Arquivo da tag: Rio de Janeiro

ORIGINAL X SAMPLEADO: DIRE STRAITS X TAN E KULA “ÁRVORE SECA”

Confira a releitura do clássico do Dire Straits feita pela dupla de funkeiros Tan e Kula na música que estourou nos morros cariocas em 2010.

Assim como o rap, o funk ou tamborzão, também utiliza muitos samplers em suas produções, e costuma beber em fontes de origens diferentes.

É o caso do hit “Árvore seca” que estourou nos bailes funks há alguns anos na voz de Tan e Kula. O sampler utilizado na montagem, que faz sucesso até hoje, é do saxofone utilizado na música “Your lastest trick” da banda de rock inglesa chamada Dire Straits, lançada na década de 80 no disco Brothers in Arms.

Já o funk da dupla Tan e Kula era uma homenagem ao baile que rolava na comunidade da Árvore Seca no Rio de Janeiro.

Confira o Original:

Confira o Sampleado:

Com

“OSTENTAÇÃO EM CRISE” POR RENATO BARREIROS

Renato Barreiros, articulador cultural e um dos maiores incentivadores do funk na Cidade Tiradente, onde atuou como sub-prefeito, escreveu recentemente um artigo para o blog Farofafá sobre declínio do funk ostentação.

POR: RENATO BARREIROS

FONTE: FAROFAFÁ

Um dos maiores fenômenos musicais dos últimos anos está em crise, o funk ostentação. Nascido no ano de 2008 em Cidade Tiradentes, extremo leste de São Paulo, é cada vez menos ouvido entre o público que o consagrou: a juventude da periferia paulistana.

A mudança no cenário cultural começou no ano passado, quando todos os MCs da ostentação ainda gastavam milhares de reais para produzirem seus clipes, mas passaram a falar de artigos de luxo AAA, estes cada vez mais caros e distantes do poder de consumo da nova classe C. No começo da explosão do funk ostentação, o MC Boy do Charmes se imaginava dirigindo um carro modelo Megane ou uma moto 1100 cilindradas. Hoje, as músicas falam em Ferraris e Lamborguinis.

MC Naldinho e a música “Ui Chavoso, meia na canela” conseguiu se tornar um hit com um vídeo clipe amador, tendo um automóvel Jetta como seu maior objeto de “ostentação”. Na letra, gírias quase indecifráveis para quem não faz parte desse segmento de juventude e exaltando uma moda muito própria, a meia na canela. Foi como se a juventude da periferia dissesse aos agora nacionalmente famosos MCs da ostentação que não se identificava mais com eles.

Outro fator que colaborou com a crise do funk ostentação foi o engessamento da divulgação das músicas e clipes. Antes clipes e músicas eram copiados por qualquer jovem e colocados em seus canais no YouTube. Atualmente, os MCs lançam seus trabalhos em canais próprios e dificilmente deixam que eles sejam copiados para outros canais não oficiais.

Se essa estratégia gerou uma receita extra para os próprios artistas, complicou a situação financeira e desmotivou os divulgadores naturais e orgânicos do YouTube, os fãs, que ganhavam algum dinheiro com suas milhares de visualizações.

As primeiras formas de divulgação na internet impulsionaram o funk ostentação para o sucesso, e o fez emergir como uma potência comunicacional, independente do mainstream. O tradicional sistema de divulgação, que envolve rádios, TVs e grandes gravadoras, nunca havia dado o menor espaço para o movimento.

O funk como música mais escutada entre os jovens não começou com a ostentação, porém foi a partir da consolidação dessa vertente que a grande mídia e as gravadoras começaram a abrir espaço para os MCs paulistas e ajudaram que o movimento ganhasse dimensão nacional.

Antes da ostentação, o proibidão, muito forte na Baixada Santista, e a chamada “putaria”, oriunda do Rio, já eram febre nas periferias de São Paulo. Mas pelo conteúdo de suas letras fora dos padrões comerciais (a regra era falar de crimes, facções, consumo de drogas ou sexo de maneira explicita) os artistas dessas vertentes não se apresentavam em programas de TV, nem eram assediados por grandes gravadoras. Só serviam como pauta de jornais e revistas nas páginas policiais, quando ligavam suas músicas ao crime organizado.

E então surgiu a ostentação. Com esse tipo de funk em alta, muitos dos MCs acostumados a cantar apenas em salões de periferia e bailes de rua começaram a se apresentar em casas noturnas de luxo. A classe alta assimilou bem suas músicas e se tornou consumidora de funk ostentação. Foi parar em trilha de novela.

Com milhões de acessos no YouTube, os MCs da ostentação passaram a ser disputados por emissoras de TV, tiveram suas músicas veiculadas em grandes rádios comerciais e se aproximaram das grandes gravadoras – as mesmas que torciam o nariz para movimentos que não controlavam.

Essa aproximação fez com que os MCs da ostentação mudassem suas letras e ritmos para um formato mais adequado ao gosto de seus novos consumidores, a classe alta, e aos padrões do que exibe a grande mídia.
Outro fato que deve ser levado em conta quando falamos na crise do funk ostentação é o momento que vive a economia brasileira. Quando surgiu, o movimento teve seu ápice acompanhando a “ascensão da nova classe média”.

O resultado dessa crise é que os atuais sucessos do funk nas periferias em São Paulo voltaram a ser um misto de proibidão e da chamada “putaria”. O Passinho do Romano, hoje a maior febre, surgiu depois que um dos jovens dançava se contorcendo após ter inalado o que chamam de lança perfume, que na verdade é uma fórmula amadora e imprecisa que reúne éter, aroma de alguma fruta e acetona, além de outras possíveis químicas.

O Passinho do Romano surgiu antes mesmo que as músicas falando sobre ele fossem lançadas. Hoje, embora tenha tomado uma enorme proporção e não estando mais tão diretamente ligado ao consumo de lança perfume, os primeiros sucessos que falavam do “Romano” tinham citações explicitas ao consumo de drogas como “Lança de Coco”, deMC Bin Laden, “Passinho do Romano”, de MC Crash, e “Não quero Flash”, de Juninho Jr.

Além de fazer sucesso com suas músicas para o Passinho do Romano, MC Bin Laden ressuscitou o funk proibidão, falando do crime na periferia de São Paulo. Na fase áurea da ostentação, essa vertente sobrevivia apenas na voz do MC Kauan. Bin Laden tem entre seus primeiros sucessos a música “Barulho do motor -Bololo” e “Bololo – Haha”.

Entre as músicas da chamada “putaria” é o MC Pedrinho, com apenas 11 anos e que ganhou o apelido de “príncipe da putaria”, quem incendeia os bailes. Seu maior sucesso é a música “Dom, Dom, Dom”. Além de Pedrinho, os MC Livinho, com “Picada Fatal”, e MC Japa, com “Perereca Suicida”, são alguns dos novos Mcs que fazem sucesso dentro desse subgênero do funk.

Outro duro golpe no funk ostentação foi a ampliação dos “fluxos”, os bailes de rua chamados pela grande imprensa de “pancadões”, onde surgiu o Passinho do Romano e as músicas de proibidões e putarias são as mais tocadas. Os “fluxos” fizeram com que caísse a demanda por MCs. Os cachês despencaram. Os “pancadões” são realizados apenas com a aparelhagem de som dos próprios carros, sem apresentações ao vivo.

As casas noturnas da periferia, que contratavam MCs de sucesso e garantiam bons cachês para ter suas pistas cheias de jovens, estão vendo seu público minguar. Elas não têm como concorrer com os “fluxos” que brotam espontaneamente na rua. É muito mais barato para quem frequenta, por não pagar entrada e se pode comprar bebida muito mais barata nos camelôs ou levando de algum supermercado.

Os novos MCs de sucesso fazem menos apresentações e por vezes tem um cachê reduzido. Sua fama acaba por se limitar, em muitos casos, a uma ou duas músicas, em uma cena musical muito mais volátil.

Embora a vertente da ostentação não apareça mais na grande mídia como no ano passado, a força do funk continua sendo a principal trilha sonora da juventude que vive na periferia. Mas o que se vê agora é que, mais uma vez, ela está em rápida transformação e se identifica com outros MCs e letras de outros temas.

 

 

 

 

 

 

 

 

PROFESSORA DA QUEBRADA FAZ VAQUINHA PRA APRESENTAR TESE DE FUNK NOS EUA

Para exibir seu trabalho sobre o funk e a juventude brasileira, em viagem internacional, a professora da periferia de São Paulo, Jaqueline Conceição criou a “Vaquinha Online”.

Com ajuda dos amigos a pedagoga Jaqueline Conceição que  mora no Campo Limpo na periferia de São Paulo,  criou uma “Vaquinha online”, com intuito de levantar fundos para arcar suas despesas em uma viagem internacional e exibir seu artigo aceito em um congresso que acontece em setembro deste ano.

A funkeira Valesca Popozuda, também irá contribuir pagando metade das despesas da professora que a citou em seu trabalho acadêmico. O artigo aceito para participar do congresso faz parte da dissertação de mestrado defendida por Jaqueline.

Jaqueline é professora de literatura em uma escola na comunidade de Paraisópolis, a pedagoga tem mestrado em educação pela PUC (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), ela foi convidada pela Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, para apresentar seu trabalho sobre o funk e a juventude brasileira, “Só Mina Cruel – Algumas Reflexões Sobre Gênero e Cultura Afirmativa no Universo Juvenil do Funk”.

Internautas de todo o Brasil podem contribuir com uma doação para ajudar nas despesas da viagem.

Para ajudar clique “Vaquinha online”.

Polícia Civil prende acusado de estuprar afilhada de 11 anos

Homem foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável, com pena prevista de oito a 15 anos de reclusão.

O DIA

Rio – Policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) prenderam, na manhã desta quarta-feira, no bairro de Brás de Pina, um homem de 34 anos. Ele é acusado de abusar sexualmente de sua afilhada, de 11 anos de idade, há pelo menos seis anos.

Segundo o delegado Gilson Perdigão, titular da especializada, as investigações tiveram início há cerca de um mês e vai ter continuidade para identificar outras possíveis vítimas.

Contra o acusado foi cumprido mandado de prisão temporária, expedido pela Justiça. Ele foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável, com pena prevista de oito a 15 anos de reclusão.

Exposição artevida reúne artistas de 25 países

Grande mostra trará cerca de 300 obras a quatro espaços no Rio a partir de 27 de junho

Secretaria da Cultura do Rio de Janeiro

Obra de Anna Bella Geiger, “História do Brasil – Little boys and girls”, em exposição na Casa França-Brasil  (Crédito: Divulgação)

Nest, do austríaco Birgit Jürgenssen, em exposição na Casa França-Brasil
RenaisSense, do alemão Ulay Solingen, estará na Casa França-Brasil
"Habito - Habitantes", obra de Martha Araú;jo que compõem a seção Parque da mostra

 

As 300 obras de artistas nacionais e de outros 25 países que compõem a exposição artevida, que será aberta nesta sexta-feira, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Jardim Botânico, na Casa França-Brasil e na Biblioteca Parque Estadual, no Centro, foram selecionadas pelos curadores Rodrigo Moura e Adriano Pedrosa especialmente para a cidade. Obras de Lygia Clark, Cildo Meireles, Anna Bella Geiger, da cubana Ana Mendieta e da alemã Annegret Soltau compõem a exposição.

“As interpretações da história da arte do hemisfério norte vêm se apropriando da identidade do que é produzido no Brasil, na América Latina e em outras periferias de maneira geral. Na artevida propomos o inverso disso. A exposição examina as relações entre vida e arte do final dos anos 1950 ao início dos anos 1980. A referência é a arte brasileira, e principalmente, a arte a produzida no Rio durante esse período”, explica Moura.

Este viés curatorial dá forma à mostra que, além destes espaços, também estará no Museu de Arte Moderna (MAM). A inauguração no museu, no entanto, acontecerá somente no dia 19 de julho, e complementa a narrativa não linear construída a partir das performances, fotografias e vídeos que representam os temas Corpo, Política, Arquivo e Parque.

A série arquetípica Bichos, escultura em alumínio articulada produzida pela artista Lygia Clark nos anos 1960, é uma das obras que compõem a seção Corpo, na Casa França-Brasil. No espaço, obras de outros 60 artistas, como a Tecelares, de Lygia Pape; e fotografias de Yoko Ono e Ana Mendieta exploram a utilização do autorretrato e expõem a dinâmica da transformação do corpo.

A Biblioteca Parque Estadual (BPE) recebe 400 itens do arquivo de 70 mil documentos do artista e poeta Paulo Bruscky, selecionados com a cocuradoria de Cristiana Tejo. O acervo conta com livros de artista, arte postal, convites de exposições, cartas, carimbos, adesivos, revistas, recortes de jornal, dentre outros objetos. Também faz parte desta seção o Arquivo Graciela Carnevale, membro do Grupo de Arte de Vanguardia de Rosário, na Argentina.

Além do arquivo de Paulo Bruscky, aberto ao público na BPE a partir das 13h, e da seção temática Corpo, que a Casa França-Brasil exibe a partir das 11h, o Parque Lage recebe, a partir das 15h, a individual de Martha Araújo e uma instalação de Tsuruko Yamazaki. Nos jardins da Escola de Artes Visuais do Parque Lage estará a instalação do japonês Tsuruko Yamazaki. Já o palacete abriga a individual de Martha Araújo na seção parque da mostra.

Seção Política terá obra de Hélio Oiticica

A exposição que propõe a inserção da produção das artes plásticas de vanguardas e neovanguardas dos anos 1960 e 1970 brasileiras como ponto de convergência com obras de artistas internacionais se completa no MAM, em 19 julho, com a abertura da seção Política. Uma das obras em destaque é Parangolés, de Hélio Oiticica e também esculturas de Carlos Vergara.

Na ocasião também será lançado um guia ilustrado de 140 páginas, com uma obra e minibiografia de todos os artistas participantes. 

Colaboração de Mariana Moreira

No RJ, invasores incendeiam barracão de mãe de santo

27/06/2014 

Rio, 27 – Na noite dessa quinta-feira, 26, o segundo andar do barracão de candomblé de mãe Conceição D’Lissá, de 53 anos, foi incendiado no bairro Jardim Vale do Sol, em Duque de Caxias, na baixada fluminense. Nos últimos seis anos, esse já é o sexto atentado contra a casa e sua dona, que também foi vítima de uma tentativa de homicídio. Sem apontar suspeitos, ela afirma que os atentados têm cunho religioso já que sua vida “é pautada na questão religiosa”.

De acordo com a mãe de santo, os invasores cortaram o arame farpado em cima do muro para entrar na casa que funciona apenas para as sessões religiosas. Sem conseguir entrar no primeiro andar, onde ficam a cozinha, os quartos e o salão dedicado aos santos, eles quebraram a corrente e o cadeado e entraram no segundo andar, lugar onde são guardadas as roupas de santo e outros itens usados nas sessões. Os invasores atearam fogo no nível superior, que estava em obras para ampliação do espaço e ficou completamente destruído. O telhado veio abaixo.

“Não sobrou nada, foi uma perda inestimável. Estou me sentindo como se fosse uma mulher estuprada, me pergunto o que fiz de errado para isso acontecer. Estou vivendo aquela situação em que a vítima começa a achar que foi a causadora (do ataque). É uma sensação muito ruim”. O incêndio será registrado nesta sexta-feira, 27, na 62ª Delegacia de Polícia (Imbariê, em Duque de Caxias) como intolerância religiosa, assim como os outros casos, exceto a tentativa de homicídio que ela afirma ter tentado acrescentar a motivação religiosa no boletim, mas não foi possível. Nenhum suspeito foi identificado até hoje. A reportagem do Estado entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil, mas ainda não obteve resposta. Em protesto contra a não resolução dos casos, a mãe de santo e o sacerdote Luis Eduardo Negrogun iniciaram uma greve de fome para que “o Estado intervenha nas investigações sobre a série de ataques” ao barracão.

“Queremos que o Estado se manifeste de maneira efetiva contra a intolerância religiosa e o racismo porque quando o caso acontece em um estádio de futebol todo mundo vê, mas quando é na nossa casa ninguém olha. É inadmissível que em um estado laico a gente ainda passe por essas privações”, disse mãe Conceição, que foi candidata a deputada federal pelo PC do B, em 2010.

O barracão funciona há 13 anos no Jardim Vale do Sol. Há sete, ela e a família se mudaram para o bairro e, desde então, começaram as ameaças à mãe de santo. Há um mês, o carro de Leonardo Duran, filho de santo de Conceição, foi incendiado na porta do barracão. Na tentativa de homicídio, também atiraram na casa e no barracão, que fica na mesma rua.

Conceição diz que têm recebido ligações no barracão em que a pessoa permanece muda do outro lado da linha. “Tenho a impressão de que é para saber se tem gente na casa”. Ela diz que, pela primeira vez, pensa em pedir proteção policial. “Acho que o Estado está esperando que eu seja assassinada para tomar uma postura. Esperamos que eles nos vejam, nos ouçam e façam uma coisa”. De acordo com a Defesa Civil, as paredes do segundo andar da casa terão que ser reforçadas caso o espaço seja reconstruído.


Acidente com van escolar deixa 19 feridos no Rio

 

Agência Estado

24/06/2014 :

Rio, 24 – Um acidente que envolveu um ônibus escolar que seguia pela RJ 144, na cidade de Duas Barras, na região serrana fluminense, deixou 19 pessoas feridas na manhã desta terça-feira, 24. O veículo caiu de uma ribanceira no quilômetro 51, por volta das 7h. Duas meninas que ficaram presas às ferragens foram encaminhadas pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal de Bom Jesus do Itabapoana e para o Hospital Municipal Raul Sertã, em Nova Friburgo.

Outras três crianças foram atendidas em Nova Friburgo. No entanto, ainda não há informações sobre o estado de saúde de nenhuma das vítimas.

Região do Maracanã terá interdições mais cedo para jogo da Copa do Mundo

Estádio recebe nesta quarta-feira, às 17h, Equador x França. Questão de segurança foi o motivo para que a prefeitura decretasse feriado em período integral

O DIA|CONSTANÇA REZENDE

Rio – A CET-Rio e a Rio Eventos divulgaram nesta terça-feira, no Centro Aberto de Mídia, no Forte de Copacabana, na Zona Sul, o esquema para o jogo desta quarta, entre Equador x França, no Maracanã, às 17h, pelo Grupo E da Copa do Mundo. As interdições próximo ao estádio foram antecipadas e começarão às 10h. Isso foi um pedido da secretaria de Segurança, assim como o feriado em período integral, com o objetivo de facilitar o bloqueio de segurança nos arredores do Maracanã.

Participaram da entrevista coletiva o presidente da Rio Eventos, Leonardo Maciel, e o diretor de operações da CET-Rio, Joaquim Dinis. Eles lembraram que apesar do feriado, áreas de lazer, assim com hospitais e transportes públicos funcionarão normalmente. Somente a Quinta da Boa Vista e o zoológico não funcionaram pois eles serão utilizados pela Fifa.

O corredor BRS funcionará somente em Copacabana. E foi solicitado que a população utilize o transporte público e que as pessoas que residem próximo ao Maracanã evitem sair de casa no horario do jogo.

Estrangeiros serão a maioria no estádio

Foi montado um bolsão de estacionamento no Fundão para ônibus e vans. Os torcedores deixarão seus veículos lá e sairão para o Maracanã num transporte público. Segundo a expectativa da prefeitura, o público estimado para o confronto entre franceses e equatorianos é de 59% de estrangeiros.

Ingleses vão parar em presídio do Rio, suspeitos de vender ingressos da Copa

Agência Brasil

Dois turistas ingleses presos no sábado pela Polícia Civil foram encaminhados, por determinação da Justiça, à Penitenciária Bandeira Stampa, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Desmond Lacon e Roger Leigh foram detidos em um hotel da zona sul da cidade, com 30 ingressos para jogos da Copa do Mundo.
 
Segundo a Polícia Civil, os ingleses tentavam vender os ingressos. Eles também estavam com R$ 3 mil, 425 libras e US$ 1 mil. Eles foram autuados em flagrante por cambismo (venda ilegal de ingressos) e associação criminosa, pela Delegacia de Atendimento ao Turista.
 
O encaminhamento dos ingleses ao presídio difere do tratamento que a Polícia Civil vem dando aos cambistas, que geralmente são apenas autuados e liberados pelos delegados.
 

Polícia Civil do Rio reforça esquema para atender turistas durante a Copa

23/06/2014 

A Polícia Civil do Rio de Janeiro intensificou o atendimento da Delegacia de Atendimento ao Turista (Deat), no Leblon, zona sul da cidade, para atender aos visitantes durante o período da Copa do Mundo. Neste período, a unidade vai ter mais 470 policiais, sendo que 156 podem atender em outros idiomas.

Outro reforço policial vai funcionar em dias de jogos no Maracanã, onde foi instalada delegacia móvel ao lado do estádio. A unidade, que pode atender até cinco pessoas ao mesmo tempo, foi doada pela Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, e é equipada com bancadas de computadores com acesso à internet, sistema de captação de energia, gerador, gabinete para o delegado, cinco estações de trabalho, cela para dois presos, ar-condicionado e um alojamento.

A intenção é evitar o deslocamento das pessoas e dos policiais até uma delegacia para resolver casos como registros de ocorrência e perda de documentos. A equipe de plantão conta com inspetores para o atendimento inicial, papiloscopistas do Instituto Félix Pacheco, além de peritos legistas e de química.

A Polícia Civil tem unidade móvel também no Aeroporto Santos Dumont, com capacidade para registros de ocorrência, iniciar inquéritos policiais e lavrar auto de prisão.

 

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio