Arquivo da tag: mortes

Três soldados israelenses morrem em operação militar em Gaza

Três soldados israelenses morreram nesta quarta-feira em uma operação em Gaza, informou o exército.

Os três militares morreram em uma explosão quando acabavam de descobrir um túnel palestino em uma casa do sul da Faixa de Gaza, segundo o comunicado militar.

“A casa e o túnel tinham artefatos explosivos que foram detonados contra os soldados”, acrescenta o texto.

Com essas mortes, sobe para 56 o número de soldados israelenses mortos desde o início do conflito em 8 julho.

Avião faz pouso de emergência e deixa 47 mortos em Taiwan

Modelo ATR-72 da TransAsia.

Modelo ATR-72 da TransAsia.

Wikipédia
RFI

Um acidente com um avião da companhia TransAsia nesta quarta-feira (23) deixou ao menos 47 mortos em Taiwan. De acordo com autoridades taiwanesas, a aeronave fez um pouso de emergência em uma ilha da costa oeste chinesa.

 

De acordo com as primeiras informações, o acidente aconteceu no momento do pouso, provavelmente devido ao mau tempo na região. O avião, um ATR-72 da companhia TransAsia, levava 54 passageiros e 4 tripulantes. O voo vinha de Kaohsiung e estava atrasado por conta dos fortes eventos e chuvas do tufão Matmo, que passa pela ilha de Taiwan.

A aeronave fez uma aterrissagem de emergência em umas das ilhas Penghu, em Taiwan. Uma parte do avião teria sido destruída no pouso. As imagens da televisão local mostram bombeiros e polícia trabalhando na área onde o acidente aconteceu.

De acordo com a diretora da Aviação Civil taiwanesa, Jean Shen, há muita confusão, informações desencontradas e as causas do acidente ainda são desconhecidas. “A torre de controle perdeu o contato com o avião logo depois que ele fez uma segunda tentativa de aterrissagem”, explicou.

A companhia TransAsia, baseada em Taiwan, tem uma frota de 23 aparelhos, a maioria é formada por Airbus. Os voos fazem trajetos principalmente para o Japão, a Tailândia, Camboja e outros países do leste asiático.

Ataque israelense mata sete palestinos na Faixa de Gaza

Sete palestinos morreram na madrugada deste sábado em um ataque israelense contra Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, no início do 12º dia da operação “Barreira Protetora” realizada pelo Exército hebreu.

O ataque visou um grupo de pessoas que saíam de uma mesquita de Khan Yunis, informou à AFP o porta-voz dos serviços de emergência Ashraf al-Qudra, acrescentando que três vítimas pertenciam a uma mesma família.

Cerca de 30 imigrantes são encontrados mortos em barco perto da Sicília

ROMA (Reuters) – Cerca de 30 imigrantes foram encontrados mortos em um barco lotado de pessoas perto da costa da Sicília, informou a Marinha da Itália, que resgatou outros milhares que tentavam no fim de semana cruzar o mar vindos do norte da África.

A Marinha acredita que eles morreram por afogamento ou asfixiados no barco pesqueiro superlotado.

A descoberta dos corpos no domingo evidenciou a escala da crise nas águas ao sul do Mediterrâneo, onde centenas de pessoas morreram na perigosa travessia para a Europa, e outras dezenas de milhares foram resgatadas de barcos precários.

Mais de 5.000 pessoas foram resgatadas no fim de semana, o que eleva para 50.000 o número de imigrantes que chegaram à Itália este ano vindos do norte da África, muitos fugindo da guerra e da convocação forçada para o Exército.

(Reportagem de Isla Binnie)

Explosão em central telefônica em Cairo mata duas mulheres

CAIRO (Reuters) – Duas bombas explodiram em uma pequena central telefônica na periferia de Cairo neste sábado, matando uma mulher de 18 anos e sua mãe, disseram duas fontes de segurança, dias depois que uma série de explosões atingiram a rede de metrô da capital do Egito.

As duas bombas foram armazenadas no edíficio da central, que estava em construção, disseram fontes de segurança e uma fonte judicial, adicionando que assumiam que os dispositivos tinham sido destinados para uso em outros lugares.

O imóvel inacabado desmoronou parcialmente na explosão. As duas mulheres mortas eram esposa e filha de um guarda do canteiro de obras, que viviam em um anexo ao prédio, em Cairo.

Um funcionário do local disse a repórteres que os serviços de telefonia retornariam dentro de dois dias, para cerca de 800 pessoas cujas linhas foram afetadas.

O Ministério do Interior disse em um comunicado no Facebook que forças de segurança e especialistas em bombas foram inspecionar o local.

Na quarta-feira, oito pessoas ficaram feridas no norte do Cairo, quando dispositivos caseiros explodiram em quatro estações do metrô e um tribunal, nos primeiros ataques em Cairo desde que Abdel Fattah al-Sisi tornou-se presidente no início deste mês.

(Por Shadia Nasralla e Reuters TV)

Militantes matam 3 em ataque a base da UA na Somália

26/06/2014

MOGADISCIO, Somália, 26 – Militantes do al-Shabab, grupo extremista ligado à Al-Qaeda, atacaram nesta quinta-feira um hotel onde está instalada uma base militar da União Africana (UA) na região central da Somália. Os homens vestiam uniformes do Exército que haviam sido roubados e mataram pelo menos dois soldados do Djibuti.

O al-Shabab informou que seus homens invadiram a área do hotel onde tropas do Djibuti que integram a UA estão sediados na cidade de Bulo-Burte, cerca de 200 quilômetros da capital Mogadiscio, disse Abdulaziz Abu Musab, porta-voz do grupo, à agência France Presse. “A área da sede de comando (das forças da UA) foi atacada. Esses ataques vão continuar”, declarou Musab, afirmando ter matado seis soldados da UA.

Mas Elio Yao, porta-voz da missão da UA na Somália (Amisom), apoiada pela ONU, rejeitou as afirmações, dizendo que os homens não conseguiram entrar no hotel, embora tenham matado dois soldados do Djibuti durante um confronto.

Dois combatentes do al-Shebab “vestidos com uniformes militares” também foram mortos, afirmou Yao. “Houve uma troca de tiros no posto de verificação, durante a qual dois soldados do Djibuti foram mortos…os homens não conseguiram entrar no complexo”, acrescentou ele.

Outra fonte disse que além dos dois soldados, uma outra pessoa foi morta e que um suicida participou no ataque. Segundo o coronel Ahmed Ali, porta-voz da UA, o ataque começou quando um suicida detonou os explosivos que levava junto ao corpo nas proximidades do Hotel Amalow, antes de um homem armado tentar entrar no local.

O grupo islâmico militante al-Shabab assumiu a responsabilidade pela ação durante anúncio feito em sua emissora de rádio.

Trata-se do segundo ataque contra o hotel. Um suicida num carro-bomba e um homem armado atacaram o local em março, matando pelo menos cinco pessoas. O Al-Shabab também assumiu a responsabilidade por aquele ataque.

Tropas somalis e da UA tomaram a cidade de Bulo-Burte, que estava sob o comando dos extremistas, no início de março. Desde então, o Al-Shabab intensificou os ataques contra tropas na cidade.

As forças da AU expulsaram o al-Shabab de Mogadiscio em 2011. Nos últimos seis meses, soldados do governo têm travado batalhas em pequenas cidades próximas da capital que ainda estão sob o comando do al-Shabab.

 
Fontes: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Duas pessoas morrem em tiroteio em Miami

24/06/2014 

Miami, 24 – Duas pessoas morreram e diversas outras ficaram feridas vítimas de um tiroteio na madrugada desta terça-feira em Miami, informou a polícia local.

O gerente municipal de Miami, Daniel Alfonso, disse que entre os mortos estão um jovem de 20 anos e uma garota adolescente. Oficiais de polícia disseram outra jovem, que tem 17 anos, está gravemente ferida. Segundo as autoridades, o tiroteio ocorreu por volta de 2h30 (hora local) próximo a um cruzamento no bairro de Liberty City.

No final da manhã de hoje, a calçada estava coberta com dezenas de cápsulas de bala e estilhaços de vidro, sendo isolada por cones policiais. Alguns parentes das vítimas que estavam próximos ao local não deram declarações a respeito do incidente, relatando estarem com medo de falar sobre o assunto.

A porta-voz do Jackson Memorial Hospital informou que ela não poderia conceder informações a respeito do caso, incluindo quantas pessoas estavam sendo atendidas no local. Ela também disse que os pacientes não tinham permitido que concedessem informações sobre os seus estados de saúde.

 
Fonte: Associated Press.

ONU diz que mais de 1.000 morreram no Iraque em junho

24/06/2014 

Genebra, 24 – Pelo menos 1.075 pessoas, a grande maioria civis, foram mortas no Iraque durante o mês de junho, período no qual a insurgência sunita tomou grandes áreas do norte do país, informou a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira.

Segundo o grupo do Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU no Iraque, pelo menos 757 civis foram mortos e 599 ficaram feridos nas províncias de Nínive, Diyala e Salah al-Din entre 5 e 22 de junho. Tropas do governo xiita de Bagdá não conseguiram interromper o avanço do grupo sunita extremista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).

“Os dados, que devem ser vistos como mínimos, incluem uma série de execuções sumárias e assassinatos extrajudiciais de civis, policiais e soldados que estavam fora de combate”, disse o porta-voz do comissariado, Rupert Colville.

O grupo informou também que outras 318 pessoas foram mortas e 590 ficaram feridas durante o mesmo período em Bagdá e em áreas ao sul da capital, muitas em decorrência de seis explosões separadas de veículos-bomba. O comissariado tenta também verificar o que Colville chamou de “uma série de supostas violações dos direitos humanos que vem acontecendo no Iraque”, desde o avanço do EIIL no início de junho.

Colville disse aos jornalistas em Genebra que sequestros, que incluem estrangeiros, continuam a acontecer nas províncias do norte e em Bagdá. Em Mosul, 48 cidadãos turcos foram capturados no consulado da Turquia depois de o EIIL ter tomado a cidade, além de 40 indiano que trabalham para uma empresa de construção iraquiana. Por outro lado, 16 georgianos capturados dez dias atrás foram libertados.

 
Fonte: Associated Press.

 

Aviões quenianos matam mais de 80 em ataques a grupo islâmico na Sómalia

23. Junho 2014

MOGADÍSCIO (Reuters) – Caças quenianos atacaram duas bases do grupo rebelde islâmico Al Shabaab na Somália e mataram ao menos 80 militantes, disseram as forças de paz da União Africana na região nesta segunda-feira.

A Missão da União Africana na Somália (Amisom), cujos soldados lançaram uma nova ofensiva contra o Al Shabaab este ano, disse que aviões quenianos realizaram incursões em Anole e Kuday na região sul de Baixo Juba. Não foi informado quando os ataques ocorreram.

“Os ataques aéreos em Anole deixaram mais de 30 combatentes do Al Shabaab mortos, três veículos técnicos e um Land Cruiser carregado com munição destruídos”, informou a Amisom. Mais de 50 rebeldes foram mortos no ataque a Kuday, acrescentou.

O Quênia enviou suas primeiras tropas para a Somália em 2011, após vários ataques dentro de seu território atribuídos ao al Shabaab, e mais tarde se uniu às forças de paz na região.

Os militantes já realizaram uma série de atentados para punir o Quênia por sua intervenção. Combatentes do Al Shabaab mataram ao menos 67 pessoas em um ataque a um shopping center de Nairóbi no ano passado.

De acordo com a Amisom, o Al Shabaab perdeu o controle de mais de 10 grandes cidades com a nova ofensiva das tropas africanas, incluindo soldados de Uganda, Djibuti, Etiópia, Burundi e Serra Leoa.

(Reportagem adicional de Humphrey Malalo, em Nairóbi)

Reuters

Vírus Ebola causou 337 mortos em três países africanos

AFP – Agence France-Presse

18/06/2014 

O vírus Ebola causou a morte de 337 pessoas em três países africanos, Guiné, Serra Leoa e Libéria, desde o início de janeiro, anunciou nesta quarta-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS), agência das Nações Unidas com sede em Genebra.

Esta cifra mostra um aumento de mais de 60% em 15 dias em relação ao balanço de 208 mortos divulgado pela OMS em 4 de junho.

Os primeiros e únicos casos de febre Ebola na África Ocidental foram registrados em 1994 na Costa do Marfim.

Não existe vacina nem tratamento específico para esta infecção.

O vírus Ebola foi isolado pela primeira vez em 1976 ao norte do antigo Zaire, agora República Democrática do Congo.

Até então, os cientistas haviam identificado cinco cepas diferentes, especialmente presentes na África Central. Agora, há seis.