Arquivo da tag: Defesa

Manifestação em SP defende nova Constituinte no País

Agência Estado

31/05/2014 

São Paulo, 31/05/2014, 31 – Aproximadamente 800 pessoas, segundo cálculos da Política Militar, realizam, neste momento, um ato público em favor da uma nova Constituinte e reforma política na região central de São Paulo. O grupo concentrou-se desde o início da manhã na Praça Ramos de Azevedo, em frente ao Teatro Municipal. No momento, dirige-se ao Viaduto do Chá. A manifestação ocorre pacificamente e foi organizada pelos grupos Movimento Sem Teto do Centro, Frente de Luta por Moradia e Central de Movimentos Populares.

Para parlamentar da União Europeia, mulher não deveria votar e hospitais públicos não podiam existir

DIÁRIO DA MANHÃ|LUDMILLA MOREIRA

Janusz Korwin-Mikke é o novo parlamentar da União Europeia e por lá ele é bem famoso por conta de suas opiniões conservadoras. O polonês, de 72 anos revelou que o voto feminino deveria ser proibido. Além disso, defende a educação em que as crianças levem chicotadas para obedecer. 

Segundo ele, mulheres não deveriam ter o direito de voto, pois elas preferem votar em homens. “As mulheres votam em homens. Mulheres não podem votar porque preferem não votar em mulheres. Acho que elas teriam mais chances de governar se não votassem. Na Polônia, eu fui candidato a presidente. Havia uma mulher entre os candidatos. Ela gastou muito mais do que eu. Eu consegui duas vezes mais votos do que ela. Se mulheres preferissem mulheres, ela teria mais”, argumentou.

Antes de seu partido ser eleito, Janusz era conhecido somente como um conservador que sempre propagava suas opiniões de forma aberta. Agora, ocupando uma das 4 cadeiras que seu partido conseguiu, ele deve mostrar como é o Deputado Janusz.

Foto:Reprodução

Foto:Reprodução

Em entrevista ao jornal ‘Folha de S. Paulo’, o deputado disse não concordar com os benefícios que os desempregados recebem no Brasil. Para ele, seria melhor que o dinheiro fosse investido para geração de empregos e que pessoas que dão dinheiro para desempregados deveriam ter as mãos cortadas.

Janusz também declarou que se não existissem hospitais públicos, todos estariam livres de impostos altos e poderiam pagar pelo atendimento particular. A mesma opinião ele tem sobre a educação. Se os menos abastados não pagassem impostos, teriam acesso a uma educação de qualidade, pagando por isso. “Um garoto de família rica quase sempre tem uma alta educação. Mas os de famílias pobres não vão às universidades, são inteligentes, têm habilidades e vão pagar impostos para os ricos estudarem”, disse ele.

Para Janusz, O holocausto ocorreu sem que Hitler soubesse. “Não há prova de que ele tenha tido conhecimento disso. É estranho dizer isso, mas é verdade. Não nego que o Holocausto existiu, mas não há prova de que ele soubesse”.

Líder de Alckmin defende deputado do PT: ‘Não há nada que o incrimine agora’

Deputado Barros Munhoz (PSDB) alia-se a Luiz Moura, que participou de reunião com supostos integrantes do PCC, em março

O Estado de São Paulo|Fernando Gallo

O líder do governo Geraldo Alckmin (PSDB) na Assembleia Legislativa, deputado estadual Barros Munhoz (PSDB), defendeu nesta quinta feira, 28, em plenário, o deputado Luiz Moura (PT), que se reuniu com suspeitos de integrar o PCC.

O tucano ressaltou que falava em nome do governador, e disse não haver nada que incriminasse o petista.

Após o discurso em que Moura se defendeu, também em plenário, das acusações que vem sofrendo, Munhoz pediu a palavra para “dizer que não há nada que fira mais do que acusação injusta, e também não há nada que ocorra mais no Brasil de hoje”.

“Ninguém pode ser acusado antes de ser processado, julgado e sua sentença transitar em julgado. Já passei por isso, sei o quanto dói, o quanto machuca. Portanto, não endosso e jamais endossaria qualquer tipo de comportamento desses, como deputado, político e cidadão”, afirmou Munhoz.

O tucano afirmou que a Assembleia precisa ter “serenidade” em relação ao caso.

“Essa é a minha posição. Sei que falo em nome do governador Geraldo Alckmin, que é um homem ponderado e não compactua com absolutamente nada que seja errado. Sei que falo como líder do governo. Então, quero pedir ponderação”, disse Munhoz. “Meu caro deputado Luiz Moura, não há nada que o incrimine até agora e, se houver, V.Exa. saberá usar os seus direitos de cidadão brasileiro, de deputado estadual e de parlamentar. E, da mesma forma, não vamos radicalizar. Esse é o meu apelo. Não vamos politizar essa questão. Vamos caminhar com serenidade buscando a verdade”.

Munhoz fez ainda referência à entrevista do secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, que Moura exibira antes para se defender – Grella afirmou à Band que não há investigação contra o petista.

Ele também mencionou o secretário de Comunicação, Marcio Aith, que foi quem vinculou Moura ao PCC em entrevista à mesma emissora.

“Assistimos aqui à exibição de um vídeo em que um secretário de Estado – com muita ponderação e cautela, próprias do seu modo de ser -, este extraordinário secretário e cidadão Fernando Grella, diz a verdade, independentemente de posição política ou partidária. Então, da mesma forma, não podemos incriminar um secretário como Márcio Aith – que tem um passado também, uma folha de serviço prestada à imprensa brasileira – e elogiar o secretário Fernando Grella, criticar o governo e querer politizar um assunto polêmico”.

‘Ex-gays’ defendem psicóloga cassada no Paraná por fazer ‘cura gay’

Em rede social, internautas criam página para defender Marisa Lobo, que foi cassada pelo Conselho Regional de Psicologia do Paraná ao propor o tratamento da homossexualidade

IG

Paraná – No final da última semana, foi tornada pública a cassação da psicóloga paranaense Marisa Lobo pelo Conselho de Regional de Psicologia (CRP) do Paraná . Ela defende a terapia para tratar homossexuais que não aceitam sua orientação sexual, processo que ficou conhecido como ‘cura gay’. Se declarando como ‘ex-gays’, internautas foram às redes sociais defender Marisa na página Ex-gays no Facebook e criticar a decisão do órgão. 

Com depoimentos de pessoas que dizem ter abandonado homossexualidade, página Ex-Gays defende Marisa Lobo no Facebook. Nesse casal, a mulher diz ser ex-lésbica

Foto:  Reprodução Facebook

Foram postados na página depoimentos de pessoas que dizem ter abandonado a homossexualidade. Um deles é o pastor Joide Miranda, de 49 anos, que teve sua história contada pelo iG, em 2012. “Deus restaurou minha identidade sexual”, declarou Joide na ocasião. Ex-travesti, ele se casou depois com uma mulher, com a qual tem um filho.

Um foto de Joide e da família ilustra um dos textos da página Ex-gays. A imagem tem um texto atribuído a Edna, mulher do pastor, que diz: “Meu marido é ex-gay, ele existe. #repúdio ao Conselho de Psicologia. #MarisaLobo, obrigada por respeitar nossa existência. Edna e Joide Miranda”.

Com depoimentos de pessoas que dizem ter abandonado homossexualidade, página Ex-Gays defende Marisa Lobo no Facebook. Nesse casal, o marido é ex-gay

Foto:  Reprodução Facebook

Em sua descrição, a página Ex-gays define a homossexualidade como algo que pode ser mudado. “É possível deixar as práticas homossexuais! É um direito! É o que comprovam histórias de vida, livros, estudos e conteúdo científico”, defende os criadores da página, que não se identificam.

