Arquivo da tag: Facebook

Facebook é criticado por estudo secreto sobre emoções

O Facebook está sendo criticado após revelações de que teria feito um experimento secreto para testar as emoções de quase 700 mil usuários.

Durante uma semana em 2012, a maior rede social do mundo manipulou o feed de notícias de um grupo de usuários para avaliar se o conteúdo das mensagens recebidas afetaria seu humor e o teor de suas próprias atualizações.

O estudo, feito em parceira com as universidade americanas de Cornell e da Califórnia, concluiu que os usuários que receberam menos posts negativos em seu feed tinham menos chances de escrever um post negativo e vice-versa.

Na divulgação da pesquisa, durante a 17ª edição dos Anais da Academia Nacional de Ciência, nos Estados Unidos, o co-autor Amdam Kramer, do Facebook, disse que a rede “considerava importante avaliar uma antiga premissa de que ver posts positivos dos amigos levam as pessoas se sentirem negativas ou excluídas”.

“Ao mesmo tempo, também estávamos preocupados com a hipótese de que a exposição à negatividade dos amigos pode levar as pessoas a evitar entrar no Facebook”, justificou.

O estudo gerou críticas de usuários e intelectuais do setor de tecnologia sobre a ética e o impacto que este tipo de pesquisa pode causar.

Em sua conta no Twitter, a pesquisadora de política e ética de dados Kate Crawford afirmou:

“Vamos chamar o experimento do Facebook do que ele é: o sintoma de uma falha muito maior em pensar sobre ética, poder e consentimento sobre plataformas (digitais)”.

Também pelo Twitter, Lauren Weinstein, que investiga tecnologia de sistemas , disse que o experimento secreto do Facebook “tentou fazer os usuários se sentirem tristes”.

“O que pode dar errado, indagou?”

Investigação

Por sua vez, Jim Sherida, parlamentar do Partido Trabalhista da Grã-Bretanha, pediu uma investigação sobre o assunto.

Em entrevista ao jornal The Guardian, ele defendeu uma legislação para proteger as pessoas contra este tipo de prática.

“Eles estão manipulndo material da vida pessoal dos usuários e eu estou preocupado com a habilidade do Facebook e de outros de controlarem os pensamentos das pessoas em política e em outras áreas”, criticou Sherida, que é membro do comitê seleto de mídia da Câmara dos Comuns.

No entanto, para Katherine Sledge Moore, professora de psicologia de Elmhurst College, em Illinois, a realização deste tipo de estudo “não é uma surpresa”.

“Considerando o que o Facebook faz com o feed de notícias dos usuários o tempo todo, e o que tivemos de concordar ao nos tornarmos usuárioso, esse estudo não é de se espantar”.

Durante a apresentação do experimento, Adam Kramer admitiu que o Facebook não expressou claramente suas intenções ao fazer a pesquisa.

“Eu posso compreender por que alumas pessoas estã preocupadas e eu e os outros co-autores lamentamos a forma como o experimento foi descrito e quaquer ansiedade causada”.

Fonte: BBC BRASIL

Facebook manipula dados de usuários para pesquisa científica

Para realizar experimento científico feed de notícias de aproximadamente 700 mil usuários foram manipulados por Facebook.

Para realizar experimento científico feed de notícias de aproximadamente 700 mil usuários foram manipulados por Facebook|REUTERS/Dado|Ruvic/Files
Taíssa Stivanin

Cerca de 700 mil usuários ingleses do Facebook participaram, sem saber, de uma pesquisa científica. O site modificou a timeline dos eleitos, aumentando o número de ‘posts’ negativos ou positivos, para saber como isso influenciava o humor dos internautas.

A pesquisa foi realizada entre 11 e 18 de janeiro de 2012 pelo Facebook e os cientistas das universidades de Cornell, em Nova York, e da Califórnia, em São Francisco. A timeline (linha do tempo) de 689 003 pessoas, escolhidas por acaso, foram modificadas para alterar o número de ‘posts’ positivos e negativos visíveis no feed.

Em seguida, as respostas dos usuários eram analisadas. O objetivo era saber se as reações no Facebook influenciavam o humor dos internautas e se havia uma espécie de “contágio emocional.” O Facebook possui um algoritmo, o Edge Rank, que faz esta seleção de acordo com o número de interações e compartilhamentos.

O estudo, publicado na revista científica americana PNAS no dia 17 de junho, constatou que os internautas mudavam de comportamento, publicando conteúdos de conotação mais positiva ou negativa, dependendo das mensagens publicadas na timeline.

 Contágio emocional

A pesquisa concluiu que as emoções “se comunicam”, e podem conduzir as pessoas a sentirem as mesmas emoções sem que ninguém tenha consciência disso. O Facebook age legalmente, já que ao aceitar as condições de utilização –que verdade seja dita, raramente são lidas até o fim- os internautas com perfil público cedem todo o conteúdo publicado no site.

Os autores concluíram que existe um “contágio emocional” em massa nas redes sociais. Outros estudos similares já haviam analisado o mesmo fenômeno, mas esta é a primeira que os autores manipulam os dados dos internautas diretamente na fonte.

Facebook diz que pesquisa ajudará a “melhorar serviços”

A imprensa americana questiona se o estudo, apesar de ser legal, é ético. Afinal, Facebook não esconde a manipulação sistemática dos dados de seus usuários. A rede social, que tem mais de 1 bilhão de internautas ativos inscritos, rejeita as acusações.

Ao jornal Le Monde, a porta-voz do site, Isabel Hernandez, disse que “as pesquisas são feitas para melhorar os serviços do Facebook, e uma grande parte delas é voltada para saber como as pessoas respondem aos conteúdos positivos ou negativos. “Examinamos as buscas com cuidado e temos um processo rigoroso”, justificou. Segundo o jornal The New York Times, Facebook é o único gigante da Internet que analisa e manipula dados de seus usuários. 

Jovem francês morre após participar de desafio no Facebook

Jovens marcam desafios pela rede social, mas brincadeira pode acabar mal.

Jovens marcam desafios pela rede social, mas brincadeira pode acabar mal|REUTERS/Dado Ruvic|RFI

A lista de vítimas dos “desafios Facebook” aumenta aos poucos. Um jovem francês de 19 anos morreu nesta quinta-feira (12) na cidade de Béganne (na Bretanha, oeste da França), ao se jogar em um rio com sua bicicleta. “É a primeira morte ligada a tais desafios na França”, disse o coronel Sylvain Laniel. As brincadeiras já preocupam as autoridades francesas.

Com a colaboração de Henrique Valadares

Este desafio, popular nas redes sociais, foi chamado de “Na água ou na mesa”. A missão dos jovens era se jogar na água dentro de 48 horas e se filmar. Caso contrário, o perdedor deveria pagar um jantar à pessoa que o desafiou.

Na cidade de Béganne, os desafiados tinham que se jogar no rio La Vilaine com suas bicicletas. A vítima, acompanhada de outro desafiado e uma terceira pessoa que filmou tudo, teria amarrado a bicicleta na perna, para não perdê-la. “Mas havia 6 metros de profundidade [no porto] e ele não conseguiu subir à superfície”, explicou o coronel Laniel.

Segundo o substituto do procurador local, Igor Souchu, “a vítima tentou várias vezes voltar à superfície, mas não pôde, por causa do peso da bicicleta”. Os dois amigos da vítima, presentes no momento do drama, estão em estado de choque, mas foram ouvidos. Um inquérito foi aberto, mas segundo Souchu, “os vídeos e testemunhos são claros” sobre o que aconteceu.

“Brincadeira dramática e estúpida”

Na quinta-feira, horas antes da morte, a Direção Geral da Polícia Nacional (DGPN) tinha alertado a população contra esses “desafios”, especialmente o “Na água ou na mesa”. Igor Souchu declarou também que “é uma brincadeira dramática e completamente estúpida”. “Esse caso tem que servir de exemplo para que esse tipo de desafio pare.”

O incidente ocorre depois da onda de “neknomination”, quando os desafiados se filmavam bebendo álcool. O desafio “Na água ou na mesa”, algumas vezes com pretextos humanitários, começou há algumas semanas na rede social e a contagiou. Domingo, em Calais (norte da França), a polícia conseguiu evitar um desastre ao dispersar um grupo de participantes. Segundo a polícia, um homem ficou gravemente ferido “com sequelas irreversíveis” após ter mergulhado no mar parcialmente congelado e profundo. O acidente ocorreu no último dia 31, devido ao mesmo desafio.

No mundo inteiro, muitos acidentes graves e alguns mortais foram associados aos desafios Facebook. É o caso especialmente dos Estados Unidos, onde surgiram.

Corinthians lança figurinhas virtuais; primeiro pacote tem ídolo Guerrero

A febre do álbum da Copa do Mundo levou o Corinthians a lançar seu próprio pacote de figurinhas virtuais. As imagens foram produzidas pelo designer digital Marcelo Masili e estão disponíveis na página do clube no Facebook.

O primeiro pacotinho liberado tem as figurinhas de Julio Cesar, Ferrugem, Petros, Jadson, Malcom e o ídolo Guerrero, autor dos gols do título mundial de 2012. A cada dia, novas imagens serão disponibilizadas no endereço http://www.facebook.com/corinthians.

Basílio e Sócrates não fazem efetivamente parte do pacote, mas Masili é corintiano e já produziu imagens dessas figuras históricas alvinegras. Elas podem ser conferidas em portfolio.masili.com.br/Idolatria-alvinegra.

