Janot deve denunciar nesta quinta-feira Eduardo Cunha por corrupção

Presidente da Câmara já afirmou que não pretende deixar cargo se for denunciado

Jornal do Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve entregar nesta quinta-feira (19), ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Ele é suspeito de ter recebido propina do esquema de corrupção que atuava na Petrobras para viabilizar a contratação de navios-sonda para a estatal.

Na quarta-feira (19), Cunha afirmou que não pretende deixar a presidência da Câmara, mesmo se for denunciado ao STF. “Eu não farei afastamento de nenhuma natureza. Vou continuar exatamente no exercício pelo qual eu fui eleito pela maioria da Casa. Absolutamente tranquilo e sereno com relação a isso”, afirmou.

Eduardo Cunha enfatizou que não mistura o papel de presidente da Câmara com as eventuais situações que possam envolver o seu nome. “Exercerei o meu papel de presidente da forma que, institucionalmente, eu tenho que exercer. Eu não faço papel de retaliação nem tomo atitudes por causa de atitudes dos outros”. O presidente da Câmara disse ainda que não pretende usar o plenário para discursar em sua defesa.

Eduardo Cunha pode ser denunciado nesta quinta-feira
Eduardo Cunha pode ser denunciado nesta quinta-feira

Na quarta-feira, os meios políticos comentaram que, em razão do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF) ter negado o pedido do presidente da Câmara para tirar ação da Lava Jato da Justiça do Paraná, a Procuradoria-Geral da República (PGR) deve denunciar Eduardo Cunha por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

Rumores dão conta de que outros políticos também serão denunciados. Entre eles estaria o senador Fernando Collor (PTB). As denúncias por corrupção e lavagem de dinheiro seriam baseadas em depoimentos de delatores da Operação Lava Jato e em provas colhidas pelo Ministério Público Federal em diversas fases da investigação, entre elas as buscas em imóveis de Collor, na chamada Operação Politeia, em julho.

>> PGR vai denunciar Cunha e Collor por corrupção e lavagem de dinheiro

>> STF nega pedido de Cunha para retirar ação da Lava Jato da Justiça do Paraná

O senador do PTB é suspeito de receber R$ 26 milhões em propinas, entre 2010 e 2014, desviados da Petrobras. Esses recursos teriam sido usados para a compra de carros de luxo, apreendidos no mês passado pela Polícia Federal.

Já o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, foi citado por um dos delatores da Lava Jato, o empresário Júlio Camargo, como beneficiário de suborno de US$ 5 milhões. O valor teria sido pago para facilitar a assinatura de contratos de afretamento de navios-sonda entre a Samsung Heavy Industries e a Diretoria Internacional da estatal, controlada pelo PMDB.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s