Marisa foi cassada pelo CRP do Paraná por defender uma opinião semelhante a deste texto.

Em 2012, ela chegou a ir ao Congresso Nacional em 2012 para pedir a alteração na resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proíbe psicólogos de oferecem tratamentos para ‘ tratar‘ a homossexualidade ou mesmo de se referir a esta orientação sexual como uma doença.

No mesmo ano, o deputado federal João Campos (PSDB-GO) propôs no Congresso uma mudança na resolução do CFP. Mas, após forte pressão popular, o projeto foi retirado da pauta do parlamento.

SP: Secretário pede investigação policial para greve de ônibus

O secretário de Transportes da cidade de São Paulo, Jilmar Tatto, defendeu na manhã desta quarta-feira (21) uma investigação policial dentro do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do município para saber quem são as lideranças que estão sabotando e paralisando a cidade.

Segundo o secretário, a prefeitura municipal está de ‘mãos atadas’ para fazer qualquer negociação, porque as lideranças da dissidência do sindicato que orquestraram a paralisação se recusam a negociar com a prefeitura. 

“O grande problema dessa paralisação é que você não tem interlocutores. As lideranças que estão por trás disso não aparecem, não atendem o telefone. Você tem líderes que cotidianamente vão até às garagens, mas que não estão indo. Não tem como conversar com eles e negociar. É uma briga no sindicato que está prejudicando uma parte da cidade, dando transtorno à população em função da briga política entre eles”, afirma Tatto.

O secretário municipal chama a ação de sabotagem, já que a prefeitura não tem como identificar quem são as pessoas e abrir um canal de interlocução. 

“Estamos de mãos atadas porque não há interlocutor, as empresas têm dificuldade de liberar os ônibus para aqueles que querem trabalhar e as lideranças rebeldes desapareceram, num comportamento inaceitável e lamentável, que só prejudica os trabalhadores de São Paulo. A polícia tem que investigar esse tipo de comportamento, com autorização judicial vasculhar as ligações dessas pessoas para saber quem está sabotando a cidade desta maneira”, defende Jilmar Tatto. 

O secretário municipal diz que haverá uma reunião no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo na tarde desta quarta-feira, onde representantes do sindicato, das empresas de ônibus e da prefeitura devem decidir como deve ser o procedimento do Poder Pública a partir de agora, já que todos os canais de negociação com a categoria foram respeitados pela prefeitura no fechamento do acordo coletivo. Tatto não descarta o uso de ação policial para garantir a mobilidade da cidade. 

“Possivelmente haverá uma reunião na delegacia regional do trabalho, pra verificar que medidas podemos tomar para resolver esse impasse. Por enquanto a cidade ainda consegue se movimentar e está andando. A ação deles ontem foi sair para as ruas e travar a cidade. O que nós estamos atentos é para que, se isso acontecer novamente, a polícia desobstrua as ruas. Não deixe eles atravessarem os ônibus nas vias e trancarem a cidade”, explica o secretário. 

A greve de parte dos motoristas e cobradores de ônibus em São Paulo começou no final da tarde de ontem, pegando todos de surpresa e sem aviso prévio para as autoridades se prepararem. Há relatos de que os motoristas no meio da tarde mandaram os passageiros descerem dos ônibus, largando todos no meio de caminho para casa. 

No segundo dia de greves hoje, pelo menos três terminais de ônibus urbanos estão fechados na cidade e algumas vias da Zona Sul estão paralisadas, segundo a SP Trans. 

Os terminais mais prejudicados são o Lapa (zona Oeste), Dom Pedro (Centro) e o terminal Capelinha (zona Sul), que foram fechados pelos motoristas e cobradores de ônibus. 

Os terminais Pirituba, Cachoeirinha e Casa Verde estão vazios porque os coletivos não saíram das garagens para trabalhar. 

Cinco das nove empresas de ônibus da capital paulista estão paralisadas nesta quarta-feira: Santa Brígida, Gato Preto, Sambaíba, Via Sul e VIP, segundo informações da secretaria de Transportes da cidade. 

Fonte: Terra 

Tarefa principal do Regimento de Mísseis de Defesa Aeroespacial é a defesa do espaço aéreo de Moscou e do chamado Complexo Industrial Central do país.

Tarefa principal do Regimento de Mísseis de Defesa Aeroespacial é a defesa do espaço aéreo de Moscou e do chamado Complexo Industrial Central do país.

Novo sistema de mísseis antiaéreos já vigia os céus de Moscou
O tarefa principal do Regimento de Mísseis de Defesa Aeroespacial é a defesa do espaço aéreo de Mosco Foto: wikipedia.org

As tripulações de combate do Regimento de Mísseis de Defesa Aérea de Zvenigorod, armadas com os novos mísseis de defesa aérea S-400 “Triumph”, assumiram a tarefa de alerta e de defesa do espaço aéreo no nos arredores de Moscou após um período de treinamento em simuladores “Tembr-M”. O anúncio foi feito na segunda-feira à ITAR-TASS pelo porta-voz do Setor de Defesa Aeroespacial (ASD), coronel Aleksêi Zolotukhin.

Além disso, espera-se que o sistema “Triumph” participe com oito lançadores de mísseis S-400 do desfile na Praça Vermelha em homenagem ao 69º aniversário da vitória na Segunda Guerra Mundial, no dia 9 de maio.

“O Regimento de Mísseis de Defesa Aérea de Zvenigorod, que em março deste ano recebeu os novos mísseis S-400 ‘Triumph’, bem como o complexo de defesa aérea Pantsir S-1, realizou com sucesso os testes de operação e controle do sistema S-400 na base de Kapustin Iar e agora entrou em serviço operacional de defesa aérea das áreas de Moscou e do Complexo Central Industrial”, declarou Zolotukhin.

“No primeiro semestre de 2014, mais de 200 oficiais do regimento de Zvenigorod passaram por treinamento e testes de controle e operação dos sistemas S-300 Favorit e S-400 ‘Triumph’”, acrescentou o coronel.

Zolotukhin ainda informou que “as tripulações foram submetidas a um treinamento de combate com os sistemas S-300 e S-400 em um ambiente complexo de ameaças aéreas, onde foram utilizados simuladores Tembr-M e aeronaves reais”.

O simulador Tembr-M é capaz de simular todas as condições de combate em tempo real e em uma dimensão geográfica real. Mesmo estando na região de Moscou, por exemplo, as tripulações podem utilizar mapas digitais de outros lugares, o que as torna capazes de simular a operação dos sistemas S-300 e S-400 em qualquer região do mundo.

“No ano passado, foram realizados 30 sessões de treinamento em atividades táticas e de comando e controle. O regimento já treinou mais de 70 equipes de comando dos sistemas antiaéreos dos batalhões e mais de 1.000 militares que compõem as tripulações dos respectivos sistemas”, acrescentou o representante do Setor de Defesa Aeroespacial.

Caixa de texto

O tarefa principal do Regimento de Mísseis de Defesa Aeroespacial é a defesa do espaço aéreo de Moscou e do chamado Complexo Industrial Central do país, protegendo objetos de alto valor agregado, como os prédios do governo e da administração militar, da indústria e outros complexos de energia, comunicação e transporte de ataques aéreos inimigos.


Publicado originalmente pela agência ITAR-TASS 

Especialistas defendem integração do ensino convencional à educação online

Agência Brasil

Um encontro voltado a debater novos modelos de ensino reuniu nesta segunda-feira, na capital paulista, especialistas no assunto, vindos de várias partes do mundo. Educação híbrida, liberdade no ensino e aprendizagem online foram alguns do temas discutidos durante esta manhã no evento Transformar, que está em sua segunda edição.

Michael Horn, bacharel em história pela Universidade de Yale e formado também na Universidade de Harvard, integra o ranking da revista Tech&Learning das 100 pessoas mais importantes quando se trata de tecnologia na educação. Horn acha que o ensino atual mantém um modelo ultrapassado, semelhante à produção em uma fábrica do início do século passado, no qual as crianças são divididas em turmas conforme a faixa etária e recebem um ensino padronizado. “O mundo mudou, cada criança precisa de um modelo que maximize cada uma. As pessoas aprendem de maneiras diferentes, ritmos diferentes”, disse ele.

A proposta do especialista é que as escolas utilizem o ensino híbrido, ou seja, inserir a aprendizagem online no contexto das aulas convencionais. “A criança pode progredir no seu próprio ritmo, e personalizar a educação”. A ideia é tornar o conteúdo mais envolvente e interessante para o aluno, por meio de games e simulações, por exemplo.

O modelo virtual já foi testado em escolas norte-americanas, entre elas uma em Los Angeles, na Califórnia, onde 90% dos estudantes são carentes. Na escola, uma das melhores do país, o professor não precisa montar uma aula capaz de atingir todos os alunos em sala de aula de uma vez só. “Esse modelo não faz sentido para o aprendizado”, destacou.

O brasileiro Luís Junqueira, formado em letras pela Unicamp, acredita que a escola tem que dar liberdade e confiar na autonomia do aluno. O projeto Primeiro Livro, que ele desenvolve, dedica tempo das aulas de língua portuguesa para que o estudante escreva o seu próprio livro de ficção. O objetivo é elaborar uma plataforma virtual que concentre essas publicações, e permita que as crianças interajam.

Luís conta que obteve resultados excelentes na Escola do Sítio, em Campinas, onde o Primeiro Livro existe desde a década de 80, e na Escola Castanheiras, onde o projeto começou em 2009. “As dúvidas gramaticais dos alunos surgem a partir do livro que eles estão escrevendo”, disse. Além disso, com a ajuda da tecnologia, as crianças podem sanar suas dúvidas assistindo a videoaulas.

Zach Sims, eleito uma das 100 pessoas mais influentes pela revista Time de 2013, contou a sua experiência na fundação do projeto Codecademy, criado para estimular o aprendizado de linguagem de programação. Enquanto fazia a graduação em ciências políticas na Universidade de Columbia, Zach percebeu que a maioria dos seus colegas estavam insatisfeitos por gastar dinheiro com um aprendizado que não importava para a sua vida profissional.

“Passei um verão aprendendo sozinho a como programar e aprendi com os meus próprios erros. Isso funcionava mais do que se eu ouvisse os conceitos e tentasse aplicá-los. Enfrentando problemas, consertando erros, você aprende mais”, declarou.

Zach decidiu criar o site http://www.codecademy.com, uma plataforma gratuita para ensinar programação de uma maneira simples e, assim, ajudar quem também tem interesse em aprender. “Fizemos de um modo fácil para todo mundo, para [os interessados] não ficarem amedrontados”. Na contramão do imaginário da maioria das pessoas, que acreditavam que programação é algo difícil e que não desperta grande interesse, o site teve 200 mil inscrições apenas no segundo dia de funcionamento, lembrou Zach.

“Ninguém sabia dessa demanda, muitas crianças se inscreveram. O site é como um jogo, legal, divertido e envolvente. A programação é a linguagem do século 21”, garantiu.

Tony Ramos responde críticas a Roberto Carlos: “Ele come carne”

DIÁRIO DA MANHÃ|LUDMILLA MOREIRA

Em participação no programa Pânico na Band, o ator Tony Ramos defendeu Roberto Carlos das críticas que ele tem recebido por conta das propagandas que ele fez para um frigorífico. Ele disse que o companheiro come carne. Tony falou que os rumores que o cantor seria vegetariano são falsos. “Ele come, sim”, disse.

Foto:Reprodução

Foto:Reprodução

Segundo um dos repórteres da atração, o ‘rei’ fingiu ter comido a carne durante o comercial. Ainda falou que ele teria recebido para falar que deixou de ser vegetariano, após 30 anos. Tony rebateu a crítica: “Mas nem eu comi carne durante os meus comerciais”. 

Depois de todas polêmicas sobre o cantor ser ou não vegetariano, Tony Ramos voltou a ser a principal atração nos comerciais da marca. 

Manifestação em defesa do etanol reúne 4 mil em Jaú

24/04/2014 

Jaú, 24 – Manifestação contra a crise no setor sucroenergético reúne cerca de 4 mil pessoas nas proximidades do trevo entre as rodovias comandante João Ribeiro de Barros (SP-225) e Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), em Jaú, no interior de São Paulo. O evento, denominado Dia de Competitividade do Etanol é promovido pela Associação dos Plantadores de Cana da Região de Jaú (Associcana). Segundo a Associcana, quatro usinas da região paralisaram as atividades nesta quinta-feira, 24, para engrossar a manifestação.

Dezenas de caminhões, ônibus e tratores de usinas e fornecedores de cana da região de Jaú estão estacionados às margens do trevo, num terreno em frente da fabricante multinacional de máquinas agrícolas New Holland. A Polícia Militar controla a situação, que é tranquila, com fluxo normal nas duas rodovias. Representantes de agricultores, usineiros, trabalhadores do setor, prefeitos e deputados, discursam neste momento sobre o tema. “Estamos protestando contra a crise no setor e em defesa da competitividade do etanol. O setor não pode continuar vivendo com o fechamento de tantas usinas e tanto desemprego”, disse o presidente da Associcana, Eduardo Vasconcelos Romão.

A Associcana também programou uma blitz no centro de Jaú, que vai distribuir dois mil litros de etanol de graça para os motoristas que fixarem um selo com o lema da campanha em seus carros. A distribuição do etanol, segundo os organizadores, é para chamar a atenção da população sobre o problema vivido pelo setor.

 

Advogados de líder da greve da PM baiana entram com pedido de habeas corpus

Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

Advogados do líder do movimento grevista da Polícia Militar (PM) da Bahia, Marco Prisco, preso na tarde de ontem (18), protocolaram na manhã de hoje (19) um pedido de soltura na Justiça Federal. Prisco é presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra) e vereador em Salvador. Ele foi preso na Bahia e, posteriormente, transferido para o Complexo da Papuda, no Distrito Federal.

O pedido de habeas corpus foi feito ao Tribunal Regional Federal (TRF) e os advogados vão aguardar uma resposta até o fim do dia. “Não tem um porquê essa prisão. No pedido, alegamos a perda do objeto, que seria a garantia da ordem pública. O estado já está pacificado, os policiais estão trabalhando. Não há justificativa para essa medida. Para esse caso, existem outras medidas, como prisão domiciliar, por exemplo”, explicou um dos advogados de Prisco, Dinoermeson Tiago.

Prisco liderou um movimento grevista dos policiais militares da Bahia, que foi encerrado na última quinta-feira (17). A prisão dele, no entanto, foi motivada por outra greve, também encabeçada pelo vereador, em 2012. No ano passado, o Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) denunciou Prisco e mais seis pessoas por crimes praticados contra a segurança nacional durante essa paralisação.

Policiais militares na Bahia chegaram a considerar um aquartelamento, em repúdio à prisão de Prisco. O comandante da Polícia Militar da Bahia e a própria Aspra, no entanto, recomendaram que os policiais trabalhassem normalmente. “A Aspra entende que um processo de aquartelamento neste momento poderá trazer mais desconforto e insegurança para todos, policiais e sociedade civil”, disse a associação, em nota.

De acordo com a assessoria da PM, “o policiamento está sendo empregado gradativamente com a normalidade estabelecida”. Além disso, a Força Nacional e as Forças Armadas estão atuando em conjunto com os policiais militares.

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio