Arquivo da tag: TURISMO

Paris lança versão infantil de sistema de bicicletas gratuitas

Modelo infantil do sistema de bicicletas gratuitas de Paris|Twitter/ @vincentmichelon|RFI

Modelo infantil do sistema de bicicletas gratuitas de Paris.A Prefeitura de Paris lança nesta quarta-feira (18) a versão mirim do sistema de bicicletas gratuitas. O serviço, porém, será restrito a alguns pontos da capital francesa.

A partir dessa quarta-feira (18), os pequenos parisienses também poderão desfrutar do sistema de serviço gratuito de empréstimo de bicicletas de Paris. Batizado de “Petit Vélib” (pequeno Vélib, em português), o serviço estará disponível para crianças de 2 a 10 anos. As bicicletas apresentam o mesmo design da versão para adultos, incluindo a cestinha. Para cada faixa etária, porém, foram feitas adaptações.

Para as crianças entre 2 e 4 anos, existem modelos sem pedais e sem correntes ou uma versão tradicional com ou sem rodinhas. Já, para crianças entre 8 e 10 anos, a empresa que administra o sistema oferece um tamanho maior de bicicleta.

Nessa etapa de lançamento, 300 bicicletas estarão disponíveis. Diferentemente do sistema para adultos, as crianças não poderão circular por toda a cidade. As versões infantis estarão disponíveis nos parques Bois de Boulogne, Bois de Vincennes, às margens do canal Ourcq, em algumas margens do Sena fechadas para pedestres e em uma área verde do 12° distrito. Segundo a Prefeitura de Paris, essas áreas são consideradas seguras para os pequenos ciclistas.

O Vélib foi inaugurado em julho de 2007. Hoje existem cerca de10 mil bicicletas e 750 estações automatizadas em Paris e algumas cidades vizinhas. A primeira meia hora de uso é gratuita. Após esse período, é cobrada uma taxa que varia de acordo com o tempo de uso.

Ataque de islamitas somalis deixa 49 mortos no Quênia

AFP – Agence France-Presse

16/06/2014 

Islamitas somalis shebab assumiram a autoria do ataque que matou 49 pessoas no domingo à noite, em uma nova ação contra uma localidade costeira perto do arquipélago turístico de Lamu (leste do Quênia), abrindo fogo contra hotéis, restaurantes e prédios públicos.

O ataque é o mais violento desde da ação de um comando shebab contra o shopping Westgate de Nairóbi, em setembro de 2013, que terminou com 67 mortos.

O chefe de polícia David Kimaiyo não hesitou em atribuir imediatamente o ataque a ativistas shebab da vizinha Somália, cuja fronteira fica 100 km ao norte.

Além de reivindicar o ataque, o grupo ligado à Al-Qaeda afirmou que os turistas e estrangeiros residentes devem deixar o país.

O grupo explicou em um comunicado que o ataque foi uma vingança contra o governo do Quênia, que “oprime brutalmente os muçulmanos através da coação, intimidação e assassinatos ilegais de acadêmicos muçulmanos”.

Os moradores estavam em choque nesta segunda-feira. Entre os escombros ainda era possível ouvir os gritos de dor.

No interior das modestas residências havia cadáveres em meio à poças de sangue. Equipes da Cruz Vermelha tentavam prestar ajuda aos feridos.

Quase 50 homens cometeram o ataque durante a transmissão da Copa do Mundo na localidade de Mpeketoni, que fica a 30 km da cidade turística de Lamu, que é considerada patrimônio da humanidade pela Unesco.

Segundo fontes locais, a região de Mpeketoni tem principalmente cristãos, enquanto na costa, onde ficam os turistas ocidentais, a maioria é muçulmana.

Os extremistas atacaram a delegacia de polícia local, mas os agentes responderam ao ataque, segundo a porta-voz da polícia queniana, Zipporah Mboroki. Depois abriram fogo nas ruas, antes de invadir hotéis e restaurantes, onde os clientes assistiam as partidas da Copa do Mundo do Brasil.

Os tiros foram ouvidos durante toda a noite e o exército mobilizou dispositivos aéreos para localizar os criminosos, segundo o Centro Nacional de Gestão de Catástrofes (NDOC).

“O balanço é de 49 mortos”, declarou à AFP Mboroki.

Mas o policial afirmou que o balanço pode aumentar, já que as autoridades ainda procuram corpos.

“Eram quase 50 criminosos, fortemente armados, que estavam em três automóveis. Exibiam a bandeira dos shebab e falavam em somali. Gritavam ‘Allahu Akba’ (Deus é grande)”, declarou o chefe adjunto da polícia do departamento, Benson Maisori

“Desde o início do ataque contra a delegacia de polícia, as autoridades locais pediram a todos os estabelecimentos que exibiam as partidas que fechassem as portas e aos clientes que retornassem para suas casas”, contou à AFP o jornalista queniano Ferdinand Omondi.

“A segurança foi reforçada em todo o país”, afirmou o ministro do Interior Ole Lenku. “Ultrapassaram todos os limites”, afirmou, chamando o ataque de “ato hediondo”.

Ao que parece, a maioria dos homens conseguiram escapar e continuaram espalhando o terror na região, especialmente na localidade de Kibanoi, a seis quilômetros de Mpeketoni.

A tensão não para de aumentar desde março, quando os atentados ganharam intensidade, especialmente na costa do Oceano Índico, com ameaças a zonas turísticas.

O ataque em Mpeketoni eleva a 77 o número de mortos desde o início de 2014 no Quênia em ações atribuídas aos shebab ou a seus simpatizantes.

Os shebab ameaçaram com represálias depois que o Quênia enviou seu exército para combater os extremistas na Somália, em outubro de 2011.

O exército queniano se uniu à força da União Africana que combate os islamitas.

O primeiro-ministro somali, Abdiweli Sheikh Ahmed, condenou por sua vez “os atos de terrorismo covardes contra civis inocentes”.

Os Estados Unidos condenaram o ataque nos termos mais duros.

“Não há lugar para atos de violência cmo ete em nenhuma sociedade”, afirmou Jen Psaki à imprensa.

Mais de 3,7 milhões de turistas deixarão no país R$ 6,7 bilhões durante a Copa

Agência Brasil

Projeções do Ministério do Turismo indicam que cerca de 3,7 milhões de turistas se deslocarão pelo Brasil durante o período da Copa do Mundo, acrescentando cerca de R$ 6,7 bilhões à economia do país. Além disso, o evento mobilizará cerca de 200 mil trabalhadores temporários. Os dados foram atualizadas nesta quinta-feira pelo ministério.

De acordo com o Ministério do Turismo, a Copa, aberta ontem em São Paulo, com o jogo entre Brasil e Croácia, será a maior fonte de gastos dos turistas até 13 de julho, quando se encerra o torneio.

O ministério estima que, em média, cada um deles assista a quatro jogos nos estádios e gaste R$ 5.500 no período que passar aqui. O valor que não inclui as despesas com passagens aéreas e gastos feitos quando ainda no país de origem. As projeções têm por base as vendas de ingressos feitas até a primeira semana de abril.

Pelo menos metade da população do planeta acompanhará o torneio pela TV, pela internet ou por celulares e demais dispositivos eletrônicos. Serão mais de 3,6 bilhões de espectadores, número 12,5% superior aos 3,2 bilhões que assistiram à Copa de 2010, disputada na África do Sul, segundo pesquisa encomendada pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) à agência Kantar Sport.

Segundo a agência, cerca de 2,2 bilhões de pessoas assistiram ao Mundial por pelo menos 20 minutos consecutivos, superando em 3% a audiência da edição anterior, em 2006, na Alemanha. Neste ano, serão 73 mil horas de transmissão de TV direcionadas a mais de 200 países. Já foram credenciados para o evento 19 mil profissionais de imprensa.

Cartilha alerta turistas na Copa sobre doenças típicas da Amazônia

Além do guia, diversas outras ações foram criadas para ajudar visitantes, como as clínicas com atendimento bilíngue; confira

Portal da Amazônia

MANAUS – Turistas e amazonenses podem ficar tranquilos quanto aos atendimentos médicos durante a Copa do Mundo de Futebol em Manaus, uma cartilha que explica quais as doençasmais comuns no Amazonas e quais lugares oferecem o tratamento é distribuída pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS). A ação faz parte da programação de atendimento aos visitantes que circularão por Manaus durante o período do mundial.

turistas visitam manaus

De acordo com o coordenador do Grupo de Trabalho Copa Saudável, Bernardino Albuquerque, a cartilha tem sido distribuída desde a segunda quinzena de maio. “São orientações sobre as doenças mais comuns [malária, febre amarela, leishmaniose, doença de chagas, dengue e ainda doenças sexualmente transmissíveis] e como preveni-las”, resumiu.

A cartilha está disponível em duas versões: inglês e português. “Inglês é a língua mais falada no mundo. Espanhol é bem parecido com o português, então deixamos a versão em nossa língua mesmo”, explicou Albuquerque. O coordenador disse ainda que a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) também faz a distribuição da cartilha, que pode ser encontrada em diversos pontos da cidades, como hospitais e na Ponta Negra, espaço onde será realizada a Fan Fest, ponto de encontro dos torcedores e turistas.

Clínicas para os turistas

Outra medida para garantir a segurança da saúde de quem estiver na capital do Estado durante a Copa são as clínicas com atendentes bilíngues. A Clínica do Viajante funcionará na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) do Amazonas. “Será um ambulatório com profissionais bilíngues para atender e orientar o turista estrangeiro”, disse Bernardino Albuquerque.

Já a Clínica dos Visitantes, da Unimed, estruturou um ambiente hospitalar e ambulatorial que conta com assistência médica multiprofissional e estrutura funcional e física do da unidade Hospital Unimed Parque das Laranjeiras (HUPL).

A clínica funcionará 24 horas até 30 de junho 2014 e terá  médicos de plantão nas seguintes especialidades: Cirurgia Geral, Ortopedia, Cardiologia, Otorrinolaringologia, Oftalmologia e Neurocirurgia.  Em escala de sobreaviso estão as especialidades de Endoscopia, Urologia, Psiquiatria, Nefrologia e Pneumologia. Para ser atendido, o paciente – estrangeiro ou nacional – dever ir ao HUPL ou ligar para (92) 8439-3014.

Além disso, a prefeitura de Manaus também investe em planos de urgência e emergência, envolvendo diferentes setores, que serão executados até o fim dos jogos no Brasil.

 

Cineteatro Glória de Cachoeira será reinaugurado no próximo dia 18

Secretaria da Cultura da Bahia|09/06/14 

IPHAN entrega, totalmente restaurado, importante equipamento cultural para o Recôncavo Baiano

A comunidade do município de Cachoeira receberá o Cineteatro Glória totalmente restaurado. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a Prefeitura de Cachoeira assinaram na última sexta-feira (06) o termo de cessão de uso gratuito e a sua reinauguração será no próximo dia 18. O imóvel bem como os bens móveis e equipamentos foram tombados pelo IPHAN, em 30 de novembro de 1937.

O investimento da Superintendência do IPHAN/BA na total restauração do cineteatro permitirá o seu funcionamento e abertura à comunidade da cidade e região. O prédio vai contar com salas de projeção, foyer, hall, sanitários, depósitos, subestação de energia, galerias, mobiliário em geral e camarins. O IPHAN adquiriu um aparato moderno para a exibição de filmes; equipamentos de iluminação cênica, cenotécnia, sonorização e projeção.

“O Cineteatro Glória está pronto para atender a eventos culturais, principalmente nas áreas de cinema, teatro, dança e música”, ressalta o superintendente do Instituto, Carlos Amorim. A cessão de uso do imóvel vigorará pelo prazo de dez anos, mas qualquer mudança no cineteatro dependerá da aprovação do IPHAN.

Carlos Amorim destaca que o Instituto e a Prefeitura vão examinar a implantação das atividades culturais, de forma a melhor racionalizar o uso dos espaços, visando promover a auto-sustentabilidade do monumento. Na assinatura do termo, o prefeito de Cachoeira, Carlos Pereira Menezes, agradeceu a ajuda do IPHAN, com investimentos continuados na restauração e conservação dos monumentos históricos tombados no município.

Desativado por mais de 20 anos

 

O Cine-Teatro Cachoeirano, anteriormente chamado como Cineteatro Glória, que integra o conjunto arquitetônico e paisagístico tombado pelo IPHAN, está desativado há mais de 20 anos. O prédio foi comprado em 2009 pelo IPHAN em estado precário de conservação.

O prédio foi construído em 1922 na Praça Teixeira de Freitas, por Cândido Massena Vaccarezza, intendente de Cachoeira na época. O Cineteatro Glória foi inspirado no clássico filme italiano “Cinema Paradiso” e um dos primeiros cinemas do País e do interior da Bahia.

Foto: Divulgação – IPHAN – BA

Fonte: Ascom – IPHAN – BA

Turismo com botos faz sucesso entre visitantes na Amazônia

Comunidade ribeirinha do Amazonas oferece a experiência de tocar e até mesmo nadar com os botos

MANAUS – O boto é um dos mamíferos mais característicos dos rios amazônicos. Personagem principal de uma das lendas mais conhecidas da região, o ‘golfinho de água doce’ é um animal dócil e atrai a curiosidade de pessoas dentro e fora da Amazônia. Você já se imaginou tocando ou até mesmo nadando com os botos? Esta experiência é oferecida em uma comunidade ribeirinha no Amazonas. Durante a Copa do Mundo de Futebol, a atividade promete ser indispensável no roteiro dos turistas.

Turismo com botos é realizado no lago do Acajatuba, comunidade ribeirinha do Amazonas. Foto: Gabriel Seixas/Portal Amazônia

O Recanto do Boto, um conjunto de casas flutuantes localizado no lago do Acajatuba, afluente do rio Negro, é um dos cinco locais autorizados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a prática de turismo com botos. O local é administrado por sete pessoas e também trabalha com venda de artesanatos amazônicos e interação com peixes.

O grande atrativo do Recanto do Boto, como o nome sugere, é a possibilidade de um contato real com os animais. Ao chegarem no local, os turistas são encaminhados para uma plataforma construída dentro do rio, na qual podem nadar com os cetáceos e tocá-los. A beleza das águas do rio Negro e a paisagem verde que o cerca tornam a experiência ainda mais emocionante.

Dóceis e vulneráveis

Apesar da aparência inicialmente assustadora para alguns, os botos possuem atitudes completamente amistosas em relação ao homem – não mordem e nem machucam. Seus saltos podem superar a altura de um metro, e são justamente essas as cenas mais encantadoras.

Turistas se encantam com a familiaridade dos botos. Foto: Gabriel Seixas/Portal Amazônia

Os visitantes, no entanto, precisam cumprir algumas normas de segurança. Não é permitido tocar na cabeça do boto, por exemplo. Trata-se de uma parte sensível do animal, na qual encontra-se o seu orifício respirador. O turista também não pode alimentar os botos – função unicamente exercida pelos instrutores do local. Também não é autorizada a interação com os botos sem o acompanhamento de um instrutor no rio.

Entrada do 'Recanto do Boto', localizado no lago do Acajatuba. Foto: Gabriel Seixas/Portal Amazônia

Uma das particularidades do local é que os botos – cerca de 15 vivem no lago – não são mantidos em cativeiro. “Eles vivem em seu ambiente natural. A gente não tem como exigir que eles venham na plataforma [para interagir com os turistas]. Tem vezes que o turista vem aqui e os botos não aparecem porque eles estão no cardume”, afirma Érico Cruz, 23, um dos instrutores do Recanto do Boto. Ele também comenta sobre a ‘desobediência’ de alguns turistas que visitam o estabelecimento. “Tem turista que não quer respeitar as regras, quer fazer o que dá na telha. Teve vezes que a gente já quase retirou à força”, contou.

Copa impulsiona aumento de turistas

Érico conta que o local recebe cerca de 60 visitantes por mês, mas que a demanda deve aumentar consideravelmente por conta da Copa do Mundo. “Na Copa vai aumentar a quantidade de público, vou ter que contratar pessoas pra controlar os visitantes. Inclusive tem alguns grupos de turistas que já fizeram reserva para a Copa, dois deles da Alemanha”, contou. O instrutor afirmou inclusive que jogadores de seleções já fizeram reservas para conhecer o estabelecimento, porém se negou a divulgar os países por motivos de segurança.

Local também trabalha com a venda de artesanatos amazônicos. Foto: Gabriel Seixas/Portal Amazônia

O Recanto do Boto não conta com uma divulgação própria do estabelecimento. Quase todos os turistas recebidos pelo local são encaminhados por agências de turismo, que incluem a interação com os botos em seus pacotes. Entretanto, a presença de visitantes de outros países é constante. “A maioria dos turistas que vem pra cá são ingleses. Nós também recebemos muitos espanhóis, vem gente de toda a parte do mundo”, conta Érico.

Como conhecer?

Para quem quiser conhecer o Recanto do Boto, o local funciona todos os dias, das 8h às 15h. A entrada custa R$ 25 por pessoa. O lago do Acajatuba fica a cerca de 80 quilômetros de Manaus. A viagem da capital amazonense até a comunidade ribeirinha dura cerca de uma hora e meia de barco. Interessados em fazer uma reserva podem entrar em contato pelo número (92) 9124-6679.

 
 

InMao: estudantes desenvolvem aplicativo para guiar turistas em Manaus

Objetivo é facilitar a locomoção na cidade, tanto para quem vem de fora quanto para os próprios amazonenses

Aplicativo informa onde ir de acordo com interesse do usuário. Foto: Wagner Lucas/App Tree

MANAUS –  “Por que não amar Manaus?”. Assim justifica o criador do aplicativo ‘InMao‘ (Em Manaus) sobre a necessidade de um guia da cidade ao alcance de um simples toque, o engenheiro da computação Rafael Gerzvolf. Há poucos dias da Copa do Mundo de Futebol, turistas começam à chegar a cidade-sede do mundial no Amazonas e buscam por opções para visitar a cidade.

Há pouco mais de um ano Rafael Gerzvolf finalizou a graduação em engenharia da computação, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), com a apresentação do aplicativo. “Vi que não tinha nenhum outro aplicativo do gênero se eu quisesse procurar um lugar pra ir, como um restaurante. E quando procurava na Internet também não tinha, ou os que tinham estavam desatualizados. Então pensei em atualizar o aplicativo [trabalho de conclusão de curso], que funcione com alguém sempre atualizando”, contou ao Portal Amazônia.

Em fevereiro deste ano, juntaram-se à ele os estudantes Érica Bertan (desenvolvedora), Leandro Okimoto (programador) e Wagner Lucas (designer), todos da área de ciências da computação.  Quem ajudou o grupo a ‘se encontrar’ foi o orientador de Gerzvolf, o doutor em inteligência artificial pela Universidade de Edimburgo, na Escócia, Edjard Mota.

Grupo se uniu com a ajuda do professor Edjard Mota (cento), que os apresentou. Foto: Juan Gabriel

O projeto tornou-se, então, uma colaboração independente entre os estudantes. O grupo criou a empresa App Tree, para levar o projeto adiante, que será incluída na incubadora da Ufam. Assim se iniciou a criação do chamado ‘Easy to find InMao‘ (Fácil de encontrar em Manaus). “O bom nesse grupo é que cada um motiva o outro”, destacou Gerzvolf, ao enfatizar que o trabalho em equipe é primordial para que o aplicativo tenha se tornado realidade.

Plataforma

guia online está em fase de finalização e passará a funcionar no mesmo período da Copa, no começo do mês de junho. Desenvolvido inicialmente para a plataforma iOS em cinco idiomas – japonês, inglês, português, espanhol e italiano – , a equipe aguarda liberação da Apple para disponibilizar o guia. “Primeiro criamos para o iOS porque vamos lançar para os turistas na época da Copa e a maioria que virá provavelmente usa o iPhone, que é o celular mais vendido fora do Brasil”, explicou Gerzvolf. Inicialmente, o aplicativo oferecerá duas versões: uma gratuita, com as informações básicas, e uma paga, no valor de cerca de R$ 4.

Para descobrir o que fazer na capital amazonense, InMao terá um sistema de busca por categoria, como pontos turísticos e gastronomia. De acordo com a intenção do usário, dividem-se em subcategorias, como, no caso de gastronomia, restaurante de culinária regional, italiana, chinesa, japonesa, etc. “O aplicativo verifica a localização da pessoa e informa os locais mais próximos”, destacou.

A garantia de satisfação poderá ser acompanhada por meio da classificação por estrelas, de zero à cinco, marcada por outros usuários que já passaram pelo local. E quem não tiver acesso à Internet por alguma razão, ainda assim poderá consultar o aplicativo. Para driblar o problema, “a maioria das informações básicas dos pontos principais estarão disponíveis no aplicativo offline“, assegurou Gerzvolf.

Além da simplicidade, garante o criador, outro diferencial é a opção de rotas para seguir a pé pela cidade, para conhecer locais históricos ou encontrar diversão perto de onde estiver de forma independente. “É uma ferramenta prática. A prefeitura lançou um aplicativo para os turistas [Guiatur Manaus], mas o nosso é bem diferente, porque temos um foco pós-Copa, além das atividades que oferecemos”, comentou a desenvolvedora do InMao, Érica Bertan.

Colaboração

InMao busca facilitar locomoção na cidade e encontrar locais para diversas atividades. Foto: Wagner Lucas/App TreeInMao busca facilitar locomoção na cidade e encontrar locais para diversas atividades. Foto: Wagner Lucas/App Tree

Para quem não usa iOS, a equipe pede calma. O engenheiro da computação comentou que também devem lançar o InMao para plataforma Android, pois o objetivo do aplicativo é ajudar o máximo de pessoas com roteiros e lugares interessantes para ir. “A minha expectativa é não fazer um aplicativo só de turismo, mas algo que as pessoas de Manaus também utilizassem. Queria criar um aplicativo que quando as pessoas abrissem um novo estabelecimento, mandassem pra gente adicionar no InMao e facilitar a vida de todos”, explicou.

Portanto, o aplicativo deverá funcionar de forma colaborativa, com a ajuda dos amazonenses. “O ambiente perfeito seria que as pessoas mandassem para nós as dicas de locais. Por enquanto, nós mesmos buscamos em guias, perguntamos de amigos, ligamos e visitamos os estabelecimentos. Em função disso pode ser que agora no começo faltem muitos locais”, justificou.

A meta agora é finalizar o aplicativo e melhorar o espaço de trabalho com a prioridade de avançar na prestação do serviço aos usuários. “O que precisamos é de gente que se interesse pelo InMao. Estamos no começo e precisamos de um novo computador, treinamento para Android, entre outros materiais que ajudem à melhorar nosso desempenho e do produto oferecido”, argumentou Rafael Gerzvolf.

Equipe colocou projeto em prática em fevereiro e o lançamento será junto com o início da Copa. Foto: Edjard Mota

 
 

Cuiabá entre as três mais procuradas

Diário de Cuiabá|Yuri Ramirez

ImagemCuiabá é uma das cidades-sedes que teve o maior índice de vendas de hospedagem durante a Copa do Mundo revelou o mapeamento do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB) divulgado ontem pelo Ministério do Turismo (MTur). A pesquisa apontou que 240 mil diárias foram registradas para os dias de jogos da Copa e da véspera em todo o país. 


Das 12 cidades-sede, Cuiabá ocupa a terceira posição com o maior número de reservas nos hotéis da cidade, com 73% dos leitos ocupados. O ranking é liderado pelo Rio de Janeiro, com 87%, seguido pela capital do Rio Grande do Norte, Natal, com 81%. A pesquisa foi realizada pelo fórum, que reúne 25 redes de hotelarias do país, como a Acoor, Bristol, Othon, Plaza e InterCity. 

Segundo a pesquisa, nos dias 23 e 24 de junho, quando a Arena Pantanal será palco do jogo entre Colômbia e Japão, as reservas em hotéis já chegaram a 79% dos leitos nas principais redes. 

Para o diretor do setor de hotéis do Sindicato Intermunicipal dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Mato Grosso (SHRBS-MT), Luiz Verdun, já era sabido pelos empresários do ramo esse percentual, porém, esse índice equivale ao primeiro jogo que Cuiabá receberá Chile e Austrália, e ao último, que foi citado acima. 

“Ainda temos muitas vagas para os dias das partidas entre Rússia e Coreia do Sul (17) e Nigéria contra Bósnia (21). Acontece que os torcedores estão fazendo reserva apenas para o dia do jogo, ou seja, no máximo até duas diárias”, disse Verdun. 

Segundo ele, os empresários contavam que os visitantes ficassem em um período pré e pós-jogo, mas isso não está acontecendo devido à falta de atrativo turístico na cidade. “Os turistas começam a pesquisar sobre a cidade e descobre que não tem nada para fazer. Museu e Centro Histórico em todos os lugares têm”, disse. 

Luiz se refere à falta de investimento nos pontos turísticos de Chapada dos Guimarães e Pantanal, ele ainda ressaltou que a cidade perdeu seu diferencial. “Nem todos os turistas vão querer passar uma semana, por exemplo, sem ter locais por perto para explorar. Cada dia que passa um ponto turístico é fechado ou os abertos estão em péssimas condições”, finaliza. 

noticias gerais e, especificamente, do bairro do Brás, principalmente do comércio