Arquivo da tag: panamá

‘Como se fosse na Copa’, Brasil não tira o pé e goleia o Panamá

Lancepress

“Como se fosse na Copa do Mundo”. A nove dias do início do Mundial, o confronto entre Brasil e Panamá nesta terça-feira no Serra Dourada esteve longe de ser um “simples amistoso”. Muito pelo contrário. Sem tirar o pé e com vontade de sobra, a Seleção Brasileira venceu por 4 a 0, com gols de Neymar, Daniel Alves, Hulk e Willian.A trajetória rumo ao hexa começou com goleada e, principalmente, festa da torcida. Antes da estreia contra a Croácia, dia 12 de junho, na Arena Corinthians, em São Paulo, o Brasil tem mais um teste pela frente. A Seleção volta a entrar em campo na próxima sexta-feira, contra a Sérvia, no Morumbi.

N/A

Apesar da fragilidade do adversário, a Seleção Brasileira jogou bem e venceu com tranquilidade

Os primeiros minutos de partida diante do Panamá foram marcados por duras disputas de bola e até mesmo discussões. Dante, que substituiu o capitão Thiago Silva, David Luiz e Luiz Gustavo não deram moleza e chegaram duro nas divididas. Mas os panamenhos também não ficaram para trás. Eles devolveram na mesma moeda: com marcação pesada.

Com os atacantes bem marcados, coube a Oscar chamar a responsabilidade. Ainda que de forma discreta, o camisa 11 trabalhou a bola no meio e fez o jogo girar. Aos 26 minutos, quando a partida estava mais para o lado físico do que para o lado técnico, a estrela de Neymar brilhou. De falta, o camisa 10 acertou o ângulo do goleiro McFarlane e abriu o placar no Serra Dourada. Um golaço!

O gol brasileiro mudou o cenário do duelo. O Panamá se encolheu e o Brasil encontrou mais espaços para atacar, principalmente com Daniel Alves e Marcelo. E foi dos pés de Daniel Alves que a Seleção encontrou o segundo gol. Após passe de Oscar, o lateral-direito, livre de marcação, acertou um forte chute de fora da área.

N/A

O time dirigido por Felipão jogou sem tirar o pé das divididas e goleou o Panamá, no Serra Dourada

As fortes divididas nos minutos iniciais e a vantagem no placar fizeram Felipão mudar o time no intervalo. A volta para a etapa final contou contra três alterações: Maicon, Maxwell e Hernanes nos lugares de Daniel Alves, Marcelo e Ramires, respectivamente.

Diferentemente do primeiro tempo, a técnica do Brasil falou mais alto no segundo tempo. Antes mesmo de o cronômetro marcar um minuto, Neymar, de calcanhar, encontrou Hulk livre na ponta esquerda. O camisa 7 não pensou duas vezes, acertou um belo chute de primeira e fez o terceiro gol da partida.

O terceiro gol logo no começo do segundo tempo tirou qualquer poder de reação do Panamá. Daí em diante, a Seleção pôde jogar com mais tranquilidade. Neymar, sem marcação, deitou e rolou. Até chapéu dentro da área ele tentou. Com a vitória garantida, Felipão mudou a equipe mais duas vezes: Jô e Willian nos lugares de Fred e Oscar, respectivamente.

A entrada de Willian deu novo gás ao time. E o meia, que brilhou nos últimos treinamentos na Granja Comary, entrou com tudo. Aos 27 minutos, a recompensa. Após boa troca de passes entre Neymar e Maxwell, Willian fez o quarto gol da Seleção.

Goleada e estádio lotado. Para a festa ficar completa, só faltava o grito de “olé”. E ele veio aos 33 minutos. Com a vibração positiva das arquibancadas, o Brasil aproveitou os últimos minutos da partida para trocar passes e tentar uma ou outra jogada de efeito. A nove dias para o começo da Copa do Mundo, vitória por 4 a 0 e boa atuação. Uma boa impressão, não?
 

FICHA TÉCNICA
BRASIL 4 X 0 PANAMÁ

Local: Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data/Horário: 3/6/2014, às 16h
Árbitro: Raul Orosco (FIFA/BOL)
Renda e público: R$ 2.548.030 / 30.663 pagantes
Cartões amarelos: David Luiz, Neymar (BRA); Tejada, Cooper, Gómez (PAN)
Gols: Neymar, aos 26’1º T (1-0); Daniel Alves, aos 39’/1ºT (2-0); Hulk, a 1’/2ºT (3-0); Willian, aos 27’/2ºT (4-0)

BRASIL: Julio Cesar; Daniel Alves (Maicon – Intervalo), David Luiz (Henrique – 24’/2ºT), Dante e Marcelo (Maxwell – Intervalo); Luiz Gustavo, Ramires (Hernanes – Intervalo) e Oscar (Willian – 17’/2ºT); Hulk, Neymar e Fred (Jô – 15’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari

PANAMÁ: McFarlane (Calderón – 11’/2ºT); Carroll (Rodríguez – 21’/2ºT), Román Torres (Cunnings – 13’/2ºT), Baloy e Machado; Henríquez, Gómez, Quintero (Gabriel Torres – 11’/2ºT) e Cooper (Jiménez – 11’/2ºT); Muñoz e Tejada (Nurse – Intervalo). Técnico: Hernán Dario Gómez

Assista aos gols:

Seleção paga dívida com Goiânia

DIÁRIO DA MANHÃ|Fábio Alves

Casa do Brasil na preparação da Copa das Confederações, Goiânia recebe amistoso contra o Panamá

A seleção brasileira paga, hoje, uma dívida com Goiânia, de acordo com Luiz Felipe Scolari. Para o treinador, o amistoso contra o Panamá, às 16h, no Serra Dourada, no penúltimo teste antes da Copa do Mundo, é uma recompensa pelo apoio dos goianienses ao escrete canarinho no ano passado.

No único treino aberto aos torcedores, no período de preparação que antecede o Mundial, ontem, 13.506 pessoas comparecerem ao Serra Dourada. Os protestos populares contra a realização da Copa no Brasil, e que também miraram a seleção há alguns dias, não se repetiram nas proximidades do estádio, nem dentro dele.

O público aplaudiu Neymar, Fred e companhia durante pouco mais de uma hora, na atividade que definiu Ramires e Dante como titulares. Os jogadores substituem os titulares Paulinho e Thiago Silva – que foram poupados e, assim como o volante Fernandinho, não viajaram a Goiânia.

Crítica

O penúltimo teste antes da estreia na Copa do Mundo acontece após críticas de Scolari aos jogadores. No domingo, ele não gostou do que viu em treino coletivo e disparou: “A gente não pode esquecer que estamos a uma semana da Copa, não sou só eu que tenho que saber, mas eles (jogadores) também. E minha função é lembrá-los.”

Scolari não espera pela equipe com rendimento máximo, hoje, apesar de exigir melhora em relação ao treino de domingo. A programação é para que o time jogue contra a Sérvia – dia 6, no último amistoso – em ritmo parecido do que será visto no Mundial. Hoje, a prioridade é acertar a marcação, que julgou “frouxa”, e corrigir os “espaços nas laterais”.

O adversário, apesar do pouco reconhecimento no futebol, é visto como qualificado por Scolari. “Quando falamos de Panamá, todos vocês lembram que eles foram eliminados nos dez minutos finais, com dois gols dos Estados Unidos, classificando o México.”

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio