Arquivo da tag: psol no páreo

Eleição imprevisível em Brasília: Toninho do PSol está no páreo!

DIÁRIO DA MANHÃ|WALTER BRITO

Tecnicamente, José Roberto Arruda do PR que pontua na pesquisa Directa/O Parlamento com 26,65% de intenção de votos para o GDF, deverá disputar o segundo turno com governador Agnelo do PT, que está em segundo lugar com 14,93%. Entretanto, os 200 mil votos que Toninho do PSol obteve para o GDF na eleição de 2010, o seu bom desempenho junto à classe média do Plano Piloto e o avanço no seio das classes mais escolarizadas das cidades satélites, aliados ao seu discurso que propõe um projeto consistente para resolver o problema da saúde pública no Distrito Federal; já lhe dão 6,43% de intenção de votos e o quarto lugar. Toninho está próximo do terceiro colocado Rodrigo Rollemberg (PSB) que tem 8,4% e à frente de Eliana Pedrosa que pontuou com 5,18%.

Ressaltamos ainda que 45,7% da população de Brasília reprova o gerenciamento da saúde implementado pelo governo Agnelo em Brasília, diz a pesquisa do Instituto Directa que apontou os principais problemas da cidade-estado: Saúde 45,7%; segurança pública 27,3%; transporte 9,8%; educação 3,8%; emprego 3%; limpeza urbana 2%; falta de moradia 1,7%; asfalto 1,2%; trânsito 1%; parada de ônibus 0,1%; outros 0,8% e não responderam 2,9%.

Gerentão Berger em ação

Apesar do esforço do gerentão do governo, o doutor Berger que é especialista em administração pública e tem em seu gabinete uma sofisticada parafernália tecnológica, onde ele avalia em tempo real os principais problemas da máquina administrativa do governo; Swedenberger do Nascimento Barbosa, que é odontólogo e especialista em administração da saúde pública e, o médico Agnelo, ainda não agradaram de forma efetiva o povo brasiliense, que clama por melhora na saúde. Nesse sentido, entrevistamos o pré-candidato ao governo do Distrito Federal Toninho do PSol. Ele criticou o atendimento na saúde pública do Distrito Federal, que na sua opinião é caótico. Ele também disse que os ensinos básico e superior estão em decadência no governo do PT. O político critica Reguffe e se coloca como verdadeiro candidato da esquerda na disputa do Palácio do Buriti.

Questionado pela reportagem do Diário da Manhã sobre a importância do PSol nas eleições que se aproximam, Toninho afirmou: “Pesquisas nacionais identificaram que entre os 32 partidos políticos do País, o PSol é o quinto na preferência do eleitorado. A resposta do povo brasileiro é baseada na coerência de nossos programas e a relevância de nossos projetos e propostas”, arrematou.

Namoro com Reguffe não deu certo 

Quanto ao namoro que Reguffe do PDT teve com o PSol, no que se refere à disputa eleitoral do mês de outubro, Toninho atacou: “Infelizmente o Reguffe escolheu outros parceiros numa aliança ampla que pode chegar ao PSD de Kassab. Acho que o deputado Reguffe errou na opção, o que poderá lhe custar caro, pois sua proposta rumo ao Senado ficou descaracterizada”, disse.

Reforma política

Quanto à reforma política, o pré-candidato do PSol opinou: “Nessa questão, prevaleceram os interesses dos grupos econômicos. O nosso senador Randolph Frederich Rodrigues Alves fez todos os esforços e apresentou um projeto consistente, baseado em três princípios básicos: financiamento público de campanha; a possibilidade da divisão equânime do tempo de rádio e TV para todos e, a revogabilidade dos mandatos. Fizemos a nossa parte e tentamos fazer a reforma que mudaria e muito, a situação das eleições em nosso País. O poderio econômico e os conservadores venceram, infelizmente!”.

Saúde será o carro-chefe do PSOL

Quanto ao principal problema que aflige os brasilienses, Toninho disse: “Uma das maiores frustrações de nossa sociedade é o atendimento da saúde que não funciona. É uma situação caótica! As UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) não passam de um simulacro de atendimento à nossa população. Trata-se de uma forma disfarçada da privatização da saúde, o que é uma vergonha! Vale lembrar, que apesar de termos profissionais aprovados em concursos públicos, o gerenciamento e o dinheiro do Estado, vão para a iniciativa privada, por meio dos contratos que gerenciam as UPAs. A Maninha, que já foi secretária da saúde, está escrevendo com a minha participação, um projeto para o retorno do Saúde em Casa. Será a redenção da saúde pública em Brasília, quando as pessoas de todos os segmentos serão atendidas com dignidade. Teremos 3 mil equipes multiplicadoras, atendendo as pessoas em suas moradias. Será o projeto carro-chefe de minha campanha rumo ao Palácio do Buriti, caso eu seja aprovado na convenção de meu partido”, afirmou Toninho.

Educação em decadência

Do mesmo modo, o pré-candidato do PSol questionou o projeto de gerenciamento da educação do governo de Brasília: “Além de dar jeito na saúde, Agnelo disse que a educação em seu governo seria uma maravilha. Entretanto, o nível de ensino, tanto básico quanto o superior estão em decadência, conforme detectou o último Enem. Outro absurdo na área da educação, refere-se ao abandono da escola em tempo integral. Hoje, nem 5% da escola integral funciona em Brasília”, garantiu o pré-candidato.

Cotas para a comunidade negra Quanto a cota de 20% para a comunidade negra no serviço público, aprovada pelo Senado, sancionado pela presidenta Dilma e publicada esta semana no Diário Oficial, Toninho aplaudiu: “O Brasil tem uma dívida histórica com a comunidade negra e, dívida tem que ser paga! Fiquei feliz com a aprovação da cota de 20% para a comunidade negra no serviço público. Acho justo a igualdade dos salários entre brancos e negros. Temos que acabar com o verdadeiro apartheid em nosso país”, concluiu.

As manifestações que devem acontecer durante a Copa e certamente continuarão até as vésperas das eleições, podem ser capitalizadas por Toninho, pois Reguffe que é o porta-voz desses movimentos, não será candidato ao Governo. Acreditamos que mesmo apoiando Rodrigo Rollemberg como candidato ao Senado ou deputado federal, o eleitorado de Regufe migrará na sua maioria para o pré-candidato do PSol. É o que diz a pesquisa da Directa/O Parlamento, registrada no TRE-DF com número DF-00011/2014 e TSE BR-00139/2014. Como se vê, a eleição em Brasília tem seus favoritos, mas Toninho pode dar trabalho, inclusive, disputar o segundo turno.

(Walter Brito, jornalista)