Arquivo da tag: incompetente

Vazamento de água ocupa duas faixas na zona sul de SP

Estadão Conteúdo

Um vazamento de água na Avenida Interlagos, próximo à rua Ângelo Santi, zona sul de São Paulo, causou congestionamento na manhã desta segunda-feira, 21. Duas faixas da direita foram bloqueadas no sentido bairro por volta das 7h30.
 
Segundo informações da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), o vazamento já foi consertado pela Sabesp e o trânsito flui normalmente no local.
 

Alckmin vê “malufismo” na candidatura de rival

A Tribuna

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição ao governo de São Paulo, afirmou nesta quinta-feira que a principal polarização política no Estado é entre os tucanos e o malufismo. “São Paulo sempre tem se caracterizado como um quadro multi, pluripartidário. Sempre foi”, afirmou o governador, em entrevista após um evento no Palácio dos Bandeirantes. E prosseguiu: “Aliás, se você verificar, há uns 10 ou 15 anos atrás, nunca foi polarizada entre PSDB e PT, mas entre PSDB e Maluf. De repente, estamos voltando (a essa polarização)”.
 
A frase do governador é uma referência ao fato de a candidatura de Paulo Skaf, pelo PMDB, ter recebido na segunda-feira, 30, o apoio do deputado Paulo Maluf e do PP. Ele procura, com ela, reduzir a importância do PT como rival direto do PSDB nas últimas duas décadas e ao mesmo tempo alfinetar a candidatura de Skaf, seu rival direto, no momento, na disputa de outubro.

 

Na mais recente pesquisa Datafolha, Alckmin lidera a disputa com 44% das intenções de voto, seguido de Paulo Skaf com 21%. O candidato do PT, Alexandre Padilha, tem 3%.

 
Na entrevista, o tucano empenhou-se também em defender a imagem do PSDB como um partido unido para as eleições de outubro, ao comentar a decisão do ex-governador José Serra de se candidatar ao Senado – e não à Câmara dos Deputados, como fora antes anunciado. “O nosso candidato, e isso vale para o Senado, para presidente da República, é o do meu partido. É o Aécio e o Serra”, disse ele. É uma maneira, ainda, de o governador informar que o PSDB não se abalou com a súbita saída, de seu bloco de aliados, do PTB – um episódio no qual os tucanos optaram por perder parte do tempo na TV mas não prejudicar a candidatura de Serra.
 
Mudança
 
O destaque à presença de Maluf na campanha de Paulo Skaf já antecipa uma possível estratégia da campanha eleitoral de Alckmin. Maluf, com seu apoio ao peemedebista, carrega consigo os processos por fraude e lavagem de dinheiro movidos contra ele e o fato de ser procurado pela Interpol e não poder deixar o País. Maluf havia anunciado no dia 30 de maio sua adesão à candidatura de Padilha, mas a trocou no último momento pela adesão a Skaf e ao PMDB, a 30 de junho. A explicação do PP para o gesto foi que o partido tem chance de formar uma bancada bem maior com Skaf do que com o PT.
 
Na avaliação de auxiliares do governador, no Palácio dos Bandeirantes, no entanto, seria melhor para a reeleição de Alckmin que Maluf continuasse com Padilha e o PT. Seria mais fácil, segundo esses auxiliares, derrotar mais uma vez o petismo – o que o PSDB já conseguiu seguidas vezes – do que um candidato novo, distante do universo petista e apoiado por um partido com história e estrutura organizada em todo o Estado.

Governador não comparece em homenagem a José Bonifácio

Da Redação de A Tribuna

N/A

No Pantheon, flores foram depositadas

Menos de 100 pessoas acompanharam a homenagem ao Patriarca da Independência, José Bonifácio de Andrade e Silva, nesta sexta-feira, no Centro Histórico de Santos. Hoje foi celebrado seu aniversário de nascimento de 251 anos.

Na primeira reverência ao ilustre santista, após aprovação de lei estadual em 2013 que transfere a Santos, por um dia, a sede do governo de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) não compareceu à solenidade.

Em seu discurso no palanque para diversas autoridades, a maior parte municipal, o presidente do Movimento Pró-Memória José Bonifácio, Arlindo Salgueiro, criticou o posicionamento do governador, que também não enviou representante. “O que existe é um descompasso entre Legislativo e Executivo. É um desrespeito à lei e à memória do santista herói que fundamentou nossa nacionalidade. Ele veio ano passado porque era uma data redonda apenas”.

A lei surgiu porque o Decreto Estadual (50.499, de 26/1/2006) com o mesmo teor não surtiu efeito para transferir a sede. Até o ano passado, apenas uma vez o decreto, anterior à lei, foi cumprido de fato, quando em 2006 mesmo, o então governador em exercício, Cláudio Lembo, despachou em Santos.
 

N/A

Na Praça José Bonifácio, localizada no Centro de Santos, um ato cívico celebrou o aniversário do patriarca 

Pacheco: ‘Não bebo! Já JB vive num porre seco’

Advogado Luiz Fernando Pacheco rebate nota divulgada pela assessoria de imprensa da Corte com relato de suposto segurança do STF sobre sua expulsão: “Repudio veementemente, até porque todos que me conhecem sabem: não bebo, rigidamente, não bebo! E desafio quem quer que seja a demonstrar o contrário. Fiz o que fiz na maior sobriedade e faria de novo quando e onde se mostra-se a tirania. Joaquim Barbosa, ainda que sóbrio, vive num porre seco”

Tentando salvar algum pedaço de Joaquim Barbosa, a mídia produziu notícias e, sobretudo, títulos, que tentam associar a postura do advogado de Genoíno a uma suposta embriaguez. Fonte? Um servidor anônimo do STF. Provavelmente um esbirro de Joaquim Barbosa.

Jogo sujo. É nisso que terminou esta lamentável Ação Penal 470. Com o presidente do STF patrocinando uma violência inédita contra um advogado, depois de ter feito o mesmo com vários de seus pares, por conta de simples discordâncias, e se recusando, criminosamente, a trazer ao plenário a discussão sobre os direitos dos réus do mensalão.

Com essas postergações, Barbosa joga o trabalho externo de Dirceu para meados de agosto. E atrasa indefinidamente o direito de Genoíno de cumprir prisão domiciliar, onde poderá tratar de sua saúde ao lado de seus familiares.

Resposta de Luiz Fernando Pacheco, ao Globo:

“Questionado sobre as alegações, Pacheco negou que estivesse embriagado, através de uma mensagem de celular. “Repudio veementemente, até porque todos que me conhecem sabem: não bebo, rigidamente, não bebo! E desafio quem quer que seja a demonstrar o contrário. Fiz o que fiz na maior sobriedade e faria de novo quando e onde se mostra-se a tirania. Joaquim Barbosa, ainda que sóbrio, vive num porre seco”, respondeu o advogado do ex-deputado ao GLOBO.”

Observe as manchetes da grande mídia. Todas tentando um assassinato básico de reputação de Pacheco. Todos dando manchete à depoimento ”anônimo” do esbirro de Barbosa, ao invés de mencionar, na capa, a resposta de Pacheco.

Um presidente do STF deveria ter desempenho discreto, reservado, promover a paz e a harmonia entre os poderes. Barbosa faz o contrário. Tumultua o país, cria mal estar, inspira uma atmosfera de violência e intolerância, sempre.

Já o advogado de Genoíno, Luiz Fernando Pacheco, nunca esteve embriagado. Ele está, isso sim, tomado de profunda indignação, porque se tratava, naquele momento, de defender não apenas os direitos de seu cliente, mas a própria vida de Genoíno, além da vida de sua família, que também vive um pesadelo.

Fonte: Brasil247

Alckmin sobre greve: ‘não tem mais discussão, é abusiva’

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, falou neste domingo sobre a manutenção da greve dos metroviários, após o Tribunal Regional do Trabalho considerar a paralisação abusiva. “Agora não tem mais discussão, a greve é abusiva”, disse.

Ele pediu que os funcionários da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) voltem ao trabalho, sob risco de demissão por justa causa. “Faço uma convocação para que os metroviários voltem, inclusive pelo direito de trabalhar dos 5 milhões que dependem do metrô para se locomover. Quem (os metroviários) não for trabalhar tem posibilidade de justa causa.”

“Hoje, o Tribunal Regional do Trabalho decidiu, por unanimidade, que a greve é abusiva. Ela é totalmente ilegal. É importante deixar claro que a decisão judicial já ocorreu e o índice de reajuste salarial foi definido pelo dissídio”, afirmou Alckmin. “Quero reiterar a minha convocação: metroviário de verdade, volte ao trabalho!”, completou o governador.

De acordo com a decisão do TRT, o reajuste nos vencimentos dos metroviários será de 8,7%, índice sugerido pelo Metrô. “É importante ressaltar que o Metrô ofereceu 8,7% de reajuste referente aos últimos 12 meses, contra uma inflação do IPC/Fipe de 5,2%. Mais o aumento do vale-alimentação e vale-refeição, que torna o percentual muito maior, um aumento mínimo de 10,6% até 13,3%. Dificilmente uma categoria teve ganhos reais tão superiores a inflação como nesse caso”, disse.

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo decidiu em assembleia realizada neste domingo manter a paralisação iniciada há quatro dias, e promete fazer piquetes para impedir que colegas continuem a trabalhar. A operação no Metrô tem se dado com funcionários de outros setores. “Seguiremos com a greve até que o governo de São Paulo negocie com a gente”, disse o secretário-geral da entidade, Alex Fernandes, à BBC Brasil.

Ele explica que algumas linhas do Metrô operam no momento em função de um plano de contingência, implementado pela companhia, no qual os trens são operados por supervisores e coordenadores. “Mas nós já estamos nos organizando para fazer piquetes em trens, estações e pontos de manutenção”, diz ele.

“Ninguém vai trabalhar. Se não chegarmos a um acordo, na quinta-feira (dia de início da Copa do Mundo) não vai ter metrô nem para Itaquera (onde fica o estádio da abertura) nem para lugar nenhum.”

Uma nova assembleia está marcada para as 13horas desta segunda-feira. Os metroviários também prometem participar de uma manifestação às 7h na estação Ana Rosa, junto com o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Segundo Katy Watson, da BBC, presente na assembleia deste domingo, o clima na reunião foi tenso e favorável à manutenção da greve desde o início. Houve protestos contra a Fifa e os gastos com a Copa. Vários dos participantes pareciam frustrados e o debate foi marcado por gritos.

Fonte: Terra 

SP: metroviários contrariam TRT e mantêm linhas paralisadas

Apesar da decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que considerou, no domingo, abusiva a greve dos metroviários de São Paulo que teve início na última quinta-feira, a categoria manteve paralisadas quatro das cinco linhas do Metrô, no início da manhã desta segunda-feira. 

De acordo com o Metrô, no quinto dia de greve dos metroviários, às 5h10, as linhas 1-Azul e 2-Verde estavam paralisadas. Apenas a Linha 4-Amarela, administrada pelo consórcio ViaQuatro, e a Linha 5-Lilás operavam normalmente neste horário.

Às 5h30, os trens passaram a operar parcialmente entre as estações Bresser-Mooca e Santa Cecília, na Linha 3-Vermelha. Às 6h20, as linhas 1-Azul e 2-Verde também passaram a operar parcialmente. Na primeira, os trens circulavam apenas entre as estações Paraíso e Luz. Na segunda, as composições faziam o transporte de passageiros entre as estações Paraíso e Clínicas.

Em nota divulgada na manhã desta segunda-feira, o Metrô afirmou que “respeita a decisão do Tribunal Regional do Trabalho e cumprirá as determinações da Justiça”. “A Companhia aguarda o retorno imediato dos empregados ao trabalho para que o sistema volte a operar integralmente. Os excessos apurados durante a greve serão tratados em conformidade com os instrumentos internos e a legislação trabalhista.”

Devido à paralisação, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) manteve suspenso o rodízio municipal nesta segunda-feira para veículos com placas 1 e 2. As restrições para circulação de caminhões e fretados, no entanto, permanecem.

No domingo, os metroviários de São Paulo decidiram, em assembleia, manter a paralisaçao, mesmo após a Justiça considerar abusiva a greve da categoria, que desde quinta-feira paralisou o funcionamento do Metrô na cidade de São Paulo.

Uma nova assembleia está marcada para hoje, às 13h, na sede do sindicato. No início da manhã, às 7h, a categoria fará um ato público na estação Ana Rosa, na Linha 1-Azul. O protesto terá a participação do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e outros movimentos sociais.

Às 5h20, um grupo de cerca de 70 pessoas se concentrava em frente à estação Ana Rosa e fechou a rua Vergueiro. Por volta das 6h40, a Tropa de Choque da PM agiu para tentar dispersar os manifestantes e chegou a usar bombas de gás lacrimogêneo.

Justiça decide contra sindicato

Segundo o desembargador Rafael Pugliese, relator do processo, “não houve atendimento mínimo à população, gerando grande transtorno, inclusive, no âmbito da segurança pública”. O tribunal decidiu ainda pela manutenção do pagamento da multa diária de R$ 100 mil pela paralisação ao Sindicato dos Metroviários em São Paulo, que será revertida ao Hospital do Câncer. 

Os desembargadores também decidiram que, caso os trabalhadores mantenham a greve, o sindicato deve pagar multa de R$ 500 mil por dia a partir desta segunda-feira. O julgamento concluiu pela autorização do desconto pelos dias parados, além de não assegurar a estabilidade dos grevistas.

A Justiça determinou o reajuste salarial da categoria em 8,7%, última proposta feita pelo Metrô. O colegiado estabeleceu ainda o valor do vale-alimentação mensal para R$ 290 mais parcela extra anual; e o vale-refeição diário para R$ 669,16. Outra definição importante do julgamento refere-se ao piso salarial dos engenheiros, no valor de R$ 6.154. 

Governo considera greve ‘abusiva’

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), falou no domingo sobre a manutenção da greve dos metroviários, após o Tribunal Regional do Trabalho considerar a paralisação abusiva. “Agora não tem mais discussão, a greve é abusiva”, disse.

Fonte: Terra

Alckmin anuncia nova faixa na Rodovia Padre Manuel da Nobrega

De A Tribuna On-line

N/A

Novo trecho foi inaugurado nesta sexta-feira

Em visita à Baixada Santista nesta sexta-feira, o governador Geraldo Alckmin anunciou o início das obras de implantação de uma terceira faixa na Rodovia Padre Manuel da Nóbrega (SP 55), entre São Vicente e Cubatão. A ampliação irá aliviar os congestionamentos nas viagens de retorno do litoral sul. Ao todo, serão atendidos 15 mil veículos diariamente pelo trecho.

 
“A região é a que mais cresce no Brasil, sobretudo, devido ao polo industrial de Cubatão e ao Porto de Santos, nos quais a economia se baseia. Por isso, merece uma atenção especial. As obras em andamento deverão garantir bons esultados já a partir de setembro deste ano”, afirmou Alckmin.
 
A ampliação da Padre Manuel será executada na pista leste entre o km 274 (Cubatão) e o km 292,2 (Praia Grande). Também será implantado um retorno na altura de São Vicente (km 277). Os investimentos nesse segmento de faixa adicional somam R$ 88,8 milhões, sob responsabilidade da concessionária Ecovias e fiscalização da Artesp (Agência de Transporte do estado de São Paulo). O contrato estipula a entrega até dezembro de 2016. No entanto, o governador chegou a apontar a conclusão para o próximo ano. 
 
N/A

Ao todo, serão atendidos 15 mil veículos diariamente pelo trecho
A faixa adicional da Padre Manuel integra um pacote de obras que estão sendo executadas na região. Os trabalhos incluem ainda o novo Anel Viário de Cubatão que interliga as rodovias Anchieta (SP 150) e Cônego Domenico Rangoni (SP 55), além de mais 16 quilômetros de terceira faixa na SP 55 na região do Polo Industrial de Cubatão.
 
Ainda nesta sexta, o governador entregou 5,45 quilômetros da terceira faixa da Cônego Domenico Rangoni, entre o km 262,75 e o km 268,2, sentido leste. O tráfego no trecho já foi liberado e integra a obra de implantação de terceira faixa que segue até o km 269,73. Os investimentos totalizam R$ 153,2 milhões com conclusão prevista para setembro. 
 
Anel Viário de Cubatão
 
O trevo do km 55 da Rodovia Anchieta está sendo totalmente remodelado e ampliado com a implantação de um anel viário interligando as rodovias Anchieta (SP 150), Cônego Domenico Rangoni (SP 55), Imigrantes (SP 160) e Padre Manoel da Nóbrega (SP 55). Com o novo dispositivo, a capacidade de tráfego será ampliada em 50%. O montante destinado ao serviço é de R$ 175 milhões. A finalização deverá ocorrer em setembro.
 
Todas as ampliações visam melhorar a fluidez e segurança viária. Além disso, espera-se criar um ambiente mais favorável para o transporte de mercadorias para o Porto de Santos e o desenvolvimento do Polo Petroquímico de Cubatão. As obras atendem tanto os caminhoneiros, quanto os moradores da região e turistas, que passarão a contar com um melhor acesso ao litoral, beneficiando mais de 1,6 milhão de pessoas.  

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio