FHC propõe mão-de-gato do PSDB nas passeatas pró-impeachment

GGN

Jornal GGN – A cúpula do PSDB decidiu pegar carona nas movimentações marcadas para o dia 15 de março. Os movimentos, se acontecerem, trazem a marca do impeachment para Dilma. O PSDB, na carona, não vincula seu apoio ao impeachment de Dilma. Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente é o articulador.

FHC reuniu ontem, em seu Instituto, os senadores mais expressivos de seu partido, o PSDB. Estiveram presentes em sua convocação para o almoço o senador Aloysio Nunes (SP), Cássio Cunha Lima (PB), Tasso Jereissati (CE), José Serra (SP) e do senador e também presidente nacional da sigla e candidato derrotado a presidente do Brasil, Aécio Neves (MG). No almoço, FHC fez a defesa de que o PSDB deve estimular as manifestações, desde que fique longe do mote “Fora Dilma”.

“Tem que ficar claro que nós apoiamos, mas não somos promotores”, disse o ex-sociólogo FHC, segundo relatos de participantes. Prontamente o senador Aloysio Nunes concordou em participar, mas José Serra e Aécio Neves não prometeram nada.

Os tucanos apostam nos movimentos alimentados em redes sociais. Para eles, em São Paulo o movimento irá obter adesão expressiva, parte do motivo da participação do PSDB, que tem na cidade seu reduto maior. O ajuntamento inicial se dará na Avenida Paulista, mas o roteiro ainda está indefinido.

Aloysio declarou não ser a favor do “Fora” pois pessoas que defendem tal bandeira não estão “conscientes dos mecanismos constitucionais”. Disse o candidato a ex-presidente derrotado nas últimas eleições, que esta bandeira representa mais a indignação das pessoas. Sua ida se deve ao fato de que movimentos são contra o governo, e o PSDB é a “oposição”.

Cunha Lima concordou com tudo e reforçou dizendo que o não irão fazer pirotecnia e que o impeachment não está na pauta do partido. Avisou, contudo, que “a palavra não pode ser criminalizada”.

Ao fim da reunião, Aécio e Serra foram os escolhidos para explicarem à imprensa o posicionamento do partido. Aécio afirmou que ato não é uma bandeira partidária, uma manifestação partidária, e que é preciso que se tenha isso bem claro.

Segundo o Estadão, que deu a notícia, diferente do que aconteceu nos dois movimentos pró-impeachment depois da democratização – o Fora Collor em 1992 e o Fora FHC em 1999 -, desta vez os partidos e organizações do movimento social não estão formalmente envolvidos.

No dia 15, a convocação do ato é feita por dezenas de organizações virtuais, que não consideram produtivo que seja partidário. A declaração foi dada por Rogério Chequer, líder do “Vem pra Rua”  e maior aglutinador de tucanos nesta movimentação.

Memes

No encontro, os tucanos deixaram clara a ideia de que vão usar o humor no embate político com os petistas. O ex-presidente FHC foi fotografado segurando uma folha sulfite e uma nota de R$2 com a frase: “Foi FHC”. A foto foi postada no twitter.

Depois do evento, Serra mostrou ter também senso de humor e, ao ser questionado sobre a tentativa do PT de ampliar as investigações da CPI da Petrobras para a gestão FHC, foi simpático: “Eu soube agora que vão fazer uma CPI sobre a mudança da capital do Rio para Brasília e que foi o Fernando Henrique o responsável”.

Sobre as memes: viralizaram, e não fez bem para a imagem do ex-presidente.

Com informações do Estadão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s