Arquivo da tag: retorno

AFP – Agence France-Presse

02/07/2014 

O Monty Python não vai ganhar novos fãs com o espetáculo apresentado na noite de terça-feira, no retorno aos palcos do grupo de comédia após 30 anos, mas os antigos admiradores deixaram a Arena O2 de Londres plenamente satisfeitos.

John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones e Michael Palin, já septuagenários – Graham Chapman, o sexto Pyton, morreu de câncer em 1989 -, fizeram na terça-feira a primeira de 10 apresentações de reencontro e despedida.

O espetáculo “Monty Phyton Live (mostly)” conta com as antigas piadas e as velhas canções, e acaba com aquela que um crítico chamou de “hino nacional”, “Always Look on the Bright Side of Life”, tema de encerramento do filme “A Vida de Brian”, cantada com entusiasmo por atores e espectadores.

“Os Pythons chegaram, cambalearam, mas venceram”, escreveu o crítico do Daily Telegraph, que deu quatro estrelas ao espetáculo, em uma escala que vai até cinco, a maior nota dos principais jornais britânicos.

“O que falta em energia é compensado pelos esforços coreográficos de uma trupe 20 intérpretes jovens o suficiente para serem seus netos”, completou.

Os integrantes do Monty Python receberam muitos aplausos agradecidos e “saíram com uma ovação de pé”, destacou o Daily Telegraph.

“Não é ruim: dá às pessoas exatamente o que desejam, mas aposta excessivamente no amor do fã”, escreveu o crítico do jornal The Guardian, que deu três de cinco estrelas.

“O espetáculo não conquistará nenhum novo fã. Mas deixa satisfeitos os devotos”, completa o crítico, que admite estar entre eles e confessou ter vivido “um microssegundo de emoção com lágrimas ao vê-los juntos outra vez”.

A crítica do jornal The Times também deu três estrelas e apresentou duas perguntas – com suas respostas: “Eles têm a vitalidade cômica de 40 anos atrás? Não têm. Em duas horas e meia, converterão os infiéis da causa Python? Não conseguirão”.

“Mas há muitas risadas entre o público, sorrisos de reconhecimento mais do que de surpresa, com certeza, mas risadas genuínas do início ao fim”, completa o jornal.

Para o The Sun, o espetáculo “é inteligente e imaturo ao mesmo tempo, como eram os Pythons então”.

“É um show para os fãs, não para leigos. De todos os modos, quantas pessoas não conhecem os Python?”, questiona o crítico do tabloide.

Como constatou a crítica, o espetáculo reuniu os fiéis.

Muitos espectadores compareceram à Arena O2 da zona leste de Londres vestidos como os personagens favoritos do grupo, desde os membros da Inquisição espanhola aos cavaleiros medievais.

“Foi brilhante, melhor do que eu esperava”, disse David Mallinson, de 48 anos, que viajou de Manchester com os dois filhos para assistir o espetáculo.

“Ri até chorar, o ambiente estava formidável”, completou.

Seu filho James, de 17 anos, acrescentou: “quando eles esqueciam do texto e riam das próprias piadas, deixou o show ainda melhor”.

“A ideia de compartilhar o mesmo espaço e lembrar os mesmos diálogos é um grande acontecimento”, afirmou Dan Stead, um técnico em informática de Leeds, no norte da Inglaterra.

Richard Hillier, um diretor de marketing de Londres, de 39 anos, disse que aproveitou cada minuto.

“Foi muito bom, mas acabou muito rápido. Por sorte, tenho entradas para mais duas noites!”, acrescentou.

A última apresentação, no dia 20 de julho, será exibida em cinemas de todo o mundo.

O grupo ganhou fama com o programa de televisão “Monty Phyton’s Flying Circus”, que teve o primeiro episódio exibido em 5 de outubro de 1969. Na década de 1970, eles investiram no cinema, com “E agora para algo completamente diferente” (1971), que foi seguido por “Monty Python em busca do cálice sagrado” (1975).

Em 1979, lançaram “A Vida de Brian”, uma comédia que narra a vida de um homem com uma vida paralela à de Jesus. O último filme do grupo foi “O Sentido da Vida”, em 1983, ano da separação.

Em 1998, o grupo retornou para uma apresentação em um festival de humor nos Estados Unidos.

Time de Portugal volta a Lisboa e é recebido com festa

Estadão Conteúdo

O melhor jogador do mundo no ano passado não rendeu o esperado e não conseguiu levar seu time sequer às oitavas de final da Copa. Mesmo assim, porém, a seleção portuguesa foi recebida com festa na manhã deste sábado em Lisboa. Cristiano Ronaldo, inclusive, foi um dos jogadores mais festejados pelas dezenas de pessoas presentes ao aeroporto.O craque do Real Madrid chegou a Lisboa calado e não quis falar com a imprensa. Apenas acenou para os torcedores que gritavam seu nome. Ronaldo estava com o olho esquerdo roxo, mas não há informações sobre os motivos. Ele seguiu diretamente para um taxi, enquanto a maioria dos jogadores foi recepcionada por familiares.

Além de Cristiano Ronaldo, outro jogador que recebeu forte apoio da torcida foi o goleiro Beto, que começou a Copa do Mundo como reserva, mas jogou diante de Estados Unidos e Gana. O jogador do Sevilla sofreu uma lesão na última partida de Portugal no Mundial, precisou ser substituído e saiu de campo chorando. Foi ele também um dos atletas que mais se abalaram com a eliminação.

Outro jogador de renome no elenco, Nani agradeceu o apoio dos portugueses. “O meu muito obrigado a estes torcedores por nos terem vindo receber desta maneira. Infelizmente não conseguimos dar a alegria que tantos queriam… O futebol é mesmo assim. Agora vamos continuar a trabalhar para que os próximos anos sejam melhores. É muito bom saber que os portugueses estão conosco”, disse o atacante do Manchester United.

Menina de 11 anos volta para casa depois de uma semana desaparecida

DIÁRIO DA MANHÃ|DANIELLY SODRÉ

Júlia Beatriz Cabral Santos, de 11 anos, voltou para casa sozinha na tarde de segunda-feira (21) após ter ficado desaparecida por uma semana, em Natal. Segundo a família, a garota havia sido vista pela última vez no dia 15 de abril deixando o colégio onde estuda.

De acordo com Marta Santos, avó da menina, Júlia Beatriz contou que estava na casa de um homem no bairro de Felipe Camarão, na Zona Oeste da cidade. “Ela apareceu sozinha. Disse que estava na casa desse homem, mas não sabemos se ela foi levada até lá ou se foi por conta própria”, disse.

Ainda segundo a avó, a neta saiu de casa por volta das 6h40 na terça-feira (15). “São só 10 minutos para chegar à escola. Depois da aula, que acaba às 11h30, ela vai para um projeto do colégio junto com o primo e a irmã, mas desta vez não a encontraram”, relembrou Marta.

A família chegou a procurar a polícia e o Conselho Tutelar de Natal em busca da menina.

Menina Júlia Beatriz voltou para casa por conta própria. Foto:Arquivo Pessoal

Menina Júlia Beatriz voltou para casa por conta própria. Foto:Arquivo Pessoal

 

Motoristas encontram movimento normal no retorno a São Paulo

De A Tribuna On-line

N/A

Imigrantem tem movimento intenso nesta tarde

O movimento melhorou nas estradas do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI) nesta segunda-feira, feriado de Tiradentes, para quem retorna a São Paulo.

De acordo com a Ecovias, concessionária que administra o complexo, a Rodovia dos Imigrantes, a Via Anchieta e a Rodovia Cônego Domênico Rangoni têm tráfego normal na volta à capital

Já a Padre Manuel da Nóbrega tem lentidão do Km 292 ao Km 284.

O SAI funciona em Operação Subida (2×8) e deve permanecer em vigor até as 23 horas, com as duas pistas da Imigrantes e a Pista Norte da Anchieta exclusivas para quem retorna à Capital. Para os motoristas que descem a serra em direção ao Litoral Paulista, a Pista Sul da Anchieta é a única opção.

Segundo a Ecovias, mais de 281 mil carros já retornaram para o planalto. Desde à 0 hora de quinta-feira, 328 mil veículos vieram para a Baixada Santista.

Balsas

Nas travessias litorâneas, os motoristas também não encontram transtornos. Entre Santos e Guarujá, a espera é de 10 minutos do lado de Santos e 20 minutos de Guarujá, com sete embarcações em operação, em ambos os lados. Em Bertioga, no Litoral  Norte, são 20 minutos, com apenas uma balsa em funcionamento.

Somente entre São Sebastião e Ilhabela, o movimento é mais intenso. Do lado de São Sebastião são 30 minutos. Já de Ilhabela, são 120 minutos com cinco embarcações à disposição. E no Vale do Ribeira, entre Cananeia e Ilha Comprida, são duas balsas em funcionamento, com 30 minutos de espera de cada lado.

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio