Café da manhã em Brasília marca Dia Nacional do Ciclista

Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil
Rodas da Paz promove café da manhã o Dia Nacional do Ciclista
ONG  Rodas  da  Paz  promove  café  da  manhã  em  Brasília no  Dia  Nacional  do  Ciclista  Elza Fiúza/Agência Brasil

No Dia Nacional do Ciclista, lembrado hoje (19), a organização não governamental (ONG) Rodas da Paz e o Departamento de Trânsito de Brasília (Detran) ofereceram um café da manhã aos ciclistas que seguiam para o trabalho. Durante o café da manhã, no centro da capital federal, também foram entregues kits com orientações, adesivos e materiais refletivos para serem usados nos passeios de bicicleta.

O conselheiro da Rodas da Paz Jonas Bertucci destacou que a data foi estabelecida em homenagem ao biólogo Pedro Davison, morto no Eixo Rodoviário de Brasília no dia 19 de agosto de 2006 após ser atropelado por um motorista embriagado e em alta velocidade. O caso é considerado um marco pela ONG por se tratar do primeiro crime de trânsito no Distrito Federal (DF) em que o motorista foi condenado por crime doloso – quando há intenção de matar.

“A gente está aqui, por um lado, celebrando os benefícios do uso da bicicleta e, por outro, lembrando as vítimas do trânsito”, disse. “A bicicleta é um veículo barato, acessível para qualquer pessoa, de qualquer idade. É prático, econômico, não polui e traz uma série de benefícios para a cidade e para as pessoas”, completou.

Ciclista Bruno Leite participa do café da manhã no centro de Brasília
O veterinário Bruno Leite usa a bicicleta todos os dias:  para  ir  ao  trabalho, à academia e também

nos momentos de lazer Elza Fiuza/Agência Brasil

O veterinário Bruno Leite, de 33 anos, disse que usa a bicicleta como meio de transporte praticamente todos os dias: para ir ao trabalho, à academia e também para passeios. Mesmo em momentos de lazer, ele lembrou da importância do uso de acessórios como capacete e óculos e de alguns cuidados a serem tomados.

“Hoje em dia, a gente ainda está em uma fase de convivência com a cidade, que não é tão estruturada. Tento usar a ciclovia sempre que possível, mas alguns pontos de travessia não estão bem sinalizados, além de carros que não estão atentos”, explicou. “A atenção deve estar sempre redobrada.”

José Pereira Barbosa, de 58 anos, saiu de Natal acompanhado do filho com o intuito de conhecer Brasília. Na bagagem, o artesão trouxe duas bicicletas, devidamente desmontadas para serem despachadas no avião e usadas em passeios turísticos na capital federal.

José Pereira Barbosa, 58 anos, saiu de Natal acompanhado do filho trazendo, na bagagem, duas bicicletas para passer pela capital federal
José  Pereira  Barbos  veio de Natal com o filho e trouxe na bagagem duas bicicletas para passear

pela  capital  federal    Elza Fiuza/Agência Brasil

“Desde crianças, vamos aos ferros-velhos, montamos bicicletas e exploramos vias. É uma maneira de turismo diferente, onde a gente aprende muito mais. Dentro de um carro ou de ônibus a gente perde muita coisa”, contou.

O filho do artesão, Kaio Barbosa, de 18 anos, é só elogios ao falar da experiência de conhecer o país acompanhado do pai e de suas bicicletas.

“Não há nada igual, e é qualidade de vida. Não é a primeira viagem que faço com o meu pai e quero continuar. Mas é importante saber onde há ciclovias, prestar atenção nos carros sempre e sempre sinalizar o que se vai fazer”, alertou o estudante.

Edição: Denise Griesinger
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s