Arquivo da tag: Portugal

Incêndio de Amarante combatido por mais de 170 bombeiros

Foto de arquivo (foto LUSA)
 
Redação de A Bola|Portugal

Um incêndio em mato, no concelho de Amarante, lavra desde a madrugada deste domingo e desde manhã já foi necessário quase que dobrar o número de homens no terreno para combater as chamas do fogo que lavra em 3 frentes.

Segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), em Abobadela, concelho de Amarante, o incêndio iniciou-se às 4.35 horas e, na atualização das 15 horas, um total de 172 elementos, apoiados por 43 veículos, encontra-se no combate ao incêndio, com uma frente ativa, contando ainda com a ajuda de dois aviões bombardeiros e um helicóptero bombardeiro. 

Desde a meia noite foram registados 54 incêndios, estando 5 ativos.

Lisboa é uma das 25 cidades onde se vive melhor

Diário de Notícias|Ana MarcelaHoje

 
Lisboa é uma das 25 cidades onde se vive melhor

Tyler Brûlé explica, em declarações ao Dinheiro Vivo, o que torna especial Lisboa. Capital portuguesa tem entrada direta no ranking da revista

Tyler Brûlé não tem dúvidas. Lisboa é uma das 25 cidades do mundo onde se vive melhor. Com direito a entrada direta para a 22ª posição do ranking realizado pelo oitavo ano pela revista Monocle.

“À medida que o projeto de regeneração da zona ribeirinha está a chegar ao fim, Lisboa está finalmente a redescobrir o rio Tejo. Apesar da crise a cidade está cheia com empreendedores a gerir negócios que vão do retalho à restauração de uma forma decididamente portuguesa”, diz Tyler Brûlé, diretor da Monocle em declarações aos Dinheiro Vivo.

Navegador Ricardo Diniz emociona-se ao chegar ao Brasil

Diário de Notícias| H.T.Hoje

 
Navegador Ricardo Diniz emociona-se ao chegar ao Brasil

Antes de chegar ao Brasil, depois de atravessar o Atlântico em solitário, o navegador Ricardo Diniz colocou um vídeo no YouTube no qual se emociona ao ver terra pela primeira vez depois de duas semanas no mar.

“O que me emociona não é ver terra é imaginar como terá sido depois de semanas e semanas e semanas a navegar no desconhecido chegar a este continente, a este país chamado Brasil que ainda hoje fala português”, diz um Ricardo Diniz de lágrimas nos olhos no vídeo que divulgou à chegada a Salvador da Bahia.

“Há 514 anos atrás, aqueles homens passaram o que eu acabei de passar. E certamente muitas mais dificuldades do que eu acabei de passar”, lembrou o navegador solitário que logo após o jogo que ditou o apuramento da seleção portuguesa para o Mundial decidiu navegar sozinho, à vela, rumo ao Brasil, fazendo escala na Madeira e nem Cabo Verde.

O objetivo era entregar a bandeira de Portugal ao capitão da seleção nacional, Cristiano Ronaldo, na véspera do jogo de estreia nesta competição.

Banco de Portugal revê em baixa o crescimento para 2014

Banco de Portugal reviu hoje as previsões económicas
D.R.

11/06/2014 |Portugal|  Dinheiro Vivo

O Banco de Portugal reviu hoje em baixa o crescimento da economia portuguesa para 2014, enquanto antecipa um melhor comportamento do PIB para o próximo ano.

De acordo com o Boletim Económico de junho, a economia nacional irá crescer 1,1% em 2014, um ponto percentual abaixo do que o Banco de Portugal esperava em abril e também menos do que o governo espera para este ano.

A justificar esta queda estão os dados divulgados pelo INE relativamente ao primeiro trimestre deste ano e que deram conta de um comportamento pouco satisfatório das exportações a par de um aumento das importações.

No entanto, a instituição liderada por Carlos Costa estima que a economia nacional continue a recuperar gradualmente e, por isso, antecipa que um salto 1,5% no próximo ano, mais um ponto do que esperavam em abril.

A impulsionar o crescimento estarão, precisamente, as exportações que no arranque deste ano sofreram uma travagem. Para as vendas externas, o Banco de Portugal revê em baixa o comportamento em 2014 para mais 3,8% (face aos 5,3% da previsão inicial), mas um novo impulso em 2015, com um crescimento de 6,1% (mais um ponto do que na previsão de abril). Em 2016, as vendas ao exterior deverão aumentar 5,6%, revela o Banco de Portugal.

De destacar que o Banco de Portugal entende que os riscos da economia estão a diminuir e que tanto as vendas ao exterior como a procura interna vão ajudar a impulsionar a riqueza nacional.

Portugal admite prescindir do último cheque da ‘troika

por Lusa, publicado por Ana MeirelesHoje

 
Portugal admite prescindir do último cheque da 'troika
Fotografia © Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens

A ministra das Finanças admitiu hoje, em Bruxelas, que o Governo “pode ponderar a hipótese” de prescindir da última tranche dos empréstimos concedidos no quadro do programa de assistência financeira, mas reiterou que não há ainda decisões tomadas.

Em declarações à imprensa portuguesa, à margem de um “Fórum Económico” na capital belga, Maria Luís Albuquerque, questionada sobre se Portugal pode passar sem o último “cheque” da ‘troika’ — em suspenso até à adoção de medidas alternativas àquelas chumbadas pelo Tribunal Constitucional -, admitiu que sim e que é uma possibilidade que pode ser ponderada pelo Governo.

“Poder, pode… Podemos ponderar essa hipótese, mas não há decisões ainda, ainda estamos a ponderar o que fazer”, disse, apontando por diversas vezes que o Governo desconhece ainda “a dimensão do problema” que tem para resolver.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, garantiu que o Governo não tenciona reabrir o programa de assistência económica e financeira, que ficou concluído a 17 de maio, apontado que aquilo que está em causa é apenas o pagamento da última tranche de empréstimos que deveriam ter sido canalizados para Portugal na sequência da 12.ª avaliação, tendo Maria Luís Albuquerque especificado hoje que em causa estão “pouco mais de 2 mil milhões de euros”.

A ministra das Finanças insistiu hoje que não existem negociações concretas em curso com a ‘troika’ sobre medidas alternativas, pois, insistiu, o Governo desconhece ainda a dimensão das consequências dos chumbos do Tribunal.

“Nós não estamos a negociar nada. Nós estamos a ponderar o que é que pode ser feito em termos de programa. Mas, como já foi dito, nós ainda não conhecemos a dimensão do problema para podermos encontrar uma solução. Portanto, nesse sentido, não podemos negociar solução nenhuma”, disse, reforçando que “não há nenhuma solução em cima da mesa”.

A ministra sublinhou que, independentemente do programa de assistência financeira, há outros compromissos que o país deve respeitar, pelo que terá sempre de encontrar medidas compensatórias.

“Os nossos compromissos em termos de metas não são só no âmbito do programa, são também no âmbito do tratado orçamental”, que é “independente do programa”, realçou.

Economista irlandês defende reestruturação da dívida portuguesa

Dinheiro Vivo|Portugal

O economista e investigador irlandês Tony Phillips considera que, se o Executivo de Lisboa não quer renegociar a dívida, os portugueses devem mudar de governo, “em nome da democracia”. Tony Phillips é o coordenador do livro “A Europa à beira do abismo” que é apresentando dia 11, na Fundação Mário Soares.

“Se o governo (de Portugal) diz que não se pode renegociar a dívida o melhor, é mudar de governo. Não se pode ter um governo a tomar as suas próprias decisões sobre desenvolvimento e, o mais importante, é que não se pode ter o governo a ficar com empresas privadas que entraram em colapso e que foram nacionalizadas, forçando assim a dívida dos privados aos cidadãos. Isso não é democracia”, disse à Agência Lusa o economista e investigador.

O livro sobre a crise das dívidas soberanas conta com textos do Prémio Nobel da Economia, Joseph Stiglitz, da portuguesa Mariana Mortágua, do antigo ministro argentino Roberto Lavagna e da economista grega Christina Laskaridis, entre outros, vai ser apresentado no dia 11 na Fundação Mário Soares, em Lisboa.

Para o investigador irlandês, a situação provocada pela austeridade está a tornar-se insustentável e, por isso, considera necessário “afastar a dívida que – de facto -, não é a verdadeira dívida” e informar os credores que não se pode pagar o que eles exigem.

“Se o governo (de Portugal) diz que não se pode renegociar a dívida o melhor, é mudar de governo. Não se pode ter um governo a tomar as suas próprias decisões sobre desenvolvimento e, o mais importante, é que não se pode ter o governo a ficar com empresas privadas que entraram em colapso e que foram nacionalizadas, forçando assim a dívida dos privados aos cidadãos. Isso não é democracia”, disse à Agência Lusa o econimista e investigador.

O livro sobre a crise das dívidas soberanas conta com textos do Prémio Nobel da Economia, Joseph Stiglitz, da portuguesa Mariana Mortágua, do antigo ministro argentino Roberto Lavagna e da economista grega Christina Laskaridis, entre outros, vai ser apresentado no dia 11 na Fundação Mário Soares, em Lisboa.

Para o investigador irlandês, a situação provocada pela austeridade está a tornar-se insustentável e, por isso, considera necessário “afastar a dívida que – de facto -, não é a verdadeira dívida” e informar os credores que não se pode pagar o que eles exigem.

Mais de 40% dos adultos porotugueses são hipertensos

por Lusa, publicado por ABFHoje

A prevalência da hipertensão na população adulta portuguesa é de 42,2%, mantendo-se em níveis idênticos aos de há dez anos, mas a mortalidade por AVC baixou 46% na última década, revela um estudo hoje apresentado no Porto.

A redução do consumo de sal nos doentes hipertensos, a redução da pressão arterial, a mudança do tipo de medicação anti hipertensora, a melhoria da acessibilidade dos doentes ao Serviço Nacional de Saúde e o maior conhecimento da doença pela população explicam a redução da taxa de mortalidade por Acidente Vascular Cerebral.

Coordenado por Jorge Polónia, docente e investigador da Faculdade de Medicina do Porto, o PHYSA é considerado o “maior e mais completo” trabalho alguma vez realizado em Portugal sobre prevalência e controlo de hipertensão, consumo de sal e padrões genéticos relacionados com hipertensão, por registos efetuados em dois momentos diferentes, com dez anos de distância.

Na apresentação das conclusões do estudo, Jorge Polónia manifestou alguns receios de que a crise possa inverter alguns dos bons resultados obtidos nos últimos dez anos, apelando por isso ao Ministério da Saúde para que continue a investir no controlo desta doença.

Portugal continua no topo da tabela dos países europeus em que a mortalidade por AVC é maior do que a por enfarte do miocárdio, por isso, o especialista defendeu “uma maior ou total comparticipação dos medicamentos” anti hipertensores à semelhança do que acontece com a diabetes e a sida.

“Porque é que a doença que mais mata em Portugal não tem o mesmo tipo de tratamento?”, questionou o especialista, sublinhando também a necessidade de investir nos rastreios à população, desde criança.

No PHYSA foi avaliada uma amostra representativa da população portuguesa, constituída por 3.720 pessoas, com idades entre os 18 e os 90 anos, recrutadas nos centros de saúde.

Os dados revelam que a prevalência da HTA em Portugal é de 42%, sendo ligeira mas significativamente mais elevada nos homens (44,4%) por comparação às mulheres (40,2%) e nos mais velhos por comparação aos mais novos.

A pesquisa demonstrou, ainda, que a taxa de obesidade na população portuguesa é de 20,4%, tendo aumentado cerca de 8% nos últimos dez anos, sobretudo nas mulheres, neste estudo a obesidade está associada ao aumento da prevalência de hipertensão, consumo de sal, doenças cardiovasculares e escolaridade mais baixa.

O estudo revelou que a ingestão média diária de sal, na população portuguesa, é de 10,7 gramas. As recomendações internacionais estabelecem um limite máximo de 5,8 gramas de sal/dia.

O THYSA demonstrou que, comparativamente aos resultados obtidos em 2003, em 2012 a taxa de conhecimento e tratamento da hipertensão arterial quase duplicou. A prevalência da hipertensão continua elevada, mas a taxa de controlo aumento 3,8 vezes neste intervalo. Contudo, só 42,6% dos doentes hipertensos estão devidamente controlados.

Este estudo foi realizado em colaboração e com financiamento da Sociedade Portuguesa de Hipertensão.

Sem Cristiano Ronaldo, Portugal vence adversário do Brasil na Copa do Mundo

Lusos marcam no fim e batem o México em amistoso

O DIA

Estados Unidos – Sem Cristiano Ronaldo, principal craque, Portugal sofreu, mas venceu o México, adversário do Brasil na Copa do Mundo. Com um gol aos 47 minutos do segundo tempo do zagueiro Bruno Alves, os lusos ganharam o amistoso por 1 a 0, nesta sexta-feira, nos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Bruno Alves fez o gol da vitória de Portugal sobre o México

Foto:  Efe

Portugal teve três desfalques. Além de Cristiano Ronaldo, que sofre com tendinite, Pepe e Raul Meireles não atuaram nesta sexta-feira. Astro do México, Chicharito Hernández começou o duelo no banco. Os mexicanos chegam a São Paulo neste sábado. A estreia será contra Camarões, no dia 13.

No Grupo G, ao lado de Alemanha, Gana e Estados Unidos, Portugal ainda fará mais um teste de olho na Copa do Mundo. Na terça-feira, os lusos encaram a Irlanda em amistoso, nos Estados Unidos.

Os goleiros por pouco não saíram de campo como protagonistas. Ochoa, que entrou no segundo tempo, foi bastante exigido, assim como Eduardo, que salvou Portugal em algumas ocasiões. Quando parecia que o placar não seria alterado, Bruno Alves surgiu no fim do jogo para dar a vitória aos lusos. Livre de marcação, ela aproveitou cobrança de falta e desviou de cabeça para marcar aos 47 do segundo tempo.

Ami James diz que TAP é a pior companhia aérea

Diáario de Notícias|M.R.Hoje

 
O tatuador esteve durante o fim de semana no Rock in Rio
O tatuador esteve durante o fim de semana no Rock in Rio

O tatuador fez duras críticas no facebook, num post que, entretanto, apagou. A companhia defende-se, alegando que Ami chegou atrasado ao check-in.

“Adoro Portugal e os portugueses são fantásticos, mas a companhia aérea nacional, TAP, deve ser a pior de todos os tempos”, começou por escrever, esta terça-feira, na sua página oficial da rede social o tatuador. E explicou: “Da primeira vez, colocou-me numa cadeira que não funcionava, da segunda expulsou-me [da executiva] porque vendeu bilhetes a mais para os lugares que tinha. Nem pediram desculpa. Nunca mais!”

Horas mais tarde, o protagonista do programa de tatuagens retirava o post do Facebook. Contactado pelo DN, André Serpa Soares, do gabinete de comunicação da TAP, explicou a versão da companhia aérea.

“O que posso dizer é que já não é um assunto para nós. O Ami James, eventualmente, mal-disposto escreveu aquilo quando chegou aos Estados Unidos. O que aconteceu foi que ele chegou atrasado ao check in,que já estava fechado. E, ainda assim, a TAP tenta sempre servir de melhor forma possível os seus clientes e conseguiu que ele embarcasse, mas não em classe executiva, já que os lugares estavam preenchidos”, afirmou o responsável.

“O futebol português é como um ânus”

Diário de Notícias|Isaura AlmeidaHoje

 
"O futebol português é como um ânus"

“Vamos observar quem tem rigor e transparência mas também um autoclismo muito grande para limpar um futebol que está conspurcado”.

Para Bruno de Carvalho o futebol português cheira mal.”Temos que pensar no que realmente é importante para o futebol português. Na gíria popular, porque sabemos que o futebol português está bipolarizado, isto funciona como o ânus onde temos duas nádegas que se enfrentam uma à outra dizendo ‘estou aqui e sou melhor do que tu’. Entre algo fisiológico como o ânus, ou sai vento mal cheiroso ou trampa. E é disto que o futebol português está cheio por dentro e por fora: trampa”, disse esta quarta-feira o presidente do Sporting.

Assim sendo, que candidato os leões vão apoiar. “Vamos observar quem tem rigor e transparência, mas também um autoclismo muito grande para limpar um futebol que está conspurcado (…) Quem tiver o autoclismo maior será aquele que o Sporting apoiará. Este novo Sporting ainda não tem um autoclismo suficiente para fazer esse trabalho. Não vamos longe com este conjunto de cata-ventos a que o futebol está entregue”, prosseguiu o líder leonino.

Bruno de Carvalho falou sem tabus durante uma escala realizada em Ponta Delgada, incluída numa viagem até Boston, nos Estados Unidos, em que irá inaugurar um núcleo do clube, em Fall Rivers e assistir ao Portugal-México, agendado para a madrugada de sexta para sábado.

O recente escândalo de manipulação de resultados em que a Oliveirense alegadamente estará envolvida, levou o líder verde e branco a dizer que “há manipulação democrática” para o sufrágio agendado para 11 de Junho.

“Alguns clubes sentaram-se e, sem fazer a mínima ideia de quem são os candidatos, definirem apoios. O sistema democrático é as pessoas apresentarem-se e não por antecipação criarem-se condicionalismos de apoio. Isso tem-se passado. É assim que vamos vivendo, com essa manipulação e com esses cata-ventos, incendiários do nosso futebol e que depois aparecem quais bombeiros que apagam o fogo. Há manipulação no futebol português”, disse Bruno de Carvalho.

Para o presidente do Sporting a luta dos leões é estar na frente de combate ao “sistema”, lembrando que as “rajadas violentas do Norte têm dominado o panorama climatérico”.

Ainda segundo Bruno de Carvalho “existem circos para fora para a manutenção de um sistema em que os clubes mais pequenos possam ser facilmente manipulados e que um clube grande como o Sporting nunca chegue lá porque é incómodo e porque diz a verdade”.