Arquivo da tag: agressão

Processado por agressão, Aloysio Ferreira é candidato a vice de Aécio

CORREIO DO BRASIL

O senador Aloysio Nunes é um dos principais líderes do PSDB nacional, cotado para ser vice na chapa do presidenciável Aécio Neves

O senador paulista tucano Aloysio Nunes Ferreira foi escolhido pelo candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, para ser seu companheiro de chapa como candidato a vice-presidente. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pelo próprio Aécio em entrevista coletiva após reunião da Executiva Nacional do PSDB em Brasília. A definição do mineiro Aécio por Aloysio Nunes ocorreu para garantir um peso maior para São Paulo, maior colégio eleitoral do país, na campanha do PSDB. Esta é a primeira vez que o presidenciável tucano não é paulista – caso de Mario Covas (1989), José Serra (2002 e 2010) e Geraldo Alckmin (2006) – ou não tem sua base política no Estado – como Fernando Henrique Cardoso (eleito em 1994 e reeleito em 1998).

Um dos nomes mais cotados para ser vice na chapa tucana há vários meses, o senador paulista acabou sendo escolhido depois de muitas dúvidas de Aécio entre ele e a ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ellen Gracie, que era a favorita na semana passada. Ferreira, no entanto, ainda terá que responder a um processo por agressão, movido contra ele por Rodrigo Grassi, que assina Rodrigo Pilha em seu blog, e foi agredido verbalmente durante uma entrevista ao parlamentar, em um dos corredores do Senado. Grassi adiantou à reportagem do Correio do Brasil que está em contato com seus advogados, para prosseguir na ação penal contra Nunes, após ter seu celular “autoritariamente apreendido sem ser lacrado pela polícia”, no Parlamento.

Ex-membro do Partido Comunista Brasileiro, nos tempos da ilegalidade do PCB, Aloysio participou da Aliança Libertadora Nacional (ALN), organização guerrilheira contra a ditatura militar, e acabou se exilando no exterior quando soube que haveria um pedido de prisão preventiva contra ele. Na França, graduou-se em Economia Política e fez mestrado em Ciência Política pela Universidade de Paris. De volta do Brasil, pelo PMDB foi deputado estadual e vice-governador de São Paulo, eleito na chapa de Luiz Antônio Fleury Filho. Cooptado pela direita e já filiado ao PSDB, foi deputado federal e ocupou dois ministérios no governo Fernando Henrique Cardoso: Secretaria Geral da Presidência e Justiça. Em 2010 foi eleito senador.

Aécio é no momento o principal adversário da presidente Dilma Rousseff, do PT, que busca a reeleição, reprisando a polarização entre tucanos e petistas existente desde a eleição de 1994.

Sombra de Serra

O último passo para a decisão foi dado por Aécio na noite de domingo, quando ele consultou, pelo telefone, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A interlocutores, disse que “só depois de ouvi-los” bateria o martelo.

Desde a formalização de sua pré-candidatura, pessoas próximas a Aécio apresentaram à imprensa diversos nomes como possíveis candidatos a vice do mineiro. Já estiveram na lista o ex-senador e ex-governador do Ceará, Tasso Jereissati, o ex-governador José Serra e até FHC, que se apressou em dizer que, aos 83 anos, não seria mais candidato.

A deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) também foi cotada para a vaga, mas as negociações não prosperaram. Até domingo, ela não havia sido contatada por Aécio para tratar do assunto. Nos últimos dias, o presidenciável tucano deu pistas de que poderia trazer “uma surpresa”. A aliados, chegou a dizer que tinha um terceiro nome “em sua cabeça”, além de Aloysio e Ellen Gracie, e depois, em agenda no Nordeste, afirmou que sua vice poderia ser uma mulher.

No fim de domingo, no entanto, sinalizou ter feito a opção mais segura e com maior amparo dentro do PSDB e entre os partidos aliados.

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova Cintra

Homem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova CintraHomem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Estado de Minas| Cristiane SilvaLuana Cruz TV Alterosa

11/06/2014

Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII (Leandro Couri/EM/DA Press)  
Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII

Na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, um argentino foi alvo de um ato violento em Belo Horizonte. O homem de 34 anos teve um dos dedos quebrado ao ser agredido na noite de terça-feira, no Bairro Nova Cintra, Região Oeste da capital.

Ruben Francisco Lucero deu entrada no Hospital João XXIII às 21h de ontem, conforme a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). O argentino, que mora na capital há dois anos, estava no carro com a esposa brasileira e a filha de 2 anos quando foi atacado. Segundo Lucero, ele tinha uma bandeira da Argentina enrolada na mão quando três homens passaram e puxaram objeto, quebrando o dedo da vítima. O homem terá que passar por uma cirurgia. 

 

O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero (Leandro Couri/EM/DA Press)  
O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero

“Pode ser da Argentina, pode ser da Colômbia. Então imagina quando os turistas realmente chegarem no Brasil, o que vai acontecer? A ponto de quebrar o dedo para ter que fazer uma cirurgia, dá indignação”, lamentou Júnia Paula, esposa de Ruben.

A Polícia Militar (PM) informou que o argentino não registrou boletim de ocorrência sobre a agressão. A assessoria de imprensa da corporação soube do caso, mas acredita que ele tenha ido ao hospital por meios próprios sem avisar às autoridades.

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova CintraHomem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Estado de Minas| Cristiane SilvaLuana Cruz TV Alterosa

11/06/2014

Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII (Leandro Couri/EM/DA Press)  
Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII

Na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, um argentino foi alvo de um ato violento em Belo Horizonte. O homem de 34 anos teve um dos dedos quebrado ao ser agredido na noite de terça-feira, no Bairro Nova Cintra, Região Oeste da capital.

Ruben Francisco Lucero deu entrada no Hospital João XXIII às 21h de ontem, conforme a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). O argentino, que mora na capital há dois anos, estava no carro com a esposa brasileira e a filha de 2 anos quando foi atacado. Segundo Lucero, ele tinha uma bandeira da Argentina enrolada na mão quando três homens passaram e puxaram objeto, quebrando o dedo da vítima. O homem terá que passar por uma cirurgia. 

O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero (Leandro Couri/EM/DA Press)  
O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero

“Pode ser da Argentina, pode ser da Colômbia. Então imagina quando os turistas realmente chegarem no Brasil, o que vai acontecer? A ponto de quebrar o dedo para ter que fazer uma cirurgia, dá indignação”, lamentou Júnia Paula, esposa de Ruben.

A Polícia Militar (PM) informou que o argentino não registrou boletim de ocorrência sobre a agressão. A assessoria de imprensa da corporação soube do caso, mas acredita que ele tenha ido ao hospital por meios próprios sem avisar às autoridades.

 

DIÁRIO DA MANHÃ|LUDMILLA MOREIRA

Ontem(28), durante a estreia do filme ‘Malévola’, protagonizado por Angelina Jolie, Brad Pitt levou um soco no rosto. Ele estava dando autógrafos no momento da agressão. 

De acordo com pessoas que estavam no local, um homem conseguiu passar ‘furar’ a barreira de proteção e agrediu o ator. O ataque aconteceu antes do filme começar.

Angelina e o esposo não ficaram abalados com a situação e o evento continuou sem maiores problemas. O homem foi detido e seu nome é Vitalli Sediuk. Ele tem 25 anos e já é conhecido por causar problemas com outras celebridades. 

Foto:Reprodução

Foto:Reprodução

 

Trio invade casa de idoso e rouba R$ 65 mil

Suspeitos agrediram a vítima e conseguiram fugir; investigadores analisam o caso

Da Redação noticias@band.com.br

Um funcionário público de 62 anos teve seu apartamento invadido na madrugada deste sábado na região do Cambuci, centro de São Paulo. Três suspeitos levaram R$ 65 mil da residência da vítima.

O idoso foi agredido pelo trio e, assim que eles fugiram, pediu socorro a um parente. O funcionário público foi encaminhado a um hospital, onde recebeu atendimento. Ele teve escoriações por todo corpo e uma fratura de grau mais elevado na perna.

