O Unicef estima ainda que mais de 900 crianças teriam ficado feridas nos bombardeios e que 107 mil precisem de apoio psicológico especializado para superar o trauma que estão vivendo. 

O porta-voz da ONU em Genebra, Jens Laerke, disse que “não há, literalmente, nenhum lugar seguro para civis” na Faixa de Gaza neste momento. Ele definiu a situação como “devastadora”. 

Nesta terça-feira, a agência de notícias palestina al-Ray, ligada ao Hamas, informou que subiu para 605 o número de mortos nos confrontos e para 3,7 mil o de feridos. Um porta-voz militar israelense disse, por sua vez, que, desde o início da ofensiva militar, foram atingidos 1.388 alvos e mortos 183 “terroristas” do Hamas. 

Milhares de pessoas fugiram nesta terça-feira do norte da Faixa de Gaza devido a bombardeiros israelenses iniciados durante a noite. Enquanto isso, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, deve prolongar por um dia sua visita ao Cairo, no Egito, onde discute a crise no Oriente Médio. Também está previsto para esta terça-feira um encontro entre o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. 

 
 
Tamanho de fonte A A
terça-feira, 22 de julho de 2014 – 10h37 Atualizado em terça-feira, 22 de julho de 2014 – 10h37

Gaza: Unicef aponta 121 crianças mortas em ataques

De acordo com balanço, as crianças mortas no conflito têm idade entre cinco meses de vida e 17 anos
Unicef estima ainda que mais de 900 crianças teriam ficado feridas nos bombardeios / Said Khatib/AFPUnicef estima ainda que mais de 900 crianças teriam ficado feridas nos bombardeiosSaid Khatib/AFP

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) lançou um apelo nesta terça-feira pelo fim da violência na Faixa de Gaza, que teria provocado a morte de ao menos 121 crianças desde o dia 8 de julho, quando Israel colocou em prática uma ofensiva militar. 

 

De acordo com o balanço do fundo, que contabiliza as vítimas entre os dias 8 e 21 de julho, as 121 crianças mortas são: 84 meninos e 37 meninas com idades entre cinco meses de vida e 17 anos. A instituição afirma que uma a cada três crianças mortas nos ataques tem menos de 12 anos de idade. O Unicef estima ainda que mais de 900 crianças teriam ficado feridas nos bombardeios e que 107 mil precisem de apoio psicológico especializado para superar o trauma que estão vivendo. 

 

O porta-voz da ONU em Genebra, Jens Laerke, disse que “não há, literalmente, nenhum lugar seguro para civis” na Faixa de Gaza neste momento. Ele definiu a situação como “devastadora”. 

 

Nesta terça-feira, a agência de notícias palestina al-Ray, ligada ao Hamas, informou que subiu para 605 o número de mortos nos confrontos e para 3,7 mil o de feridos. Um porta-voz militar israelense disse, por sua vez, que, desde o início da ofensiva militar, foram atingidos 1.388 alvos e mortos 183 “terroristas” do Hamas. 

 

Milhares de pessoas fugiram nesta terça-feira do norte da Faixa de Gaza devido a bombardeiros israelenses iniciados durante a noite. Enquanto isso, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, deve prolongar por um dia sua visita ao Cairo, no Egito, onde discute a crise no Oriente Médio. Também está previsto para esta terça-feira um encontro entre o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. 

Histórico

A operação militar na Faixa de Gaza foi colocada em prática após a morte de três jovens israelenses na Cisjordânia, seguida pelo assassinato de um adolescente palestino, incendiado vivo com gasolina. O governo israelense culpa o Hamas pela morte dos jovens, mas o grupo nega ter envolvimento. Os crimes ocorreram dias após o Hamas e o Fatah terem anunciado um acordo histórico de reconciliação para um novo governo de unidade nacional palestino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s