República Centroafricana: novo chefe da Minusca

Parfait Onanga-Anyanga , novo chefe da  Minusca.

Parfait Onanga-Anyanga , novo chefe da Minusca.

Foto ONU
RFI

O diplomata gabonês, Parfait Onanga -Ayanga sucede ao general Babacar Gaye, o antigo chefe da Minusca (Missão das Nações Unidas na República Centroafricana ), que foi obrigado a apresentar a sua demissão , na sequência de um escândalo de alegadas violações de crianças por capacetes azuis.

Parfait Onanga-Anyanga

19/08/2015

 No início desta semana , os representantes das milícias anti-balaka e da ex-rebelião Séléka, cujos recontros violentos marcaram a crise-político militar da República Centroafricana em 2013 anunciaram a criação de uma plataforma , o Rassemblement centroafricano, que lançou um apelo à paz e à reconciliação, na perspectiva da eleição presidencial de Outubro.

Entre os signatários figuram Patrice-Edouard Ngaïssona, coordenador dos anti-balaka,próximo do antigo presidente François Bozizé, destituído em Março de 2013 pelos rebeldes do Séléka, o general Mohamed Moussa Dhaffane, terceira figura mais importante da ex-coligação Séléka e agora líder de uma das suas facções, o Séléka Renovado.

Assinaram igualmente o documento, Joachim Kokaté, um dos principais colaboradores de François Bozizé e comandante das Forças Armadas Centroafricanas(FACA), bem como Jean-Baptiste Koba , o presidente do Movimento para a Evolução Social da África Negra(MESAN). O MESAN era o partido de Barthélémy Boganda, presidente fundador da República Centroafricana ,em 1 de Dezembro de 195,8 ao qual fazem referência todos os protagonistas da profunda crise que afecta o país da África central.

Recentemente várias organizações não-governamentais, nomeademente Amnesty International, acusaram os capacetes azuis da Missão das Nações Unidas na República Centroafricana( MINUSCA) de terem cometidos violações de crianças em 2013 e 2014 , e mais recentemente terem violado uma rapariguinha de 12 anos e matado um adolescente e o seu pai, durante uma operação em Bangui.

Em Nova Iorque ,o secretariado geral da ONU comunicou que um inquérito estava em curso sobre os alegados excessos cometidos pelos militares da MINUSCA, cujo chefe, o general Babacar Gaye, foi demitido das suas funções a semana passada e substituído nesta quarta-feira por Parfait Onanga-Anyanga. Este diplomata gabonês que assumirá as suas funções em Bangui na próxima sexta-feira, em declarações à RFI, realçou nomeadamente o valor simbólico da decisão tomada pelo secretário-geral da ONU de demitir o general Gaye e a importância de preservar a principal vocação dos capacetes azuis, que é a de proteger os civis e a vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s