Pilotos são liberados após 40 dias

Os pilotos Evandro Rodrigues e Rodrigo Frais estavam desaparecidos desde o dia 20 de setembro, quando foram sequestrados com o avião de Riva

DIÁRIO DE CUIABÁ| KAMILA ARRUDA

Após 40 dias de cativeiro na Bolívia, o piloto Evandro Rodrigues de Abreu e o copiloto Rodrigo Frais, que atuavam na campanha da candidata derrotada ao governo Janete Riva (PSD), chegaram ontem (30) a Cuiabá. Libertados na última terça-feira (28), eles foram recebidos em clima de muita comoção por familiares e amigos.
Em entrevista ainda no aeroporto, os pilotos narraram como foi o período em que passaram no país vizinho. Eles garantem que em nenhum momento foram maltratados pelos sequestradores.

“Eram dois brasileiros. Somente no rendimento, eles apontaram a arma. Após nós decolarmos, voamos aproximadamente uma hora e já pousamos na Bolívia. A partir daí, tiraram todas as bagagens dos passageiros que estavam na aeronave e devolveram as nossas bagagens. Apenas os nossos celulares e carteira ficaram com eles, que foram devolvidos a nós no próximo dia também. Em nenhum momento fomos maltratados, nem mesmo verbalmente. Ficamos em vários lugares, em mato, casa, rancho, fazenda”, contou Evandro.

Além disso, afirmam que também não chegaram a realizar nenhum tipo de “serviço” para os sequestradores durante o tempo em que permaneceram “presos”. No entanto, reconhecem que a aeronave teria sido roubada para ser usada no transporte de drogas.

“Só fomos com a aeronave em três pistas até chegar aonde eles queriam”, enfatizou o piloto.

Eles foram liberados após um suposto desentendimento entre os sequestradores e o eventual comprador do avião. De acordo com o copiloto, neste momento eles sentiram que poderiam não sair vivos da situação.

“Na verdade, eles liberaram para a gente para sair, mas nós também fomos por conta própria, porque tava começando a ficar um pouco perigoso e nós resolvemos sair por conta própria”, narrou Rodrigo.

Eles foram soltos na região de Santa Rosa, no município boliviano de Guayaramerín. A partir de então, eles seguiram a pé até a sede do município. De lá eles pegaram uma carona até Guajará-Mirim (RO), que faz divisa com a Bolívia.

“Nós caminhamos no primeiro dia por três horas até pegar no sono. E na quarta-feira, caminhamos das três da manhã até umas seis e pouco, que foi quando conseguimos carona. Na hora da nossa saída lá, foi muito arriscado, pois se o pessoal da região soubesse que os pilotos brasileiros estavam sendo liberados eles provavelmente nos pegariam”, pontua.

Após a liberação, os pilotos procuraram a polícia local e, em seguida, entraram em contato com a família e com o deputado estadual José Riva (PSD).

Conforme o delegado Nilton Santana da Silva, eles chegaram à delegacia durante a madrugada muito abatidos e abalados. Ele afirma que não colheu depoimento nem realizou exame de corpo e delito, uma vez que a investigação está sendo realizada em Mato Grosso.

Evandro e Rodrigo pilotavam um avião, de propriedade do deputado, que desapareceu no dia 20 de setembro, em Pontes e Lacerda (440 km a Oeste de Cuiabá), quando participavam de evento de campanha eleitoral da então candidata ao governo do Estado, Janete Riva (PSD).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s