Os suspeitos não foram localizados e são procurados pelos investigadores do caso, que foi encaminhado ao 6º Distrito Policial.

Tucano Aloysio Nunes será processado após agredir blogueiro no Senado

CORREIO DO BRASIL

 

O senador Aloysio Nunes é um dos principais líderes do PSDB nacional, cotado para ser vice na chapa do presidenciável Aécio Neves

O senador Aloysio Nunes será alvo de um processo, movido contra ele por Rodrigo Grassi, que assina Rodrigo Pilha em seu blog, e foi agredido verbalmente durante uma entrevista ao parlamentar, em um dos corredores do Senado. Grassi adiantou à reportagem do Correio do Brasil que está em contato com seus advogados, para prosseguir na ação penal contra Nunes, após ter seu celular “autoritariamente apreendido sem ser lacrado pela polícia”, no Parlamento.

Rodrigo Grassi foi detido na véspera pela Polícia do Senado, e conduzido coercitivamente para fora do prédio. Ao perguntar sobre o suposto envolvimento do senador com o cartel do Metrô de São Paulo, Pilha recebeu um impropério como resposta. Grassi gravou um vídeo, no qual mostra que apenas fez perguntas a Aloysio.

Jovem acusado de roubo apanha na rua no centro do Rio de Janeiro

Estadão Conteúdo

Um jovem foi agredido por populares na Avenida Rio Branco, uma das principais do centro do Rio, na manhã desta sexta-feira. Ele foi acusado de roubar o cordão de uma mulher que passava e foi parado por transeuntes. Revoltados com os assaltos constantes na região, cinco homens deram socos e tapas na cabeça e no tórax do rapaz. Poucos minutos depois, a própria mulher voltou ao ponto em que havia sido roubada, o reconheceu e o estapeou. A reportagem filmou a agressão.

A mulher assaltada, que não se identificou – disse apenas ser dona de casa, morar na França e estar no Rio de férias -, deu vários tapas no rosto do adolescente, que começou a chorar. Vestido de bermuda e camiseta regata, ele aparentava ter entre 16 e 18 anos, e teria levado um cordão com uma pedra decorativa do pescoço dela.

O garoto foi detido pela Guarda Municipal logo depois. Em seguida, chegou um carro da PM com outro suspeito já capturado. A mulher então reconheceu o segundo garoto como cúmplice do primeiro, e todos seguiriam para a delegacia, segundo os PMs. No entanto, à tarde, a reportagem esteve na 4.ª e na 5.ª Delegacias as duas mais próximas, e também na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), e não encontrou registro da ocorrência. O vídeo feito foi enviado à DPCA a pedido dos policiais.

Humilhação

O assalto à mulher foi às 10 horas. O suspeito foi segurado por populares rapidamente. Quando a reportagem chegou, ele estava encostado em uma árvore, quase na esquina da Rio Branco com a Avenida Presidente Vargas, e apanhava. Um homem o segurava e os demais batiam nele com força. Não havia guardas até então.

Apenas uma pessoa pedia calma; os demais gritavam: “Tem de meter porrada! Aqui tem assalto o tempo todo!” Quando o rapaz começou a chorar, o grupo passou a humilhá-lo. A mulher chegou e o reconheceu. “Vai estudar, vai para uma escola, desgraçado! Vai engraxar sapato, vai ser camelô!”, ela gritava. O garoto pedia: “Desculpa, tia, eu não te roubei, não”. E ela continuou: “Daqui você não sai.

Não me chame de tia, eu não sou sua tia. Na minha família não tem ladrão, são todos estudantes, todo mundo trabalhou, todo mundo estudou em colégio do governo e todo mundo se formou, é trabalhador. Isso é uma pouca vergonha!” O guarda municipal chegou quando as agressões já haviam cessado. O garoto então levantou a camiseta, abriu a boca e mostrou que não havia escondido o cordão sob a língua, como a mulher insinuava.

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio