Frutos da Amazônia viram fitocosméticos no Acre

Elaboração de produtos é feita pela Funtac. Ao todo, 10 profissionais estão envolvidos nas pesquisas

Portal Amazônia

RIO BRANCO – A Fundação de Tecnologia do Estado do Acre (Funtac) realiza produção de fitocosméticos derivados de plantas e frutos da região. Sabonetes vegetais, óleos trifásicos, protetores labiais, gels terapêuticos, entre outros produtos fazem parte do acervo. Cupuaçu, castanha, coco e murmurú são algumas das matérias primas usadas. Pesquisa e desenvolvimento dos produtos são feitos pelo Laboratório de Produtos Naturais (LPN) da Instituição.

Fitocosméticos e fitoterápicos são desenvolvidos por Laboratório de Produtos Naturais da  Funtac. Foto: Fany Dimytria/Portal Amazônia

Os estudos das propriedades de frutas, plantas e raízes são feitos com antecedência por uma equipe multidisciplinar composta por dez pessoas. Entre estagiários de engenharia florestal e farmácia, o grupo também conta com farmacêuticos, pesquisadores e profissionais de campo. Todos se dividem para garantir maior aproveitamento e produtividade na elaboração dos produtos.

A doutora em Biotecnologia e coordenadora da Divisão de Tecnologia em Produtos Naturais, Silvia Basso, diz que frutos são adquiridos por comunidades, cooperativas e associações, a grande maioria oriunda do Vale do Juruá. “São matérias primas provenientes da natureza, então temos o controle de qualidade rígido em relação a eles, tanto na hora em que chegam aqui, quanto posteriormente, quando se transforma ou em fitocosméticos ou fitoterápico” explica Silvia.

Coordenadora Silivia Basso diz que falta de incentivo e interesse de empresas são desestímulos para futuras pesquisas. Foto: Fany Dimytria/Portal Amazônia

Fitocosméticos

Uma das curiosidades na elaboração do projeto do filtro solar a base cupuaçu é que toda a pesquisa e interesse em torná-lo acessível foi de uma estudante de Farmácia do Paraná. Ela veio ao Acre, em 2012, para expandir conhecimento à cerca da produção do filtro. Apesar de ser acessível, a coordenadoria do laboratório de produtos naturais da Funtac, diz que as empresas têm pouco interesse em adquirir o dossiê dos estudos para produção e possível comercialização do produto.

Filtro solar à base de cupuaçu tem efeito hidratante, fator de proteção 30 e duração de um ano. Foto: Fany Dimytria/Portal Amazônia

A ideia de a própria natureza dispor para a sociedade opções de proteção saudáveis e regionais é bastante envolvente e inovadora. Porém, apesar de toda a pesquisa ser voltada para isso, falta apoio, incentivo e divulgação para que os produtos sejam consumidos no próprio Estado.

Recursos da natureza são aproveitados e reaproveitados na elaboração de produtos. Foto: Fany Dimytria/Portal Amazônia

Futuro

Ainda segundo a coordenadoria do setor, o ano de 2014 foi pouco aproveitado no quesito de desenvolvimento de novos fitocosméticos e outros produtos fitoterápicos. Mas, ainda assim, produtos 100% naturais como sabonetes vegetais de buriti, copaíba e andiroba, são produzidos diariamente.

O Programa ‘Farmácia Viva’ do – Departamento de Assistência Farmacêutica Federal – disponibilizou um recurso para que a prefeitura de Rio Branco elabore um meio para tornar os produtos naturais, fabricados na Funtac, mais acessíveis à comunidade, afirma a coordenadoria do LPN. A ideia é que essa farmácia funcione dentro de uma Unidade Pública de Saúde e tenha um preço ‘em conta’ para os cidadãos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s