Preso acusado de comandar terror contra estudantes

clique para ampliar
CEM: internado deverá receber mais quatro acusados em breve

A polícia prendeu ontem Adão José de Sousa, 40 anos, acusado de ser o mentor do estupro de quatro garotas, em Castelo do Piauí, a 190 km ao norte de Teresina. Ele foi preso quando se deslocava em um mototáxi para Campo Maior. O suspeito estava armado e com uma mochila. O crime foi praticado na quarta-feira (27).

Os quatro adolescentes acusados de estuprar e torturar quatro garotas na cidade de Castelo do Piauí foram transferidos na noite de anteontem para Teresina. Eles foram levados para o Centro de Internação onde deverão ficar até a Justiça decidir se os encaminha ou não para uma das unidades de internação na Capital, como Centro Educacional Masculino (CEM), no Itaperu, zona Norte de Teresina.
Os acusados tinham sido transferidos de Castelo do Piauí para a cidade de Campo Maior,  há cerca de 100 quilômetros por motivos de segurança, mas após serem interrogados e terem confessado a participação no estupro coletivo das quatro adolescentes e vão responder pelos crimes de estupro, homicídio tentado e associação criminosa.
O interrogatório e os demais  trabalhos foram feitos no cartório da 5ª Delegacia Regional de Polícia sediada em  Campo Maior, pelo escrivão Baker Martins, sob o comando do delegado Willame Moraes, gerente de Polícia do Interior. As informações são do portaldecampomaior.
As apreensões foram comunicadas a Justiça das cidades de Castelo e de Campo Maior. A| transferência de Campo Maior também foi por questões de segurança. O Núcleo de Inteligência da Polícia Civil fez, por volta das 20 horas.
PENA – A sequencia de crimes praticados contra as estudantes está levando a uma grande discussão no Esdado sobre o que deve acontecer com os quatro acusados que são menores de idade. Ontem, o   promotor da 2ª Vara da Infância e Juventude de Teresina, Mauricio Verdejo, disse que defenderá a extensão da medida socioeducativa que será determinada aos adolescentes suspeitos de praticar o estupro coletivo em Castelo , a 190 Km de Teresina.
Para ele, os adolescentes devem permanecer como internos mesmo após o cumprimento das medidas socioeducativas por três anos como determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
Verdejo disse que tomará como base uma decisão da justiça paulista determinando a permanência de Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, em uma Unidade Experimental de Saúde. Ele é acusado de matar o casal Felipe e Liana em 2003. Na época, Champinha tinha 16 anos e foi internado na extinta Febem, atual Fundação Casa. Após ficar três anos cumprindo medidas socioeducativas ele permaneceu internado.
“Eu defendo uma medida mais severa para estes menores. Não podemos aceitar que os quatro adolescentes fiquem apenas três anos internados. Ficarei responsável por fiscalizar a medida. Por isso, vou solicitar a permanência dele no Centro Educacional Masculino por mais tempo”, declarou. O promotor explicou que a ampliação da medida só poderá ocorrer mediante a realização de exames que comprovem o risco da sociedade em convivercom adolescentes capazes de cometer um ato transgressor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s