Arquivo da tag: COPA DO BRASIl

Tricolor larga na frente, mas acaba eliminado

O Tricolor até largou na frente, mas acabou eliminado da Copa do Brasil de 2014. Na noite desta quarta-feira (13), no Morumbi, o São Paulo foi derrotado pelo Bragantino por 3 a 1 e, assim, se despediu do torneio. Na ida, em Ribeirão Preto, a equipe são-paulina havia vencido por 2 a 1, mas não foi suficiente para garantir a sua permanência na competição nacional.

Os gols da partida foram marcados por Paulo Miranda, que abriu o placar para o Tricolor, e Cesinha, Gustavo Carbonieri e Guilherme Mattis, que decretaram o triunfo dos visitantes. Com o revés, o clube seguirá agora na disputa da Copa Sul-Americana deste ano.

Poupando alguns titulares, além de uma série de desfalques, o técnico Muricy Ramalho escalou o time com Rogério Ceni; Luis Ricardo, Paulo Miranda, Edson Silva e Alvaro Pereira; Souza, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Ademilson, Alexandre Pato e Osvaldo.

Com a bola rolando, o jogo começou bastante disputado. O Bragantino ficava mais tempo com a bola no ataque, mas aos poucos foi perdendo terreno e viu o Tricolor dominar as ações da partida. Dessa forma, as redes logo balançaram na fria capital paulista. Aos 7 minutos, após cobrança de escanteio, Paulo Miranda subiu mais alto que o goleiro Renan e tirou o zero do placar.

Com a vantagem no marcador, os anfitriões começaram a tocar a bola com mais tranquilidade e conseguia envolver o adversário. No entanto, atrás do empate, os visitantes se lançaram ao campo de ataque e conseguiram bater Rogério. Aos 23, Cesinha bateu de primeira e igualou o confronto: 1 a 1. Depois de sofrer o gol, o São Paulo não conseguia mais trocar passes e chegar com perigo e, dessa forma, sofreu pressão do Bragantino até o intervalo.

Na volta para a segunda etapa, tentando retomar o controle do embate e dar mais marcação ao meio de campo, Muricy promoveu a entrada de Denilson no lugar de Maicon. Porém, diante de um rival mais ofensivo, o São Paulo não encontrava espaços para contra-atacar.

Ademilson, aos 9, até assustou a equipe de Bragança em chute cruzado, mas os visitantes seguiam rondando a área são-paulina. E de tanto insistir, o clube do interior conquistou a virada. Gustavo Carbonieri, após cobrança de escanteio anotou o terceiro gol do duelo: 2 a 1.

E se o cenário não era favorável, o panorama da partida ficou ainda mais complicado para o Tricolor aos 30 minutos. Guilherme Mattis aproveitou bate e rebate para balançar as redes e ampliar a vantagem no Morumbi: 3 a 1, que se manteve até o apito final e garantiu a vaga aos visitantes.

Nigéria e Bósnia fazem duelo decisivo

Com um ponto, os nigerianos sonham com a segunda vaga do grupo, mas terão de superar a técnica e a velocidade da seleção da Bósnia

Diário de Cuiabá|Jonas Jozino

O torcedor que for a Arena Pantanal hoje, às 18h para ver Nigéria e Bósnia terá um bom atrativo: as duas equipes brigam pela segunda fase do grupo F, que tem a Argentina como líder e grande favorita a terminar na primeira colocação e que enfrenta o Irã, às 12 horas. A Nigéria vem de um empate sem gols com o fraco Irã e precisa mostrar serviço. Já a Bósnia fez um jogo difícil diante da Argentina onde perdeu por 2 a 1 nos minutos finais. A partida se não promete tecnicamente, promete pela necessidade de vitória para os dois times. 

Os dois primeiros jogos na Arena Pantanal apresentaram momentos bem diferentes. No primeiro, o Chile, uma das sensações desta Copa atropelou a Austrália por 3 a 1 e levou para as arquibancadas o brilho vermelho da camisa dos torcedores chilenos. A segunda partida não contou com este mesmo fascínio. Rússia e Coréia do Sul fizeram um jogo morno, onde o destaque acabou sendo o goleiro russo que tomou até aqui o maior frango da Copa. Para hoje a situação é bem diferente. Haverá, pelo menos correia, busca ao gol. 

Tanto Nigéria quanto Bósnia chegaram a Cuiabá no feriado de quinta-feira. Estão se ambientando ao clima cuiabano, que aliás, por estar ameno, vai favorecer as duas seleções. Ontem elas estiveram na Arena Pantanal para o tradicional treino de reconhecimento do gramado, as entrevistas coletivas e a expectativa do jogo. 

O técnico nigeriano Stephen Keshi está muito confiante para o jogo. Tanto que afirma categoricamente que vai vencer os europeus. “Sim, estamos confiantes. Eu sei o que eu conversei com meus jogadores e sei que vamos sair vencedores. A Bósnia é um adversário difícil, tem um ataque bom, mas eu tenho certeza de que vamos fazer um bom jogo e vencer”, disse o treinador das Super Águias.Caso os nigerianos saiam vencedores do confronto com os bósnios e não aconteça uma zebra no duelo entre Argentina e Irã, a Nigéria será vice-líder do Grupo F, com quatro pontos e, de quebra, eliminará a Bósnia da competição. 

Se os nigerianos falam em vitória a qualquer custo, otécnico da Bósnia, Safet Susic, afirmou que não vê um empate com a Nigéria como um resultado ruim. O treinador lembrou que não pode ir desesperadamente para o ataque contra a seleção africana. 

“A verdade é que se empatamos com a Nigéria não seria ruim, eu ficaria feliz. Não somos um time que joga para empatar sem gols, porém não podemos sair com tudo contra os nigerianos, que possuem uma defesa sólida e são perigosos no contra-ataque”, disse Susic, em sua coletiva de imprensa. 

Na análise do técnico bósnio, um empate levaria a decisão da vaga para a última partida, contra o Irã. 

“A derrota significa uma eliminação prematura, enquanto que um empate nos deixaria com uma boa chance de classificação”, afirmou Susic. 

Durante o treino de quinta-feira, o técnico Safef Susic testou uma formação mais ofensiva. Ele colocou Visca para fazer dupla de ataque com Dzeko, que ficou isolado no primeiro jogo. Lesionados, o capitão Spahic, e o meia Salihovic não treinaram e são dúvidas. No lugar, devem entrar Sunjic e Medunjanin. 

Do lado da Nigéria, o 0 a 0 com a frágil seleção do Irã colocou os africanos em situação delicada, pois agora enfrentarão rivais mais difíceis. “Nós não jogamos como esperávamos, mas temos que seguir em frente. Queria uma vitória, mas veio um empate. Nós temos que fazer melhor para conseguir uma vitória contra a Bósnia”, afirmou o técnico Stephan Keshi. O comandante da equipe africana deve entrar com o time completo para a partida. 

NIGÉRIA 

Enyeama; Ambrose, Omeruo, Oshaniwa e Yobo; Mikel, Onazi, Musa e Moses; Odemwingie e Emenike. Técnico: Stephen Keshi 

BÓSNIA-HERZEGÓVINA 

Begovic; Mujdza, Spahic, Bicakcic e Kolasinac; Besic, Pjanic, Lulic e Misimovic; Ibisevic e Dzeko. Técnico: Safet Susic 

Estádio: Arena Pantanal, em Cuiabá 

Horário: 18h 

Árbitro: Peter O’Leary (Nova Zelândia) 

Pelo Chile, atriz pornô ataca de novo e promete aumentar maratona de sexo

Em caso de vitória sobre a Espanha, Marlen Doll irá fazer 16 horas de sexo com seus seguidores do Twitter

O DIA

Rio – Marlen Doll cumpriu a promessa e fez 12 horas de sexo após o Chile vencer a Austrália por 3 a 1. Agora, a atriz pornô promete aumentar a maratona: serão 16 horas de relações sexuais com seus seguidores do Twitter caso a seleção chilena consiga vencer a Espanha, na quarta-feira, no Maracanã, às 16h.

 

Atriz pornô irá fazer nova maratona de sexo se Chile vencer a Espanha

Foto:  Reprodução Twitter

“Se ganharmos Chile x Espanha, farei maratona de sexo com 16 horas de prazer”, postou na rede social.

Da última vez, para provar que era uma mulher de palavra, a atriz pornô divulgou diversas fotos e vídeos praticando sexo com seus seguidores.

Contra o Bahia, Corinthians decide vaga na Copa do Brasil fora de casa

Lancepress

O Corinthians terá de decidir seu futuro na Copa do Brasil longe de casa. Após sorteio realizado e divulgado pela CBF nesta quinta-feira, ficou definido a ordem dos mandos de campo dos jogos da terceira fase do torneio de mata-mata. O Timão recebe o Bahia em São Paulo na partida de ida e, na volta, vai a Salvador lutar pela vaga nas oitavas de final.

Duelos de ida e volta pela terceira fase do torneio somente acontecerão após a Copa

Duelos de ida e volta pela terceira fase do torneio somente acontecerão após a Copa

As datas, assim como os locais, ainda estão indefinidos. A CBF informou apenas que os confrontos de ida acontecerão entre os dias 23 e 30 de julho e os de volta entre 6 e 13 de agosto. Portanto, é possível que Corinthians e Bahia mandem seus jogos, respectivamente, na Arena Corinthians e na Fonte Nova, já que os estádios não estarão mais sob cuidados da Fifa graças ao término da Copa do Mundo.

Não será a primeira vez que o Corinthians viajará para a Bahia nesta temporada. Pela primeira fase da Copa do Brasil, no dia 19 de março, o Timão visitou e eliminou o Bahia de Feira.

Contra o Bahia, será a primeira vez que o Corinthians fará uma partida de volta na atual edição da Copa do Brasil. O Timão conseguiu eliminar tais jogos ao vencer Bahia de Feira e Nacional-AM por dois ou mais gols de diferença (2 a 0 e 3 a 0, respectivamente). Da terceira fase em diante, o regulamento da Copa do Brasil não possibilita classificação no duelo de ida.
O Bahia, por sua vez, precisou dos jogos de volta tanto na primeira quanto na segunda fase da competição, diante de Villa Nova-MG e América-MG, respectivamente.

Copa do Brasil: Palmeiras bate S. Corrêa no sufoco e avança

O Palmeiras não teve vida fácil nesta quarta-feira. Após um primeiro tempor nervoso, a equipe melhorou na segunda etapa, fez 3 a 0, sendo dois nos acréscimos, e eliminou o Sampaio Corrêa da Copa do Brasil. Os gols que decretaram a classificação palmeirense saíram dos pés de Mendieta, Henrique e Felipe Menezes.

Como o Sampaio Corrêa venceu o primeiro jogo por 2 a 1, no Maranhão, o time atuava nesta noite com a vantagem do empate. Ao Palmeiras, restava vencer por um placar simples para evitar a zebra e avançar na competição.

Com três atacantes, o técnico interino Alberto Valentim repetiu a escalação que venceu o Goiás no último sábado, pelo Campeonato Brasileiro. A única mudança foi Mendieta no lugar de Valdivia, que já está com a seleção chilena para a disputa da Copa do Mundo.

O Palmeiras conseguiu manter a posse de bola no primeiro tempo, criou boas jogadas pelos lados do campo, mas os laterais falhavam no passe final e o lance acabava não evoluindo. Apesar do domínio da partida, foi o Sampaio Corrêa quem teve a primeira oportunidade de gol. Aos 11min, Jonas avançou pelo meio, passou por Marcelo Oliveira e bateu forte, obrigando Fábio a fazer uma grande defesa.

O Palmeiras teve três boas oportunidades, mas em duas, Diogo e Mendieta preferiram cavar, sem sucesso, uma penalidade máxima. O lance mais perigoso veio do atacante Henrique, aos 42min. O atacante arriscou de fora da área e a bola explodiu na trave do Sampaio Corrêa. Antes do intervalo, Leandro por pouco não foi expulso, deixando a situação do Palmeiras ainda mais complicada. O jogador foi flagrado dando uma cotovelada em Uillian e recebeu apenas o cartão amarelo.

O nervosismo palmeirense já era notado antes mesmo do apito que daria início a etapa final. Quando voltaram do intervalo, alguns jogadores cercaram o trio de arbitragem para reclamar de eventuais erros da primeira etapa. 

Os maranheses começaram melhor o segundo tempo e esboçaram uma pressão nos minutos iniciais. Com o Palmeiras apagado, Alberto Valentim fez a primeira alteração logo aos 15min. Leandro deu lugar ao meia-atacante Marquinhos Gabriel. E o time melhorou. Aos 16min, Mendieta arriscou de fora da área e a bola raspou no travessão. Três minutos depois, Diogo obrigou o Rodrigo Ramos a fazer ótima defesa. Aos 20min, Mendieta cabeceou na trave. O gol da equipe alviverde estava amurecendo e não demourou a sair. No jogada seguinte, Wendel alçou bola da direita, Arlindo Maracanã não afastou e a bola sobrou para Mendieta. O paraguaio, sozinho, tocou na saída do goleiro e abriu o placar.

Após o gol, o Palmeiras bombardeou o gol do Sampaio Corrêa. Foram mais três oportunidades claras de gol, com William Matheus, Marquinhos Gabriel e Henrique. Rodrigo Ramos foi bem, salvou duas, e a terceira passou ao lado da trave direita do goleiro. Aos 42min, Wesley ainda teve a chance de matar o jogo, mas, cara a cara com o goleiro, bateu para fora. Com cinco minutos de acréscimo, o Palmeiras ainda conseguiu encaixar dois contra-ataques e decretar a classificação. Aos 46min, Henrique marcou seu quarto gol em quatro jogos com a camisa do Palmeiras, e aos 47min, Felipe Menezes, que acabara de entrar, fechou a conta no Pacaembu.

Com o resultado, o Palmeiras encara agora o Avaí, pela terceira fase da Copa do Brasil. A equipe catarinense se classificou nesta terça-feira ao bater o ASA-AL por 2 a 1, de virada, na Ressacada.

Fonte: Terra

Palmeiras joga o futuro diante do Sampaio Corrêa

Estadão Conteúdo

Clima foi de confiança no último treino do time

Clima foi de confiança no último treino do time

O Palmeiras entra em campo nesta quarta-feira, a partir das 22 horas, atrás de algo muito maior do que apenas mais uma vitória e uma classificação para a próxima fase da Copa do Brasil. Uma eliminação diante do Sampaio Corrêa, no Pacaembu, será encarada como uma catástrofe que irá atrapalhar os planos palmeirenses e causar mais uma enorme frustração na torcida.

No primeiro jogo, disputado na semana passada, o Sampaio Corrêa ganhou de virada por 2 a 1, em São Luís, no Maranhão. Assim, precisa de um empate no Pacaembu para avançar. Vitória por 1 a 0 ou por dois gols de diferença classifica o Palmeiras. Se o placar for repetido, agora com 2 a 1 para os palmeirenses, a decisão da vaga vai para os pênaltis.

Os atletas do Palmeiras sabem da importância da classificação para afastar ainda mais o clima de desconfiança que tomou conta do grupo após a sequência de derrotas no Brasileirão. A vitória sobre o Goiás, no sábado passado, já deu um alívio, mas a crise tende a ficar insuportável se o time for eliminado nesta quarta-feira. Em caso de fracasso, a torcida, principalmente organizada, promete protestar contra a diretoria e alguns jogadores.

Treinador

O presidente do clube, Paulo Nobre, não parece dar bola para isso, sem pressa para acertar com um novo treinador. No Palmeiras, inclusive, há quem acredite que o interino Alberto Valentim possa ficar até a Copa. O fato é que uma eliminação nesta quarta-feira aumentará ainda mais a cobrança no dirigente e praticamente o obriga a decidir logo quem vai substituir o demitido Gilson Kleina.

Vanderlei Luxemburgo continua sendo o favorito ao posto, mas a diretoria conversou com Dorival Júnior e vai ouvir mais treinadores. Após essas “entrevistas de emprego”, decidirá o que é melhor para o clube, olhando principalmente para a questão financeira. “Isso pode ser definido até o fim da semana ou levar semanas para acontecer”, garante uma pessoa próxima a Paulo Nobre.

Em relação ao time, Alberto Valentim não vai mexer no que deu certo contra o Goiás. A formação será praticamente a mesma, tendo como única alteração a entrada do meia paraguaio Mendieta no lugar de Valdivia, que já está com a seleção chilena para a disputa do Mundial.

Desequilíbrio de forças marca partida do Santos no Amazonas

Estadão Conteúdo

O Santos quer aproveitar o desequilíbrio de forças do jogo contra o Princesa do Solimões, nesta quinta-feira, às 21h50 (de Brasília), na Arena Amazônia, em Manaus, pela rodada de ida da segunda fase da Copa do Brasil, para fazer testes, principalmente com Lucas Lima na armação, e para acabar com a apatia que tomou conta de seus atacantes depois da vitória por 3 a 2 diante do Penapolense, em 30 de março, na semifinal do Campeonato Paulista.

A folha de pagamento do clube amazonense é de R$ 140 mil por mês pouco mais de um terço do salário de Leandro Damião. Se derrotar o Princesa do Solimões com dois ou mais gols de diferença, os santistas eliminam o jogo de volta, marcado para a próxima quinta, na Vila Belmiro, e avançam à terceira fase.

Ao tomar conhecimento do nível de desgaste de alguns titulares no jogo contra o Grêmio, o técnico Oswaldo de Oliveira decidiu tirar Cicinho, David Braz, Arouca, Cícero e Thiago Ribeiro do confronto de Manaus. Outro que fica fora é o lateral-esquerdo chileno Mena, que se recupera de inflamação no tendão de Aquiles direito e não joga mais antes da Copa do Mundo.

Bruno Uvini, contratado por empréstimo do Napoli até o fim do ano, vai estrear e se tiver boa atuação poderá fazer com que a direção desista da contratação de mais um zagueiro, para compensar as perdas dos titulares Edu Dracena e Gustavo Henrique que se recuperam de cirurgias e só devem voltar em agosto.

As condições do jogo desta quinta são favoráveis para que Leandro Damião interrompa o jejum de gols que já dura mais de um mês (o último que ele marcou foi em 30 de março). O gramado da Arena Amazônia tem padrão Fifa, a marcação da defesa da equipe amazonense é muito inferior às dos times do Campeonato Brasileiro e, com Lucas Lima na armação, Geuvânio pela direita e Gabriel na esquerda, o volume ofensivo deve voltar ao nível da fase de classificação do Paulistão.

“A progressão de Damião está ligada ao que acontece em volta dele”, disse Oswaldo de Oliveira. Para o treinador, a preocupação em preservar os jogadores mais desgastados é igual à que ele tem com os titulares que estão sendo mantidos para se recuperar. “Eles podem reverter um quadro negativo em menos tempo”.

O Princesa do Solimões terá duas mudanças em relação ao time que perdeu por 2 a 1 do Nacional na final do returno do Campeonato Amazonense: as voltas do zagueiro Déurick e do meia Michel. Nesta quarta, já estava quase esgotada a carga de 20 mil ingressos colocada à venda na última terça. É possível que nesta quinta sejam disponibilizados mais 10 mil entradas.

São Paulo flerta com maior vexame e joga sob pressão

Mais do que continuar vivo na busca por um título que nunca conquistou, o São Paulo entra em campo na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, pressionado para evitar o meior vexame de sua história na Copa do Brasil. Contra o CRB, o time comandado por Muricy Ramalho precisa vencer por 1 a 0 ou por dois gols de diferença para avançar à terceira fase – se fizer 2 a 1, resultado pelo qual foi derrotado no jogo de ida, leva a decisão para as penalidades. Em caso de revés, será a primeira vez que o clube cairá diante de um clube que disputa a Série C e antes das oitavas de final.

“O CRB quer fazer história e eliminar o São Paulo, mas a gente tem que se impor”, afirmou o atacante Ademilson. “Tem que ser uma noite em que dê tudo certo: um passe, um lançamento, um chute. Tudo tem que dar certo. Temos que passar com vitória. Temos. Vai ser um jogo muito difícil”, afirmou Alexandre Pato, igualmente preocupado com o confronto, marcado para as 22h (de Brasília). O time não joga no Morumbi porque o local será usado para show da banda One Direction.

Se seguir as indicações desses dois jogadores, o São Paulo evitará seu maior vexame em 24 anos de Copa do Brasil. Por disputar competições como Copa Libertadores e Copa Sul-Americana, o clube participou de apenas 13 edições, mas nunca se sagrou campeão – em 2000, foi vice-campeão, derrotado pelo Cruzeiro na final. E também nunca caiu para clubes afastados das duas primeiras divisões.

A queda são-paulina que mais se assemelha a vexame ocorreu em 1990, quando foi eliminado pelo Criciúma nas quartas de final. O time catarinense, no entanto, era uma espécie de sensação: foi bicampeão estadual naquele ano e, na temporada seguinte, se sagrou campeão da Copa do Brasil. Foi a única vez em que o time caiu para um adversário que não estava na Série A do Campeonato Brasileiro – o Criciúma disputava a segunda divisão.

Nas outras edições, o São Paulo foi eliminado por clubes como Cruzeiro, Grêmio, Internacional, Vitória, Vasco, Botafogo, Corinthians, Goiás, Avaí e Coritiba, todos na Série A nos respectivos anos.

O Sâo Paulo enfrentou em anos anteriores situações parecidas. Em 1993, perdeu para o Rio Branco por 1 a 0 no Acre, mas venceu por 3 a 1 na volta pelas oitavas. Em 2000, o Comercial-MS fez 2 a 1 na ida, mas levou o troco no Morumbi: 3 a 0. Em 2002 foi a vez do Treze pressionar o São Paulo com 1 a 0 na Paraíba. Na volta, 4 a 1 para o time tricolor. No ano seguinte, a situação mais dramática: o São-Raimundo-AM 2 x 0 São Paulo provocou ebulição, mas o 6 a 0 na volta recolocou o clube tricolor no eixo. 

Time com maior tradição na divisão principal, o Santa Cruz também fez os são-paulinos sofrerem em 2011, mesmo afastado das divisões principais. O São Paulo fez 2 a 0 com dificuldades no Morumbi depois de 1 a 0 para os pernambucanos no Recife.

Mesmo fora do Morumbi, sobra confiança pela reação. “O campo do Pacaembu ajuda bastante, torcida fica mais perto da gente ali. Torcida pertinho da gente, apoiando, vai ajudar a passar para próxima tarde”, disse Alexandre Pato.

Para a partida, Muricy Ramalho carregou duas dúvidas. A primeira delas é o substituto de Rodrigo Caio, expulso na partida de ida – Edson Silva é o favorito. A outra é sobre se vai colocar Ganso como meia armador atrás de um trio de atacantes ou vai repetir a formação que começou o jogo no empate por 2 a 2 com o Coritiba, no último final de semana, com quatro atacantes.

Fonte: Terra

Cuiabá e Internacional ficam no empate na Arena Pantanal

Apesar da superioridade do Cuiabá, placar terminou em 1×1; jogo de volta no Beira-Rio será no dia 15 de maio

O técnico do Cuiabá, Luciano Dias, avaliou que a equipe fez o seu máximo em campo - um reflexo do comprometimento do elenco.  Foto: Chico Valdiner/Secom-MT

CUIABÁ –  O jogo entre Cuiabá e Internacional terminou em 1×1 na noite desta quinta-feira (01.05), pela segunda fase da Copa do Brasil. O adversário gaúcho jogou abaixo do esperado e reconheceu a superioridade do time mato-grossense, principalmente no primeiro tempo, em que o placar foi favorável para o time local, que deixou o colorado sem espaço para jogar.

Para técnico do Internacional, Abel Braga, o resultado foi melhor que a atuação do colorado. “Conseguimos empatar, pois fomos determinados, somos impacientes e buscamos sempre um resultado melhor. No segundo tempo o resultado foi justo, mas no primeiro tempo estivemos abaixo do nosso desempenho normal”, explicou.

Abel reconheceu que a estratégia de marcação do Cuiabá deu certo, por isso o Internacional ficou sem espaço para criar jogadas de ataque. “Sabíamos que enfrentaríamos uma boa equipe. Assistimos três jogos e vimos que o Cuiabá joga muito bem no contra-ataque. O dia não estava bom para a nossa equipe. A marcação deles foi muito boa e após o gol eles tiveram uma força mental para continuar. Isso é Copa do Brasil e como foi difícil hoje será também no Beira-Rio”.

O zagueiro Paulão, do colorado, ressaltou que em momento algum o time subestimou o adversário, que tem bons jogadores, com experiência em times renomados. Ele considerou o empate importante para a equipe. “O Cuiabá tem jogadores de qualidade e o Inter não soube usar o primeiro tempo como o segundo. Não soubemos atacar e o Cuiabá soube usar o nosso espaço. No segundo tempo tivemos a posse de bola e o empate veio, o que para nós foi importante. No segundo tempo entregamos tudo e nesta partida ficou o aprendizado para os próximos jogos agirmos de forma diferente”.

Autor do primeiro gol da noite, Washington se emocionou na comemoração por lembrar a lesão que o deixou fora dos gramados, da Série A do Campeonato Brasileiro, e sem marcar gols por um ano. “Após ter rompido o músculo da perna duas vezes, fiquei fora do brasileiro e sai da Portuguesa sem ter atuado. No começo deste ano conversei com o Luciano e a comissão fez um trabalho diferenciado e de fortalecimento comigo. Agradeço muito ao time por ter me ajudado. Foi emocionante fazer este gol, pois fazia um ano que não marcava. Foi uma alegria fazer um gol tão importante para o Cuiabá, em um estádio da Copa do Mundo. Estou feliz pela partida e pelo trabalho que a equipe fez”.

O técnico do Cuiabá, Luciano Dias, avaliou que a equipe fez o seu máximo em campo – um reflexo do comprometimento do elenco. “A conversa depois do último jogo foi no sentido de passar para a equipe que, para almejar um resultado positivo, teríamos que ter um comportamento bom. Tenho 30 jogadores no elenco com a mesma importância e, a partir do momento que temos este ambiente comprometido, as chances de sucessos são muitas. Acreditando na estratégia do jogo fizemos uma grande partida contra o Inter”.

O jogo de volta no Beira-Rio está marcado para o dia 15 deste mês.

 

Vídeo: Guerrero quebra jejum, Corinthians vence o Nacional e se classifica

Lance – 01.05.14

O jogo não era no Pacaembu, nem na Arena Corinthians, muito menos em São Paulo, mas 95% dos torcedores presentes da Arena Amazonia, em Manaus, eram Corintianos e viram a equipe derrotar o Nacional (AM), por 3 a 0, nesta quarta-feira, no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil. Com um gol de Cleber, de falta, com a quebra de jejum do peruano Guerrero, e a estrela de Romarinho, o Timão conseguiu eliminar o jogo de volta e está classificado para próxima fase da competição. Este é o sexto jogo consecutivo que o time paulista não sofre gols.

Apesar da ausência de Fábio Santos, Guilherme, poupados pelo técnico Mano Menezes, o Corinthians conseguiu se organizar bem em campo. O primeiro gol saiu logo aos seis minutos da primeira etapa. Uma das maiores apostas do Corinthians para esta temporda, Jadson cobrou falta na área. Cleber cabeceou e não deu chances de defesa para Jairo.

Corinthians 3 x 0 Nacional

Petros e Bruno Henrique aproveitavam a falta de atenção do Nacional no meio campo para criarem jogadas. O segundo tento do Timão saiu de uma delas. Aos 21 minutos, Bruno Henrique desarmou Chapinha no meio campo e deu passe para Guerrero. O peruano, que não marcava desde a segunda rodada do Campeonato Paulista, no dia 27 de janeiro, desencantou e fez seu segundo gol no ano.

No segundo tempo, o Nacional viu a necessidade de sair para o jogo, e o Corinthians, por sua vez, viu que precisava ficar na defensiva para garantir o resultado. Porém, nem a entrada de Carlinhos Bala na equipe mandante no intervalo conseguiu mudar o placar. O atacante jogava no Sport Recife em 2008 e fez um dos gols no jogo de volta da Copa do Brasil daquele ano que garantiu o título do time pernambucano em cima do Timão, mas não conseguiu repetir o feito na Arena Amazonia.

Para melhorar a situação do Timão, Mano Menezes resolveu apostar na entrada de Romarinho, que mais uma vez mostrou que tem estrela. O atacante cravou a vitória do Corinthians aos 17 minutos, três após ter substituído Luciano.

Aos 27 minutos, Fabiano chegou a dar esperança ao Nacional ao balançar as redes, mas foi injustiçado pela arbitragem que marcou impedimento erroneamente.

Dos times paulistas, apenas o São Paulo já jogou a segunda fase da Copa do Brasil e não conseguiu eliminar o jogo de volta. Palmeiras e Santos entrarão em campo na próxima semana.

Apesar de conseguir respirar nesta competição, o Corinthians terá uma semana corrida. Neste sábado o elenco já viaja para Chapecó, onde no domingo enfrenta a Chapecoense, pela terceira rodada do Brasileirão.

Veja os melhores momentos:

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio