Arquivo da tag: CUIABÁ

Guaraná do Amazonas abastece Mato Grosso há quatro décadas

Portal Amazônia
Há mais de 40 anos a família Thompson comercializa produtos à base do fruto. Foto: Reprodução/Guaraná Tibiriçá

Há mais de 40 anos a família Thompson comercializa produtos à base do fruto. Foto: Reprodução/Guaraná Tibiriçá

CUIABÁ – Há 43 anos não falta mais guaraná no Mato Grosso. Isto porque Jorge Thompson e uma estranha logística determinam o abastecimento do produto no Estado. Quando trocou Manaus por Cuiabá, aos 21 anos de idade, Thompson foi para consolidar um negócio de seu pai, Tibiriça Thompson, que há sete anos trazia regularmente toneladas de bastões de guaraná de Maués, do interior do Amazonas, para a capital mato-grossense. “Ele ia de avião de Manaus para São Paulo e de lá era enviado para Corumbá, de barco. Ali um comerciante, João Dolatoni, fazia a distribuição para todo o Mato Grosso, também pelos rios”, explicou Thompson.

A partir de uma pequena loja, exclusiva para a venda de guaraná em bastão na rua Thogo da Silva Pereira, em Cuiabá, nas proximidades do Hospital Geral, Jorge Thompson Paes Bernardes, em 1971, atendia no balcão a partir das seis horas da manhã o cidadão comum e personalidades. “Rubens de Mendonça (historiador), José Vilanova Torres (ex-prefeito), José Fragelli (ex-governador) formavam a clientela habitual. Quando apareciam por aqui artistas para shows e queriam conhecer melhor Cuiabá, eram levados para comprar guaraná”, relatou.

Ele se lembra de Rosa Maria Murtinho e Mauro Mendonça, Pepeu Gomes e Baby Consuelo, dentre outros, que consumiam o Guaraná Tibiriçá. “Mauro Mendonça depois que conheceu a loja tornou-se freguês assíduo. Pedia para mandar pelo correio para o Rio de Janeiro”, disse.

A lista de remessa do Guaraná Tibiriçá é enorme. Os produtos são enviados para consumidores de todo o país, principalmente para o interior de São Paulo. “Apesar das vendas no atacado serem feitas em todo o Brasil, têm compradores que preferem pagar as despesas de correio para comprar diretamente daqui”, explicou. 

Foto: Divulgação/Embrapa

O início

O guaraná, introduzido em Mato Grosso provavelmente por Marechal Rondon, há muito já havia se incorporado à identidade do cuiabano. Rondon, citado em uma reportagem por Aecim Tocantins, dizia que “o som de grosar [esfregar com a grosa, ferramenta para trabalho com madeiras] do guaraná era o amanhecer do cuiabano”. Este amanhecer ocorria em todo o Pantanal e em cidades tradicionais de Mato Grosso, como Acorizal, Rosário Oeste, Nobres e Jangada que ampliavam a geografia do fornecimento dos bastões.

O negócio de Tibiriça começou em 1964, por acaso, e firmou-se pelo hábito do cuiabano, que nem sempre tinha o guaraná à disposição. “Quando faltava, as pessoas pegavam o restinho do bastão com um alicate para passar na grosa”, lembrou Thompson.

Foi uma pane num DC-3 da empresa Cruzeiro do Sul que obrigou o voo de Manaus a São Paulo a fazer uma escala em Cuiabá. Tibiriça, ex-sócio de uma padaria, rumava para o sul do país em busca de novas oportunidades e num hotel da rua Galdino Pimentel encontrou Giovani, um italiano que ao saber de sua origem se apresentou como comerciante de guaraná e o convidou para assumir o negócio. Fez uma lista de clientes e entregou-lhe. Antes de partir o manauense sondou o negócio e dois meses depois chegou à cidade com 300 bastões de guaraná. A partir daí não parou mais com a venda.

Sucesso

Com o mercado promissor e garantido, já testado pelos últimos anos, Tibiriça resolveu abrir a loja e trouxe o filho. “Estava me preparando para estudar Direito e pensei que ia ficar por aqui [Cuiabá] uma ou duas semanas”, revelou. O jovem cresceu com o negócio do pai, ficou e ampliou a atuação.

Depois das seis horas percorria os bairros tradicionais de Cuiabá para fazer entrega das vendas que eram feitas durante o dia e aos sábados saía no início da tarde para os municípios vizinhos. Enquanto isso seu pai e o resto da família construíam a Tibiriçá, em Manaus. Desenvolveram toda a cadeia produtiva do guaraná, do plantio ao processamento da semente e fabricação dos bastões.

Atualmente, a Tibiriça já não planta o fruto e nem faz os bastões,  mas comercializa desde a semente até o suco (em forma de xarope), os bastões e o famoso guaraná em pó. “Eu comecei a produzir o guaraná em pó por sugestão do José Lotufo que tinha um moinho de fazer fubá e se ofereceu para moer para mim”, recordou. “Como a embalagem era difícil eu então acondicionava em vidros de maionese. Pintava as tampas de azul e tinha mais um produto para o mercado”, revelou Jorge Thompson. O crescimento da cidade levou a Casa do Guaraná para o Bairro do Porto onde está até hoje.

 

Secopa retoma obras de mobilidade

DIÁRIO DE CUIABÁ|JOANICE DE DEUS

Com o fim dos jogos da Copa do Mundo na Arena Pantanal, a Secretaria Extraordinária para a Copa (Secopa) retoma as obras que foram suspensas para garantir fluidez no trânsito e mobilidade aos turistas que visitaram Cuiabá e Várzea Grande durante o Mundial e que se encontram ao longo das denominadas rotas protocolares ou do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). 

Compõem essas rotas, as avenidas João Ponce de Arruda, da FEB, em Várzea grande, e Tenente Coronel Duarte (Prainha), 15 de Novembro e Historiador Rubens de Mendonça (CPA), na capital. “As obras do VLT não pararam. Suspendemos os trabalhos nas rotas protocolares por esse período, mas já estão sendo retomados”, garantiu o assessor de Mobilidade Urbana da Secopa, Josemar Araújo Sobrinho. 

Para hoje, segundo ele, estão previstas mudanças no trânsito no Viaduto da MT-040, obra de arte que compõe o pacote para implantação do VLT. O elevado está localizado no entroncamento da Avenida Fernando Corrêa com a Rodovia Palmiro Paes de Barros (MT-040). “Amanhã (hoje) será feito remanejamento do trânsito para que possamos avançar na obra da rotatória e nas marginais”, informou. 

Em fevereiro deste ano, os motoristas que trafegam pela região tiveram o trânsito liberado na parte superior do elevado de aproximadamente 445 metros de extensão. Com este nova frente de trabalho, a previsão é que a obra seja concluída até o fim deste mês. Porém, a Secopa ainda depende da desapropriação de parte de uma área pertencente a um estabelecimento comercial localizado nas imediações para a realização de serviços de drenagem no local. 

Nos próximos dias também estão previstas interdições nos dois sentidos da Avenida do CPA para o andamento da construção da trincheira Luiz Felipe. Para isso, conforme Sobrinho, é feito o recapeamento das ruas Luiz Felipe e Trigo de Loureiro para que possam suportar o fluxo intenso de veículos que passam diariamente pela região do CPA. 

Em breve, os motoristas que passam pela Rua Tancredo Neves, próximo ao viaduto da UFMT, também deverão redobrar a atenção. Parte da Tancredo Neves passará por estreitamento da pista para a construção da estação de tratamento de esgoto (ETE), que antes ficava atrás do Shopping Três Américas. 

Já ontem, a Secopa interditou a Avenida Archimedes Pereira Lima (Estrada do Moinho), nos dois sentidos, para a retomada das obras de duplicação e restauração da via. O bloqueio é necessário para o içamento das vigas pré-moldadas de concreto na ponte em construção sobre o Córrego do Moinho. 

Quadrilha assalta transportadora

Diário de Cuiabá

Uma quadrilha fortemente armada rendeu três funcionários de uma empresa de logística que transportavam dezenas de caixas de roupas e sapatos que haviam buscado numa transportadora no Distrito Industrial em Cuiabá. Assim que saíram foram rendidos por cinco homens que desceram armados de três veículos. O assalto ocorreu anteontem, por volta das 19 horas, assim que o furgão Volvo VM 260 passava pela Rua D. 

Os ladrões estariam em busca de uma carga de tablets e celulares, mas acabaram levando roupas e sapatos. A empresa não informou o valor da carga roubada. 

Conforme as vítimas, os bandidos os seguiam em três veículos. Em dado momento, o furgão foi fechado e os bandidos desceram do veículo. Em seguida, obrigaram as vítimas a transportar as caixas do furgão para um dos veículos dos bandidos. Os três funcionários que estavam no caminhão disseram não saber que tipo de veículo os bandidos estavam usando. 

“Andamos cerca de 50 metros depois de carregar o caminhão e fomos rendidos. Tivemos que carregar as caixas para os assaltantes”, relatou uma das vítimas. Os ladrões esvaziaram o furgão cujos produtos seriam entregues para empresas e lojas da Grande Cuiabá. A empresa não informou o valor do prejuízo. 

Policiais militares foram acionados e fizeram buscas nas proximidades, mas não conseguiram localizar os criminosos. Uma das suspeitas é que os bandidos já sabiam do sistema de funcionamento da transportadora principalmente o horário de entrega. 

Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos da Capital que investigam o caso acreditam que os bandidos tenham errado a carga, uma vez que sapatos e roupas não seriam tão valiosos. “É possível que eles tenham se enganado, pois é possível que o alvo deles seriam produtos eletroeletrônicos”, observou um policial. 

O delegado Roberto Amorim, titular da Derf da Capital colocou uma equipe para investigar o assalto. Ele deverá ouvir os três funcionários já nos próximos dias. As vítimas deverão fazer o reconhecimento dos bandidos através de fotos existentes nas fichas criminais. (AR) 

Em plena Copa, foram 36 assassinatos

Nem mesmo o policiamento reforçado durante o período de jogos do Mundial na Grande Cuiabá foi suficiente para frear a criminalidade 

Diário de Cuiabá|Adilson Rosa

Nem mesmo a Copa do Mundo – que teve um policiamento recorde – foi suficiente para frear a matança na Grande Cuiabá. O mês de junho terminou com 36 assassinatos, sendo 19 em Várzea Grande e 17 na Capital, numa média superior a uma execução diária. Desse total, três são latrocínios (roubo seguido de morte), sendo dois em Várzea Grande e um em Cuiabá. Pelo décimo mês consecutivo, Várzea Grande tem mais assassinatos que a Capital, no computo geral como também proporcional. 

Mesmo assim, o número é levemente menor que o mês anterior – maio que terminou com 41 assassinatos na Grande Cuiabá – sendo 18 na Capital e 23 em Várzea Grande. Na lista estão incluídos três latrocínios (roubo seguido de morte). Apesar do alto número, houve uma queda em relação ao mês anterior, que fechou com 53 execuções. 

Embora nos últimos três meses, houve uma queda de um terço nos assassinatos, a matança na Grande Cuiabá continua em alta, pois já são mais de 200 assassinatos no semestre. O número é alto e preocupa as autoridades da área de Segurança Pública. 

O que chamou a atenção é que, ao contrário de outros meses, não teve duplo homicídio e tampouco chacina. “Foram homicídios simples o que aumenta o número de inquéritos”, observou um policial plantonista da DHPP. 

Na lista dos latrocínios está o pedreiro Isaías Manoel da Silva, de 45 anos, que morreu no Pronto-Socorro de Várzea Grande após ficar nove dias internado em estado grave. No dia 10, ele foi baleado durante uma tentativa de assalto no bairro Sol Nascente, próximo do Jardim Glória em Várzea Grande. 

Na ocasião, ele foi rendido por dois rapazes que chegaram numa motocicleta e exigiram que entregasse o capacete. Ele reagiu e tentou correr e foi baleado nas costas. 

Segundo policiais militares que atenderam a ocorrência, ele estava num ponto de ônibus aguardando a chegada do coletivo quando surgiram os assaltantes. Após o tiro, os ladrões fugiram em alta velocidade sem roubar o capacete. Baleado na coluna cervical, ele ficou internado em estado grave e ele corria o risco de ficar tetraplégico. (AR) 

Mato Grosso determina período de proibição para queimada

De 15 de julho a 15 de setembro está proibido a utilização do fogo para limpeza ou manejo de pastagens

Portal Amazônia

CUIABÁ – O período proibitivo para queimadas em Mato Grosso começa no dia 15 de julho e termina no dia 15 de setembro. Durante este período, em função das condições climáticas (tempo seco, calor, ventos, entre outros), está proibido a utilização do fogo para limpeza ou manejo de pastagens.

O secretário de Estado do Meio Ambiente, José Lacerda, destacou como prioritária nas ações de combate as queimadas ilegais, a participação da população, das prefeituras e das Câmaras Municipais.  “Precisamos diminuir os números relacionados às queimadas, desmatamentos e pesca ilegais, bem como outros crimes ambientais”, destacou José Lacerda lembrando que a responsabilidade em relação ao Meio Ambiente é de todos.

Sociedade também pode evitar queimadas ao evitar de queimar o lixo no quintal. Foto: Renato Araújo/Agência Brasil

Em relação às queimadas e incêndios florestais, o secretário lembrou que, se cada uma das 141 prefeituras mato-grossenses programar suas brigadas, treinadas pela Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, Mato Grosso terá resultados bastante positivos. “Estaremos garantindo um meio ambiente equilibrado, de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida”, salientou.

Para o secretário a sociedade precisa evitar de queimar o lixo no seu quintal. “Não queremos focar na criminalização e sim na educação ambiental”, reforçou José Lacerda. Outra medida adotada este ano será a intensificação do trabalho da fiscalização. “Ao detectarmos um foco de calor a fiscalização fará a identificação dos locais de queimadas com os devidos procedimentos administrativos o e sanções penais”.

Um Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman/2014), reunindo os órgãos de prevenção, monitoramento e combate as queimadas e incêndios florestais, coordenará as ações entre as várias agencias. Todas as ações integradas estão reunidas no Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas, instituído em 2013 pelo Decreto Estadual nº 2.055, integrado a política nacional.

Esta foi a primeira reunião ordinária do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, coordenado pela Sema e composto por órgãos públicos das esferas federal, estadual e municipal e sociedade organizada. Desde janeiro o Comitê de Gestão do Fogo vem realizando reuniões extraordinárias.

 

Colombianos foram esfaqueados no centro de Cuiabá

Polícia registra o primeiro caso de violência extrema contra visitantes estrangeiros que vieram torcer durante a Copa do Mundo

Diário de Cuiabá|Adilson Rosa 

Dois turistas colombianos que vieram a Cuiabá assistir ao jogo entre Colômbia e Japão pela Copa do Mundo de Futebol foram perfurados a faca após serem assaltados no centro da Capital ontem de madrugada. Trata-se de Camilo Laverdes Manyarres, de 24 anos e Nicolas Tamayo Stab, de 28, ambos moradores de Bogotá. O assalto ocorreu por volta da 1h30 na avenida Isaac Póvoas e seria o primeiro caso de violência extrema registrado contra turistas no período da Copa do Mundo. 

Segundo policiais militares que atenderam a ocorrência, os colombianos foram perfurados nas costas e abdome e tiveram escoriações no rosto. Eles explicaram que foram rendidos por dois ocupantes de uma motocicleta vermelha quando estavam num ponto de ônibus. 

Um dos criminosos estava armado com uma faca e os perfurou após roubar os pertences. Os bandidos levaram pertences pessoais, inclusive os passaportes, um Iphone 5, além de R$ 300 em dinheiro e cartões de crédito. 

Feridos, os turistas foram levados por um carro do Samu ao Pronto- Socorro de Cuiabá onde passaram pelo box de emergência e foram liberados em seguida. 

Policiais militares fizeram rondas pelas proximidades, mas não localizaram os suspeitos. Eles suspeitam que os assaltantes sejam usuário de entorpecentes que ficaram sem dinheiro e, por isso, assaltaram o primeiro que encontraram. 

Os policiais sugeriram que as vítimas procurem a Delegacia do Turista no centro de Cuiabá quer poderá ajudá-las a voltar para casa. 

Esse é o segundo caso de colombiano envolvido com a polícia em Cuiabá nas últimas horas. Na quinta-feira, um homem de 64 anos foi detido acusado de aplicar golpes na Praça Ipiranga, em companhia da esposa. 

O colombiano disse que está há poucos dias em Cuiabá vindo com a esposa para assistir o jogo da Copa do Mundo de Futebol. O dinheiro acabou e o casal, que não fala português, está pedindo ajuda para voltar para a Colômbia. 

Pelo esquema, ele jogava um objeto no chão e quando a vítima se abaixava para pegar e devolver, a esposa aproveitava para furtar a bolsa da vítima. Entre as vítimas está uma mulher e seus dois filhos. 

A mulher acionou a PM que localizou o casal, mas a mulher fugiu e o suspeito acabou sendo levado para o Plantão Metropolitano da Capital. Os policiais disseram que o suspeito havia sido detido dias antes e liberado pela Delegacia do Turista. 

Cuiabá registra 103 ocorrências durante a Copa do Mundo

Na Arena Pantanal, dentro e fora, foram 9 ocorrências. No Fan Fest 29 registros e na Rodoviária de Cuiabá 14

Portal Amazônia

Torcedores no Fifa Fan Fest de Cuiaba, Fifa Fan Fest de Cuiabá

CUIABÁ – As unidades da Polícia Judiciária Civil de atendimento ao turista, estrangeiro e nacional, localizadas no centro de Cuiabá, Arena Pantanal, Fan Fest e Rodoviária, registraram 103 ocorrências policiais, a maioria de menor potencial ofensivo no período de 12 a 25 de junho. Os dados são do Sistema de Registro de Ocorrências Policiais (SROP), extraídos pela Coordenadoria Geral de Estatísticas e Análise Criminal, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp/MT).

Grande parte dos registros foi para furtos (33 boletins), extravio de documentos (29) e roubo (7). Ocorrências de uso de drogas, vias de fato, preservação de direito, moeda falsa, lesão corporal, dano e desacato também foram comunicadas.

A Delegacia do Turista, na Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha), foi a unidade que teve o maior número de registros, além de 154 atendimentos a turistas que procuraram a delegacia para informações e apoio no deslocamento na capital. Na Delegacia foram comunicados 51 ocorrências, sendo 21 furtos e 12 extravios de documentos e objetos.

Na Arena Pantanal, dentro e fora, foram 9 ocorrências. No Fan Fest 29 registros e na Rodoviária de Cuiabá 14.
Três turistas colombianos (duas mulheres e um homem) foram presos em flagrante pelo crime de furto. Uma das prisões ocorreu na manhã desta quinta-feira (26.06), no centro de Cuiabá. Um brasileira teve a bolsa furtada por um casal de turistas colombianos, mas somente a mulher infratora foi detida e levada ao plantão da Delegacia de Roubos e Furtos.

Também foram formalizados nove termos circunstanciados de ocorrências (TCO), para delitos com pena máxima de 2 anos de reclusão e/ou multa. O autores foram dois chilenos, um autuado por uso de drogas e outro por vias de fatos (briga); 1 TCO com representação mútua, de propaganda enganosa queixada por hóspedes venezuelanos contra o dono de um hotel em Cuiabá, que também alegou que os turistas saíram sem pagar a conta; outros 4 brasileiros, sendo dois por lesão corporal leve contra seguranças privados na Fan Fest, 1 por tumulto também no espaço de shows, e um por cambismo, no entorno da Arena Pantanal.

Um japonês respondeu TCO por desacato a um policial, durante jogo da seleção japonesa contra a Colômbia, no dia 24 de junho, e nas comemorações da vitória de 4 x 1 da seleção colombiana, um turista da Colômbia foi autuado por ato obsceno, desacato e resistência, na região de bares da Praça Popular.

Os turistas estrangeiros foram levados no mesmo dia ao Juizado Especial do Torcedor (JET) e lá definida a penalidade. Os brasileiros foram compromissados a comparecer em audiência no Juizado Especial Criminal de Cuiabá.

Para a Polícia Civil todos os delitos comunicados são considerados leves, típicos de ambientes com grandes aglomerações de pessoas e festejos. “São furtos de pequena monta comunicados em nossa Delegacia do Turista, que atuou não só nas atribuições de polícia judiciária, mas também exerceu papel social, virando referência para os turistas de diversas nacionalidades que estiveram aqui”, disse o delegado-geral Anderson Garcia, em coletiva na manhã desta quinta-feira (26), na Sesp/MT.

Copa em Cuiabá

A Copa em Cuiabá mobilizou 1.743 profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros, Politec, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Guarda Municipal, agentes da Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU). Como força complementar e pontual também foram empregados 1.600 homens do Exército Brasileiro e 162 policiais militares da Força Nacional.

O secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, avaliou positivamente o resultado do conjunto de ações integradas desenvolvidas pelos órgãos municipais, estaduais e federais nos dias de Copa em Cuiabá. “Estamos muito satisfeitos com o resultado até agora. Mas ainda temos trabalho até o final da Copa e vamos atuar em outras frentes, pois temos turistas aqui. Nosso balanço final é positivo pela missão que foi dada e cumprida”, destacou Bustamante.

 

Umidade do ar cai e já preocupa

DIÁRIO DE CUIABÁ|YURI RAMIRES

A umidade relativa do ar deve chegar a 35% hoje em Cuiabá. A porcentagem é preocupante tendo em vista que o ideal para o ser humano é de 60%. Ainda assim, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) os termômetros cuiabanos vão marcar uma máxima de 33% e mínima de 18ºC. 

Não há previsão de chuva para os próximos dias em todo o Estado, a tendência é que a umidade também diminua em outros localidades. O calor vai predominar, apesar do tempo ficar nublado com uma névoa seca. Em casa, é interessante utilizar umidificador de ambiente, ou utilizar toalhas molhadas e recipientes com água para minimizar a sensação térmica. Ingerir grande quantidade de água é essencial. 

A recomendação para dias em que como o de hoje é evitar exercícios físicos ao ar livre entre às 11h e 15h. Além disso, o filtro solar é um fator importante para proteger a pele dos raios ultravioletas. No sábado a temperatura não deve mudar muito, a previsão é de 30ºC. 

Em Rondonópolis, a máxima para hoje é de 33º e a umidade relativa está prevista para variar entre 50% e 80% em sua máxima. Já em Sinop os termômetros vão registrar 35%. A umidade cai em relação a região sul, e atinge 40%. 

FINAL DE SEMANA – No sábado e domingo a temperatura não deve mudar muito. Segundo o Inmet, a tendência é que algumas regiões comecem a sentir o aumento da máxima em relação aos últimos dias. Como consequência, a umidade também deve diminuir. Em Cuiabá, a máxima será de 29º no sábado e 27ºC no domingo. A mínima será de 14ºC e 12ºC respectivamente. 

PERÍODO PROIBITIVO – A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) divulgou ontem que o período proibitivo de queimadas em Mato Grosso começa no próximo dia 15. Durante dois meses não será permitida a existência de queimadas na área urbana e na rual. A restrição acaba no dia 15 de setembro.

Policiais ameaçam entrar em greve

Diário de Cuiabá|Gustavo Nascimento

Mais de 500 policias civis protestaram em frente ao Palácio Paiaguás, durante a reunião do secretariado do Governo do Estado, na tarde de ontem (25). Os servidores ameaçaram começar uma greve caso não recebam melhores salários e reestruturação das carreiras. 

Ao fim da tarde os policiais se reuniram com representantes do governo, na Casa Civil, porém nenhum novo valor foi repassado. O Governo ficou de encaminhar uma proposta ainda hoje (26). 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Policiais Civis (Siagespoc), Aníbal Marcondes, a categoria está em assembleia permanente e desde a última semana aprovou o estado de greve, mas optou por manter as atividades funcionando normalmente durante os jogos da Copa do Mundo em Cuiabá. 

Conforme o Siagespoc, desde a metade do ano passado os policiais vem mantendo uma intensa negociação com o governo, porém não conseguiram chegar a um consenso. A categoria pede uma reestruturação salarial de até quatro vezes o valor do piso atual. 

De acordo com o presidente, a categoria cobra uma reestruturação salarial tendo como parâmetro o salário de um delegado da Polícia Civil. Ele disse existe uma diferença muito grande entre o salário de um delegado e de um investigador, que está exposto aos perigos da rua. Segundo ele, um policial em início de carreira recebe cerca de R$ 3 mil enquanto um delegado, R$ 14 mil. 

Segundo o Siagespoc, caravanas com policiais dos municípios polos como Rondonópolis, Cáceres e Sinop são aguardadas para a assembleia desta quinta-feira. A categoria é formada por 2,1 mil policiais e 500 profissionais aposentados. 

Um mês antes da Copa a Polícia Militar conseguiu uma reestruturação das carreiras após ameaçar parar durante o Mundial. Os militares cobravam uma equiparação salarial ao dos policiais civis, em um deságio que chegava até a 70%. O acordo da PM chegou a 85% do valor pedido. 

Otimismo na contramão da média nacional

Enquanto sondagem feita pela CNI revela pessimismo, reflexo da conjunta macro do país, em MT segmento segue a reboque do agronegócio

Diário de Cuiabá|Economia|Marianna Peres

Sondagem realizada pela Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt) mostra que a indústria da construção mato-grossense está otimista em relação ao desempenho do segmento. O ‘ânimo’ do setor foi medido no mês passado. Enquanto a boa performance do agronegócio e as perspectivas de expansão da urbanização – como um legado pós-Copa – revelam um contexto promissor no curto e médio prazo, no país, conforme o levantamento da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), a condução da política econômica pelo governo federal arrefecem as estimativas e fazem aumentar o pessimismo do segmento. 

O indicador do nível de atividade mato-grossense – que inclui a construção civil, pesada e rodoviária – situou-se em 52,2 pontos, superior aos 48,2 pontos do mês anterior e maior do que os 47,8 pontos de maio de 2013. Ainda conforme a Fiemt, a atividade entre as pequenas empresas cresceu: variou de 50 para 65 pontos, nas médias e grandes empresas o nível de atividade permaneceu estável em 47,5 pontos (abaixo da linha de 50 pontos) indicando atividade abaixo da expectativa nesse porte de indústria. Os indicadores variam de zero a cem. Abaixo de 50 revelam queda. 

A Utilização da Capacidade de Operação (UCO) aumentou em 2 pontos percentuais (p.p.) em relação ao mês anterior, quando variou de 66% para 68%, no total das empresas. Em comparação com maio de 2013 caiu em 5 pontos, tendo em vista que a UCO registrou 73% naquele mês. A recuperação da capacidade de operação foi destaque nas pequenas empresas: variou de 30% para 50%, indicando que a pequena indústria trabalhou com metade da sua capacidade. Entre as médias e grandes o índice de UCO variou de 79% para 75% caindo 4 pontos percentuais, porém, utilizando 3/4 de sua capacidade de operação. 

PERSPECTIVAS – Em junho, as expectativas para os próximos seis meses são positivas na percepção dos empresários do setor da construção. Os empresários se mostraram mais otimistas com a contratação de novos empregados, cujo indicador variou de 57 para 58,7 pontos. Os industriais da construção também estão mais otimistas quanto à adesão a novos empreendimentos e serviços, cujo indicador variou de 53,4 para 55,1 pontos. As expectativas para a compra de insumos continuam positivas, embora menos otimistas: o indicador variou de 64,2 para 62,1 pontos. Quanto ao nível de atividade a variação foi pequena: de 58,8 para 58,6 entre maio e junho, conservando o otimismo entre os empresários da construção. 

“Os empresários estão cada vez menos otimistas e isso terá impacto sobre o desempenho do setor”, avalia o economista da CNI Danilo Garcia. Segundo ele, a queda no ritmo de crescimento da construção resultará em uma menor contribuição do setor para a expansão da economia brasileira. 

ANÁLISE – O presidente do Sindicato das Indústrias da Construção do Estado de Mato Grosso (Sinduscon/MT), Cezário Siqueira Neto, explica que a diferença entre o otimismo dos empresários de Mato Grosso ante uma falta de boas perspectivas dos pares nacionais, está nas projeções da economia. “Aqui em Mato Grosso nossa base é o agronegócio, segmento que vai muito bem e o melhor, com perspectivas de expansão, de cenário promissor e isso cria um ambiente propício aos investimentos. Já no ponto de vista nacional, os empresários avaliam a macroeconomia, como metas de inflação que devem ser ultrapassadas e a manutenção da taxa Selic em dois dígitos, e a falta de sinalização de ajustes por parte do governo federal”. Como frisa, essa visão diferente proporcionou análises opostas. 

Além da base econômica de Mato Grosso, a realidade local – de um Estado que tem muito que crescer em relação à infraestrutura viária e urbana – “nos coloca em outro contexto e esse otimismo não e maior, porque há um certo temor em relação à continuidade das obras de mobilidade urbana e especialmente se o dever de casa será feito, como projetos nas áreas de saneamento e abastecimento de água e a construção de rodovias”, destaca Siqueira. Ele acrescenta ainda, que parte deste otimismo se sustenta numa visão mais a longo prazo, em função do legado que o pós-Copa vai deixar, que são as possibilidades de negócios em várias áreas, já houve uma revolução em parte da infraestrutura viária na Capital, em especial, e em como essa nova ordem estrutural vai impactar no interior. Acreditamos em surto de urbanismo, como legado da Copa, em cidades como Tangará da Serra, Rondonópolis, Sinop e Várzea Grande, por exemplo. 

O presidente do Sindicato da Indústria de Construção Pesada do Estado de Mato Grosso (Sincop), José Alexandre Schutze, destaca que no segmento rodoviário, seja pela pavimentação de estradas e construção de pontes de concreto, há um cenário positivo de uma movimentação de cerca de R$ 2 bilhões até o próximo ano.