Fonte: Gazeta Esportiva 

Pelo Facebook, homem anuncia que vai matar a esposa

Traição teria levado marido a esfaquear mulher, que foi enterrada nesta segunda-feira

O DIA|GUILHERME SANTOS

Rio – Revoltado com uma suposta traição, Franque do Nascimento Santos anunciou na rede social que iria matar sua esposa após “descobrir” que vinha sendo traído. No entanto, antes de executar Juliana de Melo Moreira, de 23 anos, com três facadas no pescoço, na manhã do último domingo, o acusado pediu desculpa ao filho do casal, que tem dois anos de idade: “Filho, papai te ama! Mamãe traiu e pagou. Safada vai morrer hoje”, postou o acusado no Facebook.

Juliana de Melo Moreira e Franque do Nascimento Santos eram casados há três anos e tinham um filho de dois. Ele matou a esposa por suspeitar que estava sendo traído

Foto:  Reprodução Facebook

Logo após o crime, que ocorreu na casa onde o casal residia, na Estrada do Taquaral, em Senador Camará, Zona Oeste do Rio, Franque, que era casado com Juliana há três anos, ligou para um amigo e se entregou na 33ª DP (Realengo), onde foi conduzido até Divisão de Homicídios (DH). Na especializada, ele confessou o crime e foi autuado em flagrante por homicídio.

O acusado chegou a dizer em depoimento que encontrou a esposa com outro homem na cama. No entanto, a família da vítima negou que tenha tido traição por parte de Juliana. “Eles estavam juntos em uma festa e a Jú não queria ir embora. Ela já vinha sendo ameaçada pelo Franque e no domingo, às 7h da manhã, foi estrangulada e levou três facadas no pescoço deste monstro”, contou Mayara Melo, de 18 anos, prima da jovem.

Segundo Mayara, Franque sempre se mostrou ser um bom esposo. Porém, nos últimos meses Juliana estava preocupada com o comportamento alterado do marido. “Ela ficou uma semana fora de casa e só voltou por causa do filho”, contou a prima da vítima, que é madrinha do casal. “Ele vai ficar com a avó materna. Depois do enterro, ele ficou me perguntando cadê a mamãe e eu disse que ela virou uma estrela”.

Condenada a 20 anos por criticar Khomeini no Facebook

Diário de Notícias|Luís Manuel CabralHoje

Uma cidadã britânica enfrenta uma pena de 20 anos numa prisão iraniana após ter criticado o antigo Supremo Líder deste país islâmico, o Ayatollah Khomeini, na Internet.

Segundo o jornal britânico “Daily Mail”, Roya Saberi Negad Nobakht, de Stockport, Manchester, tinha ido ao Irão visitar amigos quando decidiu publicar alguns comentários no Facebook que foram considerados ofensivos pelo regime iraniano.

A mulher, de 47 anos, que tem cidadania britânica e iraniana mas vive em Inglaterra há seis anos, foi presa em Shiraz, em outubro, por alegadamente ter feito comentários ofensivos sobre o antigo Supremo Líder iraniano, Ayatollah Khomeini. Após a sua detenção, Roya Nobakht foi acusada de colocar a segurança do país em risco ao tentar manipular a opinião pública com comentários ofensivos para o regime.

Roya Nobakht tinha viajado para o Irão em outubro, para passar três semanas de férias com amigos, e o seu marido ficou em pânico quando a mulher falhou o voo de regresso a Manchester. Daryoush Taghipoor viajou imediatamente para o Irão e passou mais de oito semanas à procura de Roya em hospitais, morgues e esquadras de polícia até descobrir que ela tinha sido detida.

Alertado para a situação, o Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico confirmou ao jornal que está a tratar do caso. “Estamos cientes que uma cidadã britânica foi detida no Irão e estamos a tentar perceber os contornos do caso em conjunto com as autoridades iranianas”.

Facebook poderia comprar um país com valor gasto em empresas

O Facebook já gastou mais de US$ 22 bilhões em aquisições de outras empresas desde sua fundação, em 2004. Com esse valor, daria para comprar um país como Afeganistão ou até vários times de esporte, segundo informações da Marketo, companhia que desenvolve software de automação de marketing para empresas.

A empresa comparou o valor total gasto pela rede social com diversos itens. O Facebook poderia comprar, por exemplo, um país como Afeganistão, que registrou um PIB de US$ 20,65 bilhões em 2013. Os US$ 22 bilhões ainda ultrapassam com facilidade os salários dos 500 CEOs mais ricos dos Estados Unidos, cuja soma foi de US$ 5,2 bilhões no ano passado.

Se Mark Zuckerberg quisesse investir na indústria do cinema, ele teria dinheiro o suficiente para cobrir os custos de produção de diversos filmes de sucesso. O valor gasto na produção do filme “Piratas do Caribe: No fim do mundo” foi de US$ 300 milhões, o de “X-Men: O confronto final” foi de US$ 210 milhões, e o de “Harry Potter e o Príncipe Mestiço” foi de US$ 250 milhões. A soma do custo de produção de 13 filmes blockbuster seria de cerca de US$ 3 bilhões, valor baixo se comparado com o investimento da rede social em novas empresas.

Grande parte dos US$ 22 bilhões foi gasta com a compra do WhatsApp por US$ 19 bilhões. A aquisição mais recente, da empresa de realidade virtual Oculus VR, foi de US$ 2 bilhões. Em 2012, mais US$ 1 bilhão foi gasto no Instagram. Além dessas, o Facebook gastou US$ 426 milhões em outros negócios menores.

Fonte: Terra

Um detento foi flagrado atualizando a própria página do Facebook dentro da Penitenciária Baldomero Cavalcanti de Oliveira, em Alagoas. Segundo a direção do presídio, agentes prisionais faziam uma revista de rotina e encontraram o celular do interno. Ele foi identificado como Silvio da Silva e autuado em flagrante pelo delito. Segundo a direção, o detento foi transferido ainda no fim da tarde desta quarta-feira (21). Outros aparelhos eletrônicos e celulares foram recolhidos dentro das celas. Foto: Reprodução Foto: Reprodução

DIÁRIO DA MANHÃ|TALLITA GUIMARÃES

Um detento foi flagrado atualizando a própria página do Facebook dentro da Penitenciária Baldomero Cavalcanti de Oliveira, em Alagoas. Segundo a direção do presídio, agentes prisionais faziam uma revista de rotina e encontraram o celular do interno.

Ele foi identificado como Silvio da Silva e autuado em flagrante pelo delito. Segundo a direção, o detento foi transferido ainda no fim da tarde desta quarta-feira (21). Outros aparelhos eletrônicos e celulares foram recolhidos dentro das celas.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Facebook está desenvolvendo app de chat de vídeo, diz jornal

O Facebook está desenvolvendo seu próprio aplicativo de chat de vídeo, conhecido internamente como Slingshot, depois de ter tentado – sem sucesso – adquirir a startup de mensagens móveis Snapchat. As informações foram reportadas pelo Financial Times neste domingo.

O Facebook vem trabalhando por vários meses no app de chat de vídeo, que permitiria aos usuários enviar mensagens curtas em vídeo usando a tela touch screen. O jornal citou fontes não reveladas familiares com os planos da empresa.

O Slingshot tem chances de ser lançado neste mês, mas o Facebook ainda poderia mudar de ideia e não prosseguir com o lançamento do app, de acordo com uma fonte.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, está dirigindo o projeto “top secret” depois de a rede social não ter conseguido fazer um acordo de US$ 3 bilhões no ano passado com os criadores do Snapchat, Evan Spiegel e Bobby Murphy.

O Snapchat, popular entre adolescentes, permite aos usuários enviar fotos e mensagens pelo smartphone que automaticamente desaparecem depois de alguns segundos.

Fonte: Terra 

Com US$ 28,5 bilhões, Mark Zuckerberg completa 30 anos

Mark Zuckerberg completa 30 anos de idade nesta quarta-feira. Cofundador e CEO do Facebook, o executivo que tem uma fortuna estimada em R$ 28,5 bilhões é filho do dentista Edward Zuckerberg com a psiquiatra Kristen Zuckerberg. De ascendência judia, mas ateu declarado, “Zuck” como conhecido entre os amigos, cresceu em Dobbs Ferry, Nova York.

Seu pai fez crescer a programação nos olhos do garoto logo no começo da década de 1990, ao ensinar a programação básica do videogame Atari à criança. Posteriormente, Edward Zuckerberg contratou o programador de software David Newman para ser o tutor particular de seu filho.

Durante seus anos no ensino fundamental e médio, Mark Zuckerberg chegou a programar um comunicador instantâneo para a clínica de seu pai chamado “ZuckNet” (similar ao AOL Messenger) e um tocador digital conhecido como “Synapse Media Player” que chegou a receber nota 3 de 5 na revista PC Magazine.

AOL e Microsoft fizeram ofertas pelo Synapse, mas ele não aceitou.

Aos 18 anos de idade Mark Zuckerberg entraria na prestigiada Universidade de Harvard. Durante o segundo ano na instituição, ele lançou o “Thefacebook – uma produção de Mark Zuckerberg”, um diretório de estudantes online. Na definição do site estaria “tornar o mundo mais conectado”, afirmação utilizada pelo programador em seu site pessoal em 4 de fevereiro de 2004.

Fonte: Terra