Arquivo da tag: governo do estado

Em SP, falhas em trens atrasam início do Expresso Copa

01/07/2014

São Paulo, 01 – Um problema nas linhas 12-Safira e 11-Coral da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) causaram lentidão na manhã desta terça-feira, 01, e atrasaram o início do funcionamento do Expresso da Copa, que levaria torcedores ao Estádio do Itaquerão, onde ocorre às 13h a partida entre Argentina e Suíça. O início da operação era previsto para as 9h30 e começou perto das 10h.

Segundo a assessoria da CPTM, por volta das 8h40 passageiros de duas composições da Linha 11-Coral que estavam paradas entre as estações Brás e Luz acionaram o dispositivo de segurança para abrir as portas dos vagões, e começaram a caminhar pelos trilhos para a estação Luz, o que interrompeu a movimentação de trens e causou superlotação nas plataformas.

Latrocínios crescem 125% na Baixada Santista de janeiro a maio

A Tribuna|Sandro Thadeu

As estatísticas da Secretaria de Estado da Segurança Pública, divulgadas mensalmente, reforçam que a insegurança não é apenas uma sensação dos moradores da Baixada Santista, mas uma realidade.

Ao se compararem os dados de janeiro a maio de 2013 com o mesmo período deste ano, é possível observar que, embora o número de homicídios dolosos tenha caído (de 89 para 78), a quantidade de latrocínios (roubos seguidos de morte) subiu de oito para 18.

Em termos percentuais, a elevação, de 125%, vai na contramão do cenário paulista porque o número desses crimes permaneceu igual no Estado (173 ocorrências).

Esse tipo de delito aconteceu seis vezes em Praia Grande e cinco em São Vicente nos últimos meses. Apenas Cubatão e Peruíbe não contabilizaram ocorrências desse gênero.

A alta de 34,2% no total de roubos está próxima do nível paulista (32,9%), mas não deixa de surpreender: de 7.463 saltou para 10.016. Com exceção de Guarujá e Mongaguá, registrou-se aumento nos demais municípios da região.

Em números absolutos, o maior crescimento foi identificado em Praia Grande (807 ocorrências a mais), seguido de perto por Santos (778). Em Peruíbe, essa marca mais do que dobrou no período – de 198 para 408.
 

Homicídios crescem 6,4% no Estado de SP em maio, diz SSP

25/06/2014 

São Paulo, 25 – O número de homicídios no Estado de São Paulo aumentou 6,4% em maio, em comparação com o mesmo mês do ano passado, informou na tarde desta quarta-feira, 25, a Secretaria de Segurança Pública (SSP). O número de casos passou de 329 para 350. Os roubos (exceto de veículos) cresceram 33,6%, de 21.209 para 28.336 casos – maior número desde janeiro de 2012, quando os dados começaram a ser divulgados pela SSP no site.

De acordo com o órgão, os objetos mais roubados são documentos, aparelhos de comunicação como celulares e dinheiro. Pedestres são as maiores vítimas. Já o número de furtos caiu 2,4%, passando de 46.767 para 45.631. A quantidade de casos de roubos de veículos no Estado cresceu 13,9% (de 7.606 para 8.664 casos). O crescimento do número de furtos de veículos em maio, em comparação com o mesmo mês do ano passado, foi ainda maior: 17,7%. O número de casos passou de 9.453 casos para 11.122 no mês passado – maior índice desde o começo de 2012.

PMDB muda slogan de Skaf: “São Paulo quer o melhor”

Diante da polêmica criada pelo candidato petista Alexandre Padilha ao governo do Estado, o PMDB decidiu mudar o slogan de Paulo Skaf. Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, o marqueteiro Duda Mendonça mudou o nome da coligação para “São Paulo quer o melhor”. O PT anunciou em nota, nesta quarta-feira 18, que irá dar entrada na Justiça com um processo por “plágio” contra o Skaf. Na convenção que homologou o candidato, despontou como principal mote de sua campanha “Para mudar de verdade”. No sábado 15, Padilha foi oficializado na disputa com o slogan “Mudar de Verdade”.  “Precisa ver se o PT concorda. Se não, criamos outro”, ironizou Duda Mendonça.

Fonte: Brasil247

Homem é morto a facadas em bairro nobre de São Paulo

De A Tribuna On-line

O corpo de um homem foi encontrado, na madrugada desta terça-feira, na calçada da avenida Pacaembu, no bairro nobre de Perdizes, zona oeste da capital paulista. De acordo com a Polícia Militar, a vítima foi esfaqueada no pescoço.

