Arquivo da tag: Catolicismo

25 DE JULHO – SÃO CRISTÓVÃO

A devoção a são Cristóvão é uma das mais antigas e populares da Igreja, tanto do Oriente como do Ocidente. São centenas de igrejas dedicadas a ele em todos os países do mundo. Também não faltam irmandades, patronatos, conventos e instituições que tomaram o seu nome, para homenageá-lo. Ele consta da relação dos “quatorze santos auxiliadores” invocados para interceder pelo povo nos momentos de aflições e dificuldades. Assim, o vigor desta veneração percorreu os tempos com igual intensidade e alcançou os nossos dias da mesma maneira.

Entretanto são poucos os dados precisos sobre sua vida. Só se tem conhecimento comprovado de que Cristóvão era um homem alto e musculoso, extremamente forte. Alguns escritos antigos o descrevem como portador de “uma força hercúlea”. Pregou na Lícia e foi martirizado, a mando do imperador Décio, no ano 250. Depois disso, as informações fazem parte da tradição oral cristã, propagada pela fé dos devotos ao longo dos tempos, e que a Igreja respeita.

Ela nos conta que seu nome era Réprobo e que nasceu na Palestina. Como um verdadeiro gigante Golias, não havia quem lhe fizesse frente em termos de força física. Assim, só podia ter a profissão que tinha: guerreiro. Aliás, era um guerreiro indomável e invencível. A sua simples presença era garantia de vitória para o exército do qual participasse.

Conta-se que, estando cansado de servir aos caprichos de um e outro rei, apenas porque fora contratado para lutar em seu favor, foi procurar o maior e mais poderoso de todos, para servir somente a este. Então, ele se decidiu colocar a serviço de satanás, pois não havia quem não se curvasse de medo ao ouvir seu nome.

Mas também se decepcionou. Notou que toda vez que seu chefe tinha de passar diante da cruz, mudava de caminho, evitando o encontro com o símbolo de Jesus. Abandonou o anjo do mal e passou, então, a procurar o Senhor. Um eremita o orientou a praticar a caridade para servir ao Todo Poderoso como desejava, então ele abandonou as armas imediatamente. Integrou-se a uma instituição de caridade e passou a ajudar os viajantes. De dia ou de noite, ficava às margens de um rio onde não havia pontes e onde várias pessoas se afogaram por causa da profundidade, transportando os viajantes de uma margem à outra.

Certo dia, fez o mesmo com um menino. Mas conforme atravessava o rio, a criança ia ficando mais pesada e só com muito custo e sofrimento ele conseguiu depositar com segurança o menino na outra margem. Então perguntou: “Como pode ser isso? Parece que carreguei o mundo nas costas”. O menino respondeu: “Não carregou o mundo, mas sim seu Criador”. Assim Jesus se revelou a ele e o convidou a ser seu apóstolo.

O gigante mudou seu nome para Cristóvão, que significa algo próximo de “carregador de Cristo”, e passou a peregrinar levando a palavra de Cristo. Foi à Síria, onde sua figura espetacular e nada normal chamava a atenção e atraía quem o ouvisse. Ele, então, falava do cristianismo e convertia mais e mais pessoas. Por esse seu apostolado foi denunciado ao imperador Décio, que o mandou prender. Mas não foi nada fácil, não por causa de sua força física, mas pelo poder de sua pregação.

Os primeiros quarenta soldados que tentaram prendê-lo converteram-se e por isso foram todos martirizados. Depois, quando já estava no cárcere, mandaram duas mulheres, Nicete e Aquilina, à sua cela para testar suas virtudes. Elas também abandonaram o pecado e batizaram-se, sendo igualmente mortas. Foi quando o tirano, muito irado, mandou que ele fosse submetido a suplícios e em seguida o matassem. Cristóvão foi, então, flagelado, golpeado com flechas, jogado no fogo e por fim decapitado.

São Cristóvão é popularmente conhecido como o protetor dos viajantes, assim como dos motoristas e dos condutores. 

Em São Paulo, a Igreja de São Cristóvão fica na Avenida Tiradentes.

Histórico: Construída em 1856, foi durante muitos anos a Capela do Seminário Episcopal. Em 1940 foi criada a Paróquia São Cristóvão. Restaurada e reinaugurada em 28 de Abril de 2001.
Cristóvão, cujo nome quer dizer “aquele que conduz Cristo” é protetor e padroeiro dos motoristas e seu dia e festa dá-se em 25 de Julho. Uma antiga tradição diz que, quem olha para a imagem de São Cristóvão, passa o dia protegido.

Hoje, a primeira missa do dia foi celebrada às 7 horas, a segunda ao meio-dia e mais duas,às 15 e às 17 horas. O encerramento das festividades está marcado para as 20 horas. No domingo (27) os festejos serão encerrados com uma procissão na Av. Tiradentes. 

Oração de São Cristóvão

Dai-me, Senhor, firmeza e
vigilância no volante
para que eu chegue ao
meu destino sem acidentes.
Protegei os que viajam, a todos,
e a dirigir com prudência, e que
eu descubra vossa presença
na natureza, nas rodovias, nas ruas, nas criaturas,
e em tudo aquilo que me rodeia.
São Cristóvão, protegei-me
e ajudai-me nas minhas idas
e vindas a saber viver com
alegria, agora e sempre. Amém!

Crédito das Fotos: Arquivo (altar) e PostCard – Waldemir de Araújo Oliveira (fachada)

 

“Eu perdoo dom Washington Cruz”

DIÁRIO DA MANHÃ|RENATO DIAS

Punido pelo arcebispo dom Washington Cruz, padre César Garcia diz com exclusividade ao Diário da Manhã que, a cúpula da Igreja Católica, em Goiás, adotou uma postura homofóbica e contrária à orientação cristã e tolerante do papa Francisco.

– Lamento que, a minha intimidade com Jesus Cristo, com 30 anos de sacerdócio, receba um presente dessa natureza …

O sacerdote afirma que, apesar da dura punição, perdoa o superior hierárquico. “Não fiz nada do que Jesus Cristo não faria: fui ao encontro das pessoas e abençoei-as”, explica. Ele promete recorrer em Brasília e até ao Vaticano.

Uma injustiça sem precedentes, insiste ele. Uma punição ao próprio Deus, já que quem abençoa é ele, dispara. O padre é apenas o seu instrumento, explica. Trata-se de um tiro no pé daquele que maquinou contra a própria Igreja Católica, observa.

César Garcia frisa que não teve o direito ao contraditório, defende o fim do dogma do celibato, com a instituição do celibato opcional, sugere o estabelecimento do direito à ordenação de mulheres e quer a punição dos pedófilos.

– A Igreja Católica está sendo crucificada comigo em uma atitude homofóbica!

Leia a íntegra da entrevista:

Diário da Manhã – Como pode ser classificada a sua punição?

Padre César Garcia – Uma injustiça sem precedentes. Uma punição ao próprio Deus, já que quem abençoa é Ele. O padre é apenas o Seu instrumento. Trata-se de um tiro no pé daquele que maquinou contra a própria Igreja Católica. As leis da Igreja Católica não são para punir as pessoas, pois ela é mãe. No entanto, aquele que deveria interpretá-las com serenidade, utilizou-as para fazer a punição a mim. Uma punição antecipada, sem ouvir testemunhas, sem dar o direito ao contraditório. O Direito Canônico não pode ser interpretado dessa forma. Se fosse vivo à época da inquisição, seria preso e queimado. Infelizmente, no seio da Santa Igreja existem pessoas que interpretam o Direito Canônico ao pé da letra, de forma legalista e equivocada. 

DM – Qual a sua reação à decisão?

