Arquivo da tag: Minas Gerais

Folha cobra mais respostas de Aécio sobre pistas

Em editorial desta sexta-feira, o jornal “Folha de S. Paulo” cobra mais esclarecimentos do presidenciável tucano Aécio Neves, apesar de recentes declarações sobre a construção e uso do aeroporto em Cláudio, MG. Segundo a publicação, o episódio, de todo modo, mostra como o tucano, hoje candidato, reage a perguntas –ainda que simples e “irrelevantes”. Leia: 

As pistas de Aécio

Após dez dias evitando uma pergunta simples e que ele mesmo classificou como irrelevante, o senador mineiro Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, enfim deu sua resposta: sim, usou, “umas poucas vezes”, a pista de pouso da cidade de Cláudio (MG).

A admissão veio em conversa com jornalistas na quarta-feira (30) e em artigo publicado ontem nesta Folha, na seção Tendências/Debates: “Todo homem público”, escreveu o tucano, “[tem] a obrigação de responder a todo e qualquer questionamento (…) e o direito de se esforçar para que seus esclarecimentos possam ser conhecidos”.

Com uma dose descomunal de boa vontade seria possível ver, no prolongado período em que não cumpriu sua “obrigação”, um esmero igualmente descomunal no exercício de seu “direito”. Para os menos dispostos a tamanha candura, ficam as esquivas e uma outra declaração de Aécio: “Vou responder sempre que achar adequado”.

Embora o candidato tenha procurado transformar o tema num pormenor, entende-se por que tentou ocultar a aterrissagem em Cláudio. Será mais difícil negar o óbvio: a pista de pouso, no mínimo, é conveniente para ele e seus parentes.

Como esta Folha revelou, Aécio construiu o aeroporto quando era governador de Minas. O terreno, desapropriado pelo Estado, pertencia a um tio-avô do tucano, e o uso da pista dependia de autorização de seus familiares –característica própria dos aeródromos privados, nos termos do Código Brasileiro de Aeronáutica.

Situado a 6 km da Fazenda da Mata, refúgio preferido do senador, custou, no entanto, R$ 13,9 milhões aos cofres públicos.

Diante disso, Aécio reitera que “a obra foi não apenas legal, mas transparente, ética e extremamente importante para o desenvolvimento do município e da região”.

Com 25 mil habitantes, Cláudio é uma cidade afortunada que viu seu aeródromo ficar pronto em dois anos. Quando lançou o ProAero, em 2003, o governador previa inaugurar 14 aeroportos. Só dois saíram do papel. O outro está na Zona da Mata. Destinado a atender os mais de 500 mil moradores de Juiz de Fora, demorou quase dez anos para receber voos regulares.

Ademais, segundo o jornal “O Tempo”, de Minas, o ProAero pretendia reformar e ampliar 85 aeroportos, mas apenas 29 foram contemplados em mais de dez anos.

A questão, como se vê, não está “mais que esclarecida”, como supôs Aécio. O episódio, de todo modo, mostra como o tucano, hoje candidato, reage a perguntas –ainda que simples e “irrelevantes”.

 

Autor/Fonte: Brasil247 

Governo de MG construiu aeroporto em terra de tio de Aécio

Obras foram executadas em 2010

O jornal afirma que, para pousar no aeroporto, é preciso pedir autorização a familiares de Aécio. (Foto: Ueslei Marcelino / Reuters)

O governo de Minas Gerais construiu, em 2010, um aeroporto dentro de uma fazenda de um parente do senador e candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB), na cidade de Cláudio. A obra, que custou R$ 14 milhões, foi feita no fim do segundo mandato do tucano como governador do Estado. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a publicação, o aeroporto é administrado por familiares de Aécio. A família de Múcio Guimarães Tolentino, 88 anos, que é tio-avô do tucano e ex-prefeito de Cláudio, guarda as chaves do portão do local. 

O jornal afirma que, para pousar no aeroporto, é preciso pedir autorização aos filhos de Múcio. Segundo um deles, Fernando Tolentino, a pista recebe pelo menos um voo por semana, e seu primo Aécio Neves usa o aeroporto sempre que visita a cidade. Múcio é irmão da avó de Aécio, Risoleta Tolentino Neves, que foi casada por 47 anos com Tancredo Neves.

Segundo a publicação, a pista do aeroporto tem um quilômetro e pode receber aeronaves de pequeno e médio porte, com até 50 passageiros. Sem funcionários, o local é considerado irregular pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que afirmou que ainda não recebeu do governo estadual todos os documentos necessários para a homologação do aeroporto.
publicidade

Ao jornal, Aécio afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que a construção do aeroporto seguiu critérios técnicos, e que o governo de Minas Gerais não levou em consideração o fato de o proprietário do terreno ter parentesco com ele.

Fonte: Terra

Frutas de Minas viram matéria-prima de doce de festa

Se tem uma coisa amada em festa são os docinhos. E se eles são feitos em casa e com frutas da região..

Tente fazer um delicioso doce de pequi (marcos vieira/em/d. a press)

Tente fazer um delicioso doce de pequi

  
Chegou a hora da festa de casamento. Os convidados já foram chamados para celebrar com os noivos, então é a hora de pensar nos docinhos. Os famosos bem-casados feitos com pão de ló e doce de leite, que fazem de uma festa de casamento algo indescritível, é só mais um detalhe. Sem contar aqueles doces finos que os bufês fazem tão bem. Estamos falando daquelas delícias que contam história, que falam ao coração. É desses docinhos que o caderno Degusta trata agora. Uma variedade deles recentemente chamou atenção dos convidados no casamento da filha de uma conhecida cabeleireira dacidade. Os 450 convidados foram recebidos com uma mesa de café completa em que figuravam entre bolinhos de milho verde, de chocolate e outras quitandas mineiras, deliciosos docinhos do Cerrado mineiro.

A criadora das iguarias, Laura Nunes, é a mais nova de 15 irmãos. Passou a infância na Fazenda Primavera, de propriedade da família, em Angueretá, distrito de Curvelo. E foi lá, em meio à extensa plantação de marmelo que abastecia as cidades vizinhas, pequizeiros, figos e limões-capeta que aprendeu a admirar e, sobretudo, a preparar toda sorte de receitas com os frutos do cerrado. Já casada, em Belo Horizonte, mãe de 3 filhos e uma enteada, continuou apreciando os sabores da infância. Há anos que em sua casa costuma ter frescas ou congeladas as polpas dessas frutas, tudo para tê-las por perto o ano todo. E com elas, em forma de doces, segue brindando o cotidiano e as ocasiões especiais, como o casamento da filha Lorena.

Gosto de celebração Quando comecou a festa, lá estavam eles, uma atração à parte do casamento. Estamos falando de docinhos de araticum, pequi, limão-capeta, figo miúdo, marmelo… repletos de sabor e de criatividade, preparados por Laura Nunes em casa, com o auxílio de sua cozinheira e de sua arrumadeira. Longe dela querer competir com “os finos e não menos saborosos doces preparados por Eduarda Balesteros especialmente para a ocasião”, faz questão de dizer. Mas, para ela e sua família, não tem jeito: as delícias são obrigatórias à mesa e, como sempre, deveriam também estar presentes naquela celebração. Sorte de quem provou, porque, para o deleite dos convidados, lá estiveram elas, dando a cada um uma experiência única dos gostos de uma infância feliz.

Para quem não esteve nessa ‘invejada’ lista de convidados e, assim, não pôde ter o privilégio de experimentar sabores exóticos e diferenciados, tudo à base de frutas do cerrado mineiro, o caderno Degusta traz três receitas gentilmente oferecidas por Laura. De fácil preparo e uma explosão de sabor, os docinhos também poderão fazer a festa do leitor em dias de pouca ou muita emoção. Mãos à obra!

Docinho de pequi

(rende 70 unidades)

Ingredientes
2,5 quilos de pequi cozido e raspado;
1 lata de leite condensado cozido e
250ml de leite fresco
Modo de fazer
Cozinhar os pequis por 30 minutos em pouca água para não perderem o sabor. Raspar a polpa do fruto com uma colher de sopa. Na véspera do preparo do doce, cozinhar na panela de pressão uma lata de leite condensado (manter a lata fechada) por 40 minutos. Esperar esfriar para abrir a lata. Juntar o leite fresco, a polpa do pequi e o leite condensado cozido na véspera. Levar a mistura ao fogo até chegar ao ponto de bala (quando a mistura desprega da panela). Deixar esfriar. Colocar em forminhas do formato que desejar (de silicone ou alumínio) e apertar bem a massa. Desenformar depois de algum tempo e servir.

Docinho de araticum

(rende 55 unidades)

Ingredientes
2 araticuns de tamanho médio
600g de açúcar cristal
Modo de fazer
Retirar dos gomos da fruta as sementes e a casca.p Levar ao fogo a polpa e o açúcar. Deixar ferver até chegar ao ponto de bala (quando a mistura desgruda da panela). Depois de frio, colocar nas forminhas e apertar bem para dar a forma desejada. Desenformar depois de algum tempo e servir.

Docinho de limão-capeta
(rende 100 unidades)

Ingredientes
25 limões-capeta, água q.b., açúcar q.b.
Modo de fazer
Retirar a casca dos limões raspando, com lixa fina, toda sua extremidade. Cortá-los em cruz para que se abram “quatro pétalas”. Retirar o miolo (bagaço) dos limões. Deixá-los murchar de um dia para o outro. No dia seguinte, enrolar cada pétala como um canudo, costurando cada uma com linha para manter o enrolado. Montá-las como um colar. Disponha o colar de pétalas numa vasilha com água suficiente para cobri-lo e deixe de molho por 12 horas, trocando por quatro vezes a água. Em seguida, coloque o colar de pétalas numa calda previamente feita com o açúcar e deixe marinar por 1 hora e meia. Retirar o colar da calda, deixar escorrer e secá-lo bem com guardanapo de papel. Em seguida, rechear cada canudo do colar (de pétalas de limão) com leite condensado light cozido.

 

Idoso abusava da filha de 10 anos e dava balas para calar a menina

DIÁRIO DA MANHÃ|HÉLIO LEMES

Um idoso, de 63 anos, foi preso na noite da última terça-feira (17) em Três Marias, Minas Gerais, em flagrante abusando sexualmente da própria filha, uma criança de 10 anos. Os dois foram encontrados dentro do carro praticamente nus, enquanto o idoso acariciava a criança.

Segundo informações da Polícia Militar (PM), uma viatura estava patrulhando a área, quando decidiram abordar o carro que estava parado. O pai da menina identificado como José Soares da Silva, de 63 anos, afirmou aos policiais que já tinha o hábito de abusar da menina e que pretendia manter relações sexuais com ela.

Ainda segundo o relato do idoso, ele dava balas, chicletes e dinheiro para que a criança não contasse a mãe sobre o fato. O senhor foi preso em flagrante e a criança que confessou ser vitima dos abusos do pai, foi encaminhada para atendimento. O conselho tutelar foi acionado para tomar as providências necessárias neste caso.

(Com informações do R7)

BH: 1,5 mil PMs impedem evolução de protesto contra Copa

O excesso de policiais militares em mais um protesto contra a Copa do Mundo na região central de Belo Horizonte impediu com que os cerca de 400 manifestantes marchassem rumo ao Mineirão, estádio onde às 13h começava a partida entre Colômbia e Grécia. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 1,5 mil policiais cercaram os manifestantes na praça Sete por volta das 12h, os impedindo de sair para qualquer um dos lados, fosse pela avenida Amazonas ou pela Afonso Pena.

Os manifestantes permaneceram no obelisco da praça até às 16h, quando a Tropa de Choque e a Cavalaria da Polícia Militar abriram espaço pela avenida Amazonas para descerem para a praça da Estação. Já com o caminho aberto, os manifestantes fizeram uma assembleia e optaram por terminarem o ato na praça da Estação, por volta das 17h.

De acordo com o coronel Alberto Luiz, porta-voz da PM na capital mineira, cerca de 13 mil policiais estavam de prontidão para evitar o quebra-quebra em dia de jogo da Copa do Mundo. Por volta das 10h, a polícia passou a revistar pessoas com “atitude suspeita” na praça. Após a busca, a PM deteve 11 pessoas com facas, pedras, coquetel molotov e máscaras.

O policiamento foi bastante reforçado na área, equipado com cacetetes, armas de bala de borracha e escudos, além de um helicóptero que sobrevoou o local. Foram cerca de oito ônibus do batalhão de choque, além de viaturas e vans da Polícia Militar.

Na quinta-feira, data da abertura da Copa do Mundo, Belo Horizonte também recebeu protesto com críticas ao alto custo da organização do Mundial e a falta de investimentos em saúde e educação. O protesto terminou com 12 detidos e confronto entre a Polícia Militar e os manifestantes.

“Foi uma mudança de estratégia, mais rígida. Os manifestantes ficaram onde nós, da polícia, determinamos e não teve nenhuma confusão pois abordamos 11 pessoas em flagrante. Considero que obtivemos êxito, mas não vamos nos vangloriar com isso. Queremos que as pessoas possam se manifestar, mas a democracia não é um regime de vale tudo”, disse o coronel Alberto Luiz.

Fonte: Terra

Adolescente de 17 anos morre em acidente com caminhão em Lavras

Bombeiros informaram que menor estava em alta velocidade quando invadiu a contramão e atingiu o outro veículo

Estado de Minas

14/06/2014 

Motocicleta ficou destruída depois do acidente (Jornal de Lavras/Divulgação)  
Motocicleta ficou destruída depois do acidente

Um motociclista morreu na manhã deste sábado depois de se envolver em acidente com um caminhão em Lavras, Região Sul de Minas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a motocicleta Honda GYP-2161, ficou de baixo da roda do caminhão Mercedes Benz, placa GVX-7245, que descia a Rua Paulo Costa Pereira. O menor de 17 anos, identificado como Antonio Marcos, subia a rua em alta velocidade e por razões ainda desconhecidas, entrou na contramão de direção e bateu no lado direito do caminhão.

O motorista do caminhão disse que viu quando ele entrou na frente de seu veículo, e por isso, diminuiu a velocidade, que já estava baixa devido a um quebra-molas, mas a velocidade do motociclista era muito alta. Antônio Marcos era irmão de Willian Marques Madalena, o “Tio Willian”, que assassinou, com dois tiros na cabeça, a adolescente Dayane de Paula Azevedo, de 14 anos, em outubro do ano passado, na Rua Paulo Costa Pereira, a mesma rua em que seu irmão sofreu acidente na manhã deste sábado.

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar compareceram ao local do acidente, e segundo a PM, Antônio Marcos portava um revólver na cintura. Ele foi socorrido ainda com vida pelos bombeiros e levado para a Unidade Regional de Pronto Atendimento (Urpa), onde chegou sem vida.

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova Cintra

Homem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova CintraHomem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Estado de Minas| Cristiane SilvaLuana Cruz TV Alterosa

11/06/2014

Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII (Leandro Couri/EM/DA Press)  
Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII

Na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, um argentino foi alvo de um ato violento em Belo Horizonte. O homem de 34 anos teve um dos dedos quebrado ao ser agredido na noite de terça-feira, no Bairro Nova Cintra, Região Oeste da capital.

Ruben Francisco Lucero deu entrada no Hospital João XXIII às 21h de ontem, conforme a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). O argentino, que mora na capital há dois anos, estava no carro com a esposa brasileira e a filha de 2 anos quando foi atacado. Segundo Lucero, ele tinha uma bandeira da Argentina enrolada na mão quando três homens passaram e puxaram objeto, quebrando o dedo da vítima. O homem terá que passar por uma cirurgia. 

 

O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero (Leandro Couri/EM/DA Press)  
O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero

“Pode ser da Argentina, pode ser da Colômbia. Então imagina quando os turistas realmente chegarem no Brasil, o que vai acontecer? A ponto de quebrar o dedo para ter que fazer uma cirurgia, dá indignação”, lamentou Júnia Paula, esposa de Ruben.

A Polícia Militar (PM) informou que o argentino não registrou boletim de ocorrência sobre a agressão. A assessoria de imprensa da corporação soube do caso, mas acredita que ele tenha ido ao hospital por meios próprios sem avisar às autoridades.

Argentino tem dedo quebrado ao ser agredido no Bairro Nova CintraHomem mora em Belo Horizonte há dois anos e foi abordado por um trio que arrancou a bandeira argentina que ele segurava

Estado de Minas| Cristiane SilvaLuana Cruz TV Alterosa

11/06/2014

Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII (Leandro Couri/EM/DA Press)  
Ruben Lucero teve que passar por uma cirurgia no Hospital João XXIII

Na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, um argentino foi alvo de um ato violento em Belo Horizonte. O homem de 34 anos teve um dos dedos quebrado ao ser agredido na noite de terça-feira, no Bairro Nova Cintra, Região Oeste da capital.

Ruben Francisco Lucero deu entrada no Hospital João XXIII às 21h de ontem, conforme a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). O argentino, que mora na capital há dois anos, estava no carro com a esposa brasileira e a filha de 2 anos quando foi atacado. Segundo Lucero, ele tinha uma bandeira da Argentina enrolada na mão quando três homens passaram e puxaram objeto, quebrando o dedo da vítima. O homem terá que passar por uma cirurgia. 

O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero (Leandro Couri/EM/DA Press)  
O cônsul da Argentina em BH, Mariano Guida, foi até o hospital para saber da situação de Lucero

“Pode ser da Argentina, pode ser da Colômbia. Então imagina quando os turistas realmente chegarem no Brasil, o que vai acontecer? A ponto de quebrar o dedo para ter que fazer uma cirurgia, dá indignação”, lamentou Júnia Paula, esposa de Ruben.

A Polícia Militar (PM) informou que o argentino não registrou boletim de ocorrência sobre a agressão. A assessoria de imprensa da corporação soube do caso, mas acredita que ele tenha ido ao hospital por meios próprios sem avisar às autoridades.

 

Cidade de Taiobeiras decreta estado de emergência por causa de vendaval

O vendaval, que durou 10 minutos, provocou um verdadeiro caos na cidade do Norte de Minas

Estado de Minas|Luiz Ribeiro

04/06/2014 

 (Alex Sandro Mendes/Folha Regional )  

O prefeito de Taiobeiras, Danilo Mendes, decretou estado de emergência depois que um vendaval devasto a cidade. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) informou que estão sendo avaliados os danos, visando o envio de auxilio para a comunidade. Desde a noite de terça-feira, equipes do Corpo de Bombeiros estão na cidade, levantando os estragos e auxiliando os moradores. A chuva de granizo também provocou estragos em plantações de café, na zona rural. 

 (Alex Sandro Mendes/Folha Regional )Historicamente castigados pelo problema da seca, os moradores do município de 29,8 mil habitantes, a 710 quilômetros de Belo Horizonte – foram surpreendidos por um vento forte, acompanhado de chuva e granizo, na tarde de terça, o qual provocou um verdadeiro caos na cidade. 

Centenas de casas foram destelhadas, muros desmoronaram, coberturas de postos de gasolina foram arrancadas, e dezenas de árvores caíram, atingindo pelo menos 10 veículos. 

Onze pessoas tiveram ferimentos leves e foram atendidas no Pronto-socorro do Hospital Santo Antônio.
O vendaval – que durou 10 minutos – derrubou postes da rede elétrica e até uma torre de telefonia celular de cerca de 20 metros. A Cemig mobilizou equipes de cidades vizinhas e a energia retornou à noite.