Arquivo da tag: Bancos

Comissão Europeia aprova pacote de ajuda ao Banco Espírito Santo

Foto montagem com o logo do Banco do Espírito Santo e da nova instituição criada com produtos sem risco e batizada de Novo Banco.

Foto montagem com o logo do Banco do Espírito Santo e da nova instituição criada com produtos sem risco e batizada de Novo Banco.

BES.PT
RFI

A Comissão Europeia aprovou nesta madrugada o plano de ajuda do governo português ao Banco Espírito Santo. A instituição avaliou que “a solução encontrada vai contribuir para restabelecer a confiança na estabilidade do sistema financeiro de Portugal”.

 

As autoridades portuguesas decidiram dividir o banco em duas entidades a fim de permitir a separação entre ativos tóxicos e produtos sem risco. Estes últimos serão reunidos em uma instituição chamada Novo Banco, que vai recuperar os dois milhões de clientes do Banco Espírito Santo e receberá um investimento de € 4,4 bilhões de euros do Estado.

O Novo Banco deverá elaborar um plano de reestruturação segundo as novas regras europeias. Os acionistas serão afastados do Novo Banco e vão manter somente os ativos tóxicos. Já o “bad bank” (estrutura de eliminação dos ativos tóxicos), ele vai ser mantido em poder dos atuais acionistas. Os detentores de ações e credores não – prioritários do Banco Espírito Santo serão chamados a “assumir as perdas” decorrentes “de uma atividade bancária que eles não controlaram o suficiente”, advertiu o ministério das Finanças de Portugal.

Corrida contra o tempo

Segundo a televisão portuguesa RTP, um total de 60 funcionários do Banco de Portugal trabalhou em ritmo intenso todo o final de semana para criar o Novo Banco. No site, Vitor Bento, que foi nomeado para assumir o controle da instituição, tentou tranquilizar os correntistas: “Para os nossos clientes e colaboradores apenas uma coisa mudou – o seu Banco está agora mais forte e seguro que antes. As incertezas que 
ameaçavam a instituição nos últimos tempos foram afastadas”.

Reação das Bolsas

Depois de três dias no vermelho, a bolsa de Paris começou a operar hoje em alta (0,40%). Segundo os especialistas, a gestão da crise no Banco Espírito Santo pelo governo português deve acalmar os investidores e já provocou o aumento da procura pelos títulos públicos portugueses.

A Bolsa de Lisboa caiu 0,11% na abertura.

 

Bancos investem em caixas mais modernos para evitar prejuízos em roubos

Estadão Conteúdo

Os caixas eletrônicos recicladores, que permitem o depósito de dinheiro ou cheque, sem envelope, têm potencial para alcançar participação de 5% da rede de terminais de autoatendimento no Brasil até o ano que vem. A previsão é de Marco Aurélio Freitas, diretor comercial e de marketing da Perto, fabricante dessas máquinas.
 
A grande diferença para o modelo anterior é, segundo especialistas, o fato de o depósito ser imediato. No procedimento feito por envelopes, os depósitos são compensados apenas no dia seguinte à operação. “Os bancos no Brasil ainda têm projetos pilotos de caixas eletrônicos recicladores, mas a tendência é que a rede cresça uma vez que esses terminais equilibram a entrada e saída de recursos”, diz Freitas.
 
No Japão, quase todos os caixas eletrônicos já têm essa funcionalidade. Segundo especialistas, a Ásia é líder na adoção desta tecnologia. No Brasil, a troca dos caixas eletrônicos tradicionais para os recicladores deve ocorrer, na opinião de Wilton Ruas, executivo da fabricante japonesa OKI, de forma paulatina, à medida que a vida útil dos terminais disponíveis atualmente for chegando ao fim. “O caixa eletrônico reciclador faz a contagem das notas e reconhece cédulas falsas, ampliando a funcionalidade para os clientes e contribuindo para a redução de custos operacionais e de segurança”, disse Ruas, da OKI, ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado. Com o reciclador, o novo caixa passa a ter mais dinheiro efetivo e reduz gastos com transporte de valores.
 
Os caixas sem envelopes estão apenas começando a ganhar força no Brasil. A tecnologia já está disponível no mercado há alguns anos, mas, entre os bancos, apenas o Banrisul oferecia o benefício em parceria com a rede Saque e Pague. Na feira de tecnologia para bancos, a Ciab Febraban, que terminou ontem em São Paulo, o assunto ganhou força em meio ao avanço das negociações entre fabricantes e instituições bancárias.
 
O Bradesco, por exemplo, acabou de anunciar que oferecerá aos clientes um ATM (sigla, em inglês, para caixas eletrônicos) com reciclador de cédulas para depósito em dinheiro. O novo terminal feito em parceria com NCR, estará disponível no Bradesco Next, espaço conceito onde o banco apresenta novidades em soluções bancárias, localizado no Shopping JK Iguatemi, em São Paulo.
 
A expansão desse caixa para outras unidades depende, conforme Maurício Machado de Minas, vice-presidente executivo da instituição, de um estudo do banco que está mapeando as unidades nas quais os novos terminais fazem sentido do ponto de vista de equilíbrio entre saques e depósitos. Até meados do ano que vem, o banco espera ter 1 mil caixas que realizam depósitos em dinheiro sem a necessidade de envelope e que são creditados de imediato na conta do cliente.
 
Freitas, da Perto, lembra que os terminais de autoatendimento recicladores são tecnologias complementares e podem ou não substituir as existentes. O custo atual de um novo terminal, conforme ele, varia de R$ 35 mil a R$ 55 mil e o tempo de vida vai de cinco a sete anos, podendo chegar a dez anos em alguns casos. A Perto fornece ATMs para diversas instituições, como Banco do Brasil, Caixa, Bradesco e HSBC. Segundo ele, a empresa acaba de fechar contrato com o BB para fornecer 6 mil ATMs e busca novos clientes de peso, embora, não revele nomes. A Perto tem hoje cerca de 45 mil máquinas comercializadas.
 
Pesquisa da Febraban mostra que, dos 166 mil ATMs disponíveis no Brasil em 2013, 66% são terminais “full”, com duas ou mais funções, como dispensador de cédulas, terminal para depósito e extrato e dispensador de cheque. As máquinas que contam apenas com dispensador de cédulas somam 24%. As que têm somente dispensador de cheques são 13%, segundo a Federação. Terminais de depósitos e extratos são 2% da rede total de ATMs no Brasil.

Após campanha contra mercados, ex-trader francês é preso

O ex-corretor francês Jérôme Kerviel foi detido nesta segunda-feira (19) em Nice, sudeste da França.

REUTERS/Jean-Pierre Amet|RFI

O ex-corretor francês Jérôme Kerviel foi detido nesta segunda-feira (19) em Nice, sudeste da França.O ex-trader francês Jerôme Kerviel, condenado por ter causado um prejuízo de 4,9 bilhões de euros ao banco Société Générale, começou nesta segunda-feira (19) a cumprir a pena de três anos de prisão em regime fechado pelo crime. Durante todo o final de semana, Kerviel, que estava na Itália, ameaçou não voltar para a França por considerar a sentença “injusta”.

Kerviel tinha até a meia-noite deste domingo para se entregar, ou seria considerado foragido da Justiça. De Vintimille, na fronteira entre a Itália e a França, o ex-trader chegou a escrever uma carta para o presidente francês, François Hollande, para pedir indulto. Ele alega que o seu julgamento teve “falhas” e pediu “imunidade” para testemunhas que, segundo ele, poderiam ajudá-lo a reverter a sentença. Um porta-voz do Palácio do Eliseu informou que o socialista vai examinar a solicitação.

Depois de ser condenado, Kerviel iniciou uma campanha para denunciar os desvios do sistema financeiro internacional, do qual alega ter sido vítima. O francês viajou ao Vaticano e se encontrou com o papa Francisco, um crítico dos abusos dos mercados. De Roma, o ex-trader seguiu a pé até a França, uma caminhada que ele define como um ato “contra a tirania dos mercados”.

Nesta segunda, Kerviel iniciou a pena em uma prisão de Nice, no sudeste da França, onde se encontra em isolamento devido “à mediatização” do caso, conforme o sindicato de agentes penitenciários FO (Força Operária). A prisão ocorreu “calmamente, em um clima cordial”, de acordo com a entidade. Cerca de 10 apoiadores do ex-trader o acompanharam da delegacia até a penitenciária.

Kerviel poderá pedir liberdade condicional depois de cumprir metade da pena. Em 2008, quando o escândalo das transações financeiras operadas por ele estourou, o ex-analista de investimentos cumpriu 41 dias de prisão provisória.

Símbolo dos abusos

Considerado um símbolo dos abusos nos mercados financeiros, Kerviel foi julgado o único responsável pelo prejuízo de 4,9 bilhões de euros do banco Société Générale, no qual trabalhava. Inicialmente, ele havia sido condenado a cinco anos de prisão e ao pagamento de uma indenização de igual valor. Na apelação, entretanto, a Justiça confirmou o tempo de detenção – que inclui dois anos em liberdade condicional -, mas cancelou o pagamento da indenização bilionária.

Kerviel, de 37 anos, foi acusado de realizar especulações financeiras no valor de dezenas de bilhões de euros em mercados de risco sem o conhecimento de seus superiores e de ter driblado os mecanismos de controle graças a operações fictícias e documentos falsos. Ele foi processado por abuso de confiança, falsificação e introdução fraudulenta de dados no sistema do banco.

Durante o processo, o ex-corretor admitiu ter “perdido a noção da realidade” e afirmou que seu único objetivo era fazer o banco ganhar dinheiro. Ele também repetiu que seus superiores sabiam o que ele estava fazendo. O escândalo abalou o mundo das finanças e quase levou o banco à falência.

Bancos reajustam juros do cheque especial e empréstimo pessoal

Cinco dos sete bancos avaliados aumentaram os preços cobrados no empréstimo

France Presse

09/05/2014 

A média dos juros do cheque especial subiu 0,2 ponto percentual em relação a abril, chegando a 8,95% ao mês em maio. Segundo a pesquisa divulgada nesta quarta-feira (9/5) pelo Procon de São Paulo, cinco dos sete bancos avaliados aumentaram os preços cobrados no empréstimo.

O Santander, que aumentou os juros em 0,14 ponto percentual, tem a maior taxa para o cheque especial (10,89%). O HSBC reajustou de 10,55% para 10,57%. A Caixa, de 5,39% para 6,33%. O Bradesco passou de 9,44% para 9,48% e o Safra de 8,9% para 9,2%. Banco do Brasil e Itaú mantiveram as taxas de abril.

Para o empréstimo pessoal, a taxa média subiu de 5,46% em abril para 5,54% em maio. Quatro bancos passaram a cobrar mais na operação. O maior aumento percentual no empréstimo pessoal foi o do Safra, que subiu de 4,9% para 5,4%, reajuste de 10,2%. O Itaú subiu de 6,1% para 6,12%. O HSBC, de 5,87% para 5,89%. O Bradesco de 6,41% para 6,43%. Os demais mantiveram inalterados os juros de abril.

Apesar de não ter reajustado a taxa, o Santander cobra os maiores juros para o empréstimo pessoal, 6,49% ao mês. A Caixa, que cobra o menor valor no cheque especial, mantém a posição no empréstimo pessoal (3,75% ao mês).

O Procon lembra que em sua na última reunião o Comitê de Política Monetária do Banco Central elevou a taxa básica de juros em 0,25 ponto percentual. Como a inflação pressiona os preços, os juros que estão em 11% ao ano podem continuar subindo.

“Diante deste cenário, a recomendação do Procon-SP é para que o consumidor mantenha a cautela e só contrate empréstimos em caso de necessidade, para que não se transformem em armadilha para quem está com o orçamento comprometido”, diz o entidade de defesa do consumidor.

Novas regras para portabilidade de crédito com FGTS entram em vigor

As novas regras para portabilidade de crédito imobiliário com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começam a valer nesta segunda-feira. Conforme a norma, o cliente pode transferir o saldo devedor do imóvel para outro banco que ofereça juros mais baixos. Após escolher o melhor plano, o novo banco pagará a dívida original, e o contrato passará a valer. A modalidade está disponível em todos os bancos, além da Caixa Econômica Federal.

 
De acordo com a Circular 650, da Caixa, operadora do FGTS, publicada no dia 22 de abril, o valor e o prazo da operação não podem ser superiores ao saldo devedor e ao prazo remanescente da operação de crédito. Outra regra é que o sistema de amortização da operação de crédito objeto da portabilidade não pode ser alterado.
 
Se houver divergência entre as informações enviadas pelos bancos, a Caixa poderá rejeitar a transferência da dívida ou solicitar a complementação de informações. De acordo com a circular, os motivos que podem implicar negativa da transferência da dívida são o não recebimento de informações dos bancos envolvidos e o fornecimento de dados cadastrais e financeiros inconsistentes. O custo operacional acordado entre as instituições financeiras para fazer a portabilidade não poderá ser cobrado ou repassado ao devedor.

Estilo “novo cangaço” reaparece no interior

Quatro homens fortemente armados e encapuzados usaram “escudo humano” para esvaziar cofre da agência do Banco do Brasil ontem 

Diário de Cuiabá|Adilson Rosa

Quatro homens fortemente armados e encapuzados assaltaram a agência do Banco do Brasil na modalidade “novo cangaço” na cidade de Nova Maringá (cidade a 450 quilômetros de Cuiabá), onde levaram todo o dinheiro do cofre. No assalto, ocorrido por volta das 14 horas, os bandidos fizeram clientes e funcionários reféns. 

Segundo policiais que atenderam a ocorrência, os ladrões fizeram um cordão humano e na fuga atiraram de escopeta e fuzis dentro da agência, destruindo os vidros internos e externos. Os estilhaços deixaram algumas pessoas feridas, principalmente clientes que chegaram para fazer movimentação bancária. 

Alguns tiros de grosso calibre chegaram a atingir carros estacionados em frente à agência, deixando os moradores apavorados. Após o assalto, a agência encerrou as atividades para que o local fosse periciado. 

Na fuga, os ladrões utilizaram duas picapes – sendo uma S 10 e uma Hilux – possivelmente roubadas. Com os reféns, os bandidos impediram os policiais da cidade – tanto civis como militares – de reagir à ação criminosa. 

Os ladrões abandonaram os reféns alguns quilômetros depois, numa estrada vicinal onde trocaram de veículos. Os PMs seguiram na trilha dos bandidos que conseguiram escapar. 

Os policiais informaram que pediram reforço de policiais de cidades vizinhas. PMs do Batalhão de Operações Especiais da Força Tática do Batalhão de Sinop também foram acionados. O valor roubado não foi informado pela agência. 

Os policiais lembram que nos últimos assaltos da modalidade novo cangaço, os bandidos levaram a pior, pois foram encurralados no mato e três deles acabaram mortos em confronto com policiais militares do Bope. 

O assalto está sendo investigado pela Gerência de Combate ao Crime Organizado da Polícia Civil. O delegado Flávio Strigueta, titular do GCCO colocou uma equipe para atuar no caso. Policiais plantonistas acreditam que existem mais pessoas envolvidas, uma vez que muitos atuam no suporte dos bandidos que chegam de fora. 

Veja os cuidados para evitar transtornos com empréstimos para aposentados e pensionistas

DIÁRIO DA MANHÂ|ANDRÉIA PEREIRA

O fato da taxa de juros cobrada em empréstimos consignados ser menor para aposentados e pensionistas é um atrativo para os aposentados, que têm o valor da prestação descontado diretamente de suas aposentadorias, mas, o que pode ser uma questão positiva, se não for bem planejada e analisada torna-se um problema.

O gerente de pesquisa e cálculo do Procon-GO Gleidson Tomaz, explica que muitas vezes o Instituto é procurado por aposentados que acabam fazendo empréstimos para outras pessoas, não em benefício próprio, mas para familiares ou amigos e se essas pessoas deixarem de pagar o aposentado fica com a dívida. 

Nesse caso, o Procon  não pode interferir. O que o órgão pode fazer,  é calcular para saber se a taxa cobrada está na média prevista pelo Banco Central.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

No que diz respeito a empréstimos indevidos feitos por criminosos usando o nome dos aposentados, o Gleidson diz que, quando há fraude o órgão encaminha a vítima para a Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon). 

Nesse caso, o desconto na aposentadoria é suspenso imediatamente.  Gleydson faz um alerta, “é interessante que o consumidor tenha cuidados referentes aos seus dados. Não passar informações pelo telefone previne cair em armadilhas.”

A grande maioria dos aposentados são idosos, que são vítimas recorrentes de armadilhas e suscetíveis a serem facilmente convencidos quando expostos a argumentos. Algumas instituições financeiras praticam a abordagem ao aposentado, nas adjacências das próprias instituições.

Quando questionado sobre esse fato, Gleydson diz que, “não pode haver propaganda agressiva, não é permitido convencer o consumidor a contratar um empréstimo do qual ele não precisa, esse caso torna-se uma questão de polícia”.

Gleydson faz uma observação importante que equivale para todas as modalidades de empréstimos: “antes da contratação de um empréstimo, a pessoa deve levar as propostas até o Procon, analisar as simulações, desconfiar da taxa, comparar o valor que será adquirido no e o valor final que será pago. “Geralmente, as pessoas só consideram o valor total a ser pago depois que já o contrataram o empréstimo.”

Quanto ao valor máximo da parcela, ele não pode ultrapassar os 30% da renda mensal do consumidor. Quando isso acontece, o Procon entra com ação e faz com que o valor decresça. 

O órgão de defesa do consumidor também aplica multas nas instituições financeiras quando agem em desacordo com as normas e leis. Essa multa, que pode ser de R$ 400 a R$ 6 milhões, vai para o fundo de defesa do consumidor e é revestida em prol de melhorias para o mesmo.

Proteção aos brasileiros superendividados poderá virar lei

Agência Brasil

A preocupação com o superendividamento dos brasileiros pode levar à criação de uma lei de proteção ao consumidor. O Projeto de Lei do Senado 283/12, que disciplina a oferta de crédito ao consumidor e previne o superendividamento, pode ser votado no plenário da Casa ainda este mês. O projeto faz parte da reforma do Código de Defesa do Consumidor, que também inclui proposta que regulamenta as compras pela internet.

O projeto prevê a garantia do crédito responsável, a educação financeira e a prevenção e tratamento das situações de superendividamento. Estabelece ainda o conceito do “mínimo existencial” de renda, que deve ser garantido por meio de revisão e repactuação de dívidas. De acordo com o projeto, a soma das parcelas reservadas para pagamento de dívidas não poderá ser superior a 30% da remuneração mensal líquida e, assim, será preservado o “mínimo existencial”.

O projeto também prevê que, a pedido do consumidor, o juiz poderá instaurar processo de repactuação de dívidas, com realização de audiência conciliatória. Nessa audiência, o consumidor apresentará uma proposta de plano de pagamento, com prazo máximo de cinco anos, sempre preservando o mínimo existencial.

A assessora do Procon-SP Vera Remedi considera que o mais preocupante, atualmente, são os consumidores que pagam as contas todos os meses, mas têm endividamento acima da renda. Ela lembra que muitos usam o crédito caro, como rotativo do cartão de crédito e cheque especial para rolar suas dívidas.

“O que mais me preocupa são os superendividados adimplentes. Não existem muitas propostas para renegociar dívidas. As pessoas, às vezes, têm só 20% da renda para o pagamento de despesas básicas de alimentação, transporte e moradia, daí usam cartão de crédito e cheque especial e ficam sem saída. A pessoa assume muitos contratos que não são adequados à sua situação financeira”, explica.

Para Vera, há uma irresponsabilidade na concessão de crédito no País. “Os consumidores cobrem uma dívida com juros muito altos. Ainda contribui para isso a venda casada de seguro, o crédito com troco, as ofertas de crédito por telefone ou caixa eletrônico. Tudo o que é mais fácil, tem juros mais altos. Todas são contrações feitas na base da emoção do consumidor”, ressalta.

O Procon-SP tem um programa para ajudar os superendividados. É o Núcleo de Tratamento do Superendividamento, que atende consumidores insolventes e ajuda na tomada de medidas preventivas e corretivas. Segundo Vera, 2.822 consumidores já foram a palestras sobre o assunto e 1.142 superendividados receberam orientação individualmente.

Pela internet é possível encontrar algumas ferramentas de apoio aos superendividados. O Banco Central, por exemplo, oferece em seu site uma cartilha com orientações sobre como sair do superendividamento. E na página da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o consumidor encontra uma ferramenta para organizar as receitas e despesas, o Jimbo.

Segundo a superintendente de Serviços ao Consumidor da Serasa Experian, Maria Zanforlin, pode ser considerado como superendividado o consumidor que tem mais de quatro dívidas. “Ocorre quando a pessoa fez mais compras do que pode pagar e precisa de crédito”, explica.

“O consumo estimula a economia, mas é preciso haver um consumo consciente. Só comprar o que realmente precisa. A felicidade com uma compra é muito curta”, alerta Maria Zanforlin. Segundo ela, uma boa dica é anotar tudo o que se compra para saber quanto consumiu ao final de um dia.

“No Brasil, a questão do consumo é nova. São 20 anos do Plano Real. Não tivemos educação financeira necessária”, disse.

Preso suspeito de integrar quadrilha especializada em fraudes a bancos

A Tribuna/Eduardo Velozo Fuccia

Um homem acusado de integrar uma rede especializada em fraudes bancárias foi preso por policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos logo após sacar dinheiro e realizar uma transferência eletrônica de valores.

A captura de Alessandro Alves Ramos, o PX, de 19 anos, ocorreu na agência do Banco Itaú situada na esquina da Rua Brás Cubas com a Avenida Rangel Pestana, na Vila Mathias, às 16h15 de quarta-feira.

O rapaz, autuado em flagrante por estelionato, reside no Vale do Ribeira. Com ele foram apreendidos dois cartões bancários do Itaú, a quantia de R$ 5 mil recém-sacada e o comprovante de transferência de mais R$ 2.183,05 para a conta de Alexandre Alves Ramos, seu irmão.  

Segundo o investigador Walfredo Bernardes Filho, o setor de fraudes do Itaú entrou em contato com a DIG quando PX surgiu na agência para realizar a retirada e a transferência dos valores. A conta do rapaz está sob suspeita por causa de movimentação de R$ 80 mil ocorrida no mês passado.

Naquela ocasião, a considerável quantia fora transferida de forma fraudulenta da conta corrente de uma pessoa física cliente do Banco do Brasil para a conta do acusado, sendo depois sacada. A vítima é do Rio de Janeiro.

“As quadrilhas especializadas nesse tipo de fraude aliciam pessoas, que fornecem os seus nomes para a abertura de contas nas quais é transferido o dinheiro desviado de terceiros”, explica o chefe dos investigadores da DIG, Marcelo Canuto.

Embora PX tenha utilizado o nome verdadeiro para a abertura da conta, os demais dados cadastrais são falsos, como endereço e local de trabalho. O irmão do homem preso também abriu uma conta no Itaú valendo-se do mesmo expediente ilícito.

A justificativa para a abertura da conta dada pelo acusado ao banco foi a de que nela seria depositado o seu “salário”. A empresa mencionada por  PX existe, mas ela informou que o golpista não integra o seu quadro de colaboradores.

Geralmente, as quadrilhas conseguem realizar dois saques até a fraude ser descoberta e a conta, bloqueada. Depois, os bandos aliciam outras pessoas para a abertura de novas contas em troca de um percentual dos valores movimentados.

Como as transações costumam envolver mais de uma unidade da federação, ou seja, as vítimas são de estados diversos daqueles para os quais o dinheiro é desviado, a polícia tem dificuldades para apurar os golpes e prender em flagrante os estelionatários.

A partir da captura de PX, a DIG espera identificar outros membros da quadrilha, embora o procurado da Justiça nada tenha revelado sobre quem o recrutou para abrir a conta no Itaú. “Não sei como o dinheiro caiu na minha conta”, alegou.

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio