Arquivo da tag: Grupo B

Holanda vence o Chile e garante a liderança do Grupo B

Lefroy Fer e Depay fizeram os gols do triunfo da Laranja

O DIA

São Paulo – A Holanda superou o ímpeto chileno, neutralizou a maioria das jogadas do adversário e venceu o duelo por 2 a 0, nesta segunda-feira, na Arena Corinthians. Aproveitando a baixa estatura da seleção sul-americana, a Laranja usou a bola parada para abrir o caminho do triunfo. Leroy Fer, substituto de Sneijder na segunda etapa, concluiu o cruzamento de Janmaat e abriu o placar. No fim, em contra-ataque, Depay decretou os 100% de aproveitamento da equipe. 

O resultado confirma a equipe na liderança do Grupo B. Agora, os comandados de Van Gaal esperam a definição do Grupo A (do Brasil) para conhecer seu adversário nas oitavas de final. O Chile, em segundo, está na mesma situação.

Leroy Fer abriu o placar para Holanda

Foto:  Reuters

O JOGO

Como já virou tradição nesta Copa do Mundo, os chilenos cantaram o hino à capela antes do começo da partida. Quando a bola rolou, o show continuou sendo nas arquibancadas. Os torcedores empurravam a seleção sul-americana, mas o jogo era igual, sem grandes oportunidades para os dois lados.

A primeira boa chance aconteceu somente aos 33 minutos. Em cobrança de falta, De Vrij cabeceou e quase marcou o primeiro da Holanda. A Laranja se animou. No lance seguinte, Robben por pouco não fez um golaço. Arrancou do meio de campo, passou pela marcação, invadiu a área e chutou cruzado. A bola saiu caprichosamente pela linha de fundo.

O Chile respondeu. Diaz levantou na marca do pênalti, Gutiérrez, de costas, testou firmemente, mas mandou por cima. O primeiro tempo terminou e foi de muita marcação. Os times mostraram quase nada de futebol.

Na volta para segunda etapa, o técnico chileno decidiu mexer na equipe. Beausejour entrou no lugar de Gutiérrez para tentar melhorar a criação de jogadas ofensivas. O jogo, no entanto, continuava truncado. O Chile até buscava mais o ataque. Contudo, a Holanda se fechava bem e esperava o contragolpe.

Cillessen foi exigido pela primeira vez aos 19. Sánchez driblou um defensor na ponta esquerda, entrou na área, mas bateu em cima do goleiro. A Holanda rapidamente deu a resposta. Robben, sempre ele, arriscou de longe e parou em Bravo. Sampaoli mostrou que estava disposto a vencer. Tirou o zagueiro Francisco Silva para botar o meia Valdivia. Jogando junto da equipe, a torcida chilena cantava alto na Arena Corinthians. Apesar disso, quem abriu o placar foi a Holanda. Em cobrança de escanteio curto e cruzamento de Janmaant,  Leroy Fer subiu mais que todo mundo e mandou para o fundo da rede: 1 a 0.

O Chile partiu para cima em busca da virada e deixou espaços. Em contra-ataque, a Laranja confirmou a vitória. Robben deixou Depay na boa para empurrar para o gol e decretar o triunfo: 2 a 0.

CHILE 0 X 2 HOLANDA

Árbitro : Bakary Gassama (Gâmbia)

Público: 62.996 presentes

Gols : Leroy Fer (31’2ºT), Depay (46’2ºT)

Cartões amarelos : Francisco Silva (Chile), Blind (Holanda)

Cartões vermelhos:

Chile: Bravo, Medel, Francisco Silva (Valdívia), Jara, Isla; Díaz, Aránguiz, Gutiérrez (Beausejour), Mena; Vargas e Sánchez

Holanda: Cillessen, Janmaat, Vlaar, De Vrij, Blind; De Jong, Sneijder (Leroy Fer), Wijnaldum; Robben, Kuyt (Kongolo) e Lens (Depay)

‘Penso em todos e eles só pensam em si mesmos’, diz Del Bosque sobre atletas

Técnico espanhol comentou entrevero com Fábregas e disse que não definiu se permanecerá na seleção espanhola

IG

Paraná – A passagem frustrante da Espanha pelo Brasil na Copa do Mundo de 2014 acaba nesta segunda-feira, quando os espanhóis encaram a Austrália, na Arena da Baixada, em Curitiba, às 13h. Sem a definição sobre o futuro no comando da seleção, Vicente del Bosque criticou a postura dos jogadores, eliminados precocemente do mundial.

Del Bosque reclama da atitude dos jogadores da Espanha

Foto:  Reuters

O técnico respondeu sobre a polêmica com o meia Cesc Fábregas. O jogador teria relutado a entregar o colete de titular para Xabi Alonso durante treinamento. Del Bosque teve de insistir para Fábregas, que teria reprovado o pedido do treinador.

“Eu não tirei o colete dele. Foi um assunto menor. Eles estavam com um a menos no time, pois Piqué estava machucado e coloquei Xabi Alonso. Estou agradecido aos jogadores. Mas eu penso em todos e eles só pensam em si mesmos”, afirmou em entrevista à emissora espanhola Cuatro.

Sobre a eliminação precoce da Copa, após derrotas para Holanda e Chile, o técnico evitou culpar aspectos fora de campo. “Foi uma questão futebolística. Não quero buscar desculpas como o calendário. Talvez tenha pesado algum aspecto físico ou tático”.

Campeão do mundo em 2010, o técnico disse que ainda não definiu se permanece na seleção espanhola depois da Copa do Mundo, mas assegura que tem a confiança dos dirigentes.

“Se temos a confiança da Federação, é porque algo de bom fizemos nesses seis anos. Vou pensar, preciso ver o que é melhor para a Espanha. Não tomei nenhuma decisão. É certo que tenho tido apoio da Federação, mas isso não quer dizer que não haverá uma conversa após o Mundial para saber qual é a situação real”, concluiu Vicente del Bosque.

Chile despacha a Espanha, garante vaga nas oitavas e elimina atuais campeões

Após tumulto antes do jogo, vitória por 2 a 0 no Maracanã sela classificação chilena e holandesa para a fase final do Mundial

O DIA

Rio – Nada deu certo para a Espanha. O Chile transformou os 90 minutos da partida desta quarta-feira, no Maracanã, num verdadeiro drama para a atual campeã do mundo. A única coisa que a Fúria não podia era perder, mas foi assim que terminou o segundo capítulo da história espanhola na Copa do Mundo. Vargas e Aránguiz foram os maiores vilões e deixaram o campo dando adeus para o “tiki-taka” no Mundial. Nem mesmo ter barrado Piqué e Xavi fez Del Bosque ver sua equipe dar a volta por cima após a goleada sofrida na estreia. Muita coisa ainda vai acontecer na Copa, mas não para a eliminada Espanha.

Antes de a bola rolar, o Maracanã já havia se deparado com grandes confusões. Primeiro, um grupo de torcedores chilenos invadiu o estádio e foi contido por seguranças e policiais na área de imprensa. Além disso, fogos foram soltos na arquibancada antes do apito inicial do árbitro. Dentro de campo, a invasão também foi chilena, mas para garantir a vaga nas oitavas e despachar os atuais campeões do mundo.

Adiós, ‘tiki-taka’! Chile vence a Espanha por 2 a 0 e atual campeã dá adeus à Copa do Mundo

Foto:  André Luiz Mello

Show nas arquibancadas

Os chilenos roubaram a cena logo durante o início da tarde carioca. Os bairros ao redor do Maracanã foram pintados de vermelho desde cedo. A “invasão” chilena tomou conta das ruas e bares da região. Ônibus, carros, bicicletas… Os visitantes não queriam saber qual seria a melhor maneira de chegar ao estádio, mas a certeza era uma só: ia ter festa!

Nas arquibancadas, o Chile levava vantagem. Com um contingente de torcedores maior que os espanhóis, os gritos que embalaram a vitória sobre a Austrália na Arena Pantanal se repetiram: “chi, chi, chi… le, le, le… Chile, Chile, Chile!”. Mesmo em menor número, os espanhóis também maracaram presença e fizeram a festa. O lado triste ficou mesmo pela eliminação.

Durante o segundo tempo, os espanhóis ainda sofreram com a provocação dos torcedores chilenos, que gritavam “olé” a cada toque de bola da seleção sul-americana. No fim, até o adeus foi decretado pelos torcedores aos gritos de “eliminados”. Agora, o jeito para os espanhóis é começar a preparar as malas. Já o Chile ainda vai em busca da liderança do Grupo B, no duelo com a Holanda, na próxima segunda-feira.

Crianças pintam o rosto e colaboram no show da torcida do Chile no Maracanã

Foto:  André Luiz Mello

O JOGO

Em campo, não foi preciso nem sequer um minuto para o Chile assustar a Espanha pela primeira vez. O ataque foi rápido e resultou em escanteio após chute de Vargas, tendo uma boa cabeçada de Jara indo para fora e concluindo a jogada. O início de jogo contou com um volume bem maior do futebol chileno.

Buscando o resultado, a Espanha passou a apostar em David Silva para a criação das jogadas. O camisa 21 buscava espaços e tentava organizar o setor ofensivo espanhol, mas acabava parado com faltas. Num dos melhores ataques dos europeus, Diego Costa recebeu na direita e tentou chute cruzado. Na sobra, a bola acabou sendo rebatida na área, mas o lance foi parado em razçao de um impedimento.

O início de reação, no entanto, não foi o suficiente. O Chile voltou a acordar e deu um passo importante para encaminhar a vaga nas oitavas. Velocidade e tranquilidade marcaram a jogada chilena que foi finalizada com maestria por Vargas. Após o passe de Sánchez, o camisa 11 deslocou Casillas e abriu o placar no Maracanã.

O gol chileno foi um balde de água fria na reestruturação espanhola. Depois de terem aberto o placar, os sul-americanos passaram a reforçar o sistema defensivo e ainda pressionavam toda saída de bola da Fúria. Os europeus encontravam grandes dificuldades para articular as jogadas e, quando chegavam ao ataque, o último passe não era feito com sucesso.

A Espanha era irreconhecível. Sem “tiki-taka” e sequer um bom trabalho tático, a Fúria sofreu o segundo gol ainda no primeiro tempo. Eram 42 minutos quando Casillas espalmou cobrança de falta para o meio da área, mas não conseguiu segurar o rebote de Aranguiz. Bola na rede e vaga ainda mais perto do Chile ao término do primeiro tempo.

Espanha teve muita dificuldade para segurar o Chile

Foto:  André Luiz Mello

A postura no segundo tempo começou diferente. Del Bosque apostou na entrada do jovem Koke no lugar do experiente Xabi Alonso logo no intervalo e viu a equipe iniciar a segunda etapa com um ímpeto muito mais ofensivo. Iniesta passou a aparecer mais para o jogo, tirando o peso de cima de David Silva, mas a situação estava mesmo difícil para os espanhóis.

Um drama marcava o segundo tempo da Espanha. A atual campeã precisava, no mínimo, do empate para seguir viva na Copa e passou a buscar totalmente o ataque no Maracanã. Diego Costa chegou a ter uma grande chance de marcar o primeiro gol da Fúria, mas perdeu a oportunidade de maneira incrível. Enquanto o Chile passava a jogar num sistema mais defensivo, os europeus buscavam o ataque a todo custo.

O relógio era mais um adversário da Espanha e Del Bosque resolveu apostar as fichas no veterano Fernando Torres. O atacante entrou no lugar de Diego Costa que, mais uma vez, deixou o campo vaiado. A tática do Chile funcionava como era planejado. Os contra-ataques eram perigosos e Isla chegou perto de matar o jogo aos 23 minutos: bola cruzada, Casillas batido, mas bola por cima do gol.

A reta final da partida serviu para sacramentar o drama espanhol. Nem mesmo a entrada de Cazorla ajudou a Fúria. Boas chances até foram criadas, mas nada dava certo, e o goleiro Claudi Brava brilhava no gol chileno. Os atuais campeões foram dominados mais uma vez e deram adeus ao Mundial de maneira traumática e antecipada.

Agora, o Chile volta a campo às 13h da próxima segunda-feira, na Arena Corinthians. O compromisso valerá a liderança do Grupo B, definindo quem enfrenta quem no cruzamento com o grupo do Brasil. A despedida espanhola do Mundial acontecerá no mesmo horário, mas no duelo com a Austrália, na Arena da Baixada.

Casillas voltou a falhar na partida e viu a Espanha ser eliminada da Copa do Mundo

Foto:  André Luiz Mello

FICHA TÉCNICA

Espanha 0x2 Chile

Estádio: Maracanã (Rio de Janeiro) 
Público: 74.101 presentes 
Árbitro: Mark Geiger (Estados Unidos) 
Gols: Vargas (20′ do 1ºT), Aránguiz (42′ do 1ºT) 
Cartão amarelo: Xabi Alonso (Espanha); Vidal e Mena(Chile) 
Cartão vermelho: –

Espanha: Casillas, Azpilicueta, Sergio Ramos, Javi Martínez, Jordi Alba; Busquets, Xabi Alonso (Koke), Iniesta, David Silva; Pedro (Cazorla) e Diego Costa (Fernando Torres). Técnico: Vicente del Bosque. 

Chile: Claudio Bravo, Medel, Francisco Silva, Gonzalo Jara, Isla; Marcelo Díaz, Aránguiz (Gutiérrez), Vidal (Carbona), Mena; Alexis Sánchez e Vargas (Valdivia). Técnico: Jorge Sampaoli.

Holanda passa sufoco, fica atrás no placar, mas vence a Austrália

Para quem esperava novo show da Laranja, os socceros surpreenderam e fizeram uma partida dura no Beira-Rio

O DIA

Rio Grande do Sul – Os torcedores que foram ao Beira-Rio nesta quarta-feira puderam presenciar uma bela partida de futebol entre Austrália e Holanda. Apesar do favoritismo laranja, os socceros engrossaram o caldo e por pouco não conseguiram o triunfo para embolar de vez o Grupo B da Copa do Mundo. Valentes, estiveram na frente do placar, mas acabaram derrotados por 3 a 2, por conta da falha do goleiro Mat Ryan no gol de Depay, aos 23 minutos do segundo tempo. 

A dificuldade diante dos australianos ligou o alerta vermelho na Holanda. Sem repetir a bela atuação da goleada sobre Espanha por 5 a 1, os comandados de Van Gaal perceberam que não se pode subestimar qualquer adversário no Mundial. Contra o Chile, no dia 23 de junho, na Arena Corinthians, a vitória garantirá a vaga e a primeira colocação nesta primeira fase. Em caso de triunfo dos chilenos sobre a Espanha, no Maracanã, nesta quarta-feira, a Austrália estará eliminada da Copa.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Robben fez o primeiro gol da partida

Foto:  Reuters

O JOGO

Depois de 19 minutos de muita transpiração e pouca inspiração das duas equipes, Robben mostrou ao que veio. Escapou da falta, arrancou do meio de campo, invadiu a área e bateu sem chances para o goleiro: 1 a 0. Os holandeses, no entanto, não tiveram nem tempo de comemorar. Logo na saída de bola, Tim Cahil recebeu lançamento longo e mesmo marcado por dois zagueiros pegou de primeira para fazer um golaço: 1 a 1.

A igualdade no placar animou os socceros. Controlando a posse de bola e bem postados em campo, não davam chances para Laranja e quase conseguiram a virada quando se lançaram ao ataque. Aos 30, Leckie avançou pela ponta direita e cruzou na área. Bresciano apareceu na frente do gol, mas desperdiçou ótima oportunidade.

No final do primeiro tempo, o atacante autor do gol da Austrália fez falta dura no zagueiro Indi, recebeu o segundo cartão amarelo e irá desfalcar a equipe no jogo contra a Espanha. O defensor teve que sair de campo machucado e foi substituído pelo atacante Depay.

Van Gaal mudou o esquema tático tentando deixar a equipe mais ofensiva. Na volta para segunda etapa, a Holanda até assustou primeiro com Sneijder, mas foi a Austrália quem fez o segundo. Aos 8, Bozanic tentou o cruzamento, a bola bateu no braço de Jamaant e o árbitro argelino assinalou pênalti. Jedinák foi para batida e colocou 2 a 1 no placar. A Holanda reagiu rapidamente. Van Persie recebeu passe açucarado quase na pequena área, e soltou a bomba para empatar o duelo.

A Austrália jogava bravamente e encarava os holandeses sem medo. A valentia quase deu resultado. Aos 22, a zaga laranja saiu jogando errado, os socceros roubaram a bola, Jedinak tentou mandar para o gol de peito, mas Cillessen. E como quem não faz, leva. No lance seguinte, Depay arriscou o chute de longe e contou com a falha de Mat Ryan para colocar a Holanda de novo na frente: 3 a 2.

Mais tranquilo e a frente no placar, a Holanda passou a dominar o duelo e criou mais uma oportunidade para ampliar o marcador. De Jong recebeu na grande área, bateu forte, mas parou na defesa do goleiro. No fim, os socceros foram para o abafa, e quase tomaram o quarto no contra-ataque. Lens limpou a defesa, chutou, mas parou no goleiro. 

AUSTRÁLIA 2 X 3 HOLANDA

Árbitro: Djamel Haimoudi (Argélia)

Estádio : Beira-Rio (Porto Alegre)

Gols: Robben (19’1ºT) Tim Cahil (20’1ºT), Jedinak (09’2ºT), Van Persie(12’2ºT), Depay(23’2ºT)

Cartões Amarelos:  Van Persie (Holanda), Cahil (Austrália) 

Cartões Vermelhos:

Austrália: Ryan, Davidson, Spiranovic, Wilkinson e McGowan; Bresciano, Leckie, Jedinak e McKay; Cahill e Oar.

Holanda: Cillessen, Blind, Indi (Depay), Vlaar, De Vrij e Janmaat; De Guzmán, De Jong e Sneijder; van Persie e Robben.

Após golear a Espanha na estreia, Holanda tenta manter boa atuação diante da Austrália

Comandados de Louis van Gaal devem entrar em campo com esquema mais ofensivo

18/06/2014 

 Gazeta Press

 

AFP PHOTO/William WEST

Após massacrar a Espanha, a Holanda já tem outro desafio pela frente na fase de grupos. Nesta quarta-feira, a Laranja Mecânica enfrenta a Austrália, às 13 horas (de Brasília), no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Os aussies, por outro lado, tentarão deter o embalo holandês.

Para o duelo contra os australianos, a seleção da Holanda deverá mudar a formação tática do duelo contra a Furia. A ideia inicial era utilizar o esquema 5-3-2 apenas no jogo com a Espanha devido à eficiência do ataque espanhol.

Assim, o técnico Louis van Gaal decidiu fazer um sistema mais ofensivo com um 4-3-3. Para isso, o atacante lens entrou na vaga do zagueiro Vlaar e completa, assim, a linha de frente ao lado de Robben e Van Persie.

Mesmo com a goleada na partida de estreia da fase de grupos do Mundial 2014, os holandeses preferem entrar em campo diante da Austrália com os pés no chão. Segundo Robin Van Persie, destaque no duelo contra a Espanha, é preciso manter a seriedade.

 

“O torneio mal começou. Conquistamos um grande resultado, mas temos um longo caminho pela frente. Esta é a minha quinta grande competição e sei como as coisas funcionam: a euforia vai embora tão rápido quanto veio. Portanto, temos que continuar firmes, não apenas pelo nosso país e por nossos torcedores, mas também por nós mesmos”, disse o atacante em entrevista à Fifa.

Segundo Van Persie, a Austrália tem um estilo de jogo completamente distinto da Espanha, mas afastou qualquer tipo de preocupação. “A Austrália tem um estilo diferente, e acho que teremos que ajustar nosso jogo para vencê-la. É interesse esse processo de mudar seu esquema a cada partida. Mas temos uma comissão técnica extraordinária, que sabe exatamente como nos preparar para os jogos. Portanto, não estou preocupado”.

Por outro lado, a seleção australiana espera conter o embalo da Laranja Mecânica. A equipe fez um jogo disputado com o Chile e espera manter a mesma atitude diante dos holandeses. Para isso, o técnico Ange Postecoglou pretende começar com os 11 principais que iniciaram o confronto contra os chilenos.

O comandante dos aussies garantiu que o time não ficará retrancado já que precisa do resultado positivo para seguir na Copa do Mundo. Para isso, o treinador pregou uma defesa forte, mas que deixe espaço para a linha de frente chegar com perigo.

“Nós viemos para a Copa para isso (vencer). Claro que agora temos que ser mais fortes defensivamente, pois eles têm um ataque muito perigoso, e será um grande desafio para nós segurarmos o ataque deles. Por outro lado, se nos defendermos por 90 minutos será um resultado insatisfatório. É bom ter um bom ataque forte e uma defesa forte, que também mostramos contra o Chile. Queremos uma defesa forte, mas também trabalhar bem no ataque”, destacou Ange Postecoglou em entrevista coletiva.

FICHA TÉCNICA
AUSTRÁLIA X HOLANDA

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 18 de junho de 2014, quarta-feira
Árbitro: Djamel Haimoudi (ALG)
Assistentes: Achik Redouane (MAR) e Etchiali Abdelhak (ALG)

AUSTRÁLIA: Ryan; Franjic, Wilkinson, Spiranovic e Davidson; Milligan, Jedinak, Cahill, Troisi e Bresciano; Oar
Técnico: Ange Postecoglou

HOLANDA: Cillessen; Blind, Bruno Martins Indi, De Vrij e Janmaat; De Jong, De Guzmán e Sneijder; Lens, Robben e Van Persie
Técnico:
 Louis van Gaal

 

Atriz pornô chilena cumpre promessa e faz maratona de sexo após vitória

Chile derrotou Austrália por 3 a 1 na estreia da Copa do Mundo e Marlen Doll fez a festa de seus seguidores no Twitter

IG
Atriz pornô chilena Marlen Doll cumpriu promessa e realizou maratona de sexo

Foto:  Efe

Rio – A Copa do Mundo 2014 começou boa para o Chile dentro e fora de campo. Nos gramados, a seleção venceu a Austrália por 3 a 1 e deu passo importante rumo à classificação no grupo B. Fora deles, uma atriz pornô prometeu – e cumpriu – fazer uma maratona de sexo com seus seguidores no Twitter.

“Se o Chile ganhar hoje, preparem as camisinhas. Só os fortes”, escreveu Marlen Doll na rede social horas antes do jogo realizado em Cuiabá.

Enquanto a partida se desenrolava, a atriz foi aumentando o termos da aposta e disse que seriam 12 horas consecutivas se os chilenos fizessem três gols – o que aconteceu somente nos minutos finais do confronto.

Como é uma moça de palavra, Doll publicou em sua página no Twitter fotos e vídeos seus pagando a promessa.