Fluxos migratórios batem recordes

Migrantes tentam avançar a todo o custo na Europa apesar das dificuldades.

Migrantes tentam avançar a todo o custo na Europa apesar das dificuldades.
RFI

Cerca de 3 650 migrantes chegaram ontem a Viena, a capital austríaca, de comboio. É o recorde anual num só dia, afirmaram as autoridades austríacas. Esse fluxo explica-se pelo facto da Hungria ter desbloqueado a entrada nas estações de comboio e ter deixado passar centenas de migrantes. No entanto as tentativas de hoje resultaram em expulsões.

Os migrantes que chegam a Viena de comboio vindos da Hungria ficam muitas vezes dentro das carruagens, à espera da partida para a próxima etapa, a Alemanha. Aliás a própria polícia austríaca não sabe muito bem o que fazer perante esta situação. Os comboios partem, muitas vezes com atraso, em direcção a Munique, na Alemanha. A maior parte dos migrantes não querem ficar na Áustria quando conseguiram escapar à Hungria e aos Balcãs, sobretudo depois de a Hungria ter voltado, hoje, a bloquear o acesso aos comboios em direcção à Áustria e à Alemanha.

O certo é que uma vez que a etapa dos Balcãs e da Hungria foi ultrapassada, os migrantes pensam chegar facilmente à Alemanha sobretudo com os discursos proferidos pela chanceler alemã, Angela Merkel, que denuncia os países que expulsam os migrantes.

Segunda-feira à noite e esta manhã, na Baviera, esse discurso teve eco. Os migrantes foram acolhidos por germânicos que distribuíram bebidas e comida. As autoridades afirmam que cerca de 500 refugiados chegam todos os dias à Baviera por via ferroviária.

A pé, de bicicleta, de comboio, ou de carro, todos os meios são possíveis para passar as fronteiras europeias, com riscos nomeadamente o envolvimento de traficantes que põem a vida dos migrantes em perigo. A descoberta de 71 cadáveres de migrantes num camião na Região de Burgenland, próxima da fronteira húngara na passada semana, levou a que as autoridades intensificassem os controlos, não só nas fronteiras, mas igualmente nas estradas pelas autoridades da Hungria, Eslováquia, Áustria e Alemanha.

Com esses controlos, houve engarrafamentos gigantescos na auto-estrada A1 que liga Budapeste, na Hungria, a Viena, na Áustria, com uma extenção de cerca de 50 quilómetros. Essa vigilância já permitiu descobrir 12 migrantes num camião, 9 adultos e 3 crianças, com uma placa de matrícula francesa.

Este fluxo migratório promete continuar e até ampliar-se enquanto nenhuma resposta concreta ao problema for encontrada pela União Europeia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s