Imóvel que desabou em Cubatão não tinha autorização para reforma

Três operários que trabalhavam na reforma do imóvel ficaram feridos

DE A TRIBUNA ON-LINE | LUCAS KREMPEL
01/04/2015

A parte de cima de um sobrado em obras, localizado na esquina da Avenida Brasil com a Rua Maria do Carmo, no Jardim Casqueiro, em Cubatão, desabou por volta das 9 horas desta quarta-feira (1º) e deixou três operários soterrados. Todos foram resgatados com vida, porém com ferimentos leves.

Um sobrado que passava por obras, no Jardim Casqueiro, em Cubatão, desabou e deixou três operários feridos

O imóvel tinha dois andares e estava sendo reformado. Na parte de baixo funcionava antigamente uma autoescola. Quando ocorreu o acidente, equipes do Corpo de Bombeiros de Santos foram deslocadas para auxiliar o resgate em Cubatão.

Local estava irregular

Segundo a Prefeitura de Cubatão, o projeto para a reforma foi protocolado no dia 24 de fevereiro e não possuía autorização para início da obra. No dia 6 de março, o imóvel foi vistoriado por um fiscal da Secretaria de Obras, que não constatou, naquele momento, nenhuma movimentação no local. O projeto encontra-se em análise por técnicos da Prefeitura, dentro do prazo de 60 dias para a autorização ou não dos serviços. A Administração Municipal determinou a apuração dos fatos relacionados ao acidente.

Acidentados

Dois trabalhadores que ficaram sob os escombros logo foram resgatados com vida, por volta das 10h30. O terceiro foi retirado às 11 horas. De acordo com as primeiras informações, as vítimas estão lúcidas.

José Carlos Gomes da Silva, 53 anos, morador da Vila dos Pescadores, teve traumas de quadril e algumas luxações. Será reavaliado em algumas horas. Merquides Custódio Santos Jr, 28 anos, morador do Jóquei Clube de São Vicente, fraturou a bacia e passará por uma cirurgia. Eles estão no Hospital de Cubatão.

Já Cosme Andrade da Silva, 22 anos, morador do Chico de Paula, em Santos, não teve maiores ferimentos e fez apenas um raio-x por precaução.

Alguns carros estacionados na Rua Maria do Carmo foram destruídos. A Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) tomou as providências na parte de energia elétrica para proporcionar condições de trabalho aos bombeiros.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Polícia Militar também trabalharam no resgate e isolamento da área.

Procurado pela Reportagem de A Tribuna On-line, a imobiliária responsável por alugar o imóvel não quis se pronunciar.

Imóvel antigo

Segundo Marcos Braz de Oliveira (conhecido como “Macaé”), presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil (Sintracomos), declarou à Reportagem que o imóvel tinha cerca de 60 anos. “Não foi feito um estudo aprofundado para realizar esse tipo de obra. Acredito que isso em conjunto da falta de segurança dos trabalhadores ocasionou o acidente”, ele declarou.

O Sintracomos está presente no local para apurar as causas do desabamento junto dos Bombeiros e afirma que dará todo o suporte aos trabalhadores feridos, além dos familiares.

Trabalho especial

Em entrevista à imprensa, o Capitão dos bombeiros, Antonio Marcos da Conceição, também ressaltou que a maior suspeita no momento é que o acidente ocorreu por conta de um erro de cálculo na obra. Além disso, oficial revelou que a laje caiu em cima das vítimas. “Por conta da estrutura prejudicada, tivemos que fazer um trabalho especial para tirarmos os trabalhadores de lá sem que mais nada desabasse. Todos saíram lúcidos e conversaram com os agentes durante o resgaste para nos informar se havia mais alguém por ali”.

  • (Carlos Nogueira)