150 milhões fizeram greve geral na Índia

Sindicatos contestam as alterações à legislação laboral que o governo de Narendra Modi quer aplicar, acusando-as de facilitar os despedimentos e atacar o emprego. Foi a maior greve desde há

Os sindicatos acusam o governo de ameaçar o emprego. Foto de K.R.Deepak
Os sindicatos acusam o governo de ameaçar o emprego. Foto de K.R.Deepak

Na quarta-feira, o sistema financeiro paralisou e uma poderosa greve geral envolveu minas, fábricas, construção civil e transportes. “A greve foi magnífica”, disse o secretário do Congresso dos Sindicatos de Toda a Índia, Gurudas Dasgupta, estimando que participaram mais de 150 milhões de trabalhadores.

Foi a primeira prova de força entre os sindicatos e o primeiro-ministro Narendra Modi, que assumiu a chefia do governo no ano passado.

Foi a primeira prova de força entre os sindicatos e o primeiro-ministro Narendra Modi, que assumiu a chefia do governo no ano passado.

Legislação antilaboral

Os sindicatos contestam as reformas na legislação laboral que Narendra Modi quer aplicar, com o argumento de atrair o investimento estrangeiro para o país. O governo afirma que é preciso simplificar as leis laborais, que vêm dos tempos da dominação colonial britânica. Mas os sindicatos acusam o governo de ameaçar o emprego, promovendo o encerramento de fábricas improdutivas e facilitando os despedimentos.

A greve foi pacífica na maior parte das cidades, mas houve confrontos entre a polícia e ativistas em vários locais do estado de West Bengal. Cerca de 200 pessoas foram presas neste estado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s