Segundo a PM, uma pessoa que passava pela via encontrou o corpo e chamou a polícia, por volta das 2h. A vítima não portava documentos e, por isso, não foi identificada. Segundo a Polícia Civil, o homem aparenta ser um morador de rua.

O caso foi encaminhado ao 91º Distrito Policial (Ceagesp), mas será investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Metrô recebe multa de R$ 8 mil por demissões

 O ESTADO DE S. PAULO|ADRIANA FERRAZ 

As 42 demissões por justa causa promovidas pelo Metrô para pôr fim à paralisação dos metroviários foram consideradas abusivas pela Superintendência Regional do Trabalho em São Paulo. Para o órgão, a companhia agiu de forma antissindical e, por isso, foi notificada a pagar cerca de R$ 8 mil ao Ministério Público do Trabalho (TRT), de acordo com informações da TV Globo. A empresa afirmou no sábado, 14, que vai recorrer.

Iniciada em 5 de junho, a greve teve duração de cinco dias e afetou até 3,9 milhões de pessoas. O sindicato que representa a categoria exigia reajuste de 12,8%. Mas acabou aceitando o índice de 8,7% oferecido pelo Metrô e confirmado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que considerou a paralisação ilegal.

 

A decisão da Justiça deu respaldo às demissões, segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que também cita atos de vandalismo e depredação de estações como justificativa para as dispensas. Desde segunda-feira passada, quando o governo anunciou as demissões, metroviários tentam convencer o Metrô a recuar. Mas oficialmente isso não ocorreu.

Outra multa. O sindicato dos metroviários também foi multado por promover a greve. Inicialmente, o valor diário foi fixado em R$ 100 mil, mas depois passou para R$ 500 mil. A Justiça ainda bloqueou bens da entidade, o que deu início à uma campanha interna para arrecadar a soma cobrada pelo TRT.

Apesar de afirmar que vai recorrer, o Metrô não informou o valor exato da autuação nem comentou a decisão.

 

Metroviários farão nova assembleia para decidir greve na Copa

De A Tribuna On-line

Metroviários de São Paulo devem se reunir nesta quarta-feira, às 18h30, para decidir se haverá paralisação na quinta-feira, dia de abertura da Copa do Mundo na capital paulista. A greve foi suspensa na terça-feira.

A catagoria, que já pediu cerca de 35% de reajuste, agora reivindica 12,2%. Já o Metrô afirma que não dará mais do que 8,7%. O Tribunal Regional do Trabalho julgou a greve abusiva e aumentou a previsão de multa diária de R$ 100 mil para R$ 500 mil para o sindicato caso o Metrô não opere com 100% da capacidade no horário de pico. Também bloqueou as contas do sindicato para garantir o pagamento de R$ 900 mil pelos dias parados.

Uma das medidas que podem mais ter impactado a greve, porém, foi a demissão de 42 funcionários na segunda-feira (9). As demissões ocorreram pela manhã, e, à tarde, o Metrô já conseguia abrir estações que tinham ficado fechadas nos outros dias de greve, como Belém, Tatuapé e Carrão.

Na terça-feira, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) assegurou que a cidade terá metrô na abertura da Copa do Mundo, apesar da ameaça de os metroviários retomarem a paralisação das linhas, em assembleia à noite, por causa da demissão confirmada de 42 funcionários. “Nós teremos tanto o Metrô quanto a CPTM (os trens)”, ressaltou. “É difícil, aliás, você ter um estádio (como o Itaquerão) que tenha, na porta, uma linha de metrô, a 3 (Vermelha) e uma linha de trem, que é a linha 11 da CPTM.” Caso haja problemas, o governo já preparou uma lista – que teria até 300 funcionários que participaram da greve e podem também ser demitidos.

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova Cintra

Homem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova CintraHomem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Estado de Minas| Cristiane SilvaLuana Cruz TV Alterosa

11/06/2014

Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII (Leandro Couri/EM/DA Press)  
Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII

Na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, um argentino foi alvo de um ato violento em Belo Horizonte. O homem de 34 anos teve um dos dedos quebrado ao ser agredido na noite de terça-feira, no Bairro Nova Cintra, Região Oeste da capital.

Ruben Francisco Lucero deu entrada no Hospital João XXIII às 21h de ontem, conforme a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). O argentino, que mora na capital há dois anos, estava no carro com a esposa brasileira e a filha de 2 anos quando foi atacado. Segundo Lucero, ele tinha uma bandeira da Argentina enrolada na mão quando três homens passaram e puxaram objeto, quebrando o dedo da vítima. O homem terá que passar por uma cirurgia. 

 

O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero (Leandro Couri/EM/DA Press)  
O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero

“Pode ser da Argentina, pode ser da Colômbia. Então imagina quando os turistas realmente chegarem no Brasil, o que vai acontecer? A ponto de quebrar o dedo para ter que fazer uma cirurgia, dá indignação”, lamentou Júnia Paula, esposa de Ruben.

A Polícia Militar (PM) informou que o argentino não registrou boletim de ocorrência sobre a agressão. A assessoria de imprensa da corporação soube do caso, mas acredita que ele tenha ido ao hospital por meios próprios sem avisar às autoridades.

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova CintraHomem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Estado de Minas| Cristiane SilvaLuana Cruz TV Alterosa

11/06/2014

Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII (Leandro Couri/EM/DA Press)  
Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII

Na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, um argentino foi alvo de um ato violento em Belo Horizonte. O homem de 34 anos teve um dos dedos quebrado ao ser agredido na noite de terça-feira, no Bairro Nova Cintra, Região Oeste da capital.

Ruben Francisco Lucero deu entrada no Hospital João XXIII às 21h de ontem, conforme a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). O argentino, que mora na capital há dois anos, estava no carro com a esposa brasileira e a filha de 2 anos quando foi atacado. Segundo Lucero, ele tinha uma bandeira da Argentina enrolada na mão quando três homens passaram e puxaram objeto, quebrando o dedo da vítima. O homem terá que passar por uma cirurgia. 

O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero (Leandro Couri/EM/DA Press)  
O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero

“Pode ser da Argentina, pode ser da Colômbia. Então imagina quando os turistas realmente chegarem no Brasil, o que vai acontecer? A ponto de quebrar o dedo para ter que fazer uma cirurgia, dá indignação”, lamentou Júnia Paula, esposa de Ruben.

A Polícia Militar (PM) informou que o argentino não registrou boletim de ocorrência sobre a agressão. A assessoria de imprensa da corporação soube do caso, mas acredita que ele tenha ido ao hospital por meios próprios sem avisar às autoridades.

 

Metroviários de São Paulo ameaçam fazer a “maior greve” da história na abertura da Copa

Passageiro em estação de metrô em São Paulo.

Passageiro em estação de metrô em São Paulo|REUTERS/Murad Sezer
Cíntia Cardoso

Depois de decidirem suspender a paralisação por 48 horas nesta segunda-feira (9), os metroviários voltam a fazer ameaças. Em entrevista à RFI, o secretário-geral do sindicato dos metroviários de São Paulo, Alex Fernandes, disse que a categoria exige a readmissão dos grevistas demitidos.

Se as negociações entre os sindicalistas e o governo de São Paulo não avançarem, a capital paulista pode ficar sem metrô na abertura da Copa do Mundo nesta quinta-feira (12). O sindicato, porém, ainda acredita em uma negociação. “Estamos tentando a todo custo uma negociação com o governo. Para além das demissões, queremos garantias do acordo salarial. A linha do sindicato é que se até o dia 11 às 18h (em São Paulo) não houver uma negociação que reintegre os demitidos não haverá metrô dia 12. Faremos uma greve no dia da inauguração da Copa”, declarou Alex Fernandes.

Para o sindicalista, o Geraldo Alckmin (PSDB), é “intransigente” e “não está nem aí para população de São Paulo. Prova disso é que propusemos fazer uma greve com catracas livres e ele rejeitou”, argumentou. Desde segunda-feira, o sindicalista afirma que os contatos com os governos -estadual e federal- foram infrutíferos. Os sindicalistas aceitaram o reajuste salarial de 8,7%, mas eles podem retomar a greve caso não consigam negociar também o cancelamento das demissões.

Diante do impasse, os metroviários de São Paulo ameaçam fazer “a maior greve da história de São Paulo” nesta quinta-feira se as reivindicações não forem atendidas.

Posição oficial

O governador Alckmin prometeu que o metrô irá funcionar na próxima quinta-feira (12). Segundo Alckmin, uma nova manifestação seria “oportunismo” dos metroviários. “Nós teremos, tanto o Metrô, quanto a CPTM”, disse o governador.

Alex Fernandes rejeita as acusações de Alckmin e insiste que as reivindicações salariais sempre acontecem em maio, mês de negociação dos dissídios.

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio