Coro e Orquestra do Theatro Municipal apresentam a Petite Messe Solennelle

Obra-prima de Rossini, que mescla elementos da música sacra e profana, será executada em sua versão integral

Secretaria da Cultura do Rio de Janeiro

O barítono Leonardo Páscoa e o maestro Jésus Figueiredo.  (Foto: Divulgação)

 O Theatro Municipal do Rio de Janeiro – vinculado à Secretaria de Estado de Cultura – apresenta o Concerto com o Coro e a Orquestra Sinfônica do TM, no dia 28 de agosto, às 20h. No terceiro concerto programado para este mês, será executada a Petite Messe Solennelle para solistas, coro e orquestra, de Gioachino Rossini (1792-1868). Este concerto contará, como solistas, com a soprano Marianna Lima, a mezzo-soprano Andressa Inácio, o tenor Erick Alves e o barítono Leonardo Páscoa, sob a regência de Jésus Figueiredo, Maestro Titular do Coro do TMRJ.

Sobre o programa

Último grande sucesso de Rossini, a Petite Messe Solennelle (Pequena Missa Solene) foi composta em 1863 na sua casa de campo em Passy, ??nos arredores de Paris. A obra foi apresentada pela primeira vez em março do ano seguinte na consagração da capela particular da mansão do conde e da condessa Pillet-Will, na Rue Moncey, em Paris. Muitos consideram esta Missa Solene uma espécie de ‘testamento espiritual’ do compositor italiano, como se ele tivesse uma intuição sobre a proximidade de sua morte. Embora seja uma composição religiosa, tem pitadas de ironia e de bom humor – afinal a missa não é pequena (dura cerca de 90 minutos) nem é tida como solene -, alternando elementos de música sacra e profana. Sua intenção era evitar um tom opulento da liturgia que identificava em obras similares de seus compositores contemporâneos. No fim da composição, Rossini escreveu: ‘Querido Deus. Está concluída esta pobre e pequena missa. Será que é música sacra mesmo o que eu acabo de fazer ou música sagrada? Eu nasci para escrever ópera bufa, o Senhor sabes bem! Um pouco de silêncio, um pouco de coração, tudo está lá. Seja benevolente comigo e me receba no paraíso’. Na etapa seguinte, Rossini ocupou-se em orquestrar o trabalho porque pretendia garantir que ninguém mais pudesse fazê-lo após sua morte. Durante o processo de orquestração em 1867, ele decidiu acrescentar uma peça anteriormente composta para soprano, O Salutaris Hostia, entre o Sanctus e Agnus Dei da Missa.

Sobre os solistas

Marianna Lima, soprano

Com uma voz versátil de grande sonoridade, possuidora de musicalidade marcante, Marianna Lima foi segundo lugar geral no concurso realizado em 2013 para o Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Bacharel e Mestre em Música pela Escola de Música da UFRJ, Marianna já se apresentou como solista em  prestigiosas  salas de concerto, como o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sala Cecília Meireles e o Teatro Municipal de Niterói, e ainda junto a importantes orquestras como a Orquestra Sinfônica Brasileira e a Orquestra do Theatro Municipal,  destacando-se no cenário musical carioca e obtendo sucesso de crítica.

Andressa Inácio, mezzo-soprano

Natural de São Paulo. Bacharel em Música pela UNIRIO, faz parte do Coro do Theatro Municipal/RJ desde 2007, onde atua como contralto. Como solista, participou das montagens de Gianni Schicchi, no papel de Zita, e Madama Butterfly, no papel de Suzuki, ambas pela Cia. Lírica. Em 2012, também como solista, com o Coro e Orquestra do Theatro Municipal, interpretou Petite Messe Solenelle de Rossini, regência do Maestro  Maurílio Costa, e a Missa de Réquiem  de Mozart, regência do Maestro  Silvio Viegas. Ainda em 2012, cantou Dorina, da ópera L’oro non compra amore, de Marcos Portugal, com a OSB Ópera&Repertório. Em 2014, integrou o elenco, como La Badessa, de Suor Angelica, de Puccini, no projeto Ópera do Meio-Dia, no Theatro Municipal.

Erick Alves, tenor

 Erick Alves, natural do Rio de Janeiro, é membro concursado do corpo artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, desde 2002. Sua estreia como solista no Municipal do Rio foi no Concerto Comemorativo aos 80 anos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municpal do Rio de Janeiro, sob a regência do maestro Henrique Morelenbaum.

Leonardo Páscoa, barítono

Cantou nas mais importantes Casas de Ópera do País, sob a direção de renomados regentes – como Abel Rocha, E. Kohn, H. Morelenbaum, I. Karabtchevsky, G. Petri, M. Ramos, R. Duarte, S. Barbato, S. Viegas -e diretores de cena – como Bibi Ferreira, Diva  Pieranti,  Francisco Mayrink e Pier Francesco Maestrini, entre outros. Em 1999, estreou na turnê nacional de Lo Schiavo, de Carlos Gomes, dirigido por Fernando Bicudo, interpretando Iberê e Gianfèra. De seu repertório lírico e sinfônico, constam AidaLa TraviataRigolettoToscaTurandot, O Morcego, A Viúva Alegre,Réquiem de Fauré e Christmas Oratory de Saint-Säens. Tem destaque entre seus trabalhos a 9ª Sinfonia de Beethoven nas comemorações de 30 anos do ‘Projeto Aquarius’, para um público de 30.000 pessoas, e a ópera Carmen de Bizet, montada ao ar livre para 42.000 espectadores. Protagonizou, em 2011, I Pagliacci de Leoncavalloem Brasília; Il Guarany de Carlos Gomes, em São Paulo; e L’Amour des Trois Oranges de Prokofiev, no TMRJ. Em 2012, atuou como solista em La BohèmeCavalleria RusticanaCarmen, La fille du Régiment e L?Oro non compra Amore; em 2013, em Um Ballo in Maschera em Manaus e BH, Un Turco in Italia e Carmina Burana no Rio, Candide em São Paulo, além de ter assinado o personagem Theseus em primeira exibição mundial da ópera americana Fedra e Hipólito em BH. Há 20 anos integra o Quadro Artístico do Theatro Municipal do Rio.

Sobre o Regente

Natural do Rio de Janeiro, Jésus Figueiredo é formado em Regência, em Órgão de Tubos e é Mestre em Acústica Musical pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desde 1999 é Maestro do Theatro Municipal, onde trabalha diretamente com o Coro e também com a Orquestra Sinfônica na preparação de óperas e concertos. Em 2012 trabalhou como Maestro Titular do Coro Ópera Brasil, e em 2013 assumiu a Direção Musical da Associação de Canto Coral. Vem se dedicando também à regência de balés. Com o Ballet do Theatro Municipal, a Escola do Teatro Bolshoi do Brasil e a Cia. Brasileira de Ballet regeu títulos como Les Sylphides, O Quebra-NozesCoppélia e Don Quixote, além de ter preparado a Orquestra Sinfônica que acompanhou em 2011 e 2012 as temporadas brasileiras respectivamente do Balé Kirov de São Petersburgo (Rússia), em O Lago dos Cisnes, e do Ballet do Alla Scala de Milão (Itália), em Giselle. Jésus Figueiredo já esteve à frente de orquestras como a Sinfônica de Minas Gerais, a Filarmônica do Ceará, a Acadêmica do Teatro Colón de Buenos Aires, a da Ópera de San Juan (Argentina) e a da Sinfônica Brasileira O&R, entre outras.

Programa:

Gioachino Rossini (1792-1868)  Petite Messe Solennelle para solistas, coro e orquestra

I- Kyrie

II- Gloria in excelsis Deo

III- Gratias

IV- Domine Deus

V- Qui tollis

VI- Quoniam

VII- Cum Sancto Spiritu

VIII- Credo

IX- Crucifixus

X- Et ressurrexit

XI- Preludio religioso

XII- Sanctus – Benedictus

XIII- O Salutaris

XIV- Agnus Dei

Solistas:

 Marianna Lima, soprano

Andressa Inácio, mezzo-soprano

Erick Alves, tenor

Leonardo Páscoa, barítono

Regência – Jésus Figueiredo

Colaboração de Ascom Theatro Municipal

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s