Em ritmo de treino, Chapecoense e Cruzeiro empatam na Arena Condá

Gazeta Esportiva | Chapecó (SC)

Neste domingo, sob o forte calor de Chapecó, a Chapecoense arrancou um empate em 1 a 1 com o campeão Cruzeiro. Apesar da distância entre as duas equipes na tabela, o placar não modifica as situações de ambas, uma vez que a Raposa já é campeã brasileira por antecipação, e o Verdão não corre mais riscos e está garantido na elite do futebol nacional no ano que vem.

Com o resultado na Arena Condá, a Chape permanece na 14ª posição, na marca dos 43 pontos. Já o time mineiro segue estacionado com 77, com o título garantido independentemente do resultado da próxima – e última – rodada.

O jogo A partida começou quente, no sentido mais literal possível. Sob o forte calor de 35 graus em Chapecó, uma falta perigosa foi assinalada para cada um dos lados em apenas dois minutos de bola rolando. No entanto, as duas cobranças foram parar nas mãos dos goleiros, sem assustar.

Sem objetivos no Campeonato e sem pressa, as duas equipes se limitaram a tocar a bola com tranquilidade no meio de campo. Nos primeiros 15 minutos, só houve um lance de perigo real: aos 12, quando Tiago Luis cruzou para Camilo, e o camisa 10 quase mandou de cabeça para a meta.

Na marca dos 17 minutos, a zaga da Chape bobeou na troca de passes no campo de defesa, entregando para o volante Lucas Silva. O jogador viu Neilton descendo em velocidade e lançou o garoto, que recebeu de frente para o goleiro Danilo e tentou deslocá-lo com um toquinho colocado. A bola passou a milímetros de distância da meta, levando perigo e assustando a torcida em Chapecó.

Em seguida, foi a vez da Chapecoense chegar com perigo com Tiago Luis. O atacante dominou na entrada da área e arriscou o chute com força, obrigando o goleiro Élisson a fazer uma bela defesa e salvar a Raposa.

Com mais de meia hora de confronto, a Chape teve a melhor chance da partida. Após boa jogada de Camilo pela direita, a bola foi rolada para Tiago Luis na marca da cal. O zagueiro Léo tentou cortar o chute, mas furou. Para a sorte da Raposa – e reclamações do Verdão –, o volante Eurico estava pronto para bloquear a finalização. O time de Celso Rodrigues apontou um toque no braço do cruzeirense, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

Depois de seguir em ritmo lento por 40 minutos, o confronto finalmente perdeu a aparência de jogo-treino. Aos 41, Wanderson trabalhou bem com Camilo e foi à linha de fundo para cruzar rasteiro para Bruno Rangel, que só teve o trabalho de empurrar para as redes e abraçar os companheiros.

Quando o relógio já marcava oito minutos do segundo tempo, o técnico Celso Rodrigues fez uma homenagem ao goleiro Nivaldo, que completou oito anos com a camisa da Chape. Ovacionado por toda a torcida presente na Arena Condá, o arqueiro entrou no lugar de Danilo.

O time catarinense dominava, mas ainda precisava brilhar a estrela do jovem atacante Hugo Ragelli, revelado pelo Cruzeiro. O jogador entrou em campo aos 27 do segundo tempo, no lugar do também garoto Neilton. Uma vez dentro das quatro linhas, o atleta precisou de 40 segundos para marcar o seu primeiro gol na sua estreia como jogador profissional, após cruzamento do jovem Judivan, que atuou com Ragelli na base.

Depois do gol, as duas equipes novamente pareceram se contentar com o empate, uma vez que nem mesmo a vitória alteraria as situações de ambas na tabela, já definidas. A Chape ainda teve uma cobrança de falta perigosa, de frente para a meta e a 21 metros de distância dela, mas o chute de Wanderson explodiu na barreira cruzeirense, sem mexer no placar da Arena Condá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s