Arquivo da tag: LANÇAMENTO

Uma Noite de Crime 2: Anarquia ganha novo trailer; assista

De A Tribuna On-line

N/A

Sequência será lançada em 4 de setembro
O longa Uma Noite de Crime 2: Anarquia, continuação do sucesso de bilheteria Uma Noite de Crime, de 2013, ganhou mais um trailer. O enredo do filme conta com a premissa de que o governo consegue conter a violência estabelecendo a Expurgação, um período de 12 horas em que todo e qualquer tipo de crime é permitido. 
 
Entre as histórias apresentadas estão a de um homem que busca vingança e a de um jovem casal que precisa sobreviver quando seu carro quebra pouco tempo antes da Expurgação. 
 
Com direção de James DeMonaco, o elenco conta com Frank Grillo, Michael K. Williams, Zach Gilford e Kiele Sanchez. O filme tem previsão de estreia para 4 de setembro. 
 
Assista ao trailer abaixo:
 

Lana Del Rey lança novo clipe; assista a Shades of Cool

De A Tribuna On-line

N/A

Faixa integra novo álbum da cantora 
A cantora norte-americana Lana Del Rey liberou o clipe do segundo single de seu mais novo álbum, intitulado Ultraviolence. O vídeo, como é usual da artista, é marcado pelo visual retrô com efeitos de imagem que lembram os filmes das décadas de 1970 e 1980.
 
O novo disco, que inclui também as faixas West Coast Brooklyn Baby, contou com a produção de Dan Auerbach, do Black Keys. O trabalho sucede o álbum de estreia Born To Die, lançado em 2012.
 
Confira o clipe abaixo:
 

Maroon 5 divulga canção de novo álbum; ouça Maps

De A Tribuna On-line

N/A

Novo disco do grupo chega às lojas em setembro
A banda norte-americana Maroon 5 estreou sua nova música de trabalho na estação iHeartRadio, e já está disponível na web. A canção, intituladaMaps, é uma das principais faixas do quinto álbum de estúdio da banda, V, que terá lançamento oficial em 2 de setembro. 
 
A música, escrita por Adam Levine, Benny Blanco, Max Martin, Shellback e Ryan Tedder (OneRepublic), já está disponível para compra nas lojas digitais.
 
Ouça a canção abaixo:

Ouça “Maps”:

<div class=”ab-player” data-boourl=”https://audioboo.fm/boos/2256631-maroon-5-maps/embed/v2?eid=AQAAAFtQn1P3biIA&#8221; data-boowidth=”100%” data-maxheight=”150″ data-iframestyle=”background-color:transparent; display:block; box-shadow:0 0 1px 1px rgba(0, 0, 0, 0.15); min-width:349px; max-width:700px;” style=”background-color:transparent;”><a href=”http://audioboo.fm/boos/2256631-maroon-5-maps”>listen to ‘Maroon 5 – Maps’ on Audioboo</a></div><script type=”text/javascript”>(function() { var po = document.createElement(“script”); po.type = “text/javascript”; po.async = true; po.src = “https://d15mj6e6qmt1na.cloudfront.net/cdn/embed.js&#8221;; var s = document.getElementsByTagName(“script”)[0]; s.parentNode.insertBefore(po, s); })();</script>

 
 

MAX B.O. LANÇA “VAMO ALÉM”

MC faz reflexão sobre as manifestações brasileiras em nova produção nas vésperas da Copa do Mundo no Brasil

O músico e apresentador Max B.O. acaba de lançar o clipe “Vamo Além” em parceria com o produtor musical Wzy. O clipe inédito tem produção e edição do Estúdio C7. A letra mantém o estilo de B.O. e fala sobre as manifestações que começaram em junho do ano passado e que ainda não tem previsão para acabar com a abertura da Copa do Mundo.

Max B.O. acha a união da população muito importante para melhorar o país, desde que haja consciência: “Não adianta participar de uma manifestação sem saber porque está lá, pelo que se reivindica. Gente que quer apenas uma foto pra postar nas redes sociais, que vai pra uma manifestação como se estivesse indo fazer um passeio ou quem simplesmente só quer aparecer diante das câmeras, acaba deturpando o verdadeiro sentido do ato. E onde estão e o que fazem as pessoas que muitas vezes são mentoras dessas indignação popular?”.

Novo trailer da animação Os Boxtrolls é divulgado; assista

De A Tribuna On-line

N/A

O longa tem lançamento marcado para outubro
O novo trailer da animação Os Boxtrolls, feita emstop motion, foi divulgado. A produção foi realizada pelo estúdio Laika, responsável por filmes comoCoraline e o Mundo Secreto e ParaNorman. Na história, um órfão criado por monstros catadores de lixo tenta salvar seus amigos de um exterminador de pragas. 
 
A dublagem fica por conta dos atores Simon Pegg, Toni Collette, Nick Frost, Elle Fanning e Ben Kingsley. Dirigido por Graham Annable e Anthony Stacchi, a animação tem estreia prevista para o dia 9 de outubro. 
 
Assista ao trailer abaixo:
 

Histórias dos Abba em cinco singles (5)

Diário de Notícias|Nuno GalopimHoje

 
Histórias dos Abba em cinco singles (5)

No momento em que é lançada uma caixa com a obra do grupo em singles de vinil, recordamos esta semana cinco dessas canções. Hoje recordamos o single que corresponde à derradeira gravação do grupo sueco.

O engenheiro de som que trabalhava com os Abba, Michael Tretow, recordou um dia a sessão em que os Abba gravaram aquela que seria a sua última canção. Estavam a 20 de agosto de 1982, nos Polar Studios. As luzes estavam semi-apagadas para criar o ambiente para uma canção de forte carga melancólica. Reza a mitologia que todos sentiam que era o fim… E quando a vocalista Agnetha Faltskog retitou os auscultadores dos ouvidos no fim da gravação, a história viva dos Abba conhecia ali o seu ponto final.

O grupo tinha-se reunido em estúdio no verão de 1982 para gravar as canções daquele que preparava para ser o sucesso do álbum The Visitors, de 1981. Gravaram ao todo seis temas. Quatro surgiriam em dois singles lançados entre o outono e inverno de 1982. I Am The City emergiria apenas como inédito numa antologia nos anos 90. E Just Like That surgiria ainda mais tarde, mas não mais que na forma de uma maquete inacabada.

A melhor das canções deste lote começara a surgir em estúdio com o título de trabalho Den Lidande Fageln (que poderemos traduzir para português como “o pequeno pássaro sofredor”). Era, tal como muitas das canções posteriores ao álbum de 1980 Super Trouper, um tema essencialmente dominado pela presença de eletrónicas. De resto, correspondeu à primeira vez que uma canção dos Abba teve Benny Andersson como único instrumentista em estúdio.

Com o título definitivo The Day Before You Came, surgiria no formato de single em outubro de 1982 (Under Attack, registado nas mesmas sessões, embora algum tempo antes, seria o single final do grupo, em dezembro do mesmo ano). É uma canção profundamente melancólica, com uma das mais emotivas das interpretações de Agnetha Faltskog. E, tal como sucedera em 1980 com The Winner Takes It All, refletia claramente o estado emocional de um casal separado (algo que, de facto, aconteceu internamente nos Abba).

Muitas vezes apontada como uma das melhores canções da obra dos Abba, surgiu todavia numa etapa em que a sua popularidade não respirava o sucesso que conhecera entre os anos 70 e a alvorada dos oitentas. Chegou ao número 3 na Suécia mas, por exemplo, no Reino Unido, não ultrapassou o número 32. O tempo fez-lhe justiça. E a gravação de uma versão, logo em 1984, pelos Blancmange, começou a criar um estatuto de referência que, hoje, a canção merecidamente a si chamou.

Ainda ninguém imaginava, quando The Day Before You Camechegou às lojas de discos, que o fim dos Abba estava na linha do horizonte. Benny e Bjorn estavam a trabalhar já em Chess, aquele que seria o seu primeiro musical. Agnetha e Frida gravavam discos a solo, a primeira com Thomas Ledin, a segunda com Phil Collins na produção. Tudo parecia que iam tirar umas férias. Mas era um fim.

Na véspera da Copa, Jorge Drexler lançoi “Uruguay nomás”

Música de alento à seleção foi divulgada na véspera do primeiro jogo da Copa

Cantor compôs música de alento à seleção do Uruguai<br /><b>Crédito: </b> Divulgação / CP
Cantor compôs música de alento à seleção do Uruguai 
Crédito: Divulgação / CP

Fã de futebol, o cantor uruguaio Jorge Drexler publicou ontem, quarta-feira, véspera do primeiro jogo na Copa do Mundo, a música “Uruguay nomás”, em homenagem à seleção de seu país. A melodia foi disponibilizada na página doFacebook e no YouTube.

“É uma canção simples, de alento à seleção uruguaia, gravada em casa, com meus filhos menores e meu irmão Diego”, explicou Drexler, em sua página no Facebook. A inspiração, contou ele, surgiu na terça-feira, em Madri, onde mora. “É a primeira música que escrevo celebrando a relação entre o Uruguai e o futebol”, acrescentou o músico. 

No Brasil, a Celeste olímpica busca o tricampeonato mundial no mesmo lugar onde ganhou seu último título da Copa, no famoso Maracanazo. O Uruguai estreia na Copa no sábado, às 16h, contra a Costa Rica. Também estão no Grupo D Inglaterra e Itália. 

Ouça:

Pelas raízes do rock’n’roll com Jack White

Diário de Notícias|Nuno GalopimHoje

 
Pelas raízes do rock'n'roll com Jack White

‘Lazaretto’, o segundo álbum a solo do ex-vocalista dos White Stripes assinala nova incursão do músico por diversas heranças da cultura rock e suas periferias.

Os sete álbuns de originais que os White Stripes lançaram entre 1999 e 2007 representam uma das mais notáveis obras que o universo do rock’n’roll conheceu nos últimos tempos. Depois de encerrado o ciclo com Icky Thump, em 2007, quatro lançamentos ao vivo têm assegurado a continuação da sua discografia. Porém em 2012 Jack White (findo uma etapa menos vitaminada a bordo dos Raconteurs) deu novo passo significativo ao editar a solo Blunderbuss, disco onde, mais que nunca, abria os horizontes da sua música a várias genéticas fulcrais da cultura rock numa coleção de canções que, mesmo seguindo caminhos variados nas formas (e cores) tinha na sua voz, naquele canto inquieto, um denominador comum que assinava a coesão do todo. Não estamos muito longe desses mesmos princípios agora que encontramos em Lazaretto o seu segundo passo assinado em nome próprio. A relação com raízes diversas da cultura rock está novamente bem patente, sublinhando também uma atitude melómana que ele mesmo tem desenvolvido através da sua própria editora, a Third Man Records.O álbum abre com Three Women, na verdade uma canção que nasce diretamente da memória de Three Women Blues”, canção de 1928 de Blind Willie McTell. Os riffs intensos, as guitarras angulosas e a voz agitada dominam parte de um alinhamento que evoca tanto os blues, como a country ou o rhythm’n’nblues. Mas que, fruto de um labor de estúdio mais demorado que nunca, acaba por gerar arranjos mais complexos que revelam novos caminhos possíveis para a relação de Jack White com estas mesmas raízes. E escutem-se temas como Temporary Ground, Would You Fight For My Love? ou o intrigante (e invulgar) High Ball Stepper e respire-se o sabor da descoberta que pode nascer de uma inteligente forma desafiante de regressar a velhas referências.

Veja clipe:

Álbum da Copa do Mundo terá 71 novas figurinhas

Da Redação

A partir do dia 18, o álbum da Copa do Mundo de 2014 terá 71 novas figurinhas. O anúncio foi feito nesta terça-feira pela editora Panini, que tirará da cartola novos cromos pra compensar as 72 figurinhas de jogadores que fazem parte do livro original, porém não jogarão o Mundial.

Jô é o único brasileiro da lista nova e poderá ser colado no lugar de Robinho, que sequer foi chamado por Felipão para a Copa do Mundo. O fã de figurinhas terá a opção de colar o atacante do Atlético-MG no lugar do ex-santista.

Além de Jô, chamam atenção logo de cara na lista de novas figurinhas as presenças de Diego Costa, o brasileiro que quer ser artilheiro da Copa pela Espanha, e Immobile, garoto-sensação da seleção italiana.

O kit de atualização das figurinhas oficiais do álbum da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 contém 71 cromos inéditos dispostos em 3 folhas adesivas com meio corte, prontos para colar. O preço promocional é R$ 10,50.

Confira a tabela abaixo dos jogadores que serão inclusos no álbum da Copa do Mundo:

Alemanha
Benedikt Höwedes
Kevin Grosskreutz

Argélia
Rafik Halliche
Nabil Bentaleb

Argentina
Enzo Pérez

Austrália
Alex Wilkinson
James Troisi
Ryan McGowan
James Holland
Adam Taggart

Bélgica
Adnan Januzaj

Bósnia-Herzegovina
Muhamed Bešic

Chile
Felipe Gutiérrez
Miiko Albornoz
Carlos Carmona

Colômbia
Éder Balanta
Santiago Arias
Adrián Ramos
Juan Quintero

Coreia do Sul
Yun Suk-Young

Costa do Marfim
Didier Ya Konan
Constant Djakpa
Max Gradel
Giovanni Sio

Costa Rica
Marco Ureña
Óscar Duarte

Croácia
Danijel Pranjic
Sammir

Equador
Oswaldo Minda

Espanha
Santi Cazorla
César Azpilicueta
Diego Costa

Estados Unidos
Timmy Chandler
Kyle Beckerman
Alejandro Bedoya
Chris Wondolowski

França
Antoine Griezmann
Bacary Sagna
Rio Mavuba

Grécia
Loukas Vyntra
Giannis Fetfatzidis

Holanda
Leroy Fer
Jonathan de Guzmán

Honduras
Osman Chávez

Inglaterra
Chris Smalling
Adam Lallana
Luke Shaw
Ross Barkley

Irã
Steven Beitashour
Mehrdad Pooladi
Alireza Jahanbakhsh

Itália
Alberto Aquilani
Ciro Immobile
Marco Verratti
Antonio Cassano

México
Carlos Salcido
Javier Aquino
Marco Fabián

Nigéria
Kunle Odunlami
Reuben Gabriel
Peter Odemwingie
Uche Nwofor

Portugal
André Almeida
Rúben Amorim

Rússia
Andrei Eschenko
Vladimir Granat
Georgi Schennikov
Yuri Zhirkov
Oleg Shatov

Suíça
Josip Drmic

Histórias dos Abba em cinco singles (1)

Diário de Notícias|Nuno GalopimHoje

 
Histórias dos Abba em cinco singles (1)

No momento em que é lançada uma caixa com a obra do grupo em singles de vinil, recordamos esta semana cinco dessas canções. E começamos com aquela que lhes deu a vitória no Festival da Eurovisão, em 1974.

Estavam longe de ser ilustres desconhecidos na Suécia, todos eles com discos já editados antes, alguns deles já com os quatro músicos reunidos. Mas como Abba nunca se tinham antes apresentado. O nome resultava das iniciais de cada um (Anni-Frid, Benny, Bjorn e Agnetha) e surgia a anunciar a canção com a qual a Suécia concorria, em inícios de Abril de 1974, à edição desse ano do Festival da Eurovisão.

Os mesmos quatro músicos já haviam tentado a sorte no ano anterior, tendo então submetido a canção Ring Ring à final do festival sueco. Não venceram. Mas a televisão estatal sueca desafiou-os a voltar no ano seguinte. Pelo que tinham de encontrar a canção certa.Stig Andersson, o manager do grupo, acolheu com entusiasmo a ideia de voltarem a concorrer, uma vez que via no festival uma plataforma potencialmente eficaz para o lançamento de uma carreira internacional para o grupo. O desafio que tinham pelas mãos era, então, o de criarem uma canção alegre e ritmada.Benny e Björn seguiram então para a ilha de Viggso, no arquipélago de Estocolmo, onde de resto passariam sempre a trabalhar em fase de composição. Na sua pequena cabana de trabalho iam fazendo sessões, ao piano e guitarra, nas quais procuravam ideias e tentavam desenvolvê-las em busca de uma canção. Estava-se em finais de 1973 e dali regressaram com dois temas, um deles acabando por ser o escolhido. Originalmente apresentava-se sob o título Honey Pie, mas acabaria por mudar de nome depois de um encontro com um livro que recordava a derrota que colocara um ponto final no reinado de Napoleão. Waterloo seria esse o título a levar ao concurso.

A canção venceu a final local e, em Brighton (onde se realizou o Festival da Eurovisão a 6 de abril de 74) terminaria a noite com a maior soma de pontos, deixando em segundo lugar a italiana Gigliola Cinquetti que, dez anos antes, havia ali triunfado.Vestidos com exuberância, com o maestro a evocar os tempos de Napoleão no fato que levou para a frente da orquestra, os Abba tornavam-se na sensação do momento. O efeito da vitória foi imediato, com o tema rapidamente editado em single em várias línguas e escalando lugares nas tabelas de vendas de inúmeros países. Foi número um na Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Irlanda, Holanda, Noruega, África do Sul, Reino Unido e Suíça. Subiu ao número seis nos EUA. Curiosamente, na sua terra natal foi número 2 na versão cantada em sueco e número 3 na cantada em inglês.O single então editado em Portugal tinha o tema Watch Out no lado B,

Em 2005, nas celebrações dos 50 anos do Festival da Eurovisão, foi votada como a melhor canção da história do concurso.

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio