Arquivo da tag: ÌNDIA

Índia: Descarrilamento de trem mata quatro

Acidentes no setor ferroviário indiano estão acontecendo com frequência

Quatro pessoas morreram, nesta quarta-feira, no descarrilamento de um trem no leste da Índia, o último de uma série de acidentes fatais que evidenciam a deterioração da rede ferroviária do país.

Ao menos doze vagões do trem noturno Rajdhani Express, que ia de Nova Délhi ao estado de Assam (nordeste), descarrilaram por volta das 02h00 da madrugada (17h30 de Brasília) no estado de Bihar.

Os responsáveis pelo setor culparam inicialmente insurgentes maoístas, embora a polícia e fontes do governo tenham indicado posteriormente que não havia razões para suspeitar que se tratasse de uma sabotagem.

À primeira vista não parece que seja o modus operandi dos maoístas”, disse Jitan Ram Manjhi, responsável pelo estado de Bihar. “Não há restos de explosivos ou qualquer outro indício que leve a pensar em uma sabotagem. O motivo parece ser uma deformação na via”, acrescentou, segundo a agência local.

O diretor da empresa ferroviária, Aruendra Kumar, citado pela agência Press Trust of India, afirmou que o motivo do descarrilamento pode ter sido “uma explosão na via” provocada por insurgentes.

Um quarto das terras da Índia está se transformando em deserto, diz ministro

18. Junho 2014 

NOVA DÉLHI (Reuters) – Cerca de um quarto das terras da Índia está se transformando em deserto e a degradação de áreas agrícolas é um problema grave, segundo o ministro do Meio Ambiente, Prakash Javadekar. O cenário pode ameaçar a segurança alimentar no segundo país mais populoso do mundo.

A Índia ocupa apenas 2 por cento do território do mundo, mas abriga 17 por cento da população, o que leva ao uso excessivo de terras e pastagens. Esse quadro e a mudança de padrões de chuva são as principais causas da desertificação.

“A terra está se tornando estéril, a degradação está acontecendo”, disse Javadekar. “Muitas áreas estão prestes a se tornarem desertos, mas isso pode ser impedido.”

A terra em degradação – em grande parte definida pela queda de produtividade – é estimada em 105 milhões de hectares, constituindo 32 por cento do total de terras do país.

De acordo com a Organização de Pesquisa Espacial da Índia, que preparou um relatório sobre a desertificação em 2007, cerca de 69 por cento das terras no país estão secas, tornando-as vulneráveis à erosão hídrica, eólica e salinização.

Os Estados de Rajasthan, Gujarat, Punjab, Haryana, Karnataka e Andhra Pradesh estão entre os mais áridos e estão entre os Estados produtores de algodão e colza da Índia.

(Reportagem de Krishna N. Das e Shyamantha Asokan)

Reuters

Comemorações no Templo Dourado acabam em confronto

Diário de Notícias|Helena Moreira, editada por Helena TecedeiroHoje

 
Comemorações no Templo Dourado acabam em confronto
Fotografia © Reuters

Durante as comemorações dos 30 anos da Operação Estrela Azul no Templo Dourado, na cidade indiana de Amritsar, o local mais sagrado para os sikhs, pelo menos 12 pessoas ficaram feridas em confrontos entre dois grupos rivais do sikhismo.

As fações entraram em conflito devido a um desentendimento sobre quem deveria falar primeiro no evento comemorativo para marcar o 30.º aniversário da operação que expulsou Jarnail Singh Bhindranwale e os seus seguidores armados do Harmandir Sahib (Templo Dourado), onde estavam refugiados para fugir à polícia.

Vários canais de televisão indianos mostraram dezenas de sikhs, pertencentes aos dois grupos rivais, agitando e apontando espadas uns contra os outros.

Segundo fontes do The Independent, pelo menos 12 pessoas ficaram feridas durante o conflito, que durou quase meia hora. A polícia foi chamada ao templo, o local mais sagrado da religião Sikh, mas não foi autorizada a entrar dentro do templo.

Na operação ordenada pela primeira-ministra Indiana Indira Gandhi, decorrida entre 3 e 6 de junho de 1984, mais de cinco mil pessoas perderam a vida, 80 dos quais soldados. Desde então, os conflitos com sikhs acontecem com alguma frequência. Quatro meses após o sucedido, Indira foi assassinada por dois dos seus seguranças, sikhs.

Vipinno, um actor moçambicano em Bollywood

Cartaz do filme "A máfia do carvão"

Cartaz do filme “A máfia do carvão”|www.facebook.com/Koyelaanchal
Isabel Pinto Machado

O actor moçambicano Vipinno é “Karua”, no filme indiano “Koyeelaanchal” traduzido para português por “A máfia do carvão”, rodado no ano passado em Bollywood, Bombaím, e que desde 16 de Maio está nos ecrãs em Maputo.

A história do filme “A máfia do carvão” passa–se em 1973, aquando da privatização das minas de carvão na Índia, o que gerou conflitos entre o governo, os antigos proprietTrios das minas e os trabalhadores que reclamavam melhores condiçoes de vida e de trabalho.

O actor moçazmbicano Vipinno, encarna o personagem de “Karua” às mãos de quem vai parar um bébé de um ano, que acaba por ditar o desenrolar e desfecho do enredo. 

 

 

 
Vipinno
 
 

29/05/2014

Vipinno, nome artístico de Vipinu, nasceu em Inhambane, no sul de Moçambique, é de descendência indiana e já rodou dois filmes em Bollywood, nome dos estúdios em Mumbai, o primeiro dos quais há quatro anos, ainda sem qualquer formação específica de actor, e o segundo “A máfia do carvão” já depois de ter estudado durante dois meses na New York Film Academy..

Dez mortos em acidente de trens na Índia

26. Maio 2014|AFP internacional

Um trem de passageiros bateu em uma composição de transporte de mercadorias na região norte da Índia, em um acidente que deixou pelo menos 10 mortos.

O acidente aconteceu em Jalilabad, no estado de Uttar Pradesh, mas o balanço de vítimas pode aumentar porque muitas pessoas continuavam presas entre os destroços, segundo uma fonte da empresa Indian Railways.

“Tentamos determinar o número exato de vítimas. Sabemos que seis vagões descarrilaram depois da colisão e que pelo menos 10 pessoas morreram”, disse a fonte, que pediu anonimato.

O trem saiu de Hisar, no estado de Haryana, com destino a Godajdham, no vizinho Uttar Pradesh. O acidente aconteceu em Jalilabad, 700 km ao leste de Nova Délhi.

A imprensa local mencionou a possibilidade de 20 mortes na tragédia.

Narendra Modi, que nesta segunda-feira toma posse como primeiro-ministro, enviou pêsames às famílias das vítimas com uma mensagem no Twitter.

A rede ferroviária indiana, uma das maiores do mundo, tem graves deficiências de segurança, mas continua sendo o principal meio de transporte para percorrer grandes distâncias no país, apesar da concorrência das companhias aéreas.

Um relatório de 2012 do governo calcula em 15.000 o número de mortos a cada ano na rede ferroviária.

Premiê da Índia renuncia após uma década no poder

AFP – Agence France-Presse

17/05/2014 o:

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, defendeu seu recorde de 10 anos no poder ao renunciar ao cargo, um dia após o nacionalista hindu Narendra Modi ter garantido uma vitória histórica ao partido Bharatiya Janata Party (BJP).

Os últimos anos do premiê de 81 anos no poder fora marcados pela desaceleração da economia e por constantes escândalos de corrupção.

Após fazer um discurso veiculado na televisão, o terceiro mais longevo primeiro-ministro da Índia foi levado até o palácio presidencial, no centro de Nova Délhi, onde entregou sua carta de renúncia ao presidente Pranab Mukherjee.

“Hoje a Índia é muito mais forte do que há dez anos atrás”, disse em curto discurso, usando seu habitual turbante azul. “Eu atribuo isso a vocês. Nós ainda precisamos trabalhar muito para levar este país ainda mais adiante”.

O economista também desejou sucesso ao sucessor Modi, um hindu nacionalista cuja eleição foi classificada por Singh, em janeiro, de “desastre” para o país.

“Estou confiante que a Índia vai aparecer como uma economia forte no mundo, misturando tradição com modernidade, e unidade com diversidade”, afirmou Singh.

Ex-ministro das Finanças, celebrado por implantar mudanças pró-mercado nos anos 1990, Singh vai continuar como primeiro-ministro até que Modi tome posse do cargo na próxima semana.

Partido nacionalista hindu vence legislativas na Índia

Partidários do BJP comemoram após os primeiros resultados da apuração na Índia nesta sexta-feira (16).

Partidários do BJP comemoram após os primeiros resultados da apuração na Índia nesta sexta-feira (16)|Reuters|RFI

Com 800 milhões de pessoas aptas a votar, a eleição legislativa indiana é a maior do mundo. As projeções apontam que essa será a primeira vez em 30 anos que um único partido obterá a maioria no parlamento indiano. A apuração até agora mostra que o partido nacionalista hindu de Narendra Modi conquistou com facilidade os 272 assentos do parlamento necessários para compor uma maioria. O atual primeiro-ministro, Manmohan Singh, do partido do Congresso Nacional, já reconheceu publicamente a derrota.

 

Integrantes do BJP (Bharatiya Janata Party), o partido nacionalista hindu, tomaram as ruas de diversas cidades da Índia nesta sexta-feira (16), celebrando os primeiros resultados da apuração. A vitória de Modi, que deve ser alçado a primeiro-ministro, também marca o fim dos 10 anos de hegemonia do Partido do Congresso Nacional, grupo político presidido por Sonia Gandhi que governou a Índia em vários períodos desde a independência do país.

“Aceitamos a derrota. Estamos dispostos a entrar para a oposição”, disse o porta-voz e dirigente do partido, Rajeev Shukla. “Modi prometeu mundos e fundos à população. As pessoas compraram esse sonho”, acrescentou ele.

As projeções que dão a vitória ao partido de Narendra Modi ultrapassam todas as previsões das pesquisas eleitorais. O BJP deve obter mais do que a maioria absoluta de 272 das 543 cadeiras do parlamento, e com seus aliados somaria mais de 300 deputados.

Nacionalista

Narendra Modi tem 63 anos e é filho de um vendedor de chás do estado de Gujarat. Essa é justamente a região que Modi governa desde 2001 e que foi a sua grande vitrine durante a campanha eleitoral. Ele promete levar a mesma pujança econômica de Gujarat, que é uma zona industrial do país, para o restante da Índia – não é a toa que contou com amplo apoio dos industriais indianos. Mas sua biografia não é somente uma história de sucesso. Modi é acusado de perseguir minorias religiosas em sua região, principalmente os islâmicos.

A chegada de Modi ao poder será uma mudança radical para os grandes países ocidentais, que até agora boicotaram o líder indiano durante quase dez anos após os confrontos violentos que ocorreram no Gujarat em 2002. Mais de mil pessoas haviam sido assassinadas na época, em sua maioria de religião muçulmana.

Durante a campanha, Modi evitou falar sobre as reivindicações nacionalistas mais radicais do programa do BJP.

Ataques de leopardos causam pânico em cidade da Índia

DIÁRIO DA MANHÃ|DANIELLY SODRÉ

Os recentes ataques de leopardos denominados localmente de “devora homens” está causando pânico em zonas rurais da Índia.

O jornal local “The Hindustan Times” divulgou recentemente imagens impactantes de um leopardo nas ruas de uma pequena cidade do Estado de Maharashtra atacando um homem ao tentar fugir da multidão que o encurralava.

 Foto:STR/AFP

Foto:STR/AFP

 Destruição do Habitat

Na Índia aconteceram alguns ataques de leopardos e tigres a pessoas nos últimos anos, devido à progressiva destruição dos habitats destes animais e à urbanização de espaços antes naturais, o que leva o leopardo inclusive a atacar o gado e cães vira-latas. Uma tigresa matou dez pessoas no norte do país em dois meses.

Uma porta-voz da Fundação para a Vida Selvagem na Índia (WTI), Sheren Shrestha, explicou à Agência Efe que não existe um censo atualizado de leopardos na Índia, mas se estima que sua população seja de 50 mil exemplares.

Foto:STR/AFP

Foto:STR/AFP

Suvidha Bhatnagar, da organização Wildlife SOS, disse à Efe que o leopardo se camufla nos campos de cana e os problemas aumentam no período da colheita e que o desmatamento torna cada vez mais difícil a espécie se refugiar na floresta.

Os ataques

Os leopardos às vezes entram em casas em busca de comida e suas presas muitas vezes são crianças ou adultos que dormem: dos ataques ocorridos em Borivili, próximo de Mumbai, no oeste do país, 80% das vítimas têm entre cinco e oito anos.

Foto:STR/AFP

Foto:STR/AFP

 

Maratona eleitoral da Índia termina nesta segunda-feira

Última fase de votação para as eleições nacionais na Índia depois de cinco semanas da 'maratona' eleitoral.

Última fase de votação para as eleições nacionais na Índia depois de cinco semanas da ‘maratona’ eleitoral|REUTERS/Ahmad Masood
RFI

A maratona eleitoral na Índia chega ao fim nesta segunda-feira marcada por um duelo na cidade santa de Benares, também conhecida por Varanasi, no Estado de Uttar Pradesh, a cidade mais sagrada do hinduísmo.

Nesta última jornada eleitoral estão em jogo 41 cadeiras nos Estados de Uttar Pradesh, Bihar e Bengala Ocidental. No total, 814 milhões de eleitores foram convocados às urnas em uma eleição que prolongou por cinco semanas distribuídas em 10 fases. Os resultados das eleições indianas devem ser divulgados na sexta-feira.

O líder nacionalista Narendra Modi, do partido BJP, espera vencer o candidato Arvind Kejriwal, que centrou sua campanha na luta contra a corrupção. Em nível nacional, as pesquisas indicam, de fato, a vitória dos nacionalistas do BJP. O partido de Modi deve conquistar a maioria das cadeiras do Parlamento indiano, tirando do poder o Partido do Congresso, dirigido pela família Nehru-Gandhi e há dez anos no governo.

Modi baseou a sua campanha no bom desempenho econômico da sua região, o Estado de Gujara. Ele também tem como fortes aliados o setor empresarial com quem promete fazer uma parceria estratégica para relançar a economia do país.

Candidato sem convicção

Rahul Gandhi, filho do ex-premiê indiano assassinado, Rajiv Gandhi, fez sua primeira campanha eleitoral neste ano. Herdeiro de uma família que já deu três primeiros-ministros à Índia, Rahul é descrito como pouco interessado pela política. Ele próprio chegou a declarar que “era contra ao conceito de dinastia política”. Sua irmã, Priyanka, foi apontada como mais carismática. Segundo analistas, em algumas aparições públicas ela roubou a cena do irmão candidato.

O terceiro nome

Ex-funcionário público, Arvind Kejriwal se apresenta como o “candidato do povo”. Líder do l’Aam Aadmi Party (partido do homem comum), Kejriwal baseou sua campanha na luta contra a corrupção. Ele acusa tanto o Partido do Congresso quanto o BJP de serem responsáveis pelo alto nível de corrupção que atinge o país.

Após mãe dizer que filha ficava muito tempo conectada ao Facebook adolescente comete suicídio

DIÁRIO DA MANHÃ|DIVANIA RODRIGUES

Uma adolescente teria cometido suicídio possivelmente após sua mãe ter dito que ela passavam muito tempo ao Facebook. O caso ocorreu na cidade de Bangalore, no estado de Karnataka, no sul da Índia, na manhã da quinta-feira, 08. A publicação é do site R7, com informações do jornal local “Times of Índia”, dessa sexta-feira, 9.

Segundo as informações, a mãe da garota estaria preocupada, pois a filha passaria muito tempo na rede social. Segundo a versão da mulher à polícia, antes de sair da casa da família para ir trabalhar, ela teria visto a filha na frente do computador, acessando ao Facebook, e teria ficado nervosa com a situação.

A mãe teria dito que a adolescente era jovem demais e que perdia seu tempo passando às horas na internet. A adolescente foi encontrada pela mãe quando retornou do trabalho. Ela ainda foi levada para o hospital pela família mas não resistiu.