Arquivo da tag: ITAQUERÃO

Antes da estreia, Corinthians planeja treinar no novo estádio

Estadão Conteúdo

Para se ambientar ao novo estádio, o Corinthians quer treinar dois dias no Itaquerão antes da partida contra o Figueirense, domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Segundo o técnico Mano Menezes, a ideia é que os atletas conheçam melhor o local onde vão jogar.

“Queremos fazer dois treinamentos no novo estádio para a equipe se acostumar, tudo é muito novo”, afirmou Mano. “Esperamos que o público compareça e crie um ambiente favorável, sempre foi assim estabelecendo uma identidade entre torcida e time”.

Nesta terça-feira, começa a venda, pela internet, dos ingressos para o jogo de domingo no Itaquerão. A ideia era colocar 50 mil pessoas no estádio, mas a carga máxima de ingressos deverá ficar entre 40 e 43 mil. O jogo é considerado evento-teste da Fifa para a Copa do Mundo.

N/A

Depois do jogo festivo para marcar entrega do estádio, Corinthians quer fazer uso mais constante de sua arena

Logística

Para que estes dois treinos pretendidos por Mano aconteçam no Itaquerão, o planejamento foi refeito para a disputa do amistoso de quarta-feira, contra o Atlético-PR, na inauguração da Arena da Baixada, em Curitiba.

Mano e a comissão técnica decidiram que a delegação vai viajar para Curitiba só no dia do jogo, assim a equipe não “perde” o treino de terça-feira. “Não mexe no nosso trabalho. E também estamos estudando a possibilidade de voltar quarta-feira mesmo, logo após o jogo, o que seria melhor”, explicou.

Outra preocupação é evitar que o elenco se desgaste por causa de um amistoso. A prioridade é o jogo contra o Figueirense no domingo. Não só pelos três pontos na classificação do Brasileirão, mas também pelo significado da partida, a primeira oficial na nova casa. Por isso, contra o Atlético-PR, Mano vai usar os titulares no primeiro tempo e mudar a equipe no segundo tempo. “Parte do jogo será o grupo principal, na outra vamos usar a equipe que não vem jogando”, adiantou.

Corinthians aposta alto na venda dos naming rights do estádio

Andrés Sanchez vai para Dubai para tirar dúvidas dos árabes da Emirates

Almir Leite e Paulo Favero – O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – O Corinthians não tem dúvidas de que as receitas que o estádio em Itaquera pode gerar vão conseguir superar com folga os gastos, que só aumentaram desde que o clube decidiu construir a sua própria arena. A começar pela venda dos naming rights, o direito de batizar a nova casa. Andrés Sanchez, ex-presidente do clube e responsável pelas obras, viaja neste sábado para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para ter uma reunião importante com a Emirates.

Torcida marca presença na Arena Corinthians - JF Diório/Estadão
JF Diório/Estadão
Torcida marca presença na Arena Corinthians
Ele esteve lá há poucas semanas, quando levou uma apresentação formal do projeto de naming rights. Acabou chamando a atenção dos árabes, que o convidaram para voltar para o Oriente Médio a fim de esclarecer algumas dúvidas. Tanto que ele fez questão de ir logo, mesmo tendo de embarcar poucas horas depois do evento de inauguração do estádio, a festa da Fiel para 20 mil pessoas.

O pedido, que antes muitos consideravam extravagante, é de no mínimo R$ 400 milhões pelo direito de dar nome ao campo por 20 anos. Para a empresa árabe, o valor não chega a ser tão alto, até porque ela tem ambição de ampliar seu investimento no futebol. Atualmente, patrocina grandes clubes como o Real Madrid, o Arsenal e o Paris Saint-Germain. Também foi patrocinadora oficial da Copa de 2006.

Se o dirigente voltar da viagem com um acerto, já será boa notícia, pois o Corinthians precisa começar a fazer caixa com urgência. Até agora o estádio foi só custo e, com a Copa, a arena não poderá ser usada a partir do dia 21 de maio. Após o Mundial, o clube voltará os esforços para ampliar a receita.

Andrés já revelou em conversa com o Estado ter expectativa de receita de até R$ 200 milhões/ano com o estádio. Pode ser previsão otimista, mas uma ideia para aumentar os recursos é fazer uma espécie de leilão pelos lugares mais nobres do estádio, por um tempo determinado. A lógica corintiana consiste em ceder seus espaços por um curto período, pois caso contrário o aumento do custo de vida e a inflação podem transformar locais privilegiados da arena em ninharia. Assim, o leilão colocaria um “preço de mercado” nos assentos e o clube poderia conseguir uma receita maior.

Em contrapartida, o estádio vai oferecer setores luxuosos para os torcedores de maior poder aquisitivo. Quando o clube pensava na construção do estádio, encomendou uma pesquisa para traçar o perfil da Fiel e chegou à conclusão de que o Corinthians é o clube brasileiro que tem a maior quantidade de torcedores ricos – em números absolutos, não na proporção.

“Nosso estádio nasceu de um estudo de mercado. Outro ponto é que quem fez o projeto foi o Corinthians, não a empreiteira. Fomos nós que dissemos como deve ser, qual o acabamento e qual a proporção de assentos por faixa de ingresso”, conta Luís Paulo Rosenberg, vice-presidente do clube.

A partir dessa informação, a diretoria da época pensou em oferecer uma série de serviços que não existem em outros estádios brasileiros. Para se ter ideia, o torcedor vip poderá ficar em área exclusiva, com vaga de estacionamento no subsolo, e terá visão privilegiada do campo. No camarote, ele terá à disposição bebida e comida à vontade, que poderá ser servida por um garçom em sua poltrona confeccionada pela Ferrari. Para isso, basta fazer o pedido por celular.

O maior desafio agora é melhorar o acesso ao estádio. Rosenberg já tem um plano e gostaria de vê-lo em prática. “O trem pode fazer do Memorial da América Latina até o estádio em 20 minutos, com duas ou três paradas. O meu modelo ideal seria alugar o estacionamento do Memorial de quarta-feira e colocar um sistema de vans até a estação de trem. O torcedor iria de trem, de preferência com vagões de primeira e segunda classe para poder cobrar valor diferenciado, e a estação ficaria aberta até a volta. Isso transformaria o estádio em um local praticamente tão acessível quanto o Pacaembu.”

 

Corinthians vai reunir 150 ex-jogadores no Itaquerão

Estadão Conteúdo

O Corinthians vai homenagear alguns dos principais ídolos de sua centenária história num dia mais que emblemático: a inauguração do Itaquerão. Segundo o ex-jogador Basílio, um dos organizadores da festa no novo estádio, 150 ex-atletas do clube confirmaram presença no evento, neste sábado, a partir das 10 horas. “Serão seis jogos de 15 minutos a partir das 10 horas. Estão confirmados 110 jogadores no campo. Outros 40 jogadores também estarão presentes”, afirmou o autor do gol do título do Paulistão de 77.

O ponto de partida do encontro é o Parque São Jorge. A grande maioria dos ex-jogadores saíra de ônibus da sede social em direção ao estádio às 8 horas deste sábado. As homenagens começarão tão logo todos estejam no Itaquerão. Eles vão usar os vestiários como se fosse um jogo oficial. E seus familiares ficarão num setor específico das arquibancadas.

O Corinthians promete uma grande festa na inauguração do seu estádio, em Itaquera

O Corinthians promete uma grande festa na inauguração do seu estádio, em Itaquera

As gerações de craques mais vencedoras da história corintiana estarão presentes. Basílio e outros de sua época simbolizam o título de 77. Biro-Biro e Wladimir são ícones da Democracia Corinthians. O ex-goleiro Ronaldo lidera o time campeão Brasileiro de 90. Marcelinho Carioca, Vampeta e Rincón revivem o timaço de 98 99 e 2000. Alessandro, capitão da Libertadores e do Mundial, também estará presente.

“É como checar em Hollywood”, disse Marcelinho Carioca, sobre o novo estádio corintiano. “Antes, a gente estava sempre na casa do vizinho, agora é a nossa casa. É emocionante jogar com meus companheiros no estádio que será o abertura da Copa.”

Por motivos de agenda e incompatibilidade de horários, apenas dois ídolos não estarão presentes: Neto e Ronaldo. Do elenco atual, apenas Elias e Jadson, que não enfrentam o São Paulo no clássico deste domingo, estarão presentes na inauguração corintiana do Itaquerão. O clube irá transmitir as partidas festivas ao vivo, em seu canal na internet.

Para o evento deste sábado, o clube só pôde vender 20 mil ingressos, o número máximo permitido pelo Corpo de Bombeiros. Todos os bilhetes foram vendidos pela internet e se esgotaram em menos de oito horas.

Corinthians anuncia ex-atletas para jogo no Itaquerão

Estadão Conteúdo

N/A

O evento será no Itaquerão neste sábado, às 10h

O evento programado para o Itaquerão neste sábado, às 10 horas, promete mexer com a emoção do torcedor do Corinthians. Nesta quinta-feira, o clube anunciou os mais de 100 ex-atletas que participarão de um amistoso com os atuais jogadores do elenco no novo estádio. Será o segundo evento realizado no local, sendo que o primeiro foi uma partida festiva entre funcionários da obra.

Entre os ex-jogadores chamados para a festa, que contará com a presença de 20 mil corintianos nas arquibancadas, estão alguns dos principais ídolos da história do clube, como Zé Maria, Wladimir, Neto, Zenon e Marcelinho Carioca, mas também alguns nomes pelos quais o torcedor não guarda tanto carinho, como Capone, Cocito, Iran, Coelho, Edson Pelé, entre outros.

Momentos vitoriosos da história do clube estarão representados, como o título paulista de 1977, que encerrou a fila de 23 anos sem conquistas, a Democracia Corinthiana, entre 1982 e 1983, o primeiro título brasileiro, em 1990, a vitoriosa geração de 1998 e 1999 e a equipe que conquistou Libertadores e Mundial de Clubes em 2012.

O atacante Ronaldo era um dos nomes esperados, mas não conseguirá vir a São Paulo para a festa. Atuais dirigentes, o ex-lateral Alessandro e o volante Edu Gaspar estão confirmados, assim como o volante Elias, que ainda não pode atuar pela equipe.

De acordo com o Facebook oficial do clube, o time “titular” dos ex-atletas seria escalado com: Ronaldo; Alessandro, Fábio Luciano, Marcelo Djian e Wladimir; Biro-Biro, Rincón, Vampeta e Neto; Marcelinho e Geraldão. O técnico é Basílio, autor do histórico gol do título de 1977.

Confira a lista completa dos ex-atletas confirmados:

Goleiros: Dagoberto, Julio Cesar, Emerson Leão, Rafael Cammarota Ronaldo, Solito, Tobias, Wilson, Yamada.

Laterais: Ailton, Alessandro, Alfinete, Coelho, Fininho, Iran, Ismael, Julinho, Kleber, Nelsinho, Pavão, Sylvinho, Valdo, Vitor Wladimir, Zé Maria.

Zagueiros: Amaral, André Leone, Batata, Capone, Carlinhos Grauna Célio Silva, César, Dama, Edvaldo, Fábio Luciano, Juninho Fonseca, Marcelo Djian, Maurão, Moretti, Nenê, Paulão.

Volantes: Amaral, Barbieri, Biro-Biro, Careca, Cocito, Dunga, Elias, Ezequiel, Fabio Augusto, Gilberto Costa, Gilmar Fubá, Gino, Homaley, Marcelinho Paulista, Marcio Bittencourt, Perdigão Pingo, Rodrigo Pontes, Tião, Tosim, Vampeta, Wagner, Wagner Basilio, Wilson Mano, Zé Elias.

Meias: Andrezinho, Basílio, Boiadeiro, Edson Pezinho, Edu Gaspar João Carlos, João Paulo, Jorginho, Neto, Pitta, Ricardinho, Rincón, Souza, Tupãzinho, Zenon

Atacantes: Aguinaldo, Amoroso, Ataliba, Dicão, Dinei, Edilson, Edson Pelé, Eduardo Amorim, Fernando Baiano, Geraldão, Gil, João Paulo, Juarez, Leto, Liedson, Luizão, Marcelinho Carioca, Mauro, Palhinha, Paulo Egídio, Paulo Sérgio, Pitta, Ricardo Noal, Serginho, Thiaguinho.

Convidados: Adil, Adnan, Badeco, Baré, Buião, Diogo, Eli, Ivair, Ivan, Jairo, Jenildo, Lance, Lima, Luiz Carlos, Polaco, Rivellino, Solitinho, Zé Eduardo.

Famílias sem-teto ocupam terreno particular próximo ao Itaquerão

Um grupo de famílias organizado pelo MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) ocupa uma área abandonada em Itaquera, na zona leste de São Paulo, desde o início da madrugada deste sábado (3).
A Polícia Militar foi acionada e está no local desde a 1h30. O terreno é uma propriedade particular, e, segundo os ocupantes, abandonado há mais de 20 anos.

Segundo a organização, há aproximadamente mil famílias, mas o número não foi confirmado pela PM.

A propriedade fica localizada na rua Mamequer do Campo, na região do Parque do Carmo, a menos de 4 quilômetros do Estádio de Itaquera.

Segundo nota publicada na página do movimento no Facebook, o abandono da área é uma demonstração de que os investimentos da Copa na região não atenderam àqueles que mais precisam.

Ainda segundo a publicação, o movimento justifica que, enquanto foi gasto mais de R$ 1 bilhão no estádio, milhares de famílias não têm acesso a moradia em Itaquera.

O movimento relata também que as famílias que estão ocupando o terreno estavam vivendo em áreas de risco, favelas ou sem condições de pagar aluguel por conta da especulação imobiliária na região decorrente da construção do estádio de abertura da Copa.

Fonte: R7.com

Itaquerão na contagem regressiva

 02/05/2014 

 Estado de Minas

Divulgação/Corinthians

Depois da visita de 5 mil crianças no sábado, que pôs à prova serviços e orientação ao público, o Itaquerão recebeu ontem os dois primeiros jogos de futebol. Um grupo de funcionários e operários da construtora Odebrecht, que trabalharam por quase três anos no estádio, entrou em campo em duelos de 20 minutos no local que sediará a abertura da Copa do Mundo em 12 de junho, entre Brasil e Croácia. Familiares acompanharam das cadeiras o segundo evento-teste.

A primeira partida oficial do novo estádio do Corinthians será dia 18, com a equipe da casa encarando o Figueirense pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro, ainda sem toda a estrutura necessária para a realização do torneio Fifa. Antes disso, ex-jogadores do Timão atuarão num amistoso no dia 10. Está prevista para a mesma data a conclusão das arquibancadas provisórias que elevarão a capacidade de 48 mil para 69.160 torcedores durante o Mundial.

O Corinthians só conseguirá finalizar o Itaquerão (98,8% pronto) depois dos seis jogos do torneio máximo do futebol em São Paulo. Contra o Figueirense, o clube proprietário não sabe se usará os camarotes e precisará de ajustes na área de imprensa.

Novo adiamento Prevista para a primeira quinzena de maio, a inauguração oficial da Arena Pantanal (98% concluída), em Cuiabá, foi novamente adiada, desta vez a pedido do Comitê Organizador Local (COL). O órgão privado responsável pelo monitoramento dos preparativos do Mundial pediu à Secopa-MT uma mudança na data do amistoso entre a seleção do Mato Grosso e o Olimpia-PAR.

Com a alteração, o compromisso inaugural – que poderá ocorrer entre os dias 21 e 23 – passará a ser o quinto da nova arena. O palco de quatro partidas da Copa já recebeu Mixto x Santos (pela Copa do Brasil) e Luverdense x Vasco (Série B do Campeonato Brasileiro), Cuiabá x Internacional (ontem, pela Copa do Brasil) e Santos x Atlético (Brasileiro, dia 18).

A ideia da Secopa-MT era fazer do confronto de abertura o primeiro com capacidade total: 44 mil torcedores, 2.610 a mais do que no Mundial. Agora o teste será durante o jogo do Galo.

As 12 arenas – Mineirão, Maracanã, Beira-Rio, Arena da Baixada, Fonte Nova, Mané Garrincha, Arena das Dunas, Arena Pernambuco, Arena da Amazônia, Arena Fortaleza, Arena Pantanal e Itaquerão – passarão ao controle da Fifa até dia 23 para a adequação de suas instalações ao chamado “modo evento”.

 

Mergulhão de Itaquera é liberado para o tráfego na Capital

De A Tribuna On-line

O “mergulhão” de Itaquera, na Capital de São Paulo, está liberada para o tráfego a partir desta terça-feira. A passagem inferior da Radial Leste em frente à estação Corinthians-Itaquera do Metrô e da CPTM e próximo à da Arena Corinthians, que vai receber a abertura da Copa de 2014. A nova via expressa segrega o trânsito de passagem e o trânsito local da principal avenida de Itaquera e melhora a mobilidade da região.

N/A

O investimento no Complexo Viário Polo de Itaquera chega a R$ 548,5 milhões

“Aqui havia um semáforo que interrompia o trânsito na Radial Leste. Agora, com o túnel, (o tráfego) vai direto, e em cima continua o trânsito local”, destacou o governador Geraldo Alckmin. “Ganha quem está na Radial, que passa pelo túnel sem interrupção, e ganha o trânsito local, que será feito por cima do túnel.”

O investimento no Complexo Viário Polo de Itaquera chega a R$ 548,5 milhões. As obras são realizadas a partir de convênio entre o Estado, que está investindo R$ 397,9 milhões, e a prefeitura da capital, cujo repasse é de R$ 150,6 milhões.

Nádia Campeão classifica Itaquerão como marco

ImagemA vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, coordenadora do Comitê Especial para a Copa do Mundo, acredita que os investimentos municipais e estaduais realizados em Itaquera, na zona leste da cidade, em razão do evento, serão um marco para o desenvolvimento econômico e educacional da região. Para as obras de infraestrutura locais foram destinados cerca de R$ 150 milhões do orçamento municipal e R$ 398 milhões do governo estadual.

No entanto, as opiniões sobre o evento são ainda controversas entre os brasileiros: parte da população entende que o dinheiro empregado em construção de estádio poderia ser utilizado para melhorias em outros setores públicos, como saúde, educação e mobilidade urbana. Nádia defende que as obras da Copa do Mundo irão “preparar o terreno” da zona leste para receber os demais equipamentos públicos previstos até o final gestão de Fernando Haddad (PT) em 2016.

“Nós não estamos acostumados a ver um estádio como um gerador de emprego, de renda, uma atividade econômica. Qualquer cidade que quer atrair, por exemplo, uma nova fábrica, um novo empreendimento, costuma dar facilidades porque sabe que aquele investimento que vem irá gerar benefícios econômicos a longo prazo. Então, as vezes há isenção de imposto territorial, de IPTU, de ISS.”

Ela destaca que o entorno da estação Itaquera, da Linha 3 Vermelha do metrô, era “completamente desocupado” antes da construção do estádio de futebol, conhecido como Itaquerão, iniciada há três anos. A prefeitura pretende transformar a área em um polo econômico institucional e promete dar continuidade aos investimentos estimulados com a organização do mundial.

“A zona leste vai receber muitos benefícios sociais e urbanísticos”, afirma a vice-prefeita. Hoje, além da Arena Corinthians, estão instaladas na região apenas a Faculdade de Tecnologia (Fatec) Professor Miguel Reale, de ensino superior, e a Etec Itaquera, escola técnica de ensino médio. Após a Copa, serão construídas unidades do Sesi e do Senai, além de um Fórum no local.

Para facilitar a mobilidade urbana, o bairro também precisou receber obras de infraestrutura viária, como o recapeamento de vias e a criação de alças de acesso à Marginal Tietê e ao Rodoanel – o perímetro que interliga as principais rodovias do estado desviando o tráfego sobretudo de caminhões do centro expandido. As principais avenidas do extremo leste da cidade, Jacu Pêssego e José Pinheiro Borges, foram interligadas. “Os investimentos para a Copa não são um valor jogado fora, que não retornam para a cidade. Eles são preparatórios para todos os equipamentos que nós vamos receber ali na região. Não há como construir sem ter calçada, iluminação, e forma de acesso”, argumenta a vice-prefeita.

A zona leste concentra cerca de 4 milhões dos habitantes da cidade de São Paulo, o que corresponde a 36% da população. Entretanto, apenas 16% dos empregos oferecidos na cidade estão na região.

Ambulantes

Embora as obras da Arena Corinthians tenham criado cerca de 6 mil empregos diretos e outros 20 mil de forma indireta, a questão trabalhista ainda é ponto de conflito na realização do mundial. Em acordo com a Fifa, o governo federal proibiu que vendedores ambulantes trabalhem nas imediações dos estádios durante a Copa do Mundo. A venda de produtos e alimentos seria assegurada apenas aos patrocinadores oficiais do evento. A medida causou revolta entre os setores envolvidos, que viam no mundial de futebol uma oportunidade de trabalho.

Em São Paulo, a prefeitura assumiu papel de intermediação de um acordo entre as empresas parceiras do mundial e o Fórum dos Ambulantes de São Paulo. Pelo acordo, A criação de empregos temporários no entorno do estádio privilegiará esses profissionais, o que inclui as atividades organizadas em torno das partidas em praças, conhecidas como Fifa Fun Fest. “Nós pudemos formalizar e legalizar o trabalho dos ambulantes em parceria com os patrocinadores. Eles fornecerão o produto e os uniformes e o fórum vai listar os trabalhadores que querem atuar durante a copa”, explica a coordenadora do Comitê Especial para a Copa do Mundo, em entrevistas à TVT e à Rádio Brasil Atual.

Fonte: Brasil247 

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio