PRETA-RARA SE PREPARA PARA LANÇAR CD SOLO

Depois de 10 anos de carreira, a rapper santista que também é militante e professora de história, se divide entre os palcos com novo CD e a sala de aula.

DoLadoDeCá|Thais Siqueira
24/08/2015

Crédito: Claudio Vitor Vaz

Quando ainda era mais conhecida como Joyce Fernandes, Preta-Rara já escrevia poesia. Com 12 anos de idade, ela começou a se interessar pela rima, muito antes de fazer rap. “Meu pai era colecionador de discos. Ele não achava legal mulher cantando rap. Dizia que rap tinha que ter uma voz de peso”, conta Preta. Anos depois, o pai acabou mudando de opinião.

Filha de pastora, a rapper, que hoje tem 30 anos, começou a cantar na igreja, junto a família. Mais tarde, já com 20 anos, ela montou o grupo Tarja Preta, com a amiga Negra Jack. A parceria durou até 2013, quando Preta-Rara resolveu seguir carreira solo. O primeiro CD, chamado Audácia, tem lançamento previsto para setembro deste ano.

Nas músicas, a rapper fala sobre empoderamento feminino, racismo e ainda sobre temas do dia-a-dia, como os relacionamentos namorosos que já viveu. Como professora de história, ela também utiliza as rimas em sala de aula. “Eu uso muitas músicas de outros rappers também e já fiz oficina de turbante”. Preta-Rara leciona em uma escola no bairro Humaitá, periferia de São Vicente, no litoral de São Paulo. Militante, ela começou a participar de grupos de discussão sobre feminismo e cultura negra quando estudava no cursinho pré-vestibular Educafro. A partir daí, virou também turbanista. Ensina como fazer as amarrações e, o mais importante: exaltando a beleza da mulher negra. “Minha aceitação com o cabelo demorou. Minha melhor amiga de infância era loira, o cabelo dela voava e eu achava lindo. Com cinco anos, eu pegava uma fronha e amarrava na cabeça”, lembra a rapper. Hoje, Preta-Rara chama atenção com suas longas tranças e turbantes coloridos.

Audácia foi contemplado, em 2014, pelo Fundo de Apoio a Projetos Independentes de Santos. O CD terá oito músicas, duas poesias e uma faixa surpresa, que vai prestar homenagem a diferentes mulheres. Como contrapartida, Preta-Rara irá ministrar oficinas de turbante em comunidades carentes da cidade. A inciativa de lançar seu primeiro álbum nasceu após uma participação no show do rapper Criolo, no SESC/Santos, em maio de 2013.

Confira o clipe da música “Falsa Abolição” e a música “Negra Sim”!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s