Philharmonia Orchestra

 

   

A Philharmonia Orchestra, fundada em 1945 pelo legendário produtor da EMI, Walter Legge, tornou-se em poucos anos uma estrela de primeira grandeza no cenário sinfônico, posição que mantém até hoje. Quando de sua criação, Legge estabeleceu um intenso programa de treinamento para seus integrantes, atuando em gravações e concertos sob a direção de alguns dos maiores luminares da regência: Furtwängler, Toscanini, Giulini e Karajan, dentre outros e soube selecionar muitos dos melhores solistas instrumentais da época, destacando-se o trompista Dennis Brain, o oboísta Sidney Sutcliffe e o flautista Gareth Morris. A Philharmonia esteve no Brasil pela primeira vez em 1963, em concertos memoráveis regidos por Sir John Barbirolli, Paul Kletzki e Igor Strawinsky. Volta agora sob a batuta do brilhante maestro e pianista russo Vladimir Ashkenazy e acompanhado de uma das maiores estrelas brasileiras do cenário erudito, o pianista Nelson Freire, que completa em 2014, 70 anos de uma vida brilhante.

Vladimir Ashkenazy
Regente
Nelson Freire
Piano

Quando: 15 e 16 setembro
Horário: 21h00
Local: Sala São Paulo
Praça Julio Prestes, 16
Ingressos de R$140 a R$390

 
   

 

Official Airline – Philharmonia Orchestra Tour

Logo AVIANCA pequeno

 

PROGRAMA • 15 Setembro 2014

Vaughan Williams
(1872 – 1958)

The Lark Ascending
Esther Yoo, violino

Ludwig van  Beethoven
(1770 – 1827)

Concerto nº5 para piano, em mi bemol maior, op. 73 “O Imperador”
Allegro

Adagio um poco mosso
Rondo (Allegro ma non troppo)

Jean Sibelius
(1865 – 1957)

Sinfonia nº 5, em mi bemol maior, op. 82
Tempo molto moderato

Andante mosso, quasi allegretto
Allegro molto

 

PROGRAMA • 16 Setembro 2014

Vaughan Williams
(1872 – 1958)

The Lark Ascending
Esther Yoo, violino

Ludwig van  Beethoven
(1770 – 1827)

Concerto nº5 para piano, em mi bemol maior, op. 73 “O Imperador”
Allegro

Adagio um poco mosso
Rondo (Allegro ma non troppo)

Piotr IlyichTchaikovsky
(1840 – 1893)

Sinfonia nº5, em mi menor, op. 64
Andante-Allegro com anima
Andante cantabile com alcuna licenza
Valse. Allegro moderato
Finale. Andante majestoso-Allegro vivace

 

 

 

Vale cultura colorido

 

Anúncios

Harrison Ford se recupera de acidente e gravações de ‘Star Wars’ são retomadas

Ator que revive seu papel como Han Solo machucou o tornozelo

MSN|ESTADÃO

As filmagens de Star Wars: Episódio VII foram retomadas nesta semana nos estúdios Pinewood, em Londres. A agenda de gravação do longa havia sido suspensa após Harrison Ford lesionar o tornozelo em um acidente com a porta da nave Millennium Falcon, no início de julho. Segundo informações da revista Entertainment Weekly, o ator se recuperou mais rápido do que o previsto. Inicialmente, chegou a ser divulgado que ele ficaria longe do trabalho por até seis meses.

Ford vai reviver seu papel como Han Solo em Star Wars: Episódio VII, depois de interpretar o clássico personagem em Guerra nas Estrelas, O Império Contra-ataca e O Retorno de Jedi. Além de Ford, o elenco do filme conta com Carrie Fisher, Mark Hamill, Anthony Daniels, Kenny Baker e Peter Mayhew e Lupita Nyong’o. Star Wars: Episódio VII deve chegar às telonas no dia 17 de dezembro.

Queda de helicóptero deixa cinco feridos

É o segundo acidente com um aeronave no Estado em menos de 24 horas

Helicóptero caiu próximo a uma festa tradicional da região / BandNewsHelicóptero caiu próximo a uma festa tradicional da regiãoBandNews

Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas na queda de um helicóptero em Candói, na região centro-sul do Paraná.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Guarapuava, as vítimas passam bem e já foram encaminhadas para hospitais da região.

A queda aconteceu a cerca de 100 metros do local do local onde é realizada a 14ª Festa Nacional do Charque, evento que reúne milhares de pessoas. O município tem aproximadamente 15 mil habitantes.

Ainda não há informações sobre o que teria causado a queda da aeronave. Este é o segundo acidente aéreo no Paraná em pouco mais de 24 horas.

No sábado, um avião de pequeno porte caiu logo após decolar do Aeroporto de Bacacheri, em Curitiba, no começo da tarde. Duas pessoas morreram e outras duas ficaram gravemente feridas.

Em menos de uma hora, temperatura cai 14ºC em SP

De acordo com o CGE, às 14h, o Aeroporto de Congonhas tinha 31ºC; às 14h42, a temperatura já tinha caído para 17ºC

Nuvens carregadas no Mandaqui, na zona norte de São Paulo / Willians Queiroz/Futura Press/FolhapressNuvens carregadas no Mandaqui, na zona norte de São PauloWillians Queiroz/Futura Press/Folhapress

Da BandNews FM noticias@band.com.br

Em menos de uma hora, os termômetros da capital paulista caíram até 14ºC. De acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), às 14h, o Aeroporto de Congonhas tinha 31ºC; às 14h42, a temperatura já tinha caído para 17ºC.

No Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, às 14h, o CGE registrava 32ºC; já às 14h, 22ºC.

A maior rajada de vento – de 70,4 km/h – foi percebida em Congonhas.

Em entrevista à BandNews FM, o técnico em meteorologia do CGE, Adilson Nazário, disse que chove fraco na região sul da cidade, em bairros como Campo Limpo e Santo Amaro.

Ele chamou a atenção para o perigo de queda de árvores.

Empresa retira do mercado cerveja com aroma de pum

Produto estava contaminado com bactérias não nocivas

IG

Noruega – A cervejaria Mack, da Noruega, tem um novo problema para administrar. Um lote inteiro da cerveja Isbjorn saiu com um pequeno defeito de fabricação – cheirava a pum.

O lote da cerveja foi contaminado com bactérias que causavam o odor, mas o produto não oferecia danos à saúde

Foto:  Reprodução

Após vender dezenas de milhares de latas e receber uma enxurradas de reclamações, a cervejaria reconheceu um problema no processo produtivo, que adicionou ácido lático à bebida. A coisa ficou ainda pior com o calor atípico que está fazendo neste verão no país nórdico.

As latas produzidas entre 21 e 22 de julho estão sendo recolhidas do mercado, mas o diretor da Mack, Roger Karlsen, ressalta que quem já bebeu não deve temer. “Essas bactérias não são perigosas.”

Goiás vence o Atlético-PR e encerra seca de vitórias

Jovem atacante marcou os três da vitória por 3 a 1 no Serra Dourada

Um garoto de 20 anos, 1,70m e cheio de sonhos no futebol roubou a cena no Serra Dourada, fez Furacão virar brisa e foi fundamental para que o Goiás interrompesse a sequência de seis derrotas seguidas. Erik brilhou contra o Atlético-PR, neste domingo, marcando três gols na vitória por 3 a 1, pela 18ª rodada da Série A. A má fase? Dá um tempo. Cléo descontou para o time paranaense.

Com o resultado, o Goiás chegou aos 23 pontos e continua na zona intermediária da tabela. O Furacão tem situação parecida, com 24 pontos na Série A. Na próxima rodada, encerramento do primeiro turno, o Goiás visita a Chapecoense, enquanto o Atlético-PR recebe o Palmeiras.

O resultado foi reflexo da postura das duas equipes em campo. No primeiro tempo, um time entrou disposto a atacar, lançando-se à frente com toque de bola, ciente da necessidade de mudar a sequência de resultados. Já o outro, o visitante, fez 45 minutos como se não quisesse incomodar os donos da casa. Sabe aquele parente distante que tira o sapato antes de entrar em casa e não pede água mesmo se estiver com sede? Foi o Atlético-PR.

Desse jeito, o Goiás dominou com certa tranquilidade. Depois de muitas bolas isoladas por causa da falta de pontaria, coube a Erik mostrar como se faz. Tudo bem que o zagueiro Drausio poderia ter evitado o primeiro gol se não tivesse tirado o pé do fraco chute de canhota do atacante do Goiás, mas Erik marcou o segundo para não deixar dúvidas sobre a competência dele, após receber ótimo passe de Esquerdinha.

Para o segundo tempo, com a entrada de Douglas Coutinho, o Furacão passou a atormentar. O Goiás ficou pressionado e o time paranaense chegou a diminuir, com Cléo, depois de Sueliton mandar para área um cruzamento primoroso.

Mas o Goiás conseguiu controlar o ímpeto do adversário. E foi além. Erik ainda fez mais um, já na reta final da partida, em mais um lance de sorte – o lateral Sueliton chutou em cima dele, que deu uma cambalhota na jogada -, sacramentando o fim da seca de vitórias.

Fonte: Lancepress

Barcos marcou o gol da vitória do Tricolor no segundo tempo de jogo

Grêmio vence o Bahia e avança uma posição no Brasileiro

 

Barcos empurrou a bola para o fundo das redes, após chute de Dudu
Crédito: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio / CP

O Grêmio venceu o Bahia, por 1 a 0, na noite deste domingo, na Arena, e subiu da sétima para a sexta colocação do Brasileiro. Com os três pontos, o Tricolor chega a 28 e fica a quatro do Fluminense, último clube do G-4, e a 14 do líder Cruzeiro. Apesar de não ter apresentado o melhor desempenho, os comandados de Felipão conseguiram impedir os ataques dos baianos e ainda criaram algumas oportunidades.

Como o jogo contra o Santos, na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil, foi suspenso pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva até o julgamento pelo caso de racismo na partida contra os paulistas, o próximo compromisso do Tricolor é contra o Flamengo, no próximo sábado, às 18h30min, no Maracanã. Os baianos recebem o Coritiba, no domingo, às 18h30min, na Fonte Nova.

O jogo

Necessitando de recuperação e atuando em casa, o Grêmio partiu para o ataque logo após o apito inicial de Péricles Bassols Cortez. Logo a dois minutos, Alán Ruiz cobrou falta da direita de ataque e obrigou Marcelo Lomba a afastar de soco. Porém, com o passar do tempo e trocando muitos passes, o Bahia passou a dividir as ações ofensivas com o Tricolor gaúcho.

Giuliano, aos 11, arriscou de fora da área, mas o chute saiu rasteiro e fraco para fácil defesa de Lomba. Quatro minutos depois, Rhodolfo errou na saída de bola, Guilherme Santos invadiu a área pela esquerda de ataque e chutou cruzado rasteiro. Marcelo Grohe, atento, fez a defesa.

Com ambos os times dividindo o domínio da posse de bola, o jogo passou a ficar movimentado. Contudo, sem os meios de campo e os ataques conseguirem furar os bloqueios defensivos adversários. Aos 17, Barcos recebeu lançamento de Dudu, girou e bateu, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. Logo depois, em um rápido contra-ataque, Dudu cortou o marcador e bateu. Como o chute foi rasteiro e fraco, Lomba fez defesa tranquila.

A partir dos 25, o Grêmio passou a esperar o Bahia, que mantinha maior posse de bola, para contra-atacar. Os baianos trocavam muitos passes e procuravam as laterais para passar pelo sistema defensivo armado por Felipão, mas encontravam dificuldades. Aos 33, Fellipe Bastos cobrou falta da esquerda de ataque, próximo à grande área, a bola quicou e Lomba fez boa defesa. Dois minutos depois, Dudu se livrou da marcação de Titi, mas chutou alto, sem perigo.

Nos últimos minutos do primeiro tempo, os dois times passaram a disputar a bola no meio de campo e não conseguiram mais criar nenhum lance de perigo. Enquanto isso, nas arquibancadas, uma torcida entoou um cântico com o termo “macaco”. Foi vaiada pela maioria presente na Arena.

Gol conclui grande tabela

Na segunda etapa, Felipão retirou Alán Ruiz e colocou Matheus Biteco. Com a alteração, o Grêmio partiu para cima do Bahia. Logo a um minuto, o volante que entrou no intervalo fez jogada individual e chutou, mas a bola desviou no marcador e foi pela linha de fundo.

Aos 10, Fellipe Bastos matou a bola no peito e, sem deixar cair, chutou forte. Lomba, no meio do gol, fez a defesa. Três minutos depois, a pressão do Grêmio se transformou em vantagem. Giuliano cruzou da direita de ataque, Dudu se antecipou ao marcador, que caiu após o choque, e chutou. Antes de a bola cruzar a linha, Barcos empurrou para o fundo das redes: Tricolor, 1 a 0.

Após o gol, o Bahia abandonou o posicionamento defensivo e partiu para o ataque. Apesar da maior presença no campo ofensivo, o Grêmio conseguia resistir e ainda buscava rápidos contra-ataques para ampliar. Aos 32, Zé Roberto aproveitou o espaço pelo meio de campo, avançou e na entrada da área bateu forte. Lomba foi obrigado a saltar e espalmar a bola pela linha de fundo.

Nos minutos finais, o Grêmio recuou os 11 jogadores até metade do campo defensivo para manter o placar. Já o Bahia, com espaço, passou a pressionar. No entanto, como ocorreu durante todo o jogo, não teve forças para superar o bloqueio armado por Felipão.

Brasileirão – 18ª rodada

Grêmio 1
Marcelo Grohe; Matías Rodríguez (Pará), Rhodolfo, Geromel e Zé Roberto; Fellipe Bastos, Ramiro, Giuliano, Alan Ruiz (Matheus Biteco) e Dudu (Bressan); Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Bahia 0
Marcelo Lomba; Roniery, Demerson, Titi e Guilherme; Fahel, Rafael Miranda, Diego Macedo (Maxi Biancucchi) e Emanuel Biancucchi (Henrique); Rafinha (Rhayner) e Kiesa. Técnico: Gílson Kleina

Gol: Barcos (13min/2ºT)
Cartões amarelos: Kiesa, Fahel e Guilherme (B) e Ramiro, Barcos, Matías Rodriguez e Fellipe Bastos (G)
Público: 14.246 torcedores
Renda: R$ 297.717
Local: Arena do Grêmio
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (Fifa-RJ)
Assistentes: Rodrigo Corrêa (RJ) e Dibert Pedrosa Moisés (RJ)

     Ouça o áudio: Ouça o gol da partida 

Fonte: Correio do Povo