Padre César Garcia – Foi duro. Muito duro. Não estou padre. Eu sou padre. Lamento que, a minha intimidade com Jesus Cristo, com 30 anos de sacerdócio, receba um presente dessa natureza … Leio, hoje, Albert Camus, Bodas, que afirma que, ao abençoar, o padre apenas compreende o que se chama glória, o direito de amar sem medida. 

DM – Qual instância da Igreja Católica proferiu a decisão?

Padre César Garcia – O arcebispo dom Washington Cruz.

DM – À decisão cabe recurso?

Padre César Garcia – Posso recorrer, em Brasília, no Tribunal Eclesiástico, e na Sagrada Congregação Para o Clero, em Roma.

DM – O que o senhor fez?

Padre Cesar Garcia – Não fiz nada do que Jesus Cristo não faria. Fui ao encontro das pessoas e abençoei-as. 

DM – Qual o conteúdo

da punição?

Padre Cesar Garcia – A suspensão temporária até o julgamento. 

DM – O que poderá ocorrer, na pior das hipóteses?

Padre Cesar Garcia – A redução ao Estado laico. Eu voltar ao laicismo. Não poder mais exercer o sacerdócio. O que seria uma decisão arbitrária, pois a ordem sacra não pode ser retirada da pessoa.

DM – Por que o caso virou um escândalo?

Padre Cesar Garcia – Esse processo deveria correr em Segredo de Justiça. Mas o arcebispo – dom Washington Cruz – deu publicidade ao fato. Desde 20 de maio, quando dei a bênção…

DM – Qual o poder do arcebispo dom Washington Cruz?

Padre César Garcia – Os poderes que os bispos têm são poderes totais, da época do regime feudal: o bispo legisla, executa e julga. Não obstante, existem os tribunais eclesiásticos que são para dar respeitabilidade e exercer a democracia.

DM – O senhor acredita ter cometido uma heresia, pecado ou crime?

Padre César Garcia – Não. Não. Não. Graças a Deus, não! Apesar disso, ao punir o sacerdote do uso da ordem, todos os padres se sentem punidos. Já que a tristeza de um é a tristeza de todos… O clero todo é atingido. É que a graça de um padre é a graça de todos. A Igreja Católica está sendo crucificada comigo em uma atitude homofóbica. 

DM – O papa Francisco não sinalizou a abertura de diálogo com os homossexuais?

Padre César Garcia – Sim. A decisão, portanto, do arcebispo dom Washington Cruz, homofóbica, não é a decisão da Igreja Católica, já que o papa Francisco pensa diferente. Trata-se de uma atitude homofóbica. O assessor de comunicação de dom Washington Cruz disse que eu não deveria ter ido ao lugar do suposto desvio. Nem à época da Idade Média o inquisidor diria isso… Uma infâmia. Essa afirmação desqualifica o lugar e o direito de ir e vir. 

DM – Jesus Cristo agiria de que forma [em relação aos homossexuais]?

Padre César Garcia – Jesus Cristo os acolheria. Com amor. Mesmo porque homossexualidade não é crime. Existem padres que realizam atividades pastorais com homossexuais. Mais: grande parte da Igreja Católica é formada com homossexuais e eu sempre os tratei com respeito e carinho.

DM – É hora, como aponta o papa Francisco, de abrir o diálogo sobre o dogma do celibato?

Padre César Garcia – Ele sinalizou. Está na hora. Um assunto puxa outro. Eu sou favorável ao celibato opcional. Como era no começo da Igreja de Jesus Cristo. Já começando acolhendo os padres casados no retorno ao ministério.

DM – Uma Igreja Católica voltada para os pobres, como quer o papa Francisco, é o caminho para a instituição?

Padre César Garcia – Esse deve ser o caminho. Os pobres não são pobres porque assim nasceram , são pobres devido às injustiças e desigualdades econômicas e sociais a eles imputados. Uma igreja jamais pode esquecer de proclamar a Justiça e e denunciar os regimes totalitários e injustos, que massacram as liberdades individuais.

DM – A Igreja Católica deveria abrir as suas portas aos divorciados?

Padre César Garcia – Aos divorciados também.

DM – O senhor aprova as mudanças na Santa Sé e no Banco do Vaticano?

Padre César Garcia – O papa Francisco já destituiu Bertone e outros. Vejo com bons olhos as mudanças. Na verdade, as mudanças deveriam ter sido feitas à época de João Paulo II, tempos de Paul Marcinkus. Mas forças contrárias o impediram. Bento 16 não conseguiu… Já o papa Francisco veio como um enviado de Deus para colocar ordem na casa. Agora, denuncio: ele corre risco de morte por suas posturas ousadas!

DM – Qual a sua opinião sobre a ordenação de mulheres?

Padre César Garcia – As mulheres são os primeiras no conceito de amor de Jesus Cristo. Foram elas as primeiras a buscar a orientação do senhor ressuscitado. Madalena era apóstola de Jesus após a ressurreição. Ela enviou-a a uma missão especial.

DM – A Igreja Católica não deve enfrentar o passado de crimes de pedofilia?

Padre César Garcia – Os crimes de pedofilia devem ser passados a limpo e os envolvidos entregues à Justiça. 

DM – Como enfrentar os crimes cometidos pela instituição na Europa, sobretudo na Irlanda e Inglaterra?

Padre César Garcia – Todos os crimes que ocorreram no seio da Igreja Católica precisam ser investigados e punidos.

DM – Como o senhor se define?

Padre César Garcia – Sou um homem da Igreja Católica que respeita as normas da Igreja Católica. A decisão do arcebispo, embora ele tenha retirado, por sua autoridade, os meus poderes, jamais poderia retirar a minha liberdade de perdoar. Inclusive a ele próprio. Eu o perdoo!

Papa Bento XVI sabia de abusos sexuais na Igreja, diz bispo australiano

 

WikiCommons

Bill Morris disse que pediu para ficar no cargo para tratar situação, mas teve pedido rejeitado; saída dele causou controvérsia entre seguidores

Do OperaMundi

O papa Bento XVI teria sido pessoalmente advertido sobre um caso de abuso sexual de menores em uma escola católica de Toowoomba, no nordeste da Austrália, mas teria ignorado os pedidos do bispo da diocese, Bill Morris, para que australiano tivesse o mandato estendido a fim de lidar com a situação. A informação está no livro que Morris lança neste final de semana.

O bispo conta que escreveu a Bento XVI pedindo uma prorrogação de seu mandato para promover uma mediação em um caso de abuso sexual em uma das escolas locais, mas o Pontífice rejeitou o seu pedido.

“Não houve profundidade na compreensão dos efeitos devastadores que os abusos sexuais no clero havia sobre as famílias e a comunidade em toda a Austrália”, afirma Morris.

O australiano afirma que tentou explicar ao papa “como os abusos denigrem a psique de uma comunidade, com o efeito debilitante sobre alguns indivíduos ao ponto de não confiarem mais na Igreja e em seus ministros”, mas recebeu respostas negativas ao pleito. “Acrescentei que era importante para a Igreja se preocupar com as vítimas, tomar as medidas necessárias para protegê-las e se certificar de que elas foram bem cuidadas”, disse.

De acordo com ele, um cardeal do alto escalão respondeu que “nem todos os padres são assim” e que as vítimas “deveria seguir com suas vidas”.

A saída de Morris foi conturbada, já que ele foi retirado do cargo por ordem de Bento XVI. Houve protestos e reações entre os seguidores da Igreja após a retirada dele. De acordo com o jornal australiano Brisbane Times, o Vaticano se preocupava com as ideias postas em discussão pelo clérigo, como casamento de padres e sacerdotes mulheres.

Pressão internacional evita execução de sudanesa por ser católica

Meriam Yahia Ibrahim Ishag com o filho no colo, antes de ser presa por ter optado pela religião católica.

Meriam Yahia Ibrahim Ishag com o filho no colo, antes de ser presa por ter optado pela religião católica.

O caso da sudanesa de 27 anos, acusada de ter se convertido do islamismo à religião católica, provocou forte indignação internacional. A atrocidade tornou-se um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Ela deveria ser enforcada depois de levar 100 chicotadas, mas o governo do Sudão cedeu à pressão e anunciou neste sábado (31) a sua libertação nos próximos dias.

A interpretação sudanesa da Charia (ou lei islâmica), introduzida no país em 1983, estabelece que qualquer pessoa que nascer no Sudão é muçulmana e que uma muçulmana não pode se casar com um não-muçulmano; uma união do gênero é considerada um “adultério”. Este é o caso de Meriam Yahia Ibrahim Ishag, uma médica de 27 anos que se casou com um católico do Sudão do Sul e teve dois filhos: um menino de 20 meses e uma menina de quatro dias, que pariu na prisão.

A ONG Anistia Internacional esclareceu que Meriam foi criada pela mãe como cristã ortodoxa pois seu pai esteve ausente durante toda a sua infância. Uma explicação que não convenceu o Tribunal de Cartum, que condenou a mulher por violar a lei islâmica em vigor, que proíbe as conversões.

A acusada teve três dias para abdicar de sua religião, mas se recusou, preferindo a morte. Denunciada por um membro de sua própria família, ela foi presa em 7 de fevereiro passado com o filho, sem nenhum julgamento. A justiça estava aguardando que ela tivesse o segundo filho para executá-la.

Pressão internacional

O primeiro-ministro David Cameron foi um dos políticos ocidentais que mais fez pressão sobre o Sudão. Neste sábado (31), ele voltou a pedir clemência para a jovem, falando em “uma pena bárbara”. No dia 19 de maio passado, o governo britânico já havia convocado o encarregado de Relações Exteriores do Sudão em Londres para abordar a questão. Deu certo.

“A mulher será libertada nos próximos dias segundo os procedimentos legais decididos pelo poder judiciário e pelo ministério da Justiça”, declarou Abdallah Al-Azraq, membro do ministério sudanês. Ele não deu maiores explicações nem esclareceu se as acusações contra Meriam serão retiradas.

MIssas celebram Santo Antônio até o dia 13 de junho

De A Tribuna On-line

Com o tema Santo Antônio, mestre da vida, a comunidade católica celebra, até dia 13 de junho, sempre às 19 horas, a trezena ao santo na Igreja do Valongo, em Santos.
 
Considerado o intercessor para a realização de casamentos ou para se encontrar um (ou uma) pretendente, ele é um dos santos mais festejados no Brasil, como explica o Frei André Becker.
 
“A história que se conta é que uma noiva, na Itália, não tinha dotes e rogou ao santo para que conseguisse um, para casar. Como isso aconteceu, Santo Antônio ficou conhecido como o casamenteiro”.
 
Da ordem franciscana, Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua, como também é chamado, sempre trabalhou pelos pobres e é considerado padroeiro dos barqueiros, idosos, pescadores, pobres, oprimidos e das grávidas. “Ele levava como lema a paz e a fraternidade. Também dava atenção aos pobres”, explica frei Becker.
 
Por conta da popularidade, muitos fiéis seguem costumes para alcançar graças que vão desde a retirada do Menino Jesus, simbolicamente, dos braços do Santo, até virá-lo de cabeça para baixo enquanto o pedido não for realizado.
 
“Muita gente faz isso e a Igreja não condena nem incentiva. Mas, as pessoas não deixam de acreditar”, finaliza Frei Becker.

N/A

Devota do santo casamenteiro, Maria do Rocio participa da trezena
 
Programação
 
No Santuário do Valongo, ele é celebrado desde a fundação da Igreja, em 1640, por representantes da ordem franciscana. A Paróquia também realiza todas as noites quermesse com comidas e bebidas típicas, shows e brincadeiras.
 
No dia 13, data dedicada ao santo, haverá missas especiais às 7h, 8h, 10h, 12h, 14h e 16 horas. Às 18 horas, acontecerá a procissão seguida de missa campal.
 
Na Igreja do Embaré, também haverá trezena até 12 de junho. Na Paróquia, a celebração acontecerá também às 19 horas, com o encerramento no dia 13, por meio de missas e procissão. 
 
Milagre
 
Muito familiar a quem lhe é devoto, Santo Antônio realiza diversos milagres na vida dos fieis. Essa é a crença da ajudante de limpeza Maria do Rocio, 60 anos, que trabalha na Igreja do Valongo.
 
“Sou devota dele há 15 anos. Tive uma prima que estava com um coágulo na cabeça e, por eu ter pedido a ele, ela se curou. Por isso, acredito em Santo Antônio e participo das comemorações em alusão a ele”, explica Maria.
 

Paróquias têm programação especial para o Dia de São José

Paróquias têm programação especial para o Dia de São José

De A Tribuna On-line
N/A

Carteiras de trabalho poderão ser abençoadas

Igrejas da região têm programação especial para o Dia de São José Operário, considerado o padroeiro dos trabalhadores. A data é celebrada hoje.

Em Santos, a Paróquia São José Operário (Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 224, Macuco) realiza missa festiva ao santo, às 18h30.

“Vamos pedir a São José que interceda pelo trabalhador brasileiro para que ele tenha salários mais justos. O patrão precisa pagar um valor digno por cada serviço”, comenta o padre Adão Albino Caetano.

Durante a cerimônia, os trabalhadores terão carteiras de trabalho e objetos do ofício abençoados pelos sacerdotes.

Também haverá celebração na Paróquia São Benedito (Avenida Afonso Pena, 350, Macuco) de hoje a sábado, às 19 horas. No domingo, a missa ocorre às 9h30 e às 16 horas, esta última seguida de procissão e queima de fogos.

Todos os dias da festa terão quermesse com barracas de doces, salgados e bebidas.

Outros municípios

Em São Vicente, a data é comemorada hoje na Comunidade São José Operário (Rua Fernando Ferrari, 307, Jóquei Clube), às 18h30, com procissão e missa em louvor ao santo.

Na Paróquia Nossa Senhora das Graças (Praça Roberto Andraus, 11, Ocian, Praia Grande), a missa, seguida de procissão, ocorre às 19 horas.

Em Peruíbe, na Paróquia São José Operário (Rua Santa Lúcia Filippini, 82, Caraguava), a mesma programação começa às 16 horas.

Em São Paulo, na Paróquia  de São José Operário (Alameda Afonso Schmidt, 76, São Paulo – (11) 2950-8842), Santana, Zona Norte a programação começa às 8 horas.

Prêmio Pax Christi vai para os jesuítas da Síria

(ALC) – CIDADE DO VATICANO – O Serviço Jesuíta aos Refugiados da Síria (SJR Síria) receberá, no dia 8 de junho, na cidade de Sarajevo, o Prêmio Pax Christi Internacional 2014 em reconhecimento à sua dedicação em levar ajuda de emergência aos sírios desde o início da guerra civil, em 2011.

Mais de 300 mil pessoas em Damasco, capital da Síria, em Homs, Alepo e nas áreas costeiras do país recebem ajuda de emergência – apoio alimentar, kits de higiene, cuidados básicos de saúde básica, abrigo e gestão de renda habitacional – da organização dos jesuítas.

A SJR presta, ainda, apoio psicossocial e educação a 9,8 mil crianças e mulheres. A organização ajuda a sociedade civil a resistir à lógica da guerra e a sobreviver à violência que ameaça a destruição de comunidades. 

A guerra civil na Síria coloca em choque o exército do presidente Bashar al-Assad e forças rebeldes. Inspirado nos valores fundamentais de compaixão, justiça, solidariedade, dignidade e esperança, a SJR-Síria serve a grupos marginalizados, sejam eles cristãos ou muçulmanos.

Dos 22,4 milhões de sírios, quase a metade – 9,5 milhões de pessoas – abandonou casas, cultivos e cidades por causa da guerra, refugiando-se no Líbano, Turquia, Jordânia, Iraque e Egito. Só o Líbano, país de 4,4 milhões de habitantes, abriga mais de 1 milhão de sírios refugiados.

O prêmio foi introduzido em 1988 e é financiado pelo Fundo para a Paz Cardeal Bernardus Alfrink e homenageia pessoas e organizações que se destacam por ações na busca da paz, justiça e da não violência em diferentes partes do mundo.

Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

Relíquia de papa santo será apresentada na Igreja do Rosário

De A Tribuna On-line

N/A

Após a ocorrerá a canonização de João Paulo II e de João XXIII, no Vaticano, a relíquia do falecido papa polonês, já declarado santo, será apresentada aos fiéis em todas as missas na Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Pompeia. Às 17 horas haverá missa festiva na Capela João Paulo II (Rua Evaristo da Veiga, 177, Campo Grande) com a bênção solene da relíquia.

Dia de São Jorge é celebrado nesta quarta-feira. Confira as missas

A Tribuna|Nathália Alcântara

Imagem

Hoje é dia de não aceitar derrota, de ser destemido e manter o espírito batalhador. É com essa confiança que a candomblecista angolana Neide Erance, de 81 anos, vai comemorar o dia de São Jorge, o santo guerreiro e desbravador de caminhos mais popular do País.

Para os católicos, ele é protetor dos que acreditam no bem. Já para o Candomblé e a Umbanda, São Jorge é Ogum e protege os que pedem sua ajuda nas lutas ou ao buscar justiça.

Para Neide e outros tantos devotos, ele é um caminho forte para a fé. “Não importa a religião. Quem é devoto de Ogum sabe e sente que, sem ele, não somos nada”.

Sua história com São Jorge envolveu bastante sofrimento, mas sempre seguido de renascimento e superação.

“Lutei contra um câncer por mais de 30 anos e me apeguei muito a Ogum. Precisei retirar útero, ovário, trompas e colo do útero e, se estou aqui hoje, é por conta da minha ligação com ele”.
Há um ano e meio, pouco antes de fazer aniversário, outra má notícia. Desta vez, ela teria de remover um metro e meio de intestino. “Ogum me ajudou na recuperação. Hoje, danço capoeira e me considero inteirona”, diz Neide.

Comemorações

Por toda a sua representatividade é que hoje o dia será de homenagens a São Jorge na Igreja São Jorge Mártir, no Estuário, em Santos.

Para o padre Francisco Grego, esse momento é especial para os católicos. “Proteção, coragem e fortaleza são as características principais dele. É um santo muito forte, festejado desde o Século IV”.

A mesma paixão pelo santo guerreiro existe na Igreja Ortodoxa. Justamente por isso o padre Valério Lopes abre as portas da unidade para a visita durante o dia todo. “São Jorge é um só para todos, o protetor dos perseguidos”.

O santo também é associado ao orixá Ogum e é importantíssimo no Candomblé e na Umbanda.

“Ogum rege e protege os policiais. Trata-se de uma figura forte. E que celebramos com procissão e feijoada à noite”, diz o presidente da Federação Nacional da Religião Orixá (Fenorixá), Gladston Bispo.

Programação:

São Jorge Mártir

Hoje, às 10 e 15h: missa festiva em louvor ao santo.
Hoje, às 19h:missa solene e procissão.
End.: Praça Rubens Ferreira Martins, 41. Estuário, Santos. Tel.: 3236-3528.

Representação
Igrejas católica e ortodoxa

Nome: São Jorge
A quem ajuda: é a força de Deus na luta dos excluídos e marginalizados da sociedade.
Padroeiro:  da Inglaterra, da Catalunha, de Portugal, da Grécia e do time de futebol Corinthians.
Protetor: dos soldados, dos escoteiros, militares, ferramenteiros e ferroviários.

Candomblé e Umbanda
Nome: Ogum
Origem: Nigéria
Elemento: terra
Suporte: ferro
Domínio: caminhos e progresso
Cores: azul escuro e verde no Candomblé e vermelho na Umbanda
Saudação: Ogunhê
Oferendas: feijão preto, inhame e cerveja branca
Flor: cravo branco
Frutas: manga espada e goiaba
Pedras: topázio azul e lápis-lazúli
Números:  2, 7, 14 e 21
Dia da semana: terça-feira
Meses do ano: abril e junho
Lua: Nova
Folhas Mariwô: folha de palmeira; peregum: nativo; Odun-dun: folha da costa (saião)
Protetor: agricultores, soldados, artesãos, filhos e todas as pessoas que pedem a sua ajuda nas lutas, na justiça ou até mesmo por melhores condições de vida.
Rege: sobre as guerras, batalhas, dificuldades, demandas, disputas.

Oração
“Eu andarei vestido e armado, com as armas de São  Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem, nem pensamentos eles possam ter para me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se quebrem sem ao meu corpo amarrar. São Jorge, cavaleiro corajoso, intrépido e vencedor; abre os meus caminhos. Ajuda-me a conseguir um bom emprego; faça com que eu seja bem-quisto por todos: superiores, colegas e subordinados. Que a paz, o amor e a harmonia estejam sempre presentes no meu coração, no meu lar e no meu serviço; vela por mim e pelos meus, protegendo-nos sempre, abrindo e iluminando os nossos caminhos, ajudando-nos também a transmitir paz, amor e harmonia a todos que nos cercam. Amém”.
(Rezar 1 Pai Nosso, 1 Ave-Maria e 1 Glória ao Pai)
Corrente pela paz e prosperidade todo 3º domingo do mês.

Na Baixada Santista, espetáculos relembram as últimas horas de Jesus Cristo

De A Tribuna On-line

N/A

Espetáculo tem exibição gratuita nas cidades da região

A encenação Paixão de Cristo será exibida nesta sexta-feira em cinco cidades da Baixada Santista. Em Cubatão, a edição deste ano apresentará os últimos instantes da vida de Jesus Cristo sob óticas do evangelho do apóstolo João.

A apresentação será às 20 horas, no Parque do Trabalhador de Cubatão (Rua Salgado Filho, 249). Entre as estrelas convidadas, João Vitti (rede Record), que interpretará Pôncio Pilatos, e a cantora gospel Carolina Dantas.

Em Mongaguá, a tradicional encenação acontece às 15 horas, no espaço ao lado da Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida, em frente à Avenida Dudu Samba (Centro). Em Peruíbe, o ato começa às 17 horas, na Paróquia São João Batista (à Praça Monsenhor Lino dos Passos, Centro).

Já em São Vicente, os espetáculos serão realizados hoje e domingo, a partir das 19 horas, ao lado da Paróquia Beato José de Anchieta, no Humaitá. Este ano, foi instituído um ingresso simbólico, que deve ser trocado por um quilo de alimento não perecível. Arquibancadas montadas pela Prefeitura vão garantir a acomodação para duas mil pessoas por noite.

A maior encenação a céu aberto de Praia Grande será hoje e amanhã, a partir das 21 horas, na Praça Ceferino Gonzalez Vegas, no Guilhermina. O evento é gratuito e são esperadas cerca de 7 mil pessoas